Futebol

29 janeiro 2021, 00h14

Benfica marcou nas duas partes do jogo

RESUMO DO JOGO

O Benfica deu os passos certos e marcou os golos necessários para, com firmeza, vencer o Belenenses SAD (3-0) no Estádio da Luz, na noite de quinta-feira. Pela 51.ª vez na história do Clube, foram alcançadas as meias-finais da Taça de Portugal, eliminatória onde as águias vão defrontar o Estoril, a duas mãos.

Uma infeção respiratória impediu Jorge Jesus de comandar a equipa do Benfica a partir do banco (o papel de comandante, no terreno, foi assumido pelo adjunto João de Deus). Entre os factos positivos enquadraram-se os regressos de Gilberto, Vertonghen, Grimaldo e Waldschmidt. Todos recuperados da infeção de COVID-19, entraram no onze inicial.

Antes de a bola começar a rolar no relvado do Estádio da Luz respeitou-se um minuto de silêncio como homenagem a John Mortimore, antigo treinador do Glorioso, que faleceu na última quarta-feira aos 86 anos.

Com a equipa sistematizada em 4x4x2, o Benfica apresentou Svilar (na baliza), Gilberto, Jardel, Vertonghen, Grimaldo (na defesa), Gabriel, Taarabt, Rafa, Cervi (no meio-campo), Waldschmidt e Darwin (no ataque).

Benfica-Belenenses SAD Taça de Portugal

O coletivo encarnado puxou a bola para si para protagonizar uma entrada forte e lancinante no desafio. O primeiro momento de perigo iminente foi desencadeado ao minuto 12, com Darwin a escapar na grande área e a cruzar na direção de Rafa. Porém, o guarda-redes André Moreira estirou-se e socou o esférico. Respondeu o Belenenses SAD (13') num contragolpe acelerado e finalizado por Cassierra: o remate saiu à figura de Svilar.

Apesar da pressão alta exercida pelo adversário, o Benfica conseguia ser mais incisivo quando se desamarrava com bola. Darwin, aos 15', por muito pouco não inaugurou o marcador. O avançado das águias arrancou da linha divisória, correu com bola até perto da grande área contrária e armou um remate de pé direito. O esférico seguiu na direção do canto direito, mas André Moreira foi capaz de voar e afastar para canto.

Volvidos quatro minutos, Waldschmidt desmarcou-se muito bem, a passe de Rafa, mas depois, na área, não foi expedito na definição do ataque prometedor, sendo desarmado por Tomás Ribeiro.

Benfica-Belenenses SAD Taça de Portugal

Darwin, aos 32', foi efetivo e aproveitou a oportunidade para dar vantagem ao Benfica. O internacional uruguaio pressionou Gonçalo Silva, que tocou de cabeça, para trás, na direção de André Moreira. O guarda-redes, perante o posicionamento do dianteiro das águias, não segurou a bola, impeliu-a contra Gonçalo Silva e aquela ficou à mercê de Darwin, que, com a baliza destapada, não perdoou, assinando o 1-0. Foi o nono golo do camisola 9 em 2020/21!

O golo deu conforto e robusteceu a serenidade dos encarnados, que ao minuto 37 foram astutos na forma como tiraram proveito de um lance de laboratório. Grimaldo executou o canto na esquerda, Jardel cabeceou na área e esta vitória nas alturas desestabilizou a defensiva azul. Lesto, Rafa atacou a zona próxima do poste esquerdo e tocou a bola para as malhas. 2-0!

Pizzi foi novo elemento no conjunto benfiquista no começo do segundo tempo. O internacional português rendeu Waldschmidt. Antes da hora de jogo, outra alteração nas águias: Gabriel cedeu o lugar no meio-campo a Weigl.

Controlando o jogo e o adversário, o Benfica elevou o diferencial aos 71' numa jogada de fino recorte técnico. Rafa, que nesta noite faturou o seu sexto golo na temporada, foi o condutor do lance, fazendo um passe de morte para Cervi, que, com uma rápida diagonal, cortou a linha defensiva azul e ficou na cara de André Moreira, usando, depois, o pé esquerdo para aplicar um toque subtil no esférico e picá-lo sobre o guarda-redes. Tudo muito bem feito no ataque, sexta assistência de Rafa, primeiro golo de Cervi... 3-0 para o Benfica!

Benfica-Belenenses SAD

Com o resultado na mão, houve mais mudanças no xadrez benfiquista: Darwin e Taarabt foram substituídos por Seferovic e Chiquinho (79'). A equipa mandava, comandava, denotava confiança nas trocas de bola, geria a seu bel-prazer a reta final do desafio e, num remate de Chiquinho, podia ter apontado o 4-0 (foi evitado em cima da linha de baliza) aos 89'. Logo a seguir, a última modificação nas águias: saiu Cervi, entrou Gonçalo Ramos.

O embate (teve dois minutos de compensação neste período) terminaria pouco depois, com o apuramento do Benfica para as meias-finais da Taça de Portugal 2020/21. Nesta prova, os encarnados totalizam 13 golos marcados e zero sofridos.

O foco coletivo volta-se agora para a Liga NOS, havendo um dérbi para disputar, fora de portas, na 16.ª jornada, às 21h30 da próxima segunda-feira, dia 1 de fevereiro.

Máscaras Personalizadas Benfica

Texto: João Sanches
Fotos: Tânia Paulo / SL Benfica
Última atualização: 9 de fevereiro de 2021

Patrocinadores principais do Futebol


Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar