30 de dezembro de 2018, 15h14

"O futebol não pode ser uma guerra!"

Clube

O apelo de Paulo Simões, pai do jovem adepto do Benfica que foi violentamente agredido.

O pai de Bruno Simões, jovem adepto do Benfica apedrejado na sequência do ataque de que foi alvo o autocarro em que seguia na noite de 23 de dezembro, após ter assistido ao jogo com o Braga no Estádio da Luz, pede "mais responsabilidade" e sublinha que o futebol "tem de ser vivido com alegria".

"Peço a todas as pessoas que pensem bem antes de ir ao futebol, porque o futebol e o desporto em si são uma alegria. Não olhem às cores, cada um é livre de escolher a cor que deseja, de gostar do clube que quer", salientou Paulo Simões, em declarações exclusivas à BTV.

O pai de Bruno Simões, jovem adepto encarnado que está internado no hospital de Gaia e irá ser operado nos primeiros dias de janeiro, pediu para os responsáveis pelo futebol serem mais unidos de forma a prevenir estes incidentes.

"As pessoas devem olhar para o futebol como uma festa e as próprias direções devem apelar para que acabem as guerras entre os clubes. Tentem ser mais unidos para que haja mais pessoas a ir ao futebol, apelou.

Luís Filipe Vieira, Presidente do Benfica, já esteve no hospital de Gaia a visitar Bruno Simões. A demonstração de apoio foi enaltecida por Paulo Simões, que agradeceu a consideração do Clube.

"Tem sido um apoio muito grande para o Bruno. Ele ficou contente porque viu que o Benfica está preocupado com o seu estado. Ficou muito emocionado com o vídeo de apoio feito pela equipa principal de futebol", referiu.

Texto: Diogo Nascimento

Fotos: Isabel Cutileiro / SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar