17 de setembro de 2020, 17h29

Jorge Jesus: "Abrir com chave de ouro"

Futebol

É o jogo que dá o pontapé de saída na Liga NOS 2020/21! SL Benfica e FC Famalicão têm encontro marcado às 19h00 de sexta-feira, e no reino da águia o objetivo é só um...

ANTEVISÃO

A Liga NOS 2020/21 vai começar. Às 19h00 de sexta-feira, 18 de setembro, o SL Benfica visita o FC Famalicão na 1.ª jornada. Na antevisão do duelo no Estádio Municipal de Famalicão, o treinador Jorge Jesus vincou os objetivos quantitativos e qualitativos.

Para trás está já a eliminação da Champions, uma partida que mostrou uma equipa com boas ideias de jogo, mas a iniciar ainda, de forma natural e gradual, o seu crescimento e solidificação ao nível de processos.

Numa conferência de Imprensa realizada no Norte, Jorge Jesus vincou as ambições que movem o coletivo, entre elas o desejo de ser Campeão Nacional. Para isso, há que começar já a vencer! "Os favoritos são sempre os que ganham", reforçou o míster, deixando uma garantia. "Vamos ter uma equipa com muita dinâmica, com nota artística!", prometeu.

Jorge Jesus

Que Benfica devemos esperar neste arranque de Campeonato, isto depois do jogo desgastante na Grécia e de uma viagem a meio da semana?

Vamos iniciar o Campeonato em Portugal, porque na Grécia já demos início a outra competição. Depois da chegada ao Porto, fizemos hoje [quinta-feira] o primeiro treino. A equipa está a recuperar do último jogo de forma a que amanhã [sexta-feira] chegue a Famalicão e faça um jogo com mais duração do que o da Grécia, onde tivemos 45 minutos muito bons, mais 15 minutos na segunda parte. Na última meia hora faltou-nos alguma competitividade para podermos jogar ao nível do que a equipa do PAOK jogou. Amanhã [sexta-feira] temos mais um jogo e já poderemos estar muito melhores.

No dia da sua apresentação prometeu que o Benfica ia arrasar. O FC Porto é o atual campeão. Quem é o principal favorito a conquista do título nacional em 2020/21?

A palavra "arrasar" tem a ver com a confiança no trabalho, nos jogadores que tenho e o clube onde estou. Esta e todas as equipas que eu trabalho têm uma competitividade e qualidade de jogo, umas vezes arrasam e outras não, isso faz parte do jogo. Os favoritos são sempre os que ganham. O campeão em título é o FC Porto, eu como treinador do Benfica respeito isso, mas quero conquistar o título. O respeito não tem a ver com ambição, porque não há outra história para quem é jogador ou treinador do Benfica, é sempre para ganhar. Vamos começar frente a um adversário que na época passada foi a surpresa do Campeonato. Estamos preparados para mais um jogo difícil, mas confiantes de que temos qualidade para sair daqui com os três pontos na primeira jornada. Abrir com chave de ouro é o que nos interessa.

Jorge Jesus

"ESTAMOS A FAZER UMA EQUIPA FORTE E COM MUITA QUALIDADE"

Passaram praticamente dois dias desde a despedida da Liga dos Campeões. O que é mais difícil de gerir com o grupo de trabalho, a parte psicológica ou o aspeto físico?

Uma coisa está ligada à outra. Ou seja, as vitórias são o alimento de todos os problemas que possam existir. Quando se ganha, nada está errado, os jogadores recuperam melhor porque a mente está mais confiante. Esta equipa do Benfica é jovem, mas com alguma experiência e sabe que está a dar os primeiros passos da temporada… Sabemos que vamos crescer muito, as indicações que tive hoje [quinta-feira] no treino são muito boas e espero que amanhã [sexta-feira] os jogadores estejam tão confiantes como estavam quando chegámos à Grécia. Foi um percurso [na Liga dos Campeões] que não nos saiu dentro do que pensávamos e ambicionávamos, mas a vida faz-se caminhando… Temos muitos objetivos para conquistar e temos muita confiança na equipa que temos.

Já aqui disse que o Famalicão foi a equipa-sensação da época passada. Como olha para este adversário, que ficou no sexto lugar, a apenas um ponto de qualificar-se para a Liga Europa?

Aqui, temos alguma desvantagem. Enquanto o Famalicão viu o Benfica jogar na pré-época, nós não vimos jogo nenhum do Famalicão. Não estamos com um conhecimento muito profundo, mas conhecemos o adversário em função dos jogadores, do treinador e da sua ideia de jogo. Temos uma ideia daquilo que nos pode aparecer no jogo em Famalicão. Temos a certeza de que vamos apanhar um adversário taticamente com qualidade, cujo treinador tem uma história de um ano a trabalhar com esta equipa. Não há jogos fáceis, o Campeonato português este ano vai ter muito mais qualidade. Estão a chegar jogadores com uma grande qualidade, fico muito satisfeito por isso. É bom para o futebol português, vai ser um Campeonato mais competitivo.

Jorge Jesus

"O CAMPEONATO PORTUGUÊS ESTE ANO VAI TER MUITO MAIS QUALIDADE"

Face ao último jogo, e por haver pouco tempo de descanso, podemos esperar muitas mexidas no onze?

Hoje já é um dia que nos dá algumas indicações sobre aquilo que podemos sentir dos jogadores, se estão muito carregados fisicamente ou se existe algum jogador em risco de se lesionar. O nosso departamento médico vai-nos dando esses dados ao longo do dia... Amanhã [sexta-feira] já vamos ter uma certeza para eu saber o onze que poderá ser lançado. Agora os treinadores têm uma vantagem porque há cinco substituições e isso dá alguma segurança, pois podemos modificar caso seja necessário, e o Benfica tem jogadores para o poder fazer.

Arrepende-se de ter regressado ao Benfica, a Portugal?

Quando se toma decisões numa equipa como o Benfica, que joga sempre para ganhar, estamos a pôr a fasquia alta. Isso faz parte da minha carreira como treinador. Vim com a convicção de que íamos ter uma tarefa difícil, que íamos fazer uma boa equipa. Olhando para estas cinco semanas em que conheci melhor os jogadores que chegaram e os que já cá estavam, estou convencido de que o Benfica vai fazer uma equipa forte, com muita qualidade. Arrependimento, isso nunca me passou pela cabeça. Estou cada vez mais motivado para que o futuro seja risonho, e isso tem de ser com trabalho e adaptação dos jogadores que estão a chegar.

Jorge Jesus

"TEMOS MUITA CONFIANÇA NA EQUIPA"

Reconhece dificuldades na transição defensiva? Por outro lado, o próprio Jorge Jesus revelou que precisa de mais um avançado, com determinadas caraterísticas. Mantém essa intenção, atendendo ao contexto do Benfica com esta eliminação da Liga dos Campeões?

Os golos que o Benfica sofreu não foram de transição defensiva. Quando sofremos os golos, a última linha estava posicionada… Agora, concordo consigo quando diz que a equipa ainda não está automatizada dentro do que eu quero defensivamente. O facto de haver, naqueles cinco jogadores, contando com o guarda-redes, um que já trabalhou comigo [André Almeida] e que já conhece as minhas ideias, ajuda um pouco. Quanto ao avançado, não pedi nenhum avançado. O que eu disse foi que temos de ter um avançado que saiba atacar a última linha, que saiba ganhar o espaço, porque são jogadores que têm de ter determinadas características. Por exemplo, o Vinícius e o Seferovic não têm essas características. São jogadores que jogam muito bem de costas, que se alimentam em função de a equipa ganhar cruzamentos, não são jogadores que saibam puxar o jogo. Essa é uma característica que com o Darwin vamos ter. Mas, de qualquer maneira, a minha conversa não foi a pedir um jogador, foi a dizer que precisávamos de um jogador com essas características. Logo no início, quando começámos a tentar equilibrar o plantel, a solução passava sempre por dois avançados e, neste momento, ainda só contratámos um. Não significa que não fique assim. Dos três jogadores, tenho de arranjar forma que um deles tenha características para puxar o jogo, o que para mim é muito importante.

Depois da eliminação na Champions, ainda tem condições para pedir mais jogadores ao Presidente?

Nós não estamos a pedir mais jogadores! Independentemente da eliminação, antes do jogo, na estrutura do Futebol (eu, o Tiago, o Rui e o Presidente) estava determinado que não ia entrar mais nenhum jogador, mesmo se o Benfica passasse à eliminatória seguinte, à exceção de um central. O facto de termos sido eliminados não mudou nada. Zero!

Jorge Jesus

"VAMOS TER UMA EQUIPA COM NOTA ARTÍSTICA"

Como analisa os comentários que vêm do Brasil acerca da derrota do Benfica? Ganhou tudo o que havia para ganhar no Flamengo... Como comenta esta relação de amor-ódio que há consigo?

Está enganado. É uma relação de amor, 50 milhões que me amavam! Eu tinha 70 mil adeptos a gritar o meu nome nos jogos. Não é ódio, é amor. É um clube que me marcou muito, foi onde eu conquistei muitos títulos importantes, ia sendo campeão do mundo... Nunca esquecerei isso, tal como nunca esquecerei as pessoas que me trataram bem, nunca serei ingrato. Não é por estar no Benfica que vou dizer que os adeptos do Flamengo me odeiam. Nada disso, é o contrário. Por vezes, quando nos separamos, parece que o amor passa a ódio, mas não é... Perderam o que mais gostavam, eu percebo isso perfeitamente.

Jorge Jesus

Quando fez a sua apresentação, disse que queria um Benfica a jogar o triplo. Nesta altura, em que ponto está essa forma de jogar da equipa?

Ainda só fizemos um jogo, não tenho capacidade para dizer qual é o patamar onde o Benfica está a jogar neste momento. Quando disse que o Benfica tinha de jogar o triplo, vocês sabem que se eu não pusesse esta equipa a jogar o dobro ou o triplo do que jogava no ano passado também não ganhava. Isto é uma lógica natural. O Benfica tem de ter o seu nível para poder conquistar os seus objetivos. Mas claro que, ao fim de cinco semanas, não posso dizer que estamos nesse nível. Nem pouco mais ou menos. Mas temos qualidade coletiva e individual para fazê-lo. Estamos num clube com grande capacidade, tenho a certeza de que tudo vai dar certo e que vamos ter uma equipa com muita dinâmica, com nota artística. É com o jogo a jogo que vamos melhorando.

Texto: Filipa Fernandes Garcia, João Sanches e Sónia Antunes

Fotos: Arquivo / SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar