Futebol

22 setembro 2022, 09h30

Roger Schmidt

Adeptos do Benfica

Neres

Ao ataque: é assim que se tem visto a equipa do Benfica nos primeiros 13 desafios da temporada. A equipa exibe em campo argumentos arrebatadores de elogios e, sobretudo, de resultados (13 vitórias seguidas). E um dos pilares deste rendimento é a posse de bola, onde as águias lideram internamente e entre os comandantes das 10 Ligas com melhor ranking da UEFA.

Esta é uma das qualidades que saltam à vista entre os comandados de Roger Schmidt, a capacidade de a equipa, em posse, conseguir gerir o encontro e, fundamentalmente, procurar o golo e as redes contrárias.

Neste aspeto particular, se o Benfica é a equipa portuguesa que apresenta maior percentagem de posse de bola na Liga Bwin, com 68,1%, transpondo para o que foi feito em todos os jogos da presente temporada, verificamos que as águias são o líder entre os líderes dos 10 Campeonatos com melhor ranking da UEFA, atingindo uma média de 62,6% por jogo nos 13 duelos disputados, como revelam os dados da plataforma Wyscout.

VÍDEO: JOGADA DE 82 SEGUNDOS (E GOLO) REFLETE UM PADRÃO...

Perto do Benfica, no ranking da posse de bola do top 10 das ligas europeias, estão os escoceses do Celtic com 62,5% de média em 10 jogos realizados, numa lista onde figuram os seguintes emblemas: Arsenal (60,12% em oito jogos), Paris Saint-Germain (58% em 11 jogos), Real Madrid (57,5% em nove jogos), Salzburgo (56,9% em 13 jogos), Royal Antuérpia (56,07% em 15 jogos), Nápoles (56,04% em nove jogos), PSV Eindhoven (52,71% em 13 jogos) e Union Berlin (46,21% em 10 jogos).

Ao nível do passe, na Liga Bwin, os encarnados são dominadores, com um total de 4610 em sete jornadas. Mas o Benfica de Roger Schmidt não se esgota na posse de bola quando olhamos para o futebol de ataque praticado. 

Nos 13 jogos disputados as águias conseguiram uma média de 17,38 remates por jogo, acertando 37,6% dos mesmos na baliza; registaram 629,23 passes por encontro e um acerto de 88,3%.

Benfica

Em 13 jogos oficiais o Benfica leva uma média de 17,38 remates por jogo e acerta na baliza 37,6% dos mesmos

Sobressai também o dado referente ao número de ataques posicionais que a equipa efetuou em termos médios, concretamente 42,15 por duelo, sendo que 26,3% terminaram com remates à baliza.

Ao nível dos pontapés de canto, o Benfica ganhou em média 7,85 por jogo e 22,5% resultaram em remates. Na Liga Bwin os encarnados são a formação que cobrou mais pontapés de canto (64).

Ainda no capítulo das bolas paradas, verificou-se igualmente que as águias beneficiaram de menos pontapés livre do que os adversários por jogo (1,85 contra 2,15), mas apresentaram um maior aproveitamento dos mesmos para finalizar (29,2% contra 10,7%).

Benfica

A equipa do Benfica desenvolve uma média de 42,15 ataques posicionais por jogo, sendo que 26,3% terminam com remates à baliza

Dois outros indicadores mostram-nos a capacidade da equipa para flanquear jogo, disputando-o em todo o campo, e a agressividade que coloca em termos ofensivos nas suas ações, nos duelos que disputa.

Em média, os encarnados fizeram 21,31 cruzamentos por jogo, com um acerto de 38,2% (contra oito dos adversários, com uma percentagem de acerto de 21,1%). Na Liga Bwin, o Benfica também lidera neste parâmetro, com 168 cruzamentos. 

Já nos duelos ofensivos, a participação atingiu os 80,62 por jogo e os 39,8% de sucesso.

Texto: Rui Miguel Gomes
Fotos: Arquivo / SL Benfica
Última atualização: 22 de setembro de 2022

Patrocinadores principais do Futebol


Relacionadas

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar