Clube

16 agosto 2018, 19h11

Varandas Fernandes

No dia 2 de agosto, o Benfica lançou um novo modelo de encontros com a Comunicação Social. Volvidos 14 dias, o vice-presidente Varandas Fernandes realizou a segunda conferência de Imprensa no Estádio da Luz, na qual trouxe dois temas para serem debatidos: um ponto de situação sobre o início da nova época; o regresso aos temas que necessitam de ser analisados e esclarecidos, em nome da transparência e da verdade desportiva do futebol português.

Varandas Fernandes

Varandas Fernandes começou a sua intervenção com uma boa notícia para o Clube e para o universo Benfiquista.

“Desde já, e como bom exemplo da fase que atravessamos, quero realçar o facto de ontem termos registado um máximo histórico no valor das ações da SAD do Sport Lisboa e Benfica, que subiram 11,67%, atingindo o valor mais elevado por ação desde 2014”, revelou.

“Este facto demonstra bem a reputação e confiança gerada por esta gestão e pelo trabalho de médio e longo prazo que, desde há mais de 15 anos, tem vindo a ser desenvolvido”, lembrou o dirigente.

Esta é a melhor resposta a todas as campanhas de manipulação que procuram prejudicar a imagem do nosso Clube”, acrescentou.

De seguida, o vice-presidente virou agulhas para o futebol e para o arranque positivo de temporada alcançado pelo Benfica liderado por Rui Vitória.

“Indo diretamente ao futebol... estamos naturalmente satisfeitos pelos resultados obtidos neste primeiro ciclo do mês de agosto e pela capacidade competitiva que a equipa já demonstrou no apuramento para o play-off da Liga dos Campeões e no arranque da Primeira Liga”, elogiou.

“Enfrentámos dois adversários de peso, o Fenerbahçe e o Vitória Sport Clube, de Guimarães, em três jogos de elevado grau de dificuldade”, reconheceu.

Varandas Fernandes

“Os sucessos obtidos revestem-se de significado ainda maior”, adiantou de seguida.

Na Europa, o Benfica tem agora o play-off pela frente, o último passo antes da entrada na fase de grupos da Liga dos Campeões.

“Entramos agora em nova fase de enorme exigência, com a decisiva eliminatória em duas mãos que vamos disputar com o clube grego PAOK, de Salonica”, alertou.

Estamos confiantes que a nossa equipa nos dará o desejado apuramento para a fase de grupos da Liga dos Campeões”, assumiu.

“Os jogos desta eliminatória são precedidos de mais duas partidas de elevado grau de dificuldade para o campeonato: uma ida ao Bessa e a receção ao Sporting”, considerou.

Com o empenho e a humildade de sempre, reafirmamos a nossa ambição, convictos de que esta fase será coroada com vitórias, marcando o ritmo de uma nova época que assumimos ser a da Reconquista”, enfatizou.

Numa altura em que o mercado de transferências caminha a passos largos para os derradeiros dias, Varandas Fernandes fez um ponto de situação, revelando que o Benfica não está a pensar vender os seus ativos.

Varandas Fernandes

“Já o dissemos e voltamos a repetir: o plantel ainda não está fechado, porque o mercado só encerra no dia 31 de agosto. Mas, como o presidente Luís Filipe Vieira teve a oportunidade de esclarecer em devido tempo, o Benfica não está vendedor, nem se prevê a saída de qualquer dos nossos principais jogadores. Que isto fique muito claro! Compreendemos o enorme interesse nos novos talentos que, ano após ano, se afirmam na equipa principal, mas não contem com qualquer saída”, destacou.

O Rúben Dias e o Gedson são duas grandes apostas do Benfica. Repito, o Benfica não está vendedor. Mas há uma cláusula contratual e há regras de mercado. São dois jogadores da nossa escola de Formação. O Benfica é uma enorme empresa, de expressão mundial no futebol. Não há vontade de vender”, reforçou.

Questionado sobre um eventual empréstimo de Samaris, o vice-presidente disse: “O Samaris é um atleta do Benfica que sempre defendeu as cores do Clube e por quem nutrimos o maior respeito. Se se decidir emprestar o Samaris é porque se entendeu que há soluções no meio-campo para suprir essa ausência.”

“Em relação ao lateral-direito Corchia, o processo ainda não está encerrado. Está em curso e entregue ao presidente. Aliás, em relação a aquisições de jogadores há dois/três processos a decorrer. Há dois/três jogadores que podem fazer falta ao Sport Lisboa e Benfica e cuja aquisição pode acontecer”, revelou.

O tema Jonas também foi lançado pelo vice-presidente.

“Tal como sempre se disse, o Benfica fez tudo ao seu alcance para garantir a continuidade de Jonas”, sublinhou.

“O próprio jogador fez questão de dar público testemunho desse empenho, um empenho de todos os Benfiquistas e do seu presidente em particular, para que o melhor goleador destas últimas quatro épocas continuasse connosco. Ora, como todos sabem, Jonas continua no Benfica”, rejubilou.

Varandas Fernandes

Entre Liga NOS e Liga dos Campeões, o calendário é apertado e os adeptos estão, desde já, convocados.

O calendário de arranque da época, muito apertado e exigente como já disse, requereu um trabalho de planeamento que garantisse uma resposta positiva da equipa na sequência de jogos de enorme apelo competitivo que nos esperava”, realçou.

“Esse trabalho foi feito e está a dar bons resultados. Mas novos desafios se apresentam, há outros adversários a enfrentar e todos não somos demais para os vencermos”, avisou.

“Daqui lanço o apelo aos nossos adeptos para darem todo o apoio à equipa já no próximo sábado, no Bessa. E convoco os Benfiquistas para mais uma enchente da Luz na próxima terça-feira, dia 21 de agosto, na primeira mão do play-off contra o PAOK”, desejou.

“Logo a seguir, no sábado 25, a nossa casa será o cenário do primeiro grande clássico da época, um jogo contra o Sporting em que, estou certo, os Benfiquistas voltarão a encher o Estádio da Luz”, vaticinou Varandas Fernandes.

“Temos depois a decisiva visita à Grécia para o jogo da segunda mão contra o PAOK, a 29 de agosto, quarta-feira. São quatro jogos muito importantes que estamos certos de que vamos superar”, assumiu.

Varandas Fernandes

A aposta na Formação, no feminino e o ecletismo

“Os resultados positivos da nova época estendem-se às nossas equipas B e Sub-23, empenhadas em competições muito relevantes no processo de transição de jogadores entre os escalões mais jovens e as equipas principais”, disse.

“Também são excelentes os primeiros sinais que nos chegam da nossa nova equipa de futebol feminino”, completou.

“Nas modalidades de pavilhão, chamo a atenção para o reforço efetuado tanto ao nível das equipas masculinas como femininas. Perspetiva-se um salto qualitativo em todas as nossas equipas, graças à contratação de atletas de reconhecido mérito e prestígio, que vieram para o Benfica para somar vitórias e conquistar novos troféus”, frisou.

“Facto a destacar, diretamente ligado ao projeto Benfica Olímpico, é o conjunto de extraordinários resultados obtidos por atletas portugueses, muitos dos quais do Benfica, nas recentes grandes competições internacionais de judo, canoagem, badmington, atletismo, ténis de mesa… Estes atletas trouxeram para Portugal medalhas e vitórias que fazem prova do excelente trabalho realizado pelos clubes em prol do desporto nacional. Em nome do Sport Lisboa e Benfica, a todos esses atletas, sem exceção e independentemente dos clubes que representam, os nossos parabéns pelas conquistas e classificações que tanto dignificam o nosso desporto e o nosso País”, reconheceu.

Seis questões à espera de resposta

“O segundo tema que quero abordar tem a ver com as seis questões e um desafio que lançámos há duas semanas. Ganharam ainda maior atualidade face a alguns sinais que estão a marcar o início da nova época. Primeira evidência: passados 15 dias, repito, 15 dias, tudo o que temos é um manto de silêncio... e total incapacidade em dar resposta a qualquer das questões que levantámos! Por essa razão, importa de forma rápida recordar cada uma delas”, recordou.

De seguida, o vice-presidente do Benfica regressou às questões apresentadas no primeiro encontro com os jornalistas:

  • Porque nada se sabe sobre a invasão ao centro de treinos de árbitros da Maia?

  • Porque nada se sabe quanto às queixas referentes a ameaças e coação sobre alguns árbitros e os seus familiares?

  • Porque nada se sabe sobre o que justificou o adiamento, fora dos regulamentos, da segunda parte do Estoril-FC Porto da época passada?

  • Porque não se sabe ainda como é que uma perícia interna da Federação Portuguesa de Futebol e da Liga Portugal foi parar a um blogue anti Benfica?

  • Porque só surgem na praça pública fugas de contratos do Benfica, derivados da falha de segurança de comunicações entre Liga e Federação?

  • E, por fim, como se explica que um clube já visado em várias instâncias por divulgar informação confidencial roubada a um outro clube não mereça qualquer tomada de posição por parte das entidades que gerem o futebol nacional?

“Este silêncio é ainda mais preocupante quando o confrontamos com os primeiros sinais e indícios já visíveis nesta nova época. Primeiros sinais e indícios que nos levam a juntar duas novas questões ao rol daquelas que aguardam resposta urgente”, atentou.

Varandas Fernandes

Ao lote apresentado, Varandas Fernandes juntou mais uma série de questões sobre assuntos que preocupam o Benfica

  • "Sabendo nós o que dizem os regulamentos, perante as imagens que todos pudemos ver e as palavras que todos pudemos ouvir ao treinador do Futebol Clube do Porto, dirigidas ao árbitro do jogo da Supertaça, qual o critério que sustentou a decisão de só o punir com uma simples multa?"

  • "Como se explica que, por situação bem mais discreta e sem insultos, o treinador Rui Vitória tenha sido castigado com uma suspensão de 3 jogos na época passada?"

  • "Perante o recorrente gesto do jogador Brahimi, o que justifica que pela segunda vez tal gesto não tenha merecido qualquer atitude proativa das entidades jurisdicionais e tenha sido necessário o Benfica requerer a sua análise?"

  • "E que em situação idêntica o jogador Samaris fosse de imediato objeto de processo e consequente punição com 3 jogos de suspensão?"

“Fomos hoje informados do arquivamento do processo [n.d.r.: a recomendação da Comissão de Instrutores da Liga não seria seguida pelo Conselho de Disciplina da FPF, que ao fim do dia anunciou a instauração de um processo] pela justificação que da visualização das imagens não resulta claro, evidente e inequívoco o comportamento denunciado. Ou seja, o recorrente gesto do jogador Brahimi a apertar o pescoço dos jogadores das equipas adversárias passa a ser um gesto de difícil interpretação quanto à sua agressividade. E tão mais grave é quando sabemos que esta decisão foi tomada sem ouvir nenhum dos intervenientes e nem sequer o árbitro do referido encontro”, lamentou o vice benfiquista.

Varandas Fernandes

O arquivamento do processo ao Brahimi não nos deixa satisfeitos. E porquê? Porque não está a ser feita justiça. Está-se a decidir com dois pesos e duas medidas. Em relação a atletas do Benfica, foram punidos com três jogos com atitudes mais leves do que o gesto praticado pelo Brahimi. Queremos que todos sejam julgados de forma igualitária”, observou o vice-presidente do Benfica.

“Este episódio está ao nível dos históricos episódios das fugas dos árbitros à frente dos jogadores, de tão triste memória, e que colocam a autoridade das instituições na rua da amargura. Queremos deixar muito claro que não nos vamos calar. Não é possível existir uma competição com regras claras e idênticas para todos os clubes da Primeira Liga, com uma única exceção. Exceção, curiosamente, para quem invade centro de treinos de árbitros, tem processos em análise do seu diretor desportivo precisamente por ameaças a árbitros, é porta-voz do roubo de informação confidencial de outros clubes, insulta com total impunidade logo no primeiro jogo da época a equipa de arbitragem”, comparou.

“E, perante isto, ainda beneficia de critérios difíceis de entender e de justificar. O ambiente de coação e ameaças sobre os árbitros tem de acabar, mas para isso eles precisam de sentir que têm quem os defenda nos órgãos que gerem o futebol português. Queremos regulamentos e regras iguais para todos. Nada mais do que isso. As ameaças e as coações não podem ser premiadas. Queremos respostas, exigimos explicações”, solicitou.

Varandas Fernandes

Um desafio em prol da transparência

“Convidámos, então, os dirigentes e os quadros de todas as entidades relacionadas com o futebol a tornar público o seu passado profissional e ligações clubísticas. Fizemos este desafio em nome da máxima transparência no sector. O incómodo foi notório pela simples questão que, ao ser efetuado, acabava de uma vez por todos com o mito de que o Benfica supostamente dominaria as principais estruturas do futebol português. E mais ridículo tem sido assistir a alguns que publicamente defendiam essa tese virem agora tentar minimizar esta iniciativa com as teorias mais absurdas, precisamente porque isso desmentia de forma perentória o que andaram a tentar plantar de forma caluniosa e falsa”, lembrou Varandas Fernandes.

“Não se pode é dizer que o Benfica domina, quando se sabe que em alguns cargos até estão pessoas que foram apoiadas por outros clubes, contra a vontade do Benfica. E, porque sabem que se entrarmos numa análise minuciosa sobre cada entidade e cada nome que as compõem, o que diziam era totalmente falso”, acrescentou.

“Andaram a alimentar uma tese durante mais de um ano, agora que avançamos com factos concretos, uns assobiam para o ar, os outros encontram as explicações mais delirantes só porque sabem que tinham de assumir que esse pretenso domínio não é justificável em nenhum facto concreto. E porque tinham de assumir que nos últimos anos o Benfica ganhou mais pela simples razão que trabalhou melhor, teve melhores treinadores e jogadores, como se comprova inclusive pela sua procura e cobiça no mercado internacional. Curioso que, quando fazemos um apelo em nome da transparência total e escrutínio total, surja quem procure desvalorizar esta iniciativa”, apontou.

“Agora que o campeonato se inicia, e tal como prevíamos, bem podem plantar notícias de pretensas suspeitas com base em denúncias anónimas que nada nos vai desviar de desmontar uma a uma, e nos locais próprios, cada cabala e cada mentira. E mais uma vez não deixa de ser sintomático verificar que só surjam notícias com fugas ao segredo de justiça de processos que envolvem e são contra o Benfica”, vincou.

Texto: Marco Rebelo

Fotos: Isabel Cutileiro / SL Benfica

Última atualização: 7 de fevereiro de 2019

Relacionadas

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar