Futebol

29 novembro 2020, 15h37

Jorge Jesus

ANTEVISÃO

Jorge Jesus, treinador do Benfica, anteviu o jogo da 8.ª jornada da Liga NOS. A partida tem o apito inicial marcado para as 19h00 desta segunda-feira, no Estádio do Marítimo.

Para o duelo na Madeira, o técnico antecipou dificuldades diante dos verde-rubros; voltou a elogiar Gonçalo Ramos; falou sobre as oscilações que acontecem num Campeonato; e lamentou os recentes falecimentos de Vítor Oliveira, José Bastos e Diego Armando Maradona.

Que Benfica podemos esperar num campo tradicionalmente difícil e diante de um Marítimo que, nesta época, já venceu no terreno do FC Porto?

Vamos jogar num campo difícil, o Marítimo costuma ter boas equipas. Que Benfica podemos encontrar? Como todas as equipas, o Benfica anda à procura dos caminhos para ser cada vez melhor. Os inícios de época são, exatamente, os sinais que dão aos treinadores em relação à qualidade e aos pormenores que apresentam. O Benfica vai fazer um jogo com a responsabilidade que todos os jogos têm e com a confiança de saber que tem capacidade para somar três pontos no Funchal. O jogo vai ser bem disputado, como são todos. Não vamos encontrar facilidades, estamos cientes disso, mas estamos preparados para as dificuldades. A responsabilidade do Benfica é vencer e continuar a somar para que possa recuperar a posição que já teve, que é o primeiro lugar, onde esteve até à 5.ª jornada.

Jorge Jesus Benfica

"A nossa ideia é jogar dentro daquilo que temos feito até agora"

Darwin não está disponível. Face à exibição de Gonçalo Ramos frente ao Rangers, pode ser opção nesta partida?

Sobre o Gonçalo Ramos... Se ele é titular? É um titular do grupo, dos 22, 23, 24 jogadores que o Benfica tem. Como todos os jovens, a qualidade técnica é fundamental, mas não chega. Ninguém nasce ensinado. É assim em todas as áreas, e no futebol é igual. O que interessa no Gonçalo Ramos é saber se tem talento. E isso ele tem. No jogo oportuno, ele vai estar nas minhas opções e vai ter as suas possibilidades.

Em relação à intensidade e pressão que Jorge Jesus gosta de aplicar nas suas equipas… esta é uma dor de cabeça para o treinador?

Estamos sempre à procura do melhor para uma ideia de equipa tanto defensivamente como ofensivamente. Temos uma característica: quando defendemos, a maior parte do tempo defendemos dentro do meio-campo adversário, pela nossa forma de pensar o jogo. É mais difícil, com certeza que é, mas não vamos abdicar dela, seja onde for. Não quer dizer que não haja momentos de estratégia e que durante o jogo isso não aconteça, mas a nossa ideia é jogar dentro daquilo que temos feito até agora, não vamos mudar nada. Mas não quer dizer que amanhã [segunda-feira] não possamos mudar o nosso sistema.

Jorge Jesus Benfica

Há novidades em relação aos jogadores que tenham testado positivo à COVID-19?

A COVID-19 é o problema dos tempos modernos, temos de saber conviver com ele. Ontem [sábado] fomos todos testados e demos todos negativo. Aqueles que se encontravam com o teste positivo, alguns deles já passaram os dez dias, pelo protocolo até poderiam estar no jogo, mas como na Madeira exigem um novo teste que desse negativo, ainda não o fizemos e, portanto, esses jogadores, o Julian [Weigl], o Taarabt, o Darwin, que são os únicos jogadores que temos com esse problema, para além daqueles que estão lesionados… estão todos fora do jogo de amanhã [segunda-feira] na Madeira.

Um esclarecimento: Taarabt, Weigl e Darwin testaram positivo ou negativo?

Segundo o protocolo, ao fim de dez dias, não é preciso testar ninguém. O Taarabt não tem dez dias, mas tanto o Julian [Weigl] como o Darwin já têm mais de dez dias, por isso nós não precisamos de os testar para saber se estão negativos ou positivos.

Jorge Jesus Benfica

"O Benfica vai fazer um jogo com confiança para somar os três pontos"

A equipa entra num ciclo complicado com vários jogos. Pelas limitações devido às ausências, sente a equipa preparada?

Quando temos seis ou sete jogadores de fora, sendo que quatro ou cinco vinham a jogar no onze, temos menos soluções para podermos dar descanso a um ou outro jogador. Se forem quatro, cinco ou seis jogos consecutivos, tem influência. Um, dois ou três jogos, não tem importância.

O Sporting venceu o Moreirense [2-1 neste sábado], o Benfica vai entrar a sete pontos. Isso pode pesar nos jogadores?

A pontuação depois de os adversários jogarem – e nisto não tenho a certeza absoluta em relação aos do Sporting e do FC Porto – para os jogadores do Benfica, do FC Porto e do Sporting não tem importância. Faz parte da pressão e da responsabilidade jogarem sempre para ganhar. Estar mais à frente ou atrás na classificação não interfere no jogo negativo dos jogadores.

Considera que Sporting e SC Braga vão lutar pelo título até ao fim?

Penso que as quatro equipas podem disputar os primeiros lugares, pelas indicações que têm dado… mas três nem precisam disso, o passado histórico assim o diz, que são o Benfica, Sporting e FC Porto. O SC Braga é uma equipa que, neste momento, quer intrometer-se na luta dos três grandes e tem todo o direito pelo que tem demonstrado e pelo que tem crescido. A surpresa do Sporting estar em primeiro? Isso é agora, porque nas primeiras cinco jornadas éramos nós. Não me surpreende nada. O Campeonato vai ter várias oscilações na classificação. Já foi o Benfica, agora é Sporting, amanhã pode ser o FC Porto. O Campeonato vai ser competitivo. É melhor andar em primeiro do que em segundo.

Jorge Jesus Benfica

"O Campeonato vai ter oscilações na classificação e vai ser muito competitivo"

Está surpreendido por estar atrás do Sporting na classificação?

Surpreendido, não. Já o tinha dito. As equipas caracterizam-se pelo número de golos que fazem nos jogos que realizam, por forma a marcarem mais do que o adversário. Os números financeiros têm influência? Têm, mas não são determinantes. Se fossem, o Benfica, o Sporting e FC Porto não entravam na Liga Europa ou na Champions. Devido aos orçamentos nem íamos lá. E vamos lá com ambição para podermos disputar os jogos com as outras equipas.

O facto de ter sofrido dois golos em Glasgow preocupa-o?

Claro que me preocupa quando sofro golos, seja um, dois ou mais… Cada jogo em que sofremos tem histórias diferentes. Os dois golos sofridos na Escócia é mérito de quem ataca e não demérito de quem defende. Foi mérito do adversário. Não contabilizo esses dois golos como alguns que sofremos, porque em termos de organização defensiva nós estivemos bem.

Jorge Jesus Benfica

Sente-se triste? Acha que podia ser um dos nomeados para Melhor Treinador do Mundo?

O critério de escolha dos melhores treinadores do mundo penso que seja a conquista de títulos importantes, títulos nacionais, no meu caso estive no Brasil, e internacionais, como foi a Libertadores e a Recopa da América Latina – o equivalente ao vencedor da Liga Europa e da Champions. E fomos vice-campeões do mundo. Se o Flamengo tivesse sido campeão do mundo, o treinador destacado no mundo teria de ser eu. Penso eu, senão seria o cúmulo… Como não fui, só pode ser um: Klopp. Quanto ao resto, não me interessa nada. Se não for primeiro, para mim não tem interesse. Foi o que as pessoas decidiram, independentemente de eu saber quem é o melhor.

Já falou com Luís Filipe Vieira, depois de o Presidente ter chegado do Brasil?

O Presidente chegou ontem [sábado] à noite. Já me comunicou que vai estar com a equipa na Madeira, se não acontecer nenhum imprevisto. Vou ter tempo para estar com ele e falar sobre todos esses pormenores. Não me compete saber se o jogador [Lucas Veríssimo] já está apalavrado ou confirmado. Hoje em dia, no futebol, só está confirmado quando se assina.

Jorge Jesus Benfica

"Hoje em dia, no futebol, só está confirmado quando se assina"

Foi uma semana triste para o futebol português e mundial…

Foi um choque e uma surpresa muito grande o falecimento do Vítor [Oliveira], que ainda era muito jovem. Deixo a minha homenagem à família dele. O senhor Reinaldo Teles era um amigo meu. Foi uma semana um pouco complicada... Também faleceu uma figura do Benfica, que os mais antigos conhecem, que é o José Bastos, uma lenda da baliza do Benfica. Faz parte da nossa vida. Não estamos preparados para ver morrer as pessoas de que gostamos. Depois, o maior jogador da história do futebol mundial... Ele [Maradona] e Pelé. Maradona, não só por aquilo que era como génio e jogador, mas também pela forma como demonstrava a paixão pelo jogo. Nasceu para jogador de futebol. Não é um produto trabalhado, é um produto criado, já nasceu assim. Todo o sentimento que tinha com a bola, com o jogo…

Texto: Filipa Fernandes Garcia, Márcia Dores e Marco Rebelo

Fotos: Tânia Paulo / SL Benfica

Última atualização: 29 de novembro de 2020

Patrocinadores principais do Futebol


Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar