4 de maio de 2020, 10h10

Superga: nunca esqueceremos!

Clube

SL Benfica e Torino FC ficariam ligados para sempre após aquele fatídico 4 de maio de 1949... Há uma amizade, um reconhecimento e um respeito eterno. 

Aconteceu há 71 anos! No dia 4 de maio de 1949 a tragédia de Superga vitimou 24 pessoas ligadas ao Torino FC (18 jogadores e seis elementos do staff). Na véspera, a equipa italiana havia disputado um jogo particular com o Benfica no Estádio Nacional, a assinalar a despedida do capitão das águias, Francisco Ferreira.

No regresso a Turim, o denso nevoeiro em terras transalpinas levou a que a aeronave Fiat G.212, que transportava a equipa italiana, se despenhasse contra a Basílica de Superga. Eram 16h05 (17h05 em Itália), tudo acabou... Toda a tripulação faleceu.

Uma das maiores tragédias de sempre ao nível desportivo, uma das datas mais tristes, mas assinalada religiosamente pelos dois emblemas. Duas histórias que se entreligam e cujos laços perduram ano após ano deste o fatídico 1949…

A 3 de maio, a formação "granata" jogou e perdeu frente ao SL Benfica, por 4-3, no Estádio do Jamor, no jogo de despedida do então capitão do Glorioso, Francisco Ferreira, grande amigo da então figura de proa da equipa italiana, Valentino Mazzola.

Melão (23’ e 29’), Arsénio (33’) e Rogério Pipi (40’) marcaram para os encarnados; Ossola (9’), Bongiorni (37’) e Romeo Menti (44’, gp) faturaram para o Torino. Um desafio histórico e carregado de simbolismo. Quis o destino que fosse o último do Grande Torino…

A ligação emocional entre os clubes tem-se fortalecido e já deu origem a várias homenagens evocativas

A ligação emocional entre os dois clubes tem-se fortalecido ao longo dos tempos e já deu origem a várias homenagens evocativas do dia fatídico.

Em 26 de julho de 2016, elementos do Torino e da Direção do Benfica estiveram no Estádio Nacional para homenagear a equipa que defrontou as águias em 1949; no dia seguinte teve lugar no Estádio da Luz a 9.ª edição da Eusébio Cup disputada entre os dois clubes.

À época do acidente a equipa do Torino era considerada a melhor de Itália e uma das melhores da Europa. Apelidada de Grande Torino, vencera quatro campeonatos consecutivos e ia a caminho do 5.º "Scudetto" que acabaria por conquistar, jogando as derradeiras quatro jornadas após a tragédia com os juvenis, uma decisão seguida pelos restantes emblemas italianos.

"Os heróis são imortais nos olhos de quem acredita neles. Assim, os jovens vão acreditar que o Torino não morreu: só está a jogar fora da sua casa", escreveu Indro Montanelli, jornalista e historiador italiano, no dia 6 de maio de 1949, relatando assim um dos dias mais tristes da História de Itália

Tal como os heróis, há palavras, relações e gestos imortais! Nunca esqueceremos o cumprimento de Mazzola e Francisco Ferreira...

Fotos: Arquivo / SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar