Futebol

25 janeiro 2022, 22h59

Benfica festejou o acesso à final da Taça da Liga

O Benfica está na final da Taça da Liga pela 8.ª vez! No Estádio Municipal de Leiria, na meia-final diante do Boavista, as águias foram mais competentes no desempate por grandes penalidades (3-2), após 1-1 no fim dos 90 minutos. A final da competição está marcada para as 19h45 deste sábado, 29 de janeiro.

No relvado, batalha de táticas. O Benfica em 4x3x3, com três alterações face ao jogo com o Arouca. Morato, Everton e Diogo Gonçalves nos lugares de Otamendi, Darwin, ambos nas seleções, e de Rafa, infetado com COVID-19; o Boavista surgiu nesta meia-final com 10 futebolistas indisponíveis e apresentou-se em 3x5x2.

Benfica sempre com mais posse de bola, mas os axadrezados a saberem responder em transições, ou mesmo em saídas a jogar pelo corredor central, aproveitando o facto de as águias não incidirem na pressão alta nos primeiros 45 minutos. As melhores oportunidades da primeira parte até são do Glorioso, mas o primeiro remate no jogo pertenceu ao Boavista, aos 5'. Sauer, do meio da rua, ligeiramente descaído para a direita, a disparar para defesa fácil de Odysseas.

Benfica-Boavista

Com bola, os comandados por Petit tentavam jogar no campo todo, abrindo bem as alas, mas sem bola as linhas juntavam-se, não permitindo jogo entre linhas e remetendo os desequilíbrios encarnados para os flancos. O primeiro surgiu mesmo aos 8'. Boa combinação na esquerda entre Grimaldo e Everton, o brasileiro colocou a bola no meio, João Mário simulou, Paulo Bernardo endossou o esférico para Yaremchuk, que rematou de primeira para Bracali sacudir.

Jogo animado em Leiria, com poucas paragens, mas faltava o golo. Este apareceu aos 16' e para os encarnados. Atrapalhação na defesa do Boavista, Everton aproveitou, resgatou a bola, isolou-se e frente a Bracali não perdoou e fez o 1-0.

Benfica-Boavista

Em desvantagem no marcador, viram-se uns nortenhos mais afoitos e com mais e mais perigosas aproximações até à área benfiquista, mesmo que sem claras oportunidades de golo. Ainda assim, viam-se bons momentos de construção ofensiva boavisteira e, aos 33', Musa testou a atenção de Odysseas com um tiro de muito longe que saiu forte, mas à figura. Volvidos poucos minutos, aos 39', foi a vez de o Benfica criar perigo. Diogo Gonçalves, já na área, cruzou atrasado e Everton, em boa posição, atirou muito por cima. Ao intervalo, o Benfica estava na frente, por 1-0.

Na etapa complementar, o Boavista veio com as linhas mais subidas e exerceu maior pressão sobre o Benfica. Essa postura teve prémio, com os axadrezados a conquistarem uma grande penalidade, aos 51', após Morato carregar Musa na grande área. Na marca dos 11 metros, Sauer atirou para um lado, Odysseas foi para o outro e 1-1 no marcador (53').

Filme do jogo

Ver mais ›

Ao golo sofrido, o Benfica reagiu de forma positiva, mais instalado no meio-campo contrário e a circular mais rápido a bola, com os flancos a tentarem desequilibrar à largura e na profundidade. À maior pressão encarnada, o Boavista adaptou o seu posicionamento e, aos 60', voltou a estar perto do golo. Gorré galgou metros pela esquerda, cruzou e Musa, de pé canhoto, a obrigar Odysseas a defesa por instinto. Volvidos três minutos – 63' – Nélson Veríssimo fez entrar Gil Dias e Gonçalo Ramos, alterando o sistema para 4x4x2 para ter maior capacidade ofensiva e maior eficácia no momento da decisão.

Pouco depois de ter entrado na partida, Gonçalo Ramos quis mostrar ao que ia. Remate à entrada da área para defesa segura de Bracali, aos 66'. O Boavista não estava pelos ajustes e respondeu aos 69' através do cabeceamento de Musa para estirada de Odysseas. Jogo vivo no Estádio Municipal de Leiria…

Benfica-Boavista Taça da Liga

A primeira final da Taça da Liga entrava na fase decisiva, o desempate por grandes penalidades pairava no ar e as oportunidades começaram a escassear, com a bola a andar mais pelo meio-campo e menos nas grandes áreas. Assim foi até aos 80', quando Yaremchuk, na pequena área, cabeceou em esforço, mas a bola saiu muito torta. Bola cá, bola lá, e o Boavista respondeu no minuto seguinte num cruzamento-remate de Hamache para Odysseas sacudir pela linha final.

O treinador do Benfica mexia nas peças na parte final do desafio e um lance construído por jogadores entrados no jogo quase desfazia o empate. Meïte conduziu a transição, deixou em Gil Dias, este em Pizzi, que atirou para difícil defesa de Bracali (90'). O 1-1 manteve-se até ao apito final. Seguiu-se o desempate através de grandes penalidades…

Benfica-Boavista Taça da Liga

Aí, o Benfica foi mais certeiro (3-2) e contou com um Odysseas inspirado, que defendeu o penálti de Musa e viu Sebastián Pérez e De Santis atirarem para fora; Abascal e Hamache marcaram. No Benfica, Pizzi permitiu a defesa de Bracali e Vertonghen atirou ao poste; Grimaldo, Meïte e Weigl faturaram.

As águias ficam agora à espera do adversário da final de sábado, no Estádio Municipal de Leiria, que sairá do confronto entre o Santa Clara e o Sporting.

Réplicas Oficiais 2x1

Texto: Marco Rebelo
Fotos: Isabel Cutileiro / SL Benfica
Última atualização: 26 de janeiro de 2022

Patrocinadores principais do Futebol


Relacionadas

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar