Basquetebol Feminino

29 abril 2021, 10h38

Eugénio Rodrigues

Aí está a final do play-off da Liga Skoiy! Na antevisão ao jogo 1, agendado para este domingo (2 de maio), às 15h00, no Pavilhão Fidelidade, entre as equipas femininas de basquetebol do Benfica e do União Sportiva, Eugénio Rodrigues admitiu não haver segredos. "Já nos defrontámos três vezes nesta época", recordou o técnico.

"A vontade é a mesma que esteve presente nas meias-finais. A expectativa também é a mesma, porque as quatro equipas que chegaram às meias-finais eram muitíssimo equilibradas e, efetivamente, as mais fortes do Campeonato. Como tal, o equilíbrio, a intensidade, a competitividade do jogo e do adversário vão ser as tónicas dominantes neste jogo 1. Prevejo que possam, depois, ser transportadas para os outros dois jogos", começou por analisar Eugénio Rodrigues, em declarações à BTV.

O treinador do Benfica apresentou, ainda, os pontos mais fortes do outro finalista, reforçando que não deverá haver "grandes novidades" nas partidas decisivas.

"Conhecemo-nos muito bem. Já nos defrontámos três vezes nesta época: para a Taça de Portugal na meia-final e os dois jogos da fase regular. Nesse aspeto não há grandes novidades. Poderá haver uma outra abordagem tática. É uma equipa com algumas características diferentes, muito física, mas com um tónico acentuado no perímetro e não tanto nas zonas interiores, embora seja igualmente forte na zona pintada. Diria que a nossa abordagem ao jogo do ponto de vista mental, a preparação que vamos ter para lidar com os erros, porque eles vão acontecer, e a serenidade com que temos de lidar com isso durante os 40 minutos são o que vai ditar a diferença, e que seja a favor do Benfica", desejou.

Eugénio Rodrigues

Para a final da Liga Skoiy, o Benfica não pode contar com a extrema/poste norte-americana Altia Anderson por lesão, ausência que Eugénio Rodrigues lamentou.

"É algo que nos condiciona, sobretudo na luta das tabelas e no jogo interior. Temos mais atletas que têm de dar o passo em frente. Com maior ou menor ajuste, com maior ou menor enfoque na procura de outras características, será possível fazer a diferença", sublinhou.

As águias começam a final a jogar em casa, mas não têm essa vantagem num eventual jogo decisivo.

"A questão de se jogar em casa o primeiro jogo pode ser uma desvantagem, porque os jogos de desempate – a existirem – serão sempre na casa do adversário, mas, por outro lado, a equipa que joga em primeiro lugar em casa e que o consiga vencer coloca um elemento de pressão adicional em relação ao adversário, que tem de fazer o segundo jogo sem margem de erro", observou Eugénio Rodrigues.

Texto: Marco Rebelo
Fotos: Isabel Cutileiro / SL Benfica
Última atualização: 29 de abril de 2021

Patrocinadores Basquetebol


Relacionadas

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar