15 de setembro de 2020, 21h59

Objetivo contrariado pela ineficácia na finalização

Futebol

O Benfica perdeu com o PAOK por 2-1 na Grécia, na 3.ª pré-eliminatória da Champions League, e vai disputar a Liga Europa em 2020/21.

RESUMO DO JOGO

O Benfica produziu, rematou, criou várias oportunidades de golo na primeira parte (bola no poste incluída), mas não marcou. No segundo tempo, em contra-ataque, o PAOK apontou dois golos. Rafa reduziu (2-1), mas as águias deixaram o resultado na Grécia, na 3.ª pré-eliminatória da Champions, indo assim competir na Liga Europa em 2020/21.

No Estádio Toumba despido de público, perante um PAOK contido e encolhido no primeiro tempo, jogando todas as fichas em contragolpes e eventuais lances de bola parada, o Benfica carregou para furar a defensiva contrária e ganhar vantagem no desafio.

Com circulação variada e muita posse de bola (70 por cento no fecho da etapa inicial), a equipa benfiquista tentou combinações de perfuração e também explorou a meia-distância. Ao minuto 20, Everton ensaiou o tiro de fora da área, mas o esférico esbarrou no corpo de um defensor do conjunto helénico e passou sobre a trave.

Taarabt, que atuou com Weigl no centro do meio-campo, esteve em foco ao minuto 25, terminando uma ação de progressão com um forte remate para defesa de Zivko Zivkovic para a frente. Um dos melhores lances ofensivos do Benfica no primeiro tempo ocorreu aos 27': a bola passou pelos pés de Vertonghen, Taarabt e Everton, que, na esquerda, cruzou à medida do cabeceamento de Seferovic, mas o camisola 14 acertou ao de leve no esférico, errando o alvo.

PAOK-Benfica

De bola parada, o Benfica também expôs os seus argumentos. Ao minuto 29, à entrada da área do PAOK, Pizzi assumiu o livre direto e enviou a bola ao poste esquerdo! O mesmo Pizzi recebeu um passe largo de Everton aos 35', mas o remate não teve as redes como destino.

Pedrinho, que, por troca posicional com Pizzi, já atuava como segundo avançado, arrancou decidido aos 42', acelerou pelo corredor central, procurou o golo num disparo de pé esquerdo, mas Zivko Zivkovic estirou-se e afastou para canto.

PAOK-Benfica

O segundo tempo da partida seria adverso para o Benfica. O PAOK atreveu-se mais, mostrou-se dinâmico nos contra-ataques e provocou alguns sobressaltos à defensiva encarnada na reentrada na partida. Mas as águias voltaram a dispor de uma boa chance para faturar aos 57', com Pedrinho a desmarcar Everton, para este finalizar na área e ver novamente o guardião da equipa grega a impedir o golo.

Aos 63', o conjunto de Salonica adiantou-se no marcador. Akpom fugiu à linha defensiva do Benfica e cruzou; a bola foi desviada à entrada da pequena área (por Vertonghen ou Giannoulis) e seguiu para o interior da baliza encarnada (1-0).

Pedrinho foi rendido por Darwin na equipa benfiquista (65'), Zivkovic foi a jogo pelo PAOK (66'). As águias atacaram, tiveram Vinícius na frente a partir dos 72' (saiu Seferovic), mas não romperam o bloco grego como pretendiam. Em contragolpe, mais um golo para o PAOK, aos 75', com o ex-benfiquista Andrija Zivkovic a concluir (2-0). O sérvio não festejou.

PAOK-Benfica

Nova mudança nas peças encarnadas aos 77': Rafa rendeu Taarabt, e Pizzi atuou mais pelo centro. Ao minuto 80 contabilizou-se novo remate perigoso do Benfica, cabendo a Grimaldo a tentativa de golo na área, mas Zivko Zivkovic fechou a baliza e sacudiu a bola para canto.

O Benfica acrescentou ataques e cruzamentos à sua estatística, mas apenas alcançaria o golo aos 90'+4': Rafa, de cabeça, encaminhou para as redes a bola centrada por André Almeida (2-1). Ainda correu, num último esforço, por um lance que valesse o empate e levasse para prolongamento a decisão de apuramento para o play-off da Liga dos Campeões, mas não foi bem-sucedido.

Texto: João Sanches

Fotos: Isabel Cutileiro / SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar