Futebol feminino

11 novembro 2021, 00h19

Cloé Lacasse

RESUMO DO JOGO

A equipa feminina de futebol do Sport Lisboa e Benfica recebeu o BK Häcken no Benfica Campus, em encontro referente à 3.ª jornada do grupo D da Liga dos Campeões, saindo derrotada (0-1) por um golo de grande penalidade, muito polémica e contestada.

A primeira parte foi marcada pelo equilíbrio entre as duas formações, que disputaram cada palmo de terreno com abnegação e intensidade. Rasgadinho, o encontro começou com o Benfica a procurar pressionar a zona intermediária da formação sueca.

Porém, logo aos 2', Rytting Kaneryd ameaçou a baliza de Letícia com um remate à figura desta. Marta Cintra, aos 9', ainda reclamou um braço na bola de uma defensora contrária na área visitante, mas a juíza suíça Esther Staubli nada assinalou. O primeiro remate do Benfica saiu do pé direito de Beatriz Cameirão aos 13', mas ao lado. Também Francisca Nazareth, aos 16', atirou longe do alvo.

Benfica-BK Häcken

A melhor oportunidade de golo do BK Häcken surgiu aos 19'. Rytting Kaneryd fugiu pela direita, entrou na área e junto à linha de fundo cruzou atrasado para Blackstenius. A avançada falhou o remate, mas a bola sobrou para Zigotti Olme, que disparou rasteiro, valendo a atenção de Pauleta perto da linha de baliza a cortar, completando Sílvia Rebelo o alívio.

Pauleta voltou a estar em foco aos 27'. Um livre cobrado por Francisca Nazareth para a área, Cloé Lacasse desviou de cabeça na marca de grande penalidade e a média não emendou para a baliza sueca por centímetros.

Rui Costa, Presidente do Benfica, viu, tal como os presentes, o jogo a baixar ligeiramente de ritmo, o qual foi quebrado por algumas mazelas de jogadoras e teve como ponto alto, aos 41', o contra-ataque conduzido por Cloé Lacasse, que, no momento de finalizar, sofreu um encosto de Kullberg. Novamente a juíza suíça a decidir pela legalidade da abordagem da defensora visitante. Christy Ucheibe ainda rematou fraco, de longe, aos 44', à figura de Falk. As suecas terminaram a primeira parte com 58% de posse de bola, com o Benfica a apostar nas transições rápidas.

Benfica-BK Häcken

Na segunda parte o Benfica surgiu com maior pendor ofensivo, ameaçando as redes contrárias por Carole Costa, aos 52', mas o remate saiu fraco. As encarnadas começavam a entrar no seu melhor momento no encontro. Francisca Nazareth, aos 55', na cobrança de um livre direto à entrada da área a punir falta sobre Cloé Lacasse, atirou para grande defesa de Falk, que evitou o primeiro golo da partida.

Novamente com as mesmas protagonistas, no minuto seguinte, Cloé Lacasse, veloz, furou pela esquerda, cruzou para o coração da grande área e Francisca Nazareth atirou ao poste, naquela que foi a melhor oportunidade de golo do Benfica no encontro.

As suecas perceberam o perigo que corriam e reagiram. Aos 72', Karnenäs surgiu em boa posição na área, disparando para excelente defesa de Letícia.

Benfica-BK Häcken

Mas o jogo acabou por ficar decidido aos 75'. Larsen escapou na área, Ana Seiça não largou a marcação, cortou a bola, jogando-a de carrinho, mas a árbitro suíça sem grande hesitação assinalou a controversa grande penalidade, muito contestada pelos Benfiquistas. Elin Rubensson fez o 0-1.

O Benfica foi à procura da igualdade, sem grande esclarecimento, pese a vontade demonstrada, e o melhor que conseguiu foi um cabeceamento de Christy Ucheibe, aos 81', para a defesa de Falk.

Com este resultado o Benfica soma um ponto em três jogos no grupo D da Liga dos Campeões feminina, deslocando-se no dia 17 de novembro à Suécia para defrontar de novo o BK Häcken, na 4.ª ronda. Antes, neste sábado, dia 13, duelo frente ao Estoril a contar para a 7.ª jornada da 1.ª fase da Liga BPI, Série Sul.

Benfica-BK Häcken

DECLARAÇÕES

André Vale (elemento da equipa técnica do Benfica): "Faltou definirmos bem no último terço, criar as situações de finalização após chegarmos à frente. Conseguimos dominar grande parte da segunda parte, depois de uma situação muito complicada o BK Häcken fez o 0-1. Não me pareceu justo para o que fizemos. Parabéns às jogadoras, que cumpriram o plano de jogo à risca. Foram as dores de crescimento de uma equipa jovem. Conseguimos equilibrar jogos nesta Liga dos Campeões contra equipas com mais experiência que nós. Tínhamos o plano de jogo com a Ana Vitória [que se lesionou no aquecimento], mas quem entrou [Christy Ucheibe] esteve inexcedível, incrível. Toda a gente conta e trabalha. Não fomos surpreendidos, ajustámos algumas coisas ao intervalo, lidámos muito bem com os posicionamentos do BK Häcken. Faltou-nos definir melhor na frente. Claramente que é importante [ter VAR], na velocidade do jogo é impossível às vezes a árbitra decidir. Não consegue ver. Mas não nos devemos justificar com isso, era importante que fosse igual aos homens. Há vontade ao nível europeu de desenvolver o futebol feminino, vamos aproveitar o que já desenvolvemos no futebol masculino. Um agradecimento aos adeptos que estiveram presentes. Se acabámos a pressionar até ao fim foi também pela força que o público nos deu."

Benfica-BK Häcken

Francisca Nazareth (média do Benfica): "Estamos na Champions porque merecemos. Jogamos contra equipas de outro patamar e damos o máximo em campo. Ainda não acabou, depende de nós. Demos tudo em campo, é um mundo novo para nós e mostrámos que conseguimos estar aqui. Há que continuar a trabalhar. Dói ter acertado no poste numa baliza tão grande. Jogámos à Benfica! Mostrámos que fazemos frente a equipas de topo. Vamos dar tudo em campo, acreditamos até ao fim."

Benfica-BK Häcken

Cloé Lacasse (avançada do Benfica): "Penso que não merecemos este resultado. Na primeira parte houve algumas faltas similares na área [do BK Häcken] e a árbitra não assinalou nada. A nossa defesa-central fez um corte fantástico, a bola fica com ela, e a árbitra assinala grande penalidade. É algo que tem de ser revisto pela UEFA. A arbitragem tem de ser de topo, como nos homens. Tivemos as nossas oportunidades num jogo aberto, mas vamos aprender com isto. Vamos à Suécia para pontuar. Merecíamos mais!"

Benfica-BK Häcken

Benfica-BK Häcken
0-1
Benfica Campus
Onze do Benfica
Letícia, Catarina Amado, Sílvia Rebelo (Ana Seiça, 65'), Carole Costa, Lúcia Alves, Beatriz Cameirão (Andreia Faria, 79'), Pauleta, Christy Ucheibe, Marta Cintra (Valéria, 56'), Francisca Nazareth e Cloé Lacasse
Suplentes
Carolina Vilão, Ana Seiça (65'), Matilde Fidalgo, Andreia Faria (79'), Valéria (56'), Maria Negrão, Carolina Correia, Daniela Santos e Lara Pintassilgo   
Ao intervalo 0-0

Texto: Rui Miguel Gomes
Fotos: Cátia Luís / SL Benfica
Última atualização: 11 de novembro de 2021

Patrocinadores Futebol Feminino


Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar