Futebol

05 maio 2019, 13h08

Benfica B festeja golo apontado por Nuno Santos

Manhã de sol, calor e de clássico no Caixa Futebol Campus, com Benfica B e FC Porto B a empatarem 1-1 na 32.ª jornada da II Liga. Com este desfecho, os encarnados já têm como certo que vão terminar a prova como melhor equipa B em 2018/19.

RESUMO DO JOGO

Em casa, sentindo o apoio dos adeptos, os encarnados foram pouco ou nada cerimoniosos. Decorridos apenas quatro minutos de jogo, o Benfica B já tinha procurado a baliza portista em dois remates de meia distância.

Um lance muito bem desenhado pelas águias criou a primeira sensação de golo no Caixa Futebol Campus aos 12': Saponjic, no corredor central, lançou Simón Ramírez na faixa direita e o lateral chileno cruzou com precisão para a entrada de Jota, que errou a baliza por pouco. O mesmo Jota, aos 14', fugiu na área pela esquerda e rematou para defesa do guarda-redes do FC Porto, Mouhamed, que foi rápido a reagir.

Jota

Numa subida à zona defensiva do Benfica B, os dragões conquistaram um canto à direita e foram felizes. No desenvolvimento do lance, João Pedro teve espaço para avançar do flanco para zona interior e, em corrida, disparou de pé esquerdo, rasteiro, fazendo a bola entrar junto ao poste direito (0-1 aos 18').

Renato Paiva teve de mexer na equipa benfiquista depois dos 26', em face da lesão que excluiu Conti desta partida. Diogo Mendes recuou para central, para alinhar ao lado de Miguel Nóbrega, e Bernardo Martins entrou para o meio-campo (29').

Depois de um período de equilíbrio, o Benfica B igualou o clássico num excelente golpe de cabeça de Nuno Santos, que correu pelo centro e finalizou já dentro da pequena área, aproveitando o cruzamento bem calibrado por Frimpong no corredor esquerdo (1-1 aos 39'). Até ao intervalo o resultado não tornou a mexer.

RESUMO DA 1.ª PARTE

O segundo tempo do duelo começou com duas oportunidades de golo para o Benfica B. Após saída em falso do guarda-redes Mouhamed, Jota cruzou da esquerda e Saponjic cabeceou como se impunha, mas um defensor portista, em cima da linha de baliza, impediu o 2-1 aos 47'. No lance seguinte foi a barra a travar um potente remate de pé direito de Jota, que rasgara em fintas pelo lado esquerdo da grande área (48').

Quase a bater a hora de jogo, Bernardo Martins arriscou um remate de meia distância e foi por pouco que não apontou o segundo golo das águias (59'). 

Alex Pinto, aos 65', rendeu Simón Ramírez. Foi a segunda alteração efetuada por Renato Paiva nesta partida, refrescando o corredor direito da equipa encarnada.

Em contra-ataque, o FC Porto dava trabalho à defensiva encarnada e ao guarda-redes Zlobin, que aos 74' teve uma saída rápida e providencial para derreter as hipóteses de sucesso do opositor (Rui Costa). Na jogada que se seguiu, no outro lado do campo, Saponjic visou as redes portistas num remate de pé direito, cruzado, e a bola passou muito perto do poste esquerdo (75').

Aos 77', Saponjic foi protagonista na condução de bola pela esquerda, centrando para Willock, que, em ótima posição na área, rodou e chutou, falhando o 2-1. E nova chance não tardou: Alex Pinto, qual flecha pelo lado direito, entrou na área para captar um passe de Bernardo e atirou para defesa do guarda-redes Mouhamed aos 80'.

Zé Gomes, lançado aos 82' (saiu Saponjic), renovou energia no eixo do ataque do Benfica B na abordagem à ponta final do clássico. As águias apertaram e, num lance um pouco confuso, poderiam ter faturado o 2-1 já muito em cima do minuto 90. Os dragões responderam num livre de Romário Baró, perigoso, já em tempo da compensação. Prevaleceu o empate: 1-1, resultado final.

Onze do Benfica: Zlobin; Simón Ramírez, Conti, Miguel Nóbrega e Frimpong; Mendes, Benny e Nuno Santos; Willock, Jota e Saponjic.

Suplentes: Fábio Duarte, Alex Pinto, Matheus Leal, Bernardo Silva, Rodrigo Conceição, Bernardo e Zé Gomes.

Boletim clínico: Vitalii Lystcov (status pós-cirúrgico ligamentoplastia no joelho esquerdo); Daniel dos Anjos (status pós-cirúrgico ligamentoplastia no joelho direito); Ilija Vukotic (traumatismo no pé direito); David Zec (lesão muscular na face anterior da coxa direita); Pedro Henrique (traumatismo craniano).

Renato Paiva

"Oportunidades suficientes para termos outro resultado" 

Renato Paiva (treinador do Benfica B): "A saída forçada de Conti na primeira parte condicionou, porque mexeu na estrutura. Ainda por cima Conti estava muito bem, a fazer o que queríamos, estava a ser um dos nossos primeiros avançados e tínhamos muito interesse que isso acontecesse para libertar médios e alas, e depois aconteceu aquilo. Tivemos de mexer em duas posições, passar um médio-centro para central e mexer no triângulo do meio-campo, com o Benny a dar uma excelente resposta na posição 6. Entrámos muitíssimo bem, 15/20 minutos com muita qualidade, um golo isolado do FC Porto B, e a partir daí ficámos um pouco perdidos até chegar o nosso golo, que resultou de uma jogada fantástica. É isto que queremos que eles façam, mas por vezes não é fácil. A segunda parte é praticamente toda nossa. O FC Porto B com mais transições, nós a assumirmos mais, a querermos claramente ganhar. Fizemos um jogo com posse, qualidade e oportunidades de golo suficientes para termos outro resultado."

Nuno Santos (médio-ofensivo do Benfica B): "Agradeço a todos os elementos da minha equipa pelo trabalho e pelo esforço. Não é fácil jogar com estas temperaturas contra um adversário muito bom. Na primeira parte o jogo foi mais equilibrado, com oportunidades de ambos os lados, mas no segundo tempo estivemos melhor, criámos mais oportunidades de golo, dominámos a posse de bola. Saímos com sentimento de frustração por não termos conseguido arrecadar os três pontos."

Texto: João Sanches

Fotos: SL Benfica

Última atualização: 9 de julho de 2019

Patrocinadores principais do Futebol


Relacionadas

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar