Futebol

19 agosto 2021, 00h03

Benfica marcou os dois golos logo na primeira parte

RESUMO DO JOGO

Só mais um passo! Ao Benfica, que ganhou por 2-1 ao PSV no Estádio da Luz (primeira derrota dos neerlandeses nesta época) na noite de quarta-feira, 18 de agosto, falta agora ser bem-sucedido na segunda mão do play-off, arrancar um resultado à medida do primeiro objetivo de 2021/22, que é entrar na fase de grupos da Liga dos Campeões! O embate decisivo acontecerá às 20h00 de 24 de agosto, terça-feira, em Eindhoven.

Com lotação esgotada na Catedral (os 33% autorizados pela DGS), o Benfica entrou em campo alinhado em 3x4x3 e com um onze muito próximo daquele que utilizou na estreia em 2021/22, no primeiro jogo desta caminhada europeia. Odysseas na baliza; Lucas Veríssimo, Otamendi e Morato na linha de três centrais (Vertonghen recupera de lesão); Diogo Gonçalves (ala direita), Grimaldo (ala esquerda), Weigl e João Mário no meio-campo; Pizzi, Rafa e Yaremchuk (segunda titularidade consecutiva) como unidades mais adiantadas.

Onze inicial

Elevando ao máximo o índice de aproveitamento na finalização, a equipa benfiquista teve uma entrada perfeita na partida e saltou para a dianteira do marcador ao minuto 10. Pizzi criou o primeiro desequilíbrio na cobertura defensiva do PSV, Yaremchuk deu sequência ao trabalho do 21 com um passe a desmarcar Rafa, e este, depois de desenhar um movimento diagonal no relvado, a pender para a esquerda, entrou na área e atirou rasteiro com o pé canhoto, para dentro da baliza. O Estádio da Luz celebrou ruidosamente o 1-0, Rafa marcava pela segunda vez em 2021/22 e Yaremchuk fazia a segunda assistência (em jogos seguidos).

O PSV apostou sobretudo na velocidade e na capacidade técnica de Madueke na corrida por um resultado diferente, durante o primeiro tempo. Pela direita, o atacante criou dificuldades, deu trabalho à linha defensiva do Benfica, que, coordenando-se e articulando-se nas zonas críticas, soube controlar e aguentar o ímpeto. Contando também com Odysseas sempre muito atento e ágil na cobertura da baliza.

Sport Lisboa e Benfica

Com bola, as águias procuraram ser rápidas no ataque à baliza adversária, sendo disso exemplo o lance ocorrido ao minuto 36, quando Rafa fez a condução de bola e, depois, procurou a finalização de Pizzi na área. O remate do 21 saiu ao lado da baliza.

Nesta fase, com o intervalo a aproximar-se, o Benfica voltou a ser ameaçador junto da baliza de Drommel. Aos 42', subido no terreno, Lucas Veríssimo disparou com violência de pé direito. Era para golo, mas o guardião do conjunto neerlandês conseguiu voar e desviar a bola para canto. Na verdade... apenas adiou o 2-0. No canto subsequente, Pizzi colocou a bola, larga, sobre o segundo poste, Otamendi cabeceou, Yaremchuk quis dar continuidade, mas quem empurrou o esférico para as malhas foi Weigl, numa conclusão já no interior da pequena área.

Weigl

A primeira parte terminou a contento dos comandados de Jorge Jesus e o segundo tempo por pouco não começou com um golo de Yaremchuk. Bem posicionado para visar o alvo, o avançado rematou de pé direito, mas ao lado do poste direito. No entanto, a jogada seria invalidada por fora de jogo. Pouco depois, Rafa também chamou o golo, mas Drommel estava lá e parou o remate (50').

Do lado do PSV, Götze e Gakpo (principalmente este, que fez quatro remates na partida) emergiram como agitadores na etapa complementar do desafio, vendo-se menos em jogo o veloz Madueke. E foi justamente Gakpo quem marcou para equipa visitante ao minuto 51. A bola, rematada à entrada da área, ainda raspou no corpo de Otamendi e acabou por tornar inglória a estirada de Odysseas.

Encurtada a diferença no marcador, o conjunto liderado pelo alemão Roger Schmidt expôs as suas capacidades ofensivas e pôs à prova a qualidade e solidez defensiva do Benfica. Odysseas, aos 69', teve uma intervenção decisiva na baliza, reagindo depressa para sacudir uma bola que fez ricochete em Lucas Veríssimo e tomou o caminho do alvo.

Odysseas

Jorge Jesus mexeu na equipa do Benfica aos 72'. Foram quatro alterações de uma vez: saíram Diogo Gonçalves, Weigl, Pizzi e Yaremchuk, entraram André Almeida, Meïte, Everton e Gonçalo Ramos. Era preciso refrescar o coração da equipa, pois nesta altura o jogo discutia-se, sobretudo, na intermediária, e, tirando um remate de Gakpo aos 76' à figura de Odysseas, não haveria espaços nem oportunidades para alterar os números do resultado.

Ao quinto jogo oficial da temporada, a equipa benfiquista somou o quinto triunfo, mantendo-se 100 por cento vitoriosa. Antes do duelo final com o PSV, os encarnados viajam até ao Minho para enfrentar o Gil Vicente às 18h00 de sábado, 21 de agosto, em jogo da 3.ª jornada da Liga Bwin.

Até -15% no teu Equipamento Principal completo

Texto: João Sanches
Fotos: Isabel Cutileiro / SL Benfica
Última atualização: 18 de agosto de 2021

Patrocinadores principais do Futebol


Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar