12 de fevereiro de 2020, 22h45

🎥 Jamor 2020: a volta que se deu

Futebol

Os principais marcadores e assistentes, os mais utilizados e os obstáculos ultrapassados pela equipa de Bruno Lage na caminhada que, três anos depois, conduziu de novo o Benfica à final da Taça de Portugal.

Treino a treino e jogo a jogo, o Benfica garantiu a presença na 37.ª final da Taça de Portugal do seu historial. Os jogadores mais utilizados, os melhores marcadores e os assistentes – o Site Oficial mostra-lhe os detalhes da caminhada até ao Jamor, onde, às 17h15 do dia 24 de maio (domingo), as águias vão defrontar o FC Porto.

No Minho, na última terça-feira (11 de fevereiro), o Benfica confirmou a qualificação para a final que todos querem disputar. No percurso na edição 2019/20 da prova-rainha do futebol português as águias deixaram para trás Cova da Piedade, Vizela, Braga, Rio Ave e Famalicão (duas mãos).

Ao todo, os comandados de Bruno Lage apontaram 15 golos, distribuídos por seis partidas (média de 2,5 remates certeiros por desafio). Para estes números em muito contribuíram os homens-golo do Benfica. Pizzi destacou-se neste parâmetro estatístico, mas nada como ver com os próprios olhos os marcadores dos golos encarnados na Taça de Portugal...

Tops da Taça

Dos golos viramos as atenções para as assistências. Ao todo são 11 passes para finalizações certeiras. Neste capítulo há uma maior distribuição, mas um nome salta logo à vista.

Tops da Taça

Vinícius, melhor marcador da Liga NOS com 15 golos, tem-se destacado pelo poder de fogo, mas também revela virtudes na arte de assistir. Trabalha, suporta o choque e, só nesta competição (Taça de Portugal), Vinícius já serviu os seus colegas de equipa por quatro vezes.

Tops da Taça

Relativamente a minutos em campo, Grimaldo, Pizzi e Ferro foram os mais utilizados por Bruno Lage nos desafios da prova-rainha. O lateral-esquerdo é mesmo o único jogador das águias totalista nesta competição (540 minutos).

RUMO À FINAL

Para o Benfica, a edição 2019/20 da Taça de Portugal tem sido assim: jogos bem disputados, com emoção até ao fim, não fosse esta uma das competições mais queridas do panorama nacional. Em 36 finais, o Sport Lisboa e Benfica soma 26 triunfos e coloca-se a uma distância considerável dos rivais diretos, Sporting e FC Porto, que conquistaram 17 e 16 Taças, respetivamente.

Cova da Piedade-Benfica (0-4)

Foi no Estádio Municipal José Martins Vieira que o Benfica começou a sua caminhada na Taça de Portugal desta temporada. Na 3.ª eliminatória, um triunfo em tons de goleada que começou a ser desenhado por Pizzi. O médio encarnado fez dois golos. Um feito repetido por Vinícius, que também bisou na partida.

FC Vizela-Benfica (1-2)

O obstáculo dos encarnados na 4.ª eliminatória estava sediado na região do Norte e sub-região do Ave. O FC Vizela, conjunto que nesta época soma bons resultados no Campeonato de Portugal, deu réplica, mas acabou por ser vergado. Samu marcou para os da casa, enquanto Raul de Tomas e Vinícius foram os autores dos golos benfiquistas.

Benfica-SC Braga (2-1)

Nos oitavos de final houve jogo grande no Estádio da Luz com o Benfica a receber o SC Braga. Pizzi e Vinícius marcaram para o Benfica. Ferro fez um autogolo.

Benfica-Rio Ave (3-2)

Mais uma eliminatória, novo adversário da Liga NOS. A sorte ditou que seria o Rio Ave a enfrentar o Benfica nos quartos de final da Taça de Portugal. No Estádio da Luz foram os vila-condenses a inaugurar o marcador. Piazon e Mehdi Taremi marcaram para o Rio Ave. Cervi e Seferovic (2) desferiram os remates certeiros das águias.

Benfica-FC Famalicão (3-2)

Chegavam as meias-finais! Fase da prova discutida a duas mãos, sendo a primeira realizada no Inferno da Luz. Bom futebol, com duas equipas a discutirem o jogo olhos nos olhos. Pizzi marcou aos 53', Toni Martínez e Pedro Gonçalves apontaram os tentos do FC Famalicão e, na parte de final da partida, Rafa e Gabriel incluíram os seus nomes na lista de marcadores, operando a reviravolta.

FC Famalicão-Benfica (1-1)

O último desafio antes da final ocorreu no passado dia 11 de fevereiro. Apesar de estarem em vantagem na eliminatória, os comandados de Bruno Lage sabiam que não podiam relaxar. O empate (1-1), com golos de Pizzi e Toni Martínez, permitiu ao Benfica validar, três anos depois, a chegada a mais uma final da Taça de Portugal, a 37.ª do seu palmarés.

O jogo de todas as decisões, contra o FC Porto (que nas meias-finais superou o Ac. Viseu num agregado de 4-1), está aprazado para o dia 24 de maio, no Estádio Nacional, no Jamor.

Texto: Diogo Nascimento

Fotos: SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar