3 de julho de 2018, 11h50

O recorde de Eusébio que perdura há 52 anos

Clube

O Pantera Negra é o único jogador da história do futebol a conseguir na mesma temporada ser o melhor marcador da Taça dos Clubes Campeões Europeus e do Campeonato do Mundo.

Quando pensamos que já sabemos tudo sobre a carreira de Eusébio, eis que surge mais um dado que nos surpreende. É o que acontece com um recorde na sua posse, que já dura há 52 anos, e que perdurará, pelo menos, mais quatro: o King é o único futebolista da história que conseguiu no mesmo ano ser o melhor marcador da Taça dos Clubes Campeões Europeus e do Campeonato do Mundo.

Decorria o ano de 1966! Portugal competia pela primeira vez num Mundial. O certame teve lugar em Inglaterra, país que ficaria para sempre rendido ao Pantera Negra. No grupo 3, a equipa das Quinas teria de medir forças com dois pesos pesados: Brasil, Campeão do Mundo, e a Hungria de Puskas. Bulgária completava o lote de adversários.

Do lado luso, uma das mais pequenas delegações da competição e um lote de atletas, para muitos, ainda desconhecidos, isto apesar de o Benfica ter vencido duas Taças dos Clubes Campeões Europeus (1960/61 e 1961/62). Em contraponto, um dos mais mediáticos era Eusébio, mas no mesmo grupo estava Pelé… Alheio a tudo isso, Eusébio entrou com tudo na competição e bisou logo diante do escrete. Resultado final? 3-1 para Portugal. Voltou a fazer o gosto ao pé no 3-0 à Bulgária e não marcou no 3-1 à Hungria.

Eusébio

O póquer que imortalizou Eusébio na história dos Mundiais

O Campeonato do Mundo acontece desde 1930, mas poucos jogos da prova superam o Portugal-Coreia do Norte (5-3) dos quartos de final de 1966. Em Liverpool, Eusébio viu o seu nome ficar gravado a letras de ouro da competição após conseguir um póquer no jogo.

Portugal perdia por 0-3 aos 25’, mas depois apareceu Eusébio. O goleador do Benfica faturou o primeiro aos 27’ e só parou nos quatro golos. José Augusto apontou o 5.º tento luso. Seguia-se a equipa da casa. Em Wembley, a equipa das Quinas caiu de pé após a derrota, por 2-1. Ainda assim, Eusébio marcou o tento solitário de Portugal.

NÚMEROS DE EUSÉBIO EM 1966

Competição Golos Jogos
Campeonato do Mundo 9 6
Taça dos Clubes Campeões Europeus 7 5
Campeonato Nacional 25 23

No jogo de atribuição dos 3.º e 4.º lugares, Portugal e União Soviética encontraram-se com a curiosidade de o Pantera Negra ter batido o Aranha Negra, nome pelo qual era conhecido Lev Yashin, guarda-redes soviético. 2-1 foi o resultado final, a turma lusa trazia a medalha de Bronze e Eusébio sagrava-se o melhor marcador do Mundial, com nove golos.

Homem-golo na Taça dos Campeões

Antes do Campeonato do Mundo, durante a temporada competitiva, o Benfica participou na Taça dos Clubes Campeões Europeus, permanecendo até aos quartos de final. Apesar de eliminados diante do Manchester United, os encarnados, sob a batuta de Eusébio, deixaram pelo caminho os luxemburgueses do Dudelange e os búlgaros do Levski de Sófia. Mesmo não jogando as meias-finais e a final, King sagrou-se, nessa época, o goleador da competição da UEFA, com sete golos.

Eusébio

Para estes números em muito contribuíram as goleadas frente ao Dudelange (0-8 e 10-0), sendo que estas ainda são recordes do Clube na prova na Luz e fora de portas. Eusébio só jogou a segunda mão, mas rubricou um póquer.

Juntou-lhe o prémio de Melhor Marcador do Campeonato

O feito de Eusébio já era, só por si, impressionante, mas o King quis juntar-lhe mais uma pincelada na arte de fazer golo.

Nessa mesma temporada, o avançado das águias vencia o prémio de Melhor Marcador do Campeonato Nacional, com 25 golos.

Destacar que nas três competições, Eusébio terminou com média superior a um golo marcado por jogo. No total, neste trio de provas, o Pantera Negra somou 34 jogos e apontou 41 golos.

Texto: Marco Rebelo

Fotos: Arquivo / SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar