Futebol

12 abril 2022, 17h46

Nélson Verissimo

ANTEVISÃO

O sonho de assegurar a presença na meia-final da Liga dos Campeões está de pé, mesmo sabendo que, para tal, será necessário vencer, no mínimo, por uma diferença de dois golos e respetivo desempate por grandes penalidades, um Liverpool que é dos principais candidatos à conquista do troféu. Nélson Veríssimo, em conferência de Imprensa no Benfica Campus, na antevisão do jogo da 2.ª mão dos quartos de final, deu a receita, que passa por "marcar primeiro" e ser "muito consistentes".

O técnico começou por adiantar, em declarações exclusivas à BTV, a indisponibilidade de Rafa para "este encontro", devido a um "pequeno desconforto". Porém, a baixa do internacional português não retira a confiança a um grupo de trabalho conhecedor "do que consegue fazer", concretamente quando se trata de "dividir o jogo com o Liverpool". Nélson Veríssimo sublinhou mesmo que espera "uma resposta positiva" após a derrota (1-3) no desafio da 1.ª mão, no Estádio da Luz.

Nélson Veríssimo

Com que sentimentos a equipa parte para Liverpool? A ausência de Rafa que implicações terá nas suas escolhas, quais os nomes na sua cabeça para entrarem no onze?

Todos sabemos da importância do Rafa, é um dos jogadores diferenciados que temos. Lamentamos a sua ausência para este jogo, mas também temos jogadores no plantel que certamente vão dar resposta positiva. Vamos optar pelo jogador que se adeqúe mais à estratégia de jogo. Temos muita confiança nos outros jogadores do plantel. Vamos com a ambição natural de quem acredita muito no que faz, levamos uma desvantagem de dois golos, mas as coisas podem mudar. Fazendo um golo primeiro, a eliminatória ou o rumo do jogo podem mudar, vamos com essa ambição. Apesar da derrota na 1.ª mão e das dificuldades que vamos encontrar, porque vamos jogar com uma das melhores equipas do mundo, acreditamos no que fizemos [no encontro da 1.ª mão no Estádio da Luz] e haverá espaços que podemos explorar. Temos de ser muito eficazes na finalização e muito consistentes no nosso processo defensivo.

Para poder passar às meias-finais da Liga dos Campeões, o Benfica está obrigado a marcar golos em Anfield. No entanto, nos últimos três jogos a equipa teve de ir sempre em busca do prejuízo, por ter sofrido golos. É uma situação que o preocupa?

Temos de estar sempre preocupados quando sofremos golos. Da mesma forma que temos vindo a fazer golos em todos os jogos, também temos sofrido golos em alguns. É preciso perceber como é que surgem esses golos sofridos e trabalhar para que o erro não volte a acontecer. Sabemos que contra a qualidade ofensiva dos jogadores do Liverpool há determinados comportamentos que devemos evitar, no sentido de fechar caminhos no posicionamento entre as nossas linhas defensivas, ter muita atenção à largura, mas também à profundidade do jogo deles. Encontramos muitas dinâmicas coletivas no adversário, trabalhadas há muito tempo, e os jogadores acrescentam qualidade. Temos de estar numa noite muito boa para não permitir os espaços que o Liverpool pretende explorar. Temos vindo a trabalhar para isso. Da mesma forma que acreditamos que vamos conseguir marcar o golo que pode relançar a eliminatória, também acreditamos que vamos estar com a consciência defensiva necessária para não sofrermos o golo.

Nélson Veríssimo

"Vamos jogar com uma das melhores equipas do mundo, acreditamos no que fizemos [na 1.ª mão no Estádio da Luz] e haverá espaços que podemos explorar. Temos de ser muito eficazes na finalização e muito consistentes no processo defensivo"

Nélson Veríssimo

Referiu a importância de controlar a largura e profundidade do jogo do Liverpool e a sua qualidade ofensiva. É mais importante segurar o ímpeto inicial do Liverpool ou marcar primeiro para relançar a eliminatória?

Olhando para o Liverpool, temos de controlar tudo o que é a sua dinâmica, pela qualidade de jogo e individualidades que tem. O objetivo passa por fazer golo primeiro que o Liverpool, a nossa abordagem tem de ser muito equilibrada. Não nos podemos atirar ao jogo de uma forma muito aberta, temos de ter capacidade de aguentar, porque o Liverpool vai querer resolver o jogo nos primeiros minutos. O nosso momento, oportunidade e golo, há de e vai aparecer. Vai ser difícil, mas acreditamos ser possível.

Nélson Veríssimo

Os treinadores costumam dizer que os últimos 20 metros são dos jogadores, da própria inspiração dos atletas, mas em jogos europeus tem faltado um pouco o último passe. O que tem feito para mudar esta situação?

Também acredito muito nisso. O posicionamento ofensivo e defensivo tem de lá estar, mas o jogador tem de ter liberdade e capacidade para tomar essas decisões. Olhando para o que foi o nosso jogo com o Liverpool, sentimos que tivemos capacidade para chegar lá à frente, mas nem sempre tomámos as melhores decisões. Não critico os jogadores porque rematam e tentam fazer golo, mas temos de perceber que há, por vezes, jogadores em melhores posições para fazer golo. Fizemos essa análise, tivemos algumas situações com esse cariz, por vezes há que respeitar essa desmarcação, colocar a bola. Não podemos castrar os jogadores. Tem de ser o nosso posicionamento, deixar os jogadores criarem, dar azo à sua criatividade e imaginação.

Nélson Veríssimo

"Não nos podemos atirar ao jogo de uma forma muito aberta, temos de ter capacidade de aguentar, porque o Liverpool vai querer resolver o jogo nos primeiros minutos"

No próximo domingo, o Benfica defrontará o Sporting na 30.ª jornada da Liga Bwin. Esse duelo já entra no seu pensamento?

Não. Sabemos da importância do jogo de amanhã [quarta-feira], não nos podemos esquecer que estamos numa eliminatória onde não chegávamos há seis anos. Embora numa posição desfavorável, estamos à porta de umas meias-finais da Liga dos Campeões, algo que o Clube nunca conseguiu neste formato de competição. Vamos com a perspetiva, com a ambição e com o sonho de que é possível. Vamos olhar para a estratégia e, em função disso, escolher os jogadores para entrarmos com a equipa que consideramos mais forte.

Grande jogo e ambiente em Liverpool. Acredita que a equipa pode voltar mais moralizada?

Acredito que sim! Olhamos para o rendimento da equipa na Liga dos Campeões desde a fase de qualificação, a fase de grupos, como correspondeu com o Ajax, frente ao Liverpool no primeiro jogo, e acho que tem tudo para correr bem. Os jogadores não têm dúvidas das suas capacidades, vamos jogar com uma equipa difícil, mas sentem que têm essa capacidade para dividir o jogo com o Liverpool.

Nélson Veríssimo

"Os jogadores não têm dúvidas das suas capacidades, vamos jogar com uma equipa difícil, mas sentem que têm essa capacidade para dividir o jogo com o Liverpool"

O que pode dizer aos adeptos do Benfica que vão estar em Anfield a puxar pela equipa?

Mais do que aquilo que eu possa dizer, é nós sentirmos o que os adeptos nos transmitem. Sentimo-lo quando fomos a Amesterdão, sentimo-lo aqui em casa e noutros jogos em que as coisas não correram tão bem. Pela quantidade de adeptos que vão estar em Inglaterra, sentimos que eles querem apoiar a equipa, que estão connosco. Mas também sabemos que temos a responsabilidade de dar algo em troca, jogar bem e lutar pela vitória. Eles têm de sentir que a equipa fez tudo para conseguir, que teve uma abordagem que transmite a ideia de que acredita que é possível. No final, é tentar ganhar o jogo, isso é o que vai contar.

Texto: João Sanches e Rui Miguel Gomes
Fotos: Tânia Paulo / SL Benfica
Última atualização: 13 de abril de 2022

Patrocinadores principais do Futebol


Relacionadas

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar