21 de setembro de 2020, 18h11

Benfica no feminino: crescimento, consolidação e história!

Clube

Pela primeira vez o Clube tem as equipas seniores femininas das cinco modalidades de pavilhão a competir na 1.ª Divisão. Recuperação financeira, orgânica e infraestrutural do SL Benfica foi determinante nesta caminhada.

No dia 19 de setembro voltou a fazer-se história! Com a subida do voleibol à 1.ª Divisão, o Sport Lisboa e Benfica coloca – pela primeira vez – todas as equipas seniores femininas no escalão principal da respetiva modalidade. 

A grande História, com letra maiúscula, como o Site Oficial aqui resume a partir de factos e detalhes objetivos, começou a ser escrita muito antes deste dia, mas a recuperação financeira, orgânica e infraestrutural empreendida no Clube nos últimos 18 anos foi decisiva para os resultados que são constatáveis no desporto feminino no SL Benfica, para a façanha que acaba de acontecer... 

basquetebol

BASQUETEBOL

Há 85 anos, o Benfica já era pioneiro, sendo o primeiro emblema a introduzir o basquetebol feminino no mundo clubístico. Depois desse primeiro jogo em 1935, uma interrupção na atividade…

Entre 1961 e 1976, mais um ciclo de competição de uma equipa que regressaria novamente em 2010, altura em que as encarnadas entraram no 3.º escalão, onde competiram durante duas temporadas. Duas épocas depois (2013/14), a equipa feminina de basquetebol do Benfica era promovida ao patamar máximo da modalidade [Liga Feminina], onde permanece até agora.

Daí até à conquista do primeiro troféu foram anos de muito trabalho, investimento e dedicação… A 29 de setembro de 2019 (época 2019/20) era erguido o primeiro troféu da história do basquetebol feminino, enquanto equipa a militar na Liga Feminina, a Taça Vítor Hugo.

Equipa feminina de voleibol do Benfica

VOLEIBOL

Em 1951 foi criada a equipa feminina de voleibol. Manteve-se na 1.ª Divisão da modalidade até 1993, sendo extinta no ano seguinte (1994). Mesmo estando fora de atividade durante vários anos, "As Marias" – como ficaram conhecidas – continuam a ter um dos mais vastos palmarés de Portugal: 9 Campeonatos (consecutivos entre 1966/67 e 1974/75) e 2 Taças de Portugal (1972/73 e 1973/74).

O regresso foi uma realidade em 2018, altura em que começaram a competir na 3.ª Divisão, subindo ao escalão acima em 2019/20. Com uma figura histórica do Clube, Nuno Brites, ao leme da equipa, e após alcançar três vitórias na liguilha de acesso ao escalão máximo da modalidade – Praiense, Vitória de Guimarães e SC Espinho –, estava finalmente concretizada a subida à 1.ª Divisão!

Andebol Feminino

ANDEBOL

As "Papoilas Rubras" chegaram ao Sport Lisboa e Benfica em 1972. Apesar do sucesso da equipa, a crise financeira e a reestruturação das modalidades no Clube levaram à sua extinção no final da temporada 1993/94.

Em 1996/97 ocorreu um breve regresso, marcado pela conquista do Campeonato Nacional da 2.ª Divisão, que assegurou a subida ao escalão máximo da modalidade. Não foi, no entanto, na altura, possível manter a equipa.

Em 2018, as "Papoilas Rubras" regressaram à atividade, tendo ascendido à 1.ª Divisão logo na primeira oportunidade. Atualmente treinadas por Ana Sobral – uma das atletas de referência do Sport Lisboa e Benfica e da Seleção Nacional –, contam, no palmarés, com 7 Campeonatos Nacionais, 6 Taças de Portugal e 2 Supertaças, ficando apenas atrás do Madeira SAD.

Festejos

FUTSAL

Há 18 anos (2002), o Benfica apostava na criação de uma equipa de futsal feminino… Uma aposta vencedora! Aliás, os títulos falam por si… Aos 3 Campeonatos Nacionais consecutivos, juntou ainda 5 Taças Nacionais, 5 Supertaças, 5 Taças de Portugal e uma Taça Ibérica [2007], o que faz com que tenha atualmente a hegemonia da modalidade.

Para isso, muito contribuiu Rita Martins, aquela que foi considerada a jogadora de futsal do século pela Federação Portuguesa de Futebol. Hoje em dia, conta com várias jogadoras internacionais no plantel…

hoquei

HÓQUEI EM PATINS

Foi a última modalidade feminina a ser criada no Sport Lisboa e Benfica (2012), já na era do Presidente Luís Filipe Vieira, que sempre assumiu uma aposta privilegiada no sector feminino. Em apenas oito anos, a formação treinada por Paulo Almeida – uma figura histórica e incontornável do Clube – conquistou 7 Campeonatos Nacionais consecutivos (Heptacampeã), 7 Supertaças, 6 Taças de Portugal e 1 Taça Europeia (2015). À semelhança do que acontece com o futsal, também o hóquei em patins feminino conta com várias jogadoras internacionais no plantel e detém, hoje em dia, a hegemonia da modalidade em Portugal.

NOS PAVILHÕES... E MUITO MAIS

Para além das cinco modalidades de Pavilhão, o Sport Lisboa e Benfica tem ainda mais cinco plantéis femininos a atuar no escalão maior: Futebol, Atletismo, Natação, Polo Aquático e Râguebi.

Sempre na vanguarda, o Clube assumiu-se há muito como um exemplo no feminino, e se há rostos incontornáveis que a história não apaga, exemplo de Edite Cruz (Patinagem Artística), as medalhadas olímpicas Vanessa Fernandes e Telma Monteiro são, mais recentemente, uma referência nacional, ao que se juntam vários outros nomes, quer no Projeto Olímpico, quer nos desportos individuais.

Em pleno século XXI o Sport Lisboa e Benfica continua a dar o exemplo de forma irrepreensível, algo que vinga de há décadas, e há ligações, no mínimo, curiosas... Sabia que a primeira mulher emancipada e a votar em Portugal (28 de maio de 1911), Beatriz Ângelo, foi casada com o Presidente do Benfica, Januário Barreto?

Texto: Filipa Fernandes Garcia e Sónia Antunes

Fonte de dados: CDI do Benfica

Fotos: Arquivo / SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar