Clube

01 junho 2018, 12h12

Eusébio da Silva Ferreira

Há 57 anos, Lisboa engalanava-se para receber em êxtase e apoteose a equipa do Benfica que na véspera (31 de maio de 1961), em Berna, se banhara de glória ao bater o Barcelona (3-2) na final da Taça dos Clubes Campeões Europeus.

No mesmo dia, por intransigência do V. Setúbal, que, não obstante o contexto desportivo dos encarnados, declinou adiar a data do jogo, as (reservas das) águias tiveram de ir a jogo numa eliminatória da segunda maior prova do calendário nacional. E, entre o fel e o mel, fizeram-no revelando oficialmente o Pantera Negra.

1.ª Taça dos Clubes Campeões Europeus

Em 1 de junho de 1961, Eusébio da Silva Ferreira vestia pela primeira vez, num desafio oficial, a camisola do Benfica. Foi na segunda mão dos oitavos de final da Taça de Portugal: alinhou a titular e marcou.

Esse golo de Eusébio, no entanto, foi insuficiente para impedir a eliminação dos encarnados, que perderam por 4-1 no Campo dos Arcos, em Setúbal, depois de terem triunfado na primeira mão por 3-1.

O SL Benfica realizava uma época brilhante. Conquistado o Bicampeonato Nacional – a quatro jornadas do final – e erguido o título máximo do Velho Continente pelas mãos do capitão José Águas, o ataque à Taça de Portugal foi, todavia, condicionado pela irredutível decisão do V. Setúbal de não aceitar o adiamento do segundo encontro dos oitavos de final para uma data em que os encarnados pudessem entrar em campo com a sua equipa normal.

Eusébio

Ao invés, o Benfica apresentou-se no Campo dos Arcos privado dos 15 jogadores escolhidos por Béla Guttmann para a inolvidável vitória europeia. Eusébio, que então ainda não podia atuar nas provas da UEFA por razões administrativas, fez parte dessa equipa B do Benfica no duelo com os sadinos, uma semana depois de se ter estreado no Estádio da Luz (23 de maio de 1961) numa partida amistosa com o Atlético, na qual apontou três dos quatro golos das águias.

Depois do 3-1 na primeira mão, no Estádio da Luz, o SL Benfica B foi derrotado em terras do Sado por 4-1, com Eusébio, aos 64’, a marcar o único tento da equipa.

Sob arbitragem de Manuel Fortunato, o Benfica alinhou no Campo dos Arcos com o seguinte onze: Ramalho; Sidónio, Pinto, Maximiano, Amândio, Humberto, Nartanga, Eusébio, Jorge, Espírito Santo e Inácio.

Eusébio

Não obstante o desfecho na eliminatória da Taça de Portugal, influenciado pela irredutibilidade sadina que impediu que a Federação Portuguesa de Futebol reagendasse a partida, o Benfica vivia momentos ímpares, numa década memorável… com o King a iniciar aqui um caminho marcado por grandes conquistas individuais e coletivas.

Texto: João Sanches e Sónia Antunes

Fotos: Arquivo / SL Benfica

Última atualização: 7 de fevereiro de 2019

Patrocinadores principais do Futebol


Relacionadas

Clube

Eusébio estreou-se há 60 anos

O Sport Lisboa e Benfica conquistou a Taça dos Clubes Campeões Europeus em Berna, diante do Barcelona (3-2), a 31 de maio de 1961, e no dia seguinte – 1 de junho –, por intransigência do V. Setúbal, viu-se obrigado a jogar a segunda mão dos oitavos de final da Taça de Portugal. Os encarnados tiveram de ir a jogo com as reservas... e Eusébio da Silva Ferreira vestia pela primeira vez de águia ao peito de forma oficial (depois do primeiro jogo num particular com o Atlético). No Campo dos Arcos, em Setúbal, os sadinos venceram por 4-1, dando a volta ao 3-1 para o Benfica, no Estádio da Luz, na partida da primeira mão. Há 60 anos, o Pantera Negra foi titular e até marcou… |Fotos: SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar