Judo

13 agosto 2022, 17h10

Ana Oliveira

DECLARAÇÕES À BTV

Ana Oliveira comentou neste sábado, em declarações à BTV, as consequências da "Carta Aberta", subscrita por sete judocas, cinco dos quais do Benfica, visando o clima tóxico que reina atualmente no judo português. A coordenadora do Benfica Olímpico classificou como um "ato de coragem" a atitude dos atletas.

"Foi preciso um ato de desespero muito grande, e de muita coragem, para estes sete atletas, que representam 70% da elite olímpica nacional, para escreverem esta carta" – foi assim que Ana Oliveira classificou, à BTV, a reação dos judocas ao momento que se vive na modalidade em Portugal.

A polémica com a Federação Portuguesa de Judo estalou no passado dia 11 de agosto, quando uma "Carta Aberta" dos judocas implicados veio a público para relatar o clima insustentável e tóxico que envolve o judo nacional. "Há um desespero muito grande. Acompanho este processo, esta luta desde setembro. Tive várias reuniões com o presidente [da Federação Portuguesa de Judo] na tentativa de melhorar o diálogo", revelou Ana Oliveira, acrescentando ainda que existe "desgaste em alguns atletas, desde os Jogos Olímpicos".

Telma Monteiro e Bárbara Timo

"Todos falam, mas ninguém pergunta como estão os atletas. Porque é que fizeram isto?"

Ana Oliveira

Na autoria da "Carta" estão envolvidos cinco atletas do Benfica, Telma Monteiro, Bárbara Timo, Rochele Nunes, Anri Egutidze e Rodrigo Lopes, e ainda Catarina Costa e Patrícia Sampaio. Este facto fez com que o presidente da Federação Portuguesa de Judo viesse a público desvalorizar a reação, dizendo em declarações à TSF que "só há problemas com treinadores e judocas do Benfica".

Em resposta às acusações e em defesa dos judocas e do Clube, Ana Oliveira é taxativa. "O presidente da Federação diz pior, diz que só lhe dá vontade de rir. Estamos aqui os dois a rir imenso, os atletas estão a rir imenso a cerca de dois meses de um Campeonato do Mundo que querem preparar com toda a dignidade e tranquilidade, porque são atletas que estão habituados a ganhar, e ninguém ganha se não trabalhar muito. De certa que o presidente do Comité Olímpico não se está a rir e o secretário de Estado também não", disse a diretora do Benfica Olímpico.

"O Benfica já contribuiu para 25 medalhas para Portugal. Estamos aqui perante um fenómeno que deve ser muito bem pensado. É maldoso dizer que a culpa é do Benfica. Como é que no dia anterior a esta 'Carta' pede ajuda à coordenadora do projeto do Clube e no dia seguinte a culpa é nossa?", questionou. "O Benfica tem é culpa de alavancar o desporto nacional para a alta competição. Ao dizer isto, ele está também a inferiorizar os outros clubes, dos outros atletas", acrescentou Ana Oliveira.

Ana Oliveira

Na génese das queixas dos sete atletas estão "atitudes agressivas e discriminatórias" no âmbito da Seleção Nacional.

"Os portugueses têm de estar preocupados com as pessoas que gerem os dinheiros públicos para qual todos contribuímos. O que vamos fazer a partir de agora? Todas as pessoas falam, mas ninguém pergunta como estão os atletas. Porque é que atletas olímpicos fazem isto? Será que são malucos?", questionou a diretora do Projeto Olímpico do Benfica.

Na próxima terça-feira, 16 de agosto, haverá uma reunião com a Secretaria de Estado da Juventude e Desporto. "Eu e o Presidente do Comité Olímpico de Portugal [José Manuel Constantino] iremos reunir na próxima terça-feira à tarde com o Presidente da FP Judo e o grupo de judocas que subscreveu a Carta Aberta. Procuramos mais um momento de diálogo, tendo em vista a salvaguarda da preparação olímpica Paris24", revelou na sexta-feira, 12 de agosto, o secretário de Estado João Paulo Correia.

Texto: Redação
Fotos: Arquivo SL Benfica
Última atualização: 13 de agosto de 2022

Relacionadas

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar