1 de abril de 2018, 21h45

México louco com “incrível” passe de letra de Raúl

Futebol

Nove anos e cinco meses depois, o Benfica voltou a marcar um golo ao V. Guimarães com origem numa rabona.

No Dia das Mentiras, agarramo-nos a uma verdade bem fresca na memória do mundo benfiquista e dos amantes do bom futebol: o passe de letra de Raúl para o segundo golo de Jonas na vitória do Benfica sobre o V. Guimarães, no Estádio da Luz.

Pela qualidade e pela circunstância em que foi executado, o gesto técnico correu mundo e pôs, em particular, os mexicanos a bater palmas e a gritar “bravo” do outro lado do Atlântico, louvando a arte do compatriota que usa a camisola 9 das águias.

Raúl

Assistência do ano”, “memorável”, “incrível assistência” ou “que barbaridade!” são algumas das expressões utilizadas no México para agraciar a ação de Raúl no lance que fechou o resultado na partida da 28.ª jornada da Liga NOS, naquele que foi o 8.º triunfo consecutivo do Benfica na prova – passou a ser a melhor série da corrente edição.

Passe de letra para os de língua portuguesa, rabona para os que falam castelhano – é apenas um detalhe de terminologia ou designação. Essencial, em campo, foi o resultado: uma assistência brilhante para um golo do Benfica ao V. Guimarães.

Raúl

Trabalhada nos treinos, como o próprio confessou após a partida, esta jogada de Raúl Jiménez embeleza um filme exclusivo e traz também à memória outro passe de letra diante do mesmo opositor, mas no estádio onde este atua como visitado.

Raúl

Viajamos rapidamente no tempo, para trás; recuamos nove anos e cinco meses e travamos a fundo no dia 2 de novembro de 2008. Nessa data, a equipa benfiquista deslocou-se ao Estádio D. Afonso Henriques para discutir o encontro da 7.ª jornada da I Liga.

Ao minuto 15, vendo a movimentação de Suazo na zona ofensiva, Aimar furou a tentativa de pressão de um adversário sacando uma rabona. Com este passe artístico, El Mago surpreendeu e abanou a organização defensiva dos vimaranenses, lançando o avançado hondurenho na direção da baliza.

Em velocidade, como gostava, Suazo ainda passou por dois adversários num abrir e fechar de olhos antes de atirar para as redes. Assim se desenhou, com categoria, o primeiro golo num desafio que os encarnados haveriam de ganhar por 1-2, sob arbitragem de Carlos Xistra, a quem, por sortilégio do destino, também tocou apitar o Benfica-V. Guimarães do último sábado, marcado pela fabulosa letra de Raúl (ver vídeo abaixo).

Texto: João Sanches

Fotos: Isabel Cutileiro / SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar