19 de maio de 2020, 11h44

Bruno Coelho: o "até já" do capitão

Futsal

Ala ajudou o Futsal do Benfica a vencer 3 Campeonatos Nacionais, 3 Taças de Portugal, 4 Supertaças e 3 Taças da Liga.

A ligação de Bruno Coelho ao Sport Lisboa e Benfica chega ao fim após nove temporadas preenchidas por várias conquistas. O Site Oficial recorda o trajeto do rapaz que só sonhava vestir o Manto Sagrado e acabou a marcar o golo decisivo no primeiro Europeu de futsal conquistado por Portugal, em 2018.

A história a sério começou no Vila Verde, modesto clube da 2.ª Divisão Nacional, na altura orientado por Naná. Bruno Coelho estreou-se na equipa sénior na temporada 2006/07, precisamente no ano em que a turma de Sintra conseguiu a promoção ao principal escalão do futsal português. Seguiram-se passagens por Vitória dos Olivais e Belenenses.

Assinou pelo SL Benfica com 23 anos, em junho de 2011. Nesse momento, em declarações à BTV, foi perentório. "O Benfica é um clube que não pode passar sem ganhar títulos, pois tem uma massa associativa enorme e muito exigente. Estou cá para ajudar a ganhá-los", disse... e fez, pois a temporada 2011/12 viria a revelar-se memorável no plano coletivo.

Na época de estreia, o ala, que até havia atuado a guarda-redes nas camadas jovens, ajudou a conquistar o triplete: Supertaça, Taça de Portugal e Campeonato. Estava dado o mote para nove anos de sucesso com a águia ao peito.

Bruno Coelho Futsal Benfica

Entrou no Benfica para (ajudar a) ganhar

Benfiquista de gema, a raça e determinação com que disputa cada lance sempre foram características associadas ao desempenho de Bruno Coelho dentro da quadra, e este rapidamente passou a ser uma das figuras dos encarnados. Porém, e logo após novo triunfo na Supertaça no arranque de 2012/13, as águias passaram por um período sem títulos. A tendência inverteu-se em 2014/15, com a chegada de Joel Rocha ao comando da equipa técnica. Seguiram-se as vitórias na Taça de Portugal e no Campeonato Nacional.

Uma época que terminou a vencer e que começou da mesma maneira. A 30 de agosto do mesmo ano, num jogo impróprio para cardíacos, o Benfica superava o Fundão e conquistava a sua 7.ª Supertaça. A oito minutos do fim do tempo regulamentar, a formação da Luz perdia por 0-3. Na sequência de uma excelente jogada individual de Jefferson, Bruno Coelho reduziu para 1-3 e abriu caminho ao empate que levaria a partida para prolongamento. Os benfiquistas marcaram mais três golos e levaram a Taça para a Luz.

Bruno Coelho

Sucedeu a Gonçalo Alves como capitão de equipa

"Goleador de jogos decisivos" – vamos perceber melhor mais à frente – podia muito bem ser o epíteto de Bruno Coelho. No arranque de 2016/17 não se intrometeu no hat-trick de Elisandro sobre o Sporting que daria nova Supertaça ao Benfica (2-3), mas no fim dessa mesma temporada fez o gosto ao pé na final da Taça de Portugal, na vitória de 5-1 sobre a Burinhosa.

O desafio, disputado a 14 de maio de 2017 no Pavilhão Multiusos de Gondomar, marcou também o último título que Gonçalo Alves ergueu enquanto capitão dos encarnados. Na hora da despedida reiterou a confiança em Bruno Coelho para lhe suceder. "O Bruno Coelho já tem muitos anos de Benfica e é um bom sucessor como capitão de equipa. É outro ciclo e se calhar também vai fazer bem ao Benfica mudar de capitão. É outra personalidade, outras vivências. Estou muito confiante no Bruno Coelho", referiu, à data, o atual team manager da equipa de futsal.

A temporada seguinte traria ao atleta natural de Monte Abraão uma memória que nunca mais esquecerá. Já enquanto líder do balneário das águias, e depois de levantar a primeira Taça da Liga da história do Clube nessa época, foi Bruno Coelho a marcar os golos que entregaram a Portugal o seu primeiro Europeu. A 10 de fevereiro de 2018, enviou a partida da final em Ljubljana para prolongamento e assumiu a marcação do livre de 10 metros que, a 56 segundos do fim do tempo extra, deu xeque-mate à seleção espanhola. "Não tenhas medo, vai haver um livre direto e vou meter a bola lá dentro", havia garantido a Ricardinho no momento em que o astro abandonou a partida devido a lesão.

Bruno Coelho

Foi elevado a herói nacional no dia 10 de fevereiro de 2018

Dotes premonitórios ou não, nunca saberemos. A verdade é que o camisola 7 dos encarnados virou herói nacional. Em junho do mesmo ano, numa das finais mais emocionantes e disputadas do Campeonato de que há memória, só a marcação de grandes penalidades, no quinto e último encontro, decidiu o Campeão Nacional e impediu uma época perfeita para Bruno Coelho.

2018/19 era tempo de reconquista e começou pela Taça da Liga. Em janeiro de 2019, o Benfica bateu o SC Braga e conquistou, pela 2.ª vez consecutiva, a Taça da Liga. No entanto, foi em junho que chegou o momento mais saboroso da carreira de Bruno Coelho na Luz, perante o calor e carinho dos adeptos. No decisivo jogo da final do Campeonato, marcou o terceiro tento da vitória por 4-3 sobre o Sporting e, num pavilhão em euforia, ergueu o troféu que fugia há três temporadas. "Há muitas emoções à mistura. Só quero dar os parabéns à nossa equipa pela grande época que fez, fomos uns guerreiros e quero agradecer aos nossos adeptos pelo ambiente fantástico. É mais um título para o Museu do Benfica, mais uma modalidade vencedora. É dia de reconquista!", salientou a 16 de junho de 2019.

Apesar da Taça da Liga conquistada em janeiro deste ano, a terceira de forma ininterrupta, a situação pandémica que vivemos impediu a conclusão de todas as outras provas previstas no calendário do futsal nacional. Assim, Bruno Coelho ausenta-se como campeão em título e com um desejo bem vincado, o de regressar para terminar a carreira no clube do seu coração. Até já, capitão!

Texto: Luís Afonso Guerreiro

Fotos: SL Benfica / Arquivo

PATROCINADORES MODALIDADES


Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar