19 de setembro de 2017, 19h19

“Redução do passivo tem de ser lida com o incremento do ativo”

Clube

No final da apresentação do Relatório e Contas da SAD, Domingos Soares de Oliveira explicou os números.

Tags

Clube

O melhor exercício financeiro da história do Sport Lisboa e Benfica deve-se, segundo referiu o CEO dos encarnados nas declarações prestadas à Comunicação Social após a apresentação do Relatório e Contas, ao aumento do ativo.

“Houve uma redução do passivo que tem de ser lida acompanhada pelo incremento do ativo. Essa redução do passivo permitiu-nos pela primeira vez ter receitas a nível de grupo que são superiores ao total do passivo sujeito a juros, ou seja, aquilo que designamos de passivo financeiro, entre empréstimos bancários e os empréstimos obrigacionistas e aspeto mais relevante é que a divida ao sistema financeiro português diminuiu perto de 90 milhões de euros”, assim explicou Domingos Soares de Oliveira.

Os últimos quatro anos de exercícios positivos são o resultado mais visível de um caminho que já vai sendo trilhado há algum tempo. A estratégia delineada pelo Clube é, segundo o próprio, para continuar a ser seguida escrupulosamente.

“Há muito tempo que nesta casa definimos uma estratégia, primeiro a cinco anos e depois a 10. Nessa estratégia há claramente uma aposta naquilo que é o trabalho feito no Caixa Futebol Campus de acreditar que os nossos jovens jogadores têm condições para ser o futuro do Benfica em termos de plantel principal. Essa estratégia tem vindo a ser implementada, quer pela estrutura do Benfica, quer pelos seus órgãos sociais, quer pela equipa técnica”, concluiu.

Texto: Luís Afonso Guerreiro

Fotos: João Paulo Trindade / SL Benfica 

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar