10 de março de 2018, 21h25

Rui Vitória: “Tivemos de trabalhar muito”

Futebol

O treinador lembrou a dificuldade sentida pelo Benfica para levar de vencida a equipa do CD Aves. Considerou o resultado justo, elogiou o coletivo e os adeptos que espera ver em massa em Santa Maria da Feira.

O treinador do Benfica, Rui Vitória, analisou o triunfo ante o CD Aves, por 2-0, em jogo da 26.ª jornada da Liga NOS. Deixou elogios à componente defensiva do adversário e recordou que as águias tiveram de trabalhar muito para alcançar os três pontos.

Um jogo difícil, com uma vitória justa da nossa parte frente a um adversário que se organizou muito bem do ponto de vista defensivo, que nos quis bloquear os caminhos. Tivemos de trabalhar muito para derrotar aquela muralha. Na primeira parte, sem ter um caudal muito intenso, podíamos ter feito golo nas bolas que tivemos. O Rafa tem duas bolas na cara do Adriano. Não fizemos no princípio, fizemos na segunda parte. Na segunda parte tivemos uma entrada muito forte, onde podíamos ter feito golos na parte inicial. Depois de marcarmos o primeiro, ruiu a muralha e acabámos por marcar mais um. Poderíamos até ter feito o terceiro, mas o resultado mais justo é este. Ganhámos, o nosso trabalho está feito, os jogadores foram persistentes e incisivos no que queriam”, frisou.

E acrescentou de seguida: “Na primeira parte tentámos controlar a partida sem correr riscos em determinadas zonas do campo. O Aves tem três jogadores apontados ao ataque que podem criar perigo a qualquer momento, nomeadamente o Derley, o Nildo e o Anilton. Tínhamos, de certa forma, esse cuidado. De facto, o Aves criou pouco perigo em termos ofensivos.”

O Desportivo das Aves tentou tapar os caminhos da baliza do Adriano e Rui Vitória explicou como é que as águias contornaram essa adversidade.

“Sei como as equipas do José Mota abordam estes jogos. Sabia que iam reforçar a toada defensiva. Deixámos que o adversário se ajustasse nos corredores e tivemos dificuldade em circular a bola. Quando conseguimos no corredor esquerdo, com Zivkovic e Cervi, ou no direito, com o Rafa, desequilibrámos o adversário. Houve mérito da equipa do Aves, mas também nosso porque marcámos os golos”, sublinhou.

O Desportivo das Aves vinha de uma série de bons resultados e queria pontuar na Luz. O técnico benfiquista sabia disso e colocou o foco num golo cedo na partida.

“O Aves vinha de seis jogos sem perder. Vinha com confiança de que se estivessem bem organizados em termos defensivos poderiam levar daqui um ponto. Tínhamos de fazer um golo na primeira parte para abrir o jogo, mas isso não aconteceu. Na segunda parte tivemos de ir atrás do resultado, mas esteve sempre uma equipa organizada, a bloquear os corredores. Tivemos de trabalhar muito, circular a bola com mais velocidade, ter mais jogadores na zona central da área e fizemos dois golos”, considerou.

Rafa foi considerado o melhor em campo para os adeptos, recebeu elogios do treinador que lembrou que o regresso de Salvio à competição nunca será um problema.

“Não vamos ter problema nenhum. O Rafa está a ter um processo normal de quem está a jogar com regularidade. Foi nomeado o Man of the Match. É mérito do jogador e de uma equipa que o está a acoplar desta maneira. Olhamos para as individualidades e tentamos perceber como rentabilizá-la no coletivo. Processo normal de um jogador que está em busca da sua afirmação. Acima de tudo, mérito da equipa que tem feito como que estas ausências não se notem”, reconheceu Rui Vitória.

Uma vez mais estiveram mais de 50 mil pessoas nas bancadas da Luz. Os adeptos voltaram a ser importantes como serão no Estádio Marcolino de Castro.

Esteve na Luz uma moldura humana muito grande, envolvida connosco e que foram importantes na vitória. Agora vamos a Santa Maria da Feira, um campo difícil, mas onde estarão, com certeza, muitos Benfiquistas que nos vão ajudar. Vamos preparar o jogo, trabalhar o melhor possível e recuperar os jogadores”, afirmou.

Com esta vitória, o Benfica pressiona mais o FC Porto, mas esse facto acabou por ser desvalorizado.

“O nosso trabalho está feito. O resultado dos outros só diz respeito aos outros. Estamos muito focados em nós, não abdicamos deste pensamento muito realista. Um dia são eles, noutro dia somos nós. Faltam oito jogos”, concluiu.

Texto: Marco Rebelo

Fotos: João Paulo Trindade / SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar