14 de junho de 2020, 12h12

🎥 Miguel Nascimento: “Sentimos que não estávamos sozinhos nesta pandemia”

Natação

Em entrevista à BTV, o nadador do Benfica enalteceu o apoio do Clube numa fase em que "adaptação" foi palavra de ordem.

ENTREVISTA

Tal como outros tantos atletas, Miguel Nascimento também esteve de quarentena, impedido de treinar… na piscina. O nadador do Benfica explicou, à BTV, como se adaptou à nova realidade imposta, enalteceu o apoio do Clube e relembrou que Tóquio ainda é o foco, só que agora para 2021.

Três meses sem contacto com a piscina

“Foi um pouco atípico, pois nunca tinha estado tanto tempo sem nadar, mas tivemos de nos adaptar, fizemos treinos dentro de casa com halteres e muito treino funcional, o que ajudou a que estar tanto tempo parado não fosse um problema assim tão grande. Tentámos sempre arranjar alternativas para não ficarmos muito sedentários, tentámos fazer vários tipos de treinos diferentes para também não ser sempre a mesma coisa. Não foi fácil, tanto para nós, atletas, como para todas as pessoas, mas tentámos reinventarmo-nos e isso ajudou-nos a passar a quarentena.”

Natação

"Não foi fácil, mas tentámos sempre arranjar alternativas"

Interrupção das competições

“Foi o aspeto mais difícil para nós porque quando parámos ainda havia muito países a treinarem e a fazerem a sua vida normal. Fomos dos primeiros países e até das primeiras entidades a parar, o que me preocupou inicialmente em termos competitivos e não em termos de saúde, porque nesse campo penso que foi uma decisão acertada. Questionei-me se iriam haver Jogos Olímpicos e isso preocupou-me, mas com o passar das semanas realmente os países começaram a parar e eu já estava cada vez mais a acreditar que não ia mesmo haver Jogos, o que me tranquilizou e deu-me mais calma para pensar no futuro.”

Cancelamento dos Jogos

“Penso que foi uma decisão acertada, pois nem todos os países estavam nas mesmas condições. Terem sido adiados um ano foi a melhor decisão para todos nós.”

Natação

"Agora é viver um dia de cada vez e continuarmos a protegermo-nos"

Projeto Olímpico do Benfica sempre a apoiar

“Tivemos com bastante regularidade o apoio do Benfica, do treinador em si, e não só. Tivemos sempre reuniões e conversas com pessoas dentro do Benfica, nomeadamente o nosso preparador físico, que nos ajudou diariamente. Tivemos sempre apoio psicológico e físico e isso foi uma mais-valia, sentirmos que não estamos sozinhos nesta pandemia. Tivemos a possibilidade de ter uma máquina de remo em casa para facilitar a preparação física… Não nos podemos queixar dos apoios que tivemos.”

Perspetivas para o futuro

“Agora é viver um dia de cada vez, porque como não há competições pelo menos neste ano de 2020, temos de preparar as coisas com calma, temos mais tempo e tranquilidade para as preparar. Vamos seguir o plano com calma, esta vai ser a época mais longa de sempre porque vai incidir sobretudo nos treinos. Para mim, vai ser essencialmente um dia de cada vez e vou continuar a tentar proteger-me ao máximo porque o vírus ainda anda aí. Não havendo competições, o foco vai continuar a ser Tóquio 2021. Neste momento de regresso estou a desfrutar, pois já tinha bastantes saudades de estar com a minha equipa.”

Texto: Márcia Dores

Fotos: Cátia Luís / SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar