Basquetebol Feminino

30 março 2021, 11h33

Mariana Silva

Mariana Silva, de 21 anos, basquetebolista que atua de águia ao peito há quatro temporadas, realçou ao jornal O Benfica a oportunidade de festejar a Taça de Portugal, falou da competitividade do Campeonato Nacional (Liga Skoiy) e revelou as ambições para o futuro.

Recentemente, Mariana Silva, que joga na posição de extremo, juntou o título na prova-rainha à Taça Vítor Hugo, conquistada em setembro de 2019, cotando-se como a MVP da final com o Vitória de Guimarães. É internacional Sub-20 por Portugal e esteve entre as nomeadas para os Galardões Cosme Damião, em 2020, na categoria de Atleta Revelação.

Está no Benfica há quatro temporadas, tendo trocado a cidade de Coimbra por Lisboa. Ainda se recorda de como se deu essa mudança para a capital?

Nasci em Vila Real, mas sempre estive em Rio Maior. Acabei por ir para o Norte jogar, no Olivais. Fiz lá uma época, e a minha ideia era continuar lá para fazer a minha segunda, mas acabou por não se proporcionar, e decidi vir para Lisboa. Senti que estava na altura de estar mais perto da família, até porque os meus pais são de Santarém. Pareceu-me a altura correta para o fazer, junto deste clube que é tão grande e que proporciona as melhores condições aos atletas.

Mariana Silva

Como surgiu o interesse em ser basquetebolista?

Praticamente desde que nasci, porque os meus pais eram, na altura, jogadores de basquetebol. Continuaram na modalidade e, agora, são treinadores de basquetebol… Foram os meus primeiros treinadores, e acabei por apanhar o bichinho por causa deles. Curiosamente, a Taça de Portugal feminina que nós ganhámos, a minha mãe também ganhou, e algumas vezes. Foi um sentimento bom ganhar aquilo que a minha mãe já tinha conquistado. Foi como se estivesse a seguir as pisadas dela.

"O prémio foi individual, mas não o teria se não tivesse por perto estas colegas"

Constatou essas melhores condições na primeira vez que aqui chegou?

Sim, sem dúvida. Esta tem sido uma boa aventura, onde tem existido muito trabalho e diferentes plantéis, tendo em conta que a nossa equipa está praticamente em constante mudança. Aqui vemos que o nosso trabalho foi recompensado, e prova disso foi que o basquetebol feminino fez história e ganhou uma Taça de Portugal. Foi um bom momento, em que, a nível individual, consegui ajudar o Benfica a ganhar a sua primeira prova-rainha. Sinto-me muito contente e feliz.

Como foi vencer um título tão importante na história do Clube?

Ainda não consigo colocar em palavras todas as sensações que tive… Nunca tinha vencido uma Taça de Portugal, ou seja, tudo o que estou a sentir neste momento é como se fosse uma primeira vez. Nunca tinha sentido nada como aquilo que sinto neste momento. Sinto-me muito recompensada pelo trabalho que nós temos vindo a fazer até agora… É como se nos dissessem que aquilo que estamos a fazer compensou. Agora, é trabalhar para que a equipa continue como está neste momento.

Mariana Silva

Para a Mariana, a final culminou com uma dupla conquista, visto que foi eleita a MVP do desafio. Qual foi a sensação de receber esse reconhecimento?

Foi uma recompensa de que não estava à espera… Só queria ajudar, da melhor maneira possível, a nossa equipa a ganhar. Na final, acabei por ser a MVP, onde consegui marcar uma grande quantidade de pontos e apanhei muitos ressaltos. O prémio foi individual, mas, no entanto, não o teria se não tivesse por perto estas colegas com quem trabalho diariamente. Essa foi a primeira conquista vivenciada sem público nas bancadas.

"Nunca tinha sentido nada como aquilo que sinto neste momento"

Como é que asatletas festejaram a conquista de um grande título no palmarés da modalidade sem os adeptos?

Os benfiquistas não estavam cá presencialmente, mas nós, nas semanas anteriores, sentimos muito o apoio deles, principalmente, através das redes sociais. Individual e coletivamente, recebemos muita força. Nos festejos, não podíamos bater palmas para as bancadas a agradecer o apoio dos adeptos, mas, por outro lado, conseguimos festejar umas com as outras. Foi muita emoção.

É internacional Sub-20 por Portugal. Qual é um dos seus objetivos futuros?

Da mesma maneira como é muito bom estar num clube como o Benfica, também é muito bom jogar por Portugal, e espero chegar ao mais alto nível e dar ares deste país pelo mundo fora. O próximo objetivo passa, sem dúvida, por chegar à seleção principal, e acho que o Benfica me pode ajudar nisso.

Mariana Silva

Além de querer ser internacional A, que ambições tem em mente?

A nível pessoal, neste momento, o meu objetivo principal passa por concluir os estudos [Licenciatura em Desporto, em Exercício e Bem-Estar]. A nível profissional, quero ganhar tudo o que for possível ganhar aqui, em Portugal. Ganhámos a Taça de Portugal e, agora, vamos lutar para ganhar o resto.

Quais são as pretensões do Benfica para o que falta da época desportiva?

Manter o nível que temos mostrado até agora, e continuar a trabalhar, para estarmos a competir sempre pelos primeiros lugares e por conquistas.

Para concluir, que mensagem quer deixar aos adeptos?

Quero deixar um agradecimento, por todo apoio que nos têm dado e demonstrado, mesmo não sendo possível estarem nas bancadas… E que não percam a esperança. Não tarda muito, espero que seja possível estarmos todos juntos, outra vez, nos pavilhões. Vamos comemorar a Taça que passou e, quem sabe, outras que virão e que possam ter a presença dos benfiquistas para celebrarem connosco.

Texto: Ana Cristina Soares
Fotos: Arquivo / SL Benfica
Última atualização: 30 de março de 2021

Patrocinadores Basquetebol


Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar