13 de setembro de 2017, 16h21

Reagir e encher estádios

Futebol

É a história do Benfica. A cada derrota, uma reação. Da equipa e dos adeptos.

É histórico e é cultural no Benfica. Depois de cada derrota, vem a bonança. E a reação. Da equipa, em campo e dos adeptos, fora dele. É isso que está em questão. Benfica e os seus milhões de adeptos não são entidades diferentes. E são inúmeros os exemplos, ao longo da história do clube, de reações a situações desportivamente adversas, que começaram nos adeptos e terminaram nos jogadores.

Cada vez mais, uma coisa é a extensão da outra. Por isso, é que, depois de um mau resultado, na Liga dos Campeões, a reação é uma responsabilidade que cabe a todos. Foi sempre assim, no Benfica. Equipa e adeptos, num desafio que não cabe a onze mas sim a doze protagonistas. Se há coisa em que o Benfica se distingue é no décimo segundo jogador. Uma força que empurra, empolga e arrepia.

No estádio do Bessa, perante um adversário difícil e com qualidade, a onda vermelha será decisiva para a equipa superar a desilusão anterior. Aparecer na vitória é um direito mas apoiar na derrota é uma obrigação. E os sócios e adeptos do Benfica são indefectíveis, intensos e inimitáveis.

Todos contam e todos estão convocados para os próximos desafios… a começar pelo estádio do Bessa já este sábado, a partir das 18h15. Ainda não comprou o seu bilhete? Venha daí e junte-se no apoio ao Tetracampeão!

Texto: José Marinho

Fotos: SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar