Hóquei em Patins

03 junho 2021, 16h40

Lucas Ordoñez fez parte do cinco inicial do Benfica

RESUMO DO JOGO

Com a eliminatória empatada (2-2), quem vencesse o jogo 5 das meias-finais do play-off garantia um lugar na final do Campeonato Nacional de hóquei em patins. Na tarde desta quinta-feira, o Benfica tropeçou na ineficácia e perdeu por 4-0 frente ao FC Porto no Dragão Arena.

Ataques prolongados, equipas pacientes na estruturação das ofensivas e na definição dos melhores momentos para visar as balizas. Estes foram traços genéricos da etapa inicial do clássico, onde o Benfica foi o conjunto a dispor da primeira oportunidade flagrante para marcar. Ao minuto 7, Diogo Rafael sofreu uma falta de Xavi Barroso (cartão azul), as águias beneficiaram de um livre direto, mas, na conversão, a tentativa de golo de Lucas Ordoñez esbarrou na intervenção do guarda-redes Xavi Malián.

O 12.º minuto do encontro trouxe nova excelente oportunidade para o Benfica se adiantar no marcador, mas as duas stickadas de Valter Neves, em posição frontal, foram sustidas por Xavi Malián.

Com as forças niveladas no rinque, a equipa da casa tirou proveito de um ataque rápido aos 22', cabendo a Di Benedetto, sobre o eixo do ataque, o remate que ditou o 1-0. No mesmo minuto, uma falta assinalada a Diogo Rafael (cartão azul) levou o portista Gonçalo Alves para a execução de um livre direto. Na baliza encarnada, Pedro Henriques foi superior e parou a bola stickada pelo internacional português.

Quando o Benfica ainda estava em inferioridade numérica ("under play"), os azuis e brancos anotaram o 2-0 por Rafa Costa, na conclusão de uma troca de bola rápida (24'). Respondendo de imediato, a equipa benfiquista acertou nos ferros da baliza portista a 20 segundos do termo da primeira parte, por intermédio de Valter Neves. Ao intervalo: 2-0.

RESUMO DA 1.ª PARTE

Tendo de batalhar pela marcação de golos que lhe possibilitassem alcançar o único resultado que lhe interessava, o Benfica aumentou a velocidade dos ataques no arranque do segundo tempo. Nesta fase, que se adivinhava crítica, Pedro Henriques, na baliza, passou segurança e confiança à equipa, detendo livres diretos de Gonçalo Alves (28') e Di Benedetto (34'), este último devido à 10.ª falta dos encarnados.

Entre as duas valiosas defesas de Pedro Henriques, o Benfica podia ter encurtado a diferença no marcador e escrito uma história diferente, mas Lucas Ordoñez não conseguiu bater Xavi Malián na execução de novo livre direto (10.ª falta dos portistas) ao minuto 29.

O cenário complicou-se para os comandados de Alejandro Domínguez aos 36'. Numa saída para o ataque, o passe de Diogo Rafael foi impreciso, Gonçalo Alves recuperou a posse, trabalhou o lance em frente à baliza benfiquista e assinou o 3-0.

A eficácia em zonas-chave de finalização foi o principal fator de separação, determinante neste duelo decisivo e confirmado pelo 4-0 de Di Benedetto aos 47', o lance que "terminou" o clássico. O Benfica teve várias chances para faturar nesta partida, mas não as capitalizou, e depois viu desfazer-se a hipótese de apuramento para a final do play-off.

DECLARAÇÕES

Alejandro Domínguez

Alejandro Domínguez (treinador do Benfica): "Tentámos mudar um pouco a estratégia para surpreender o FC Porto com a nossa estrutura tática, mas a verdade é que os dois golos do adversário na parte final da primeira parte nos causaram danos. Tentámos reagir de todas as maneiras e ir atrás do resultado, mas não o conseguimos fazer."

FC Porto-Benfica
4-0
Dragão Arena
Cinco inicial do Benfica
Pedro Henriques, Valter Neves, Diogo Rafael, Lucas Ordoñez e Gonçalo Pinto
Suplentes
Marco Barros, Carlos Nicolía, Edu Lamas, Sergi Aragonès e Miguel Vieira
Ao intervalo 2-0

Texto: João Sanches
Fotos: Arquivo / SL Benfica
Última atualização: 3 de junho de 2021

Patrocinadores Hóquei


Relacionadas

Futebol

Jorge Jesus com o prémio que "reflete o coletivo"

Jorge Jesus foi considerado o Melhor Treinador do Mês na Liga Bwin e já tem na sua posse o troféu conquistado com 41% dos votos expressos pelos treinadores presentes na competição. O técnico, com o Prémio Vítor Oliveira nas mãos, sublinhou o que o mesmo significa: "É um prémio que é o reflexo do início da época da equipa, nunca há prémios individuais, são coletivos, mas o benefício do coletivo também premeia o individual. É com muito gosto que recebo mais este prémio!"

Futebol

João Mário tem o "bom momento" da equipa nas mãos

Foram 18% dos votos dos treinadores principais da Liga Bwin que deram a João Mário o prémio de Melhor Médio do Mês de setembro na competição, um sinal de que a equipa "está num bom momento". Este é o resultado do trabalho coletivo, frisou o internacional português. "Estou muito feliz, representa o grande momento que a equipa vive. É sempre bom ganhar prémios individuais, demonstra que a equipa está num bom momento. Muito feliz deste primeiro prémio pelo Benfica", admitiu.

Futebol

Darwin já recebeu prémios de melhor do mês!

Darwin recebeu os prémios de Melhor Avançado e Melhor Jogador da Liga Bwin do Mês de setembro e deixou uma promessa aos adeptos do Benfica. "Estou muito contente por estes prémios, muito satisfeito, agradeço aos meus companheiros, pois sem eles não seria possível. Vou continuar a trabalhar para dar o meu melhor pelo Benfica", assegurou.

Futebol

As imagens do Trofense-Benfica 

O Benfica carimbou, nesta noite de sábado, o passaporte para a 4.ª eliminatória da Taça de Portugal. Frente ao Trofense, no reduto do adversário, foi preciso ir a prolongamento para encontrar o vencedor, mas a justiça do resultado não sofre contestação: 1-2 e missão cumprida!

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar