8 de março de 2020, 16h21

🎥 Um hino à modalidade e impróprio para cardíacos

Hóquei em Patins Feminino

Um golo a um segundo do apito final deu a vitória ao Benfica, por 4-3.

RESUMO DO JOGO

A equipa de hóquei em patins feminino do Benfica venceu, neste domingo, no Pavilhão Fidelidade, o Sporting por 4-3, na 21.ª jornada da fase regular do Campeonato Nacional.

O jogo grande da ronda foi um verdadeiro hino à modalidade e impróprio para cardíacos, com o tento da vitória benfiquista a aparecer a... um segundo do fim. No rinque, ao longo dos 50', as executantes protagonizaram um belo espetáculo, com muitas ocasiões de golos, bem jogado e com sete tentos para amostra. 

O dérbi começou praticamente com os festejos das águias. Na meia direita, Marlene assistiu Inês Vieira, que, à boca da baliza, atirou de primeira para o 1-0 (1').

Para além do golo, a entrada das pupilas às ordens de Paulo Almeida foi muito forte, com uma pressão avassaladora que dificultou a construção ofensiva do Sporting. O Benfica somava oportunidades, algumas negadas por Cláudia Vicente, guardiã das verdes e brancas; as leoas levavam perigo através de contra-ataques conduzidos pelas gémeas Rita e Rute Lopes. 

O Sporting crescia na partida, criava algumas oportunidades negadas através de excelentes intervenções de Maria Celeste Vieira. Porém, aos 17', a guarda-redes nada pôde fazer para evitar o remate de Rita Lopes. 1-1 no Pavilhão Fidelidade. 

O Benfica respondeu da melhor forma, aos 18'. Falta de Rute Lopes para grande penalidade que Marta Piquero apontou de forma superlativa (2-1). 

Até ao intervalo, o jogo continuou vivo, com várias oportunidades de golo de parte a parte, mas o resultado de 2-1 manteve-se até final. 

RESUMO DA 1.ª PARTE

O Benfica entrou ao ataque na segunda parte, com Cláudia Vicente a negar o 3-1 num par de ocasiões. O Sporting não estava na Luz para fazer número e atirou a bola ao poste, num remate em que Maria Celeste Vieira estava batida. 

Adivinhava-se o 3-1 e este surgiu aos 37'. Marlene, com uma excelente simulação deixou Inês Vieira bisar na partida. 

Com o golo, o Benfica ficou por cima no jogo, parecendo que o Sporting estava a perder o norte e incapaz de suster a maior acutilância das águias. Nada mais errado...

Aos 40', uma perda de bola do Benfica permitiu a Ana Catarina Ferreira isolar-se e, com uma simulação, bateu Maria Celeste Vieira. Era o 3-2 no encontro. 

O tento sportinguista mudou a contenda. O Benfica estava por cima, a dominar e perto do 4-1, mas o 3-2 "alimentou" as verdes e brancas que, a partir daí, acercaram-se com perigo da baliza encarnada. 

A três minutos do fim, aos 47', com forte remate do meio da rua, Rita Lopes bisou e fez o 3-3. Ficou a ideia de que Maria Celeste Vieira não viu a bola partir. 

Num fim impróprio para cardíacos, o Benfica chegou aos 4-3 a um segundo do apito final. A 10 segundos do fim, as águias tiveram direito a uma grande penalidade. A primeira foi ao poste, mas a equipa de arbitragem mandou repetir. Marta Piquero, de novo na marca do castigo máximo, permitiu a defesa de Cláudia Vicente, mas ficou com o esférico e atirou para a golo, levando os adeptos presentes nas bancadas à loucura. 

Com este triunfo, o Benfica passa a liderar a classificação de forma isolada, com 54 pontos. No próximo fim de semana, as águias têm jornada dupla com o Azerede (acerto de calendário) e com o CACO. 

Benfica-Sporting, 4-3

FICHA  
Local Pavilhão Fidelidade
Formação do Benfica Maria Celeste Vieira, Inês Vieira, Marta Piquero, Maca Ramos e Marlene
Suplentes Margarida Brandão, Sofia Contreiras, Lety Corrales, Andreia Leal e Maria Sofia Silva
Ao intervalo 2-1
Marcadoras do Benfica Inês Vieira (1' e 37'), Marta Piquero (18' gp e 50' gp) 
Marcha do marcador 1-0, 1-1, 2-1, 3-1, 3-2, 3-3 e 4-3

Texto: Marco Rebelo

Fotos: Cátia Luís / SL Benfica

PATROCINADORES MODALIDADES


Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar