3 de outubro de 2020, 21h07

Momentos de antologia coroaram exibição de alta intensidade

Hóquei em Patins

Em Viana do Castelo houve jogo de parada e resposta de início ao fim, mas depois dos 50 minutos foram os encarnados a saborear a vitória.

Um jogo daqueles que ficam na retina! Os comandados de Alejandro Domínguez estudaram bem o adversário e levaram a melhor na 2.ª jornada do Campeonato Nacional de hóquei em patins. O Benfica venceu a Juventude de Viana por 4-7.

O desafio começou com um revés para as águias... As equipas ainda estavam a habituar-se aos sistemas táticos quando Gustavo Lima foi pelo corredor central, avançou vários metros e disparou para a baliza de Pedro Henriques. O guardião não conseguiu desviar e, aos 2', o marcador foi inaugurado (1-0).

O Benfica não baixou os braços e empatou a partida. Diogo Rafael recuperou a bola, lançou a jogada e concretizou-a. O número 4 colocou em Ordoñez e o avançado fez uma grande assistência. Diogo Rafael, aos 7', apareceu no sítio certo e, sem dificuldade, encostou para a igualdade (1-1). 

Aos 9' a equipa da casa teve uma soberana oportunidade para se colocar novamente na dianteira. Depois de uma boa jogada individual, Remi Herman foi travado em falta dentro da área e teve direito a uma grande penalidade. O francês ficou encarregue de bater o castigo máximo, mas Pedro Henriques, como é seu apanágio, mostrou-se em grande plano e defendeu. 

Não marcou a equipa da casa, aproveitou o Benfica para dar a volta. Ordoñez rematou, Jorge Correia defendeu para a frente e Edu Lamas atirou a contar. Um golo que veio coroar a maior pressão efetuada pelos comandados de Alejandro Domínguez (1-2 aos 14').

Tal como Ordoñez havia dito na antevisão à BTV, a deslocação a Viana do Castelo não ia ser fácil e a Juventude Viana corroborou as palavras do jogador das águias. Francisco Silva trabalhou bem na área encarnada, não teve grande oposição e colocou o esférico no fundo das redes (2-2).

O jogo estava muito vivo e a incerteza no marcador sentia-se até ao último segundo da 1.ª parte, contudo, nenhuma das equipas conseguiu capitalizar. O sinal sonoro do pavilhão foi claro e as equipas recolheram aos balneários. Ao intervalo: 2-2.

RESUMO DA 1.ª PARTE

O Benfica começou muito bem a 2.ª parte, efetuando uma jogada bonita que culminou no golo de Ordoñez. O avançado ultrapassou muito bem os defesas, arranjou espaço e desviou a bola do guardião adversário (2-3 aos 28'). O rolo compressor continuava e não tardou até que o Benfica fizesse o quarto golo. Valter Neves assistiu Miguel Vieira e o avançado não perdoou (2-4 aos 31').

Alejandro Domínguez corrigiu os aspetos que não estavam a correr como o esperado e a superioridade encarnada começou a notar-se. Sergi Aragonès esteve mesmo muito perto de dilatar a vantagem aos 38', mas valeu a defesa de Jorge Correia.

Ao contrário daquilo que aconteceu na 1.ª parte, quando Pedro Henriques foi mais forte no duelo com Remi Herman, desta feita o francês levou a melhor. As águias, tapadas por faltas, cometeram nova infração e Remi foi chamado para bater o livre. Um remate seco com a bola a passar perto da cabeça do guarda-redes benfiquista (3-4).

Obra de arte no Pavilhão Municipal de Monserrate! Carlos Nicolía avançou como quis, passou atrás da baliza, fintou um defesa contrário e desviou o esférico do alcance do guarda-redes da Juventude Viana (3-5 aos 43'). Que golaço!

A cinco minutos e meio do final da partida (44'), Ordoñez voltou a marcar. Nicolía assistiu o número 9 que, fora da área, stickou para mais um belo tento. Intensidade elevada e remates para todos os gostos em Viana do Castelo (3-6)

A Juventude Viana não tinha argumentos para se equiparar ao Benfica e as águias continuavam a colocar o melhor hóquei em rinque. Resultado disso? Mais um golo para o Benfica. Diogo Rafael fez um passe a rasgar a defensiva vianense – novo momento de antologia – e Miguel Vieira aproveitou para bisar (3-7 aos 47').

Pedro Batista ainda tirou proveito de uma desatenção encarnada para reduzir (4-7), mas o triunfo já não escapou aos benfiquistas. Vitória recheada de classe! 

Na próxima ronda (3.ª), que se irá disputar no próximo dia 10 de outubro, há dérbi na Luz! Benfica e Sporting defrontam-se num jogo que está aprazado para as 18h30.

DECLARAÇÕES

Alejandro Domínguez (treinador do Benfica): "Estudámos muito bem a equipa da Juventude Viana. É um conjunto que tem muitas ferramentas, ao nível ofensivo, para cometer danos. Foi difícil pará-los, mas na 2.ª parte o nosso acerto ofensivo desequilibrou o jogo. O Benfica tem a obrigação de ganhar em todas as partidas. Estamos concentrados em jogar o hóquei que queremos. O objetivo é jogar o melhor possível."

Miguel Vieira (defesa do Benfica): "Mantivemos o nosso plano de início ao fim. Fomos muito fortes defensivamente, bastante coesos, aproveitámos as falhas defensivas do adversário e matámos o jogo. É estranho jogar sem público, parece que estamos num treino, mas espero que daqui a pouco tempo os adeptos possam voltar aos pavilhões."

Juventude Viana-Benfica, 4-7

FICHA  
Local Pavilhão Municipal de Monserrate
Cinco inicial do Benfica  Pedro Henriques, Diogo Rafael, Valter Neves, Carlos Nicolía e Lucas Ordoñez
Suplentes Edu Lamas, Sergi Aragonès, Gonçalo Pinto, Miguel Vieira e Marco Barros
Ao intervalo 2-2
Marcadores do Benfica Diogo Rafael (7'), Edu Lamas (14'), Ordoñez (28' e 44'), Miguel Vieira (31' e 47') e Nicolía (43')

Texto: Diogo Nascimento

Fotos: SL Benfica

PATROCINADORES MODALIDADES


Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar