11 de fevereiro de 2018, 00h29

Rui Vitória: “O nosso trabalho está feito”

Futebol

O Benfica venceu na deslocação ao reduto do Portimonense. Cervi (2) e Zivkovic assinaram os golos de mais três pontos fulcrais, de mais uma batalha ganha. Missão cumprida - e bem! -, segundo o técnico.

Noite de sábado marcada por mais uma batalha! O Benfica viajou até ao Estádio Municipal de Portimão onde, numa partida referente à 22.ª jornada da Liga NOS, venceu o Portimonense, por 1-3.

Portimonense-Benfica

Cervi inaugurou o marcador aos 6’, vantagem que durou até ao intervalo. No reatar, aos 65’, Felipe Macedo empatou a contenda, mas novamente Cervi, num livre direto batido de forma soberba (77’) colocou novamente as águias em vantagem. Já no período de compensação, Zivkovic sentencia num 1-3 final.

“Foi um jogo bem disputado, contra uma boa equipa que nos dificultou a tarefa e, por isso mesmo, valoriza ainda mais a nossa vitória. Foi uma primeira parte nossa, muito bem conseguida, assentámos bem o jogo, tivemos uma dinâmica grande, circulação de bola fluida, e controlámos praticamente a partida. Podíamos ter aproveitado melhor e ter feito mais um golo. O Portimonense teve mais dificuldades nessa fase. Depois, na segunda parte, é evidente que, com o jogo em 1-0, o Portimonense acreditou que podia chegar à igualdade, o jogo entrou numa zona de mais combate, mais choque, ficou mais dividido e sofremos o empate. A partir daí voltámos a jogar com mais serenidade, assentámos o jogo, fizemos maiores ligações, tivemos mais ideias com rigor e critério e acabámos por vencer com toda a justiça, frente a um bom adversário que é muito difícil de vencer aqui e que se bateu muito bem. Era aquilo que queríamos, a vitória, está conseguida, o nosso trabalho está feito. Agora é colocar um risco sobre este jogo e já pensar no próximo”, afirmou Rui Vitória, no final do desafio, aos jornalistas.

“Não é fácil jogar contra este adversário, neste campo, e extremamente motivados pelos dois últimos resultados conseguidos. Era um jogo importante para ganhar e conseguimo-lo”, reiterou.

Mais um golo de bola parada…

“As bolas paradas fazem parte do jogo. Parabéns ao Cervi porque acaba por executar muito bem e, nesse sentido, foi algo que me agradou ver. Ele tem treinado muito bem e acabou por merecer”, explicou relativamente ao segundo golo do argentino.

“O Raúl entrou muito bem, acabou por trazer aquilo que precisávamos na frente. Um jogador que fosse agressivo, que segurasse a bola, que desse profundidade à equipa, que dificultasse logo a saída da primeira bola do Portimonense. Agradou-me a entrada do Raúl, mas agradou-me, também, no sentido em que a equipa se tranquilizou, sabendo que para irmos à procura do golo tínhamos de ir com critério e cabeça, e isso foi conseguido”, revelou, relativamente à entrada do avançado mexicano.

Portimonense-Benfica

Com estes três pontos, o Benfica assume a liderança à condição da Liga NOS

“A importância é relativa. Não estamos com essa preocupação, estamos com a preocupação de fazer o nosso papel, em ganhar os nossos jogos, de focar-nos em nós, e isso já foi conseguido. As classificações são a consequência do trabalho que nós temos de fazer e hoje já o fizemos. Já somámos três pontos, num campo difícil, frente a um adversário que tem sido elogiado pela forma como se bate e joga, e hoje provou-o mais uma vez, mas acabámos por ganhar. O trabalho dos outros é com os outros”, analisou o treinador das águias.

“Já nos tiraram mérito, já nos deram mérito, faz parte, e nós estamos preparados para isso tudo! Falta menos uma batalha… é nisso que nos focamos”, afirmou.

Olhando para as últimas épocas, neste momento é um Tetracampeão galvanizado que entra em campo…

“A História não tem de se repetir e às vezes acontece que os factos vão parecendo os mesmos, mas, na realidade, a nossa equipa tem crescido muito com esta forma e sistema de jogar. Depois, esta equipa tem muita crença, determinação e convicção, no fundo, muita raça, aquilo que são os símbolos do nosso Clube. Isso dá-me um orgulho naturalmente muito grande, mas não olho para o passado para querer repetir o que quer se seja, olho para este presente e para cada jogo como se fosse uma final”, analisou e concretizou de pronto.

“Atenção, a ambição não é pelas palavras; a ambição é pelo dia a dia, pelo jogo a jogo, é pela transmissão e determinação que os meus jogadores vão demonstrando dentro de campo. Não preciso de estar aqui a ser papagaio, a dizer que queremos isto ou aquilo. O que queremos temos de mostrar dentro de campo, o que queremos conquistar temos de o fazer no dia a dia. Acredito que esta é uma forma muito humilde de estar na vida. E os meus jogadores sabem e demonstram isso diariamente: para ganhar têm de trabalhar, correr, lutar, passar sacrifícios. É assim na alta competição! Estou contente por isso, mas ainda falta um caminho longo”, disse.

Jonas acabou por ter de sair, lesionado. Instado a comentar o estado físico do avançado brasileiro, Rui Vitória explicou que ainda é muito cedo para isso.

“É prematuro estar agora a dizer alguma coisa. Foi na zona do joelho, mas isso é com o departamento médico. Não tenho opinião sobre isso ainda”, disse de forma taxativa.

“Este tipo de situações não se sabe logo no momento. Esperemos que não seja nada de grave, mas se for estamos cá para resistir a tudo e isso seria mais um dado a ter em conta para resistirmos. Mas não vamos pensar nisso”, concluiu.

Refira-se ainda que, a abrir a conferência de Imprensa, Rui Vitória fez questão de parabenizar a Seleção Nacional de Futsal pela conquista do Campeonato da Europa na Eslovénia.

Texto: Sónia Antunes

Fotos: Tânia Paulo / SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar