23 de julho de 2019, 05h34

Onde o passado e o presente andam de mãos dadas

Clube

O troféu da Reconquista esteve na Casa do Benfica em Filadélfia. Foi a terceira Casa na costa Este, depois de Hartford e Danbury.

Quem vê a Casa do Benfica em Filadélfia não imagina tudo o que vai encontrar lá dentro. No espaço do Clube respira-se história e Mística. Na segunda-feira, a taça do 37 foi à cidade de Rocky Balboa.

À porta, Abel Sousa, presidente da Casa, recebeu a comitiva benfiquista liderada pelos vice-presidentes Domingos Almeida Lima e Alcino António.

Ao entrar para a sala, um verdadeiro compêndio de história, onde o passado e o presente estão de mãos dadas. Entre galhardetes, bandeiras, fotografias de várias equipas do Benfica campeãs e o símbolo, ainda houve espaço para a exibição de troféus alusivos às conquistas das equipas da Casa do Benfica em futsal ou noutras modalidades.

Entre as várias fotografias, destaque para os Campeões invictos de 1972/73, com Jimmy Hagan, os Campeões Europeus de 1961/62, com Béla Guttmann, e as quatro formações que ajudaram a conquistar o inédito Tetra.

Também em Filadélfia se vive o Benfica de forma apaixonada, onde a referência é o Sr. Lúcio, Benfiquista de 87 anos, que conta com 75 anos de Sócio e que orgulhosamente mostrou o Anel de Platina a quem quisesse ver.

Casa do Benfica em Filadélfia

Antes do jantar, houve as intervenções de Domingos Almeida Lima e de Alcino António.

“É um prazer estar nesta simpática Casa. Unidade e paixão permitiu o 37, foram elas que catapultaram os nossos jogadores e treinador para a conquista. Só com essa união e paixão poderemos chegar ao Bicampeonato”, começou por dizer Domingos Almeida Lima.

Logo de seguida, o vice-presidente do Sport Lisboa e Benfica deixou uma revelação aos presentes.

“O Benfica está a internacionalizar a marca e o mercado privilegiado são os Estados Unidos da América. Estamos a trabalhar nesse sentido, por forma a termos esse reconhecimento. O Benfica tem 11 Casas nos EUA e queremos aumentar esse número, porque é aqui que se começa a fomentar a Mística”, garantiu.

Alcino António deu seguimento ao entusiasmo que se vivia nas hostes e apontou ao 38. Campeonato Nacional.

“Disseram-nos que a sala era pequena, mas a paixão com que se vive o Benfica é enorme. É este amor ao Clube que nos une. Alguém aqui já falou em superação e asseguro que será essa superação que nos vai fazer chegar ao 38”, exaltou.

A noite terminou com os adeptos da Casa, um a um, a tirar uma fotografia com o troféu da Reconquista.

Texto: Marco Rebelo

Fotos: João Paulo Trindade / SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar