Futebol

05 abril 2021, 22h58

Luca Waldschmidt exemplar no castigo máximo

RESUMO DO JOGO

O resultado de 1-0 na 25.ª jornada da Liga NOS foi curto, em face dos ataques produzidos e das oportunidades de golo criadas no relvado do Estádio da Luz, mas valeu ao Benfica a vitória (quinta seguida na prova) sobre o Marítimo e os correspondentes três pontos. Quanto à baliza, está trancada há 590 minutos no Campeonato!

A reentrada do Benfica na discussão da Liga NOS, para enfrentar o primeiro dos últimos dez jogos da prova, confirmou a boa dinâmica exibicional apresentada pela equipa nas partidas que antecederam a paragem da competição durante duas semanas (para compromissos das seleções nacionais). O conjunto encarnado voltou a vestir o fato tático 4x4x2, com Diogo Gonçalves, Lucas Veríssimo, Otamendi e Grimaldo a darem corpo à linha defensiva. O meio-campo contou com Weigl, Taarabt, Rafa e Everton (retomou a titularidade) e o ataque foi entregue a Seferovic e Waldschmidt.

Onze Benfica

Diante de um Marítimo inicialmente retraído e a apostar na contenção, o Benfica assumiu-se como dono da bola, à largura e na profundidade, em todas as zonas do terreno, circulando e tecendo combinações para desmontar o puzzle defensivo insular. Sucessivas trocas de bola, ao minuto 10, deixaram Diogo Gonçalves com espaço para cruzar sobre o lado direito. Na área, Seferovic ganhou a luta com os centrais, na raça, mas o cabeceamento errou o alvo.

Elaborando, com cabeça e paciência, o Benfica foi empurrando e perfurando, à procura do golo. À entrada da área, servido com precisão por Taarabt, o internacional brasileiro Everton criou condições para rematar e fê-lo com força e direção aos 17'. Na guarda da baliza madeirense, Amir amarrou o esférico.

Nova vaga ofensiva, mais problemas para a defensiva maritimista. Amir e os seus parceiros de sector não conseguiram afastar a bola da zona de perigo, as águias insistiram, Rafa recebeu na área (19'), girou e, no duelo, foi atingido em falta por Marcelo Hermes. Penálti para o Benfica! Confirmadíssima pelo VAR, a primeira grande penalidade favorável aos encarnados ao cabo de 25 jogos na Liga NOS 2020/21 foi convertida por Luca Waldschmidt. O internacional alemão chutou de pé esquerdo para o lado direito e faturou o 1-0 aos 21'. Segundo melhor marcador da equipa no Campeonato, apontou o seu sétimo golo.

Seferovic e Waldschimidt

Nesta fase do encontro já o Benfica andava nos 65% de posse de bola. Na liderança do resultado... nada mudou, o jogo continuava a ser de sentido único. E o 2-0 podia ter sido celebrado aos 29': mais um ataque trabalhado com nota artística, misturando velocidade e técnica, com Waldschmidt, Seferovic e Rafa a ligarem a jogada, ficando a conclusão por conta do internacional suíço. No entanto, Amir esticou a perna direita e susteve o remate.

Dobrada a meia hora, mais um lance prometedor do Benfica. Seferovic, sobre a esquerda, lançou Waldschmidt na área, mas o último toque na bola não iludiu o guardião Amir, que era quem, nesta altura do desafio, aguentava a diferença mínima no marcador.

Taarabt

Nos derradeiros minutos da etapa inicial os madeirenses afoitaram-se, conseguindo chegar à grande área do Benfica a partir de lances de bola parada. Ao minuto 40, Hermes bombeou para perto da baliza protegida por Helton. Zainadine e Karo procuraram a finalização em zona de golo, e Helton respondeu com segurança e frieza, segurando o esférico.

Ainda antes do descanso (45'+1'), o Benfica desfrutou de mais um momento para poder ampliar o score. Taarabt desmarcou Everton na esquerda, o brasileiro cruzou, Waldschmidt e Seferovic saltaram mais alto na área, mas o suíço só conseguiu tocar no esférico de raspão. Mais bola (65% de posse), mais ataques e mais remates (sete) para as águias no primeiro tempo... O resultado magro sabia a pouco.

Um segundo golo confortaria as águias e foi com esse objetivo que a equipa atacou os minutos iniciais da etapa complementar. Um lance de laboratório, planeado e executado ao detalhe aos 52', deixou Otamendi em posição privilegiada para visar as redes, mas o central, com a baliza à mercê, não acertou na baliza. Tinha de ser golo!

Rafa

O Marítimo procurou desamarrar-se com um futebol mais direto, mas foi novamente numa situação de bola parada que gerou a melhor oportunidade para marcar. No seguimento de um canto cobrado à esquerda, o esférico passou pela cortina encarnada e viajou até aos pés de Winck, que disparou para enorme parada de Helton. No mesmo minuto (62), a resposta do Benfica: em contragolpe, num lance de três contra um, Waldschmidt fez o passe que isolou Seferovic, mas este perderia o duelo com Amir, que, com a perna direita, tornou a salvar o Marítimo.

Jorge Jesus mexeu no xadrez benfiquista logo a seguir: saiu Everton, entrou Cervi (63'). O encontro entrava num período em que os duelos e a luta pela bola se sobrepunham à criação e elaboração. E, perante o que acontecia no relvado, o Marítimo mantinha a esperança, acreditava que, num ou noutro lance, poderia surpreender nesta ponta final e conseguir um ponto importante na compita pela permanência na Liga NOS.

Otamendi

Chegado o minuto 78, tempo para a segunda alteração nas águias: Darwin rendeu Seferovic. O Benfica recarregava energias na linha da frente, mas o jogo prosseguia "nervoso", tenso... Em cima dos 90', as últimas modificações estratégicas nas águias: Taarabt e Waldschmidt foram substituídos por Vertonghen e Chiquinho.

Do lado dos insulares, Correa, aos 90'+1', ainda conseguiu ter espaço para armar um remate perigoso (ao lado da baliza). Flagrante, porém, foi a ocasião de golo desenhada pelo Benfica aos 90'+5', com Rafa a fugir pela direita, numa ação de superioridade numérica, e a servir Chiquinho no meio. O médio tirou um adversário da frente e, com o golo à vista, também não conseguiu bater Amir.

Foi o derradeiro remate no desafio, o 13.º das águias, que criaram seis grandes oportunidades de golo e ficaram a dever à falta de eficácia o resultado tangencial! Mas são três pontos, é mais uma vitória para o Benfica (a quinta consecutiva, igualando a melhor série neste Campeonato), importante na perseguição de objetivos neste período de decisões e definições na prova. Positivo é também o facto de os encarnados não sofrerem golos há 590 minutos. E Jorge Jesus, ao comando das águias, logrou a vitória 250 pelo Benfica em jogos de competições nacionais e internacionais!

Na próxima ronda (26.ª) a equipa benfiquista viaja até à Capital do Móvel para defrontar o Paços de Ferreira, às 20h30 de sábado, dia 10 de abril.

30% Desconto Direto Adidas

Texto: João Sanches
Fotos: João Paulo Trindade e Tânia Paulo / SL Benfica
Última atualização: 5 de abril de 2021

Patrocinadores principais do Futebol


Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar