24 de março de 2018, 22h01

Luís Filipe Vieira: "A hora é de mobilização"

Clube

Perante cerca de 700 entusiásticos Benfiquistas na Casa da Terceira, o presidente pediu uma "autêntica Onda Vermelha nestas finais" que faltam na Liga NOS. "Dar tudo – mas tudo – à Benfica, rumo ao Penta", enfatizou. Falou ainda dos projetos e deu novidades...

A inauguração oficial das novas instalações da Casa do Benfica na ilha Terceira, nos Açores, foi abrilhantada pela presença de Luís Filipe Vieira.

Perante cerca de 700 fervorosos Benfiquistas, o líder do Clube aludiu ao passado, fez um retrato do presente e projetou o amanhã, detalhando as coordenadas para lá chegar. A conquista do Penta faz parte da caminhada, e todos os adeptos são indispensáveis no ataque final a esse objetivo.

"É bom estar aqui nestas ilhas, onde as dificuldades nunca foram mais fortes do que a força da vossa vontade. E que melhor sítio do que estar aqui na Terceira com a vossa presença, naquela que tem sido a nossa praia, a praia da vitória. As vitórias são mesmo a nossa praia, mas não caíram do céu, bem pelo contrário – resultaram sempre de muito trabalho. Trabalho bem visível como o que foi feito nas novas instalações da Casa do Benfica da Ilha Terceira que acabámos de inaugurar. Uma Casa que é um dos grandes exemplos de trabalho e dedicação, dado que para todos os jogos na Luz são vendidos bilhetes e muitas viagens são organizadas para Lisboa. Casa que também recebe e apoia as nossas modalidades quando disputam jogos aqui na Terceira, numa ilha onde em 2007 se organizou o Congresso, momento de viragem para uma nova dinâmica e modernização das Casas do Benfica", disse Luís Filipe Vieira, no começo do discurso na Praia da Vitória, em Angra do Heroísmo.

Casa do Benfica na Terceira

"Se existe projeto que melhor testemunha o trabalho que temos vindo a desenvolver, nestes últimos anos, tem sido o da criação e ampliação de novas Casas do Benfica em todo o mundo, fazendo chegar aos Sócios, adeptos e simpatizantes o vasto leque de produtos e serviços que hoje oferecemos", reforçou.

"No Sport Lisboa e Benfica temos bem a noção do trabalho que realizámos para devolver a credibilidade, a sustentabilidade e o sentido de futuro ao clube, com a construção de infraestruturas desportivas, com a aposta na formação e com uma gestão rigorosa e equilibrada. No Sport Lisboa e Benfica temos orgulho no passado e num presente em que os resultados são conquistados em campo, com a força dos nossos adeptos e com a ambição de quem é o maior de Portugal e uma referência cada vez mais global e internacional", afirmou o presidente.

"Neste clube não temos um projeto pessoal desgastado, temos um projeto desportivo e empresarial de futuro. O projeto desportivo assenta em bons resultados desportivos e numa aposta na formação. O projeto empresarial assenta no rigor e equilíbrio financeiro e numa forte aposta em infraestruturas que prepare o clube para as próximas décadas. Na parte desportiva, começaria por realçar o que disse há dias. As nossas vitórias são sempre por nós e só por nós. Nunca contra ninguém. Respeitamos os nossos rivais e adversários porque eles dão mérito e valorizam as nossas vitórias. Sei bem que vivemos um ciclo de vitórias muito forte. Conquistámos o Tetra e não escondemos a nossa ambição de irmos ao Penta. Todas essas vitórias foram conquistadas com mérito desportivo. Pela força dos nossos atletas e pela convicção dos nossos técnicos. Só isso, mas isso é muito!", acentuou o líder benfiquista.

Casa do Benfica na Terceira

"Daqui a umas dezenas de anos, quando os nossos filhos e os nossos netos olharem para trás, o que verão é a história e o legado que cada um dos clubes deixou. É aqui que entra a responsabilidade dos dirigentes. A história centenária dos clubes portugueses exige a todos, sem exceção, que saibamos estar à altura dos novos desafios. Estou particularmente à vontade para vos falar disso, porque nestes 18 anos, como todos os Benfiquistas sabem, nas alturas das vitórias, quando ganhámos, ganhámos todos. Quando perdemos, fui sempre o primeiro a dar a cara e a assumir as responsabilidades. Para este ano, os objetivos estão bem identificados: a conquista do Penta e lutar pelos títulos em todas as modalidades", frisou Luís Filipe Vieira, no desenvolvimento da sua exposição aos Benfiquistas.

"Mas hoje, em particular, quero realçar o caminho e o compromisso, para que quero mobilizar todos os benfiquistas. As nossas palavras de ordem serão: união da equipa, compromisso, apoio dos adeptos e confiança. União da equipa tão bem testemunhada por aquele gesto do Jonas, igual a um dos mais belos golos da sua carreira, quando na recente Gala convidou todos os seus companheiros para subirem ao palco e partilharem do seu prémio individual. Foi um momento que explica muito o ambiente que se vive no nosso Clube. Um Clube em que todos estamos unidos e com um compromisso muito forte – e que, quero que isso fique muito claro, nunca deixa ninguém para trás –, em que a solidariedade entre todos é um dos segredos dos nossos resultados", realçou o presidente, sob fortes e repetidos aplausos, exaltando de seguida "outro fator fundamental: o apoio dos adeptos".

"Estamos a chegar a um momento decisivo da época. Tal como tem vindo a acontecer com confiança e determinação, vamos dar aquele apoio, de que tanto nos orgulhamos sempre que a equipa jogue em qualquer lado. Vamos criar uma autêntica Onda Vermelha nestas finais que nos faltam. A hora é de mobilização, de dar tudo – mas tudo – à Benfica, rumo ao Penta", enfatizou Luís Filipe Vieira.

Casa do Benfica na Terceira

"100 milhões de euros liquidados até ao fim de março/primeira semana de abril"

"Temos tido bons resultados desportivos, mas também bons resultados de gestão e de rigor financeiro. O nosso percurso tem sido feito com os pés bem assentes na terra. E por isso dizemos com orgulho que neste Clube dependemos de nós próprios. Somos um Clube totalmente livre e autónomo. Não estamos nem intervencionados pela UEFA, nem vivemos da boa vontade de créditos de última hora da banca. Ultrapassámos as dificuldades com muito trabalho, estamos com os olhos postos no futuro. E é por isso que vamos reduzir a nossa dívida bancária em 100 milhões de euros", destacou, com orgulho, o líder benfiquista.

Sobre este ponto, Luís Filipe Veira aproveitou para detalhar o que está a ser feito e deu uma grande novidade. "O que o Benfica fez foi descontar do contrato celebrado com a NOS, conforme estava prometido, os primeiros 100 milhões de euros. Já estão em Portugal e penso que até ao fim deste mês/primeira semana de abril estarão liquidados os 100 milhões de euros a uma instituição financeira em Portugal. Quer dizer que o Benfica irá libertar todas as garantias que existiam dentro dessa instituição, inclusive o Estádio da Luz, que passará a ser do Grupo Benfica sem nenhuma hipoteca", assumiu o presidente, sendo brindado com nova ovação.

Os resultados desportivos e os resultados financeiros levaram Luís Filipe Vieira a explicar os projetos do Benfica. "É importante que os Benfiquistas entendam que, quando entrámos nesta Odisseia há 18 anos, foi dito claramente que queríamos preparar o Benfica para os Benfiquistas. Foi isso que eu disse diversas vezes e é aquilo que hei de repetir constantemente. O Benfica será sempre dos Benfiquistas, e com esta operação recenete que fizemos, mais será dos Benfiquistas", situou.

"A nível de infraestruturas, é importante pensarmos na próxima década e nas novas gerações. O Benfica tem de se preparar com infraestruturas do melhor que possa existir em termos europeus. E o Clube vai continuar a investir. No Seixal, estamos a fazer o primeiro investimento: um edifício com 5000 metros quadrados, em construção, que poderá abarcar todas as estruturas do Sport Lisboa e Benfica no Centro de Estágio. Estamos a aumentar a capacidade hoteleira e passaremos a ter mais 27 quartos. Estamos também a aumentar e a duplicar a própria Cozinha. São obras que estarão concluídas até 30 de junho", informou o presidente.

Casa do Benfica na Terceira

"O que vos estou a dizer não é para prometer, é para fazer!

"Estamos também em negociações finais de um contrato para um direito de superfície de 50 ou 75 anos, ainda não está fechado, com um espaço junto ao Centro de Estágio que nos vai permitir permitir fazer mais sete campos relvados e mais um polo hoteleiro. Aquilo que vos estou a dizer é para fazer, não é para prometer - é para fazer! E vai começar de certeza a ser feito este ano!", declarou Luís Filipe Vieira, reagindo os Benfiquistas com mais aplausos.

"Paralelamente, vamos dar início a um Colégio, que numa primeira fase será para 650 alunos, e numa segunda e terceira fases poderá ter capacidade máxima para 1200 alunos. É muito importante que o Clube tenha este Colégio porque definitivamente qualquer um dos nossos jovens poderá desenvolver-se em termos desportivos em nossa casa, mas também estudar sempre. É mais uma valência que vamos ter para cada vez mais formarmos melhores jogadores e melhores homens", realçou.

Casa do Benfica na Terceira

"Paradigma do Benfica não vai mudar e vão aparecer mais Rúbens Dias na primeira equipa"

"O Caixa Futebol Campus é o nosso principal projeto. Não há um clube na Europa que tenha hoje tantos jogadores disponíveis para chegarem a uma primeira equipa como o Sport Lisboa e Benfica. Para quem pensava que era impossível voltarmos a ter um Benfica à Benfica, com jogadores feitos na casa, garanto que vamos ser capazes de o fazer. Não ainda neste ano nem no próximo, mas eles estão cá para serem lançados. Neste fase em que há bastantes jogos de seleções, só o Benfica forneceu 46 jogadores a todas as seleções nacionais! É irreversível: o paradigma do Benfica é este e não vai mudar. E é por não ter mudado que apareceu o Rúben Dias e vão aparecer outros Rúbens Dias na primeira equipa. Garanto-vos que no próximo ano o Benfica vai ter no mínimo sete jogadores da formação num plantel de 24 elementos", frisou o presidente.

"Vamos fazer também o Centro de Alto Rendimento. Estamos à espera de uma reunião com a Câmara Municipal de Oeiras. É importante que qualquer atleta das nossas modalidades possa aspirar a ser dos melhores do mundo ou da Europa. É mais uma infraestrutura necessária no Sport Lisboa e Benfica", disse. "Outro projeto que será lançado entre junho/julho é a rádio Benfica. Vai ser uma realidade este ano", juntou o presidente.

"O projeto da internacionalização do Benfica vai continuar nos mercados emergentes, nos Estados Unidos e na China. Queremos estar fisicamente lá. A marca Benfica tem de estar presente. Outro projeto fundamental passa pela Fundação do Benfica, que não serve só para ajudar jovens, serve principalmente para o Benfica estar mais humanizado. E para isso teremos de fazer uma homenagem a todos aqueles que vestiram a nossa camisola. A Casa do Atleta, que se fixará no Seixal, será uma realidade para podermos apoiar quem venha a necessitar de ajuda", referiu o líder benfiquista.

Casa do Benfica na Terceira

"Projetos estão lançados e queremos concluí-los neste mandato"

"Estes são os projetos que queremos concluir. Estão todos lançados e iremos trabalhar afincadamente para quando terminarmos o nosso mandato termos todos estes projetos concluídos, com um Benfica preparado para o futuro. Ou seja, aquilo que era um sonho para todos nós, vai-se tornar uma realidade. Valeu a pena sonhar, porque vamos concretizar todos os nossos sonhos, que é o mais importante", salientou Luís Filipe Vieira.

"Amanhã [domingo] estarei numa homenagem a um homem de quem todos nós guardamos gratas recordações: Germano, esse homem íntegro e um dos grandes símbolos da história do Benfica. Amanhã [domingo] lá estaremos presentes com jogadores de diversas gerações. A mística vem muito do reconhecimento, pelo trabalho do talentoso atleta, do abnegado treinador, dirigente ou funcionário, mas também do dedicado sócio, adepto e simpatizante. Isto é o Benfica!", exclamou o presidente.

"Neste clube todas as vitórias foram conquistadas de forma digna e limpa, como reconhecem todos os treinadores e atletas nossos adversários. Não vamos é deixar de estar focados nos nossos principais objetivos. Nada nem ninguém nos fará desviar da rota. Somos o maior clube português e não contribuiremos para a destruição, que se está a fazer, desta fantástica indústria que é o futebol. A sã rivalidade é o que devemos transmitir e o bom senso é uma exigência para todos sem exceção", apontou, antes de rematar a intervenção.

"Caras e caros Benfiquistas dos Açores e da Terceira: é uma alegria muito grande estarmos aqui e podermos sentir este fervor benfiquista. Agradeço-vos profundamente. Vamos estar sempre determinados, acreditem que o Benfica é hoje um clube com futuro. Devemos sentir um orgulho enorme em todo o trabalho que fizemos nos últimos 18 anos e que pouca gente acreditava que era possível fazer. Viva o Benfica!", exclamou Luís Filipe Vieira, no remate de um discurso que empolgou a plateia.

Texto: João Sanches

Fotos: SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar