Futebol

07 maio 2022, 20h23

Um golo anulado a Darwin e um obtido por Zaidu foram os momentos determinantes do clássico

RESUMO DO JOGO

O Benfica perdeu 0-1 frente ao FC Porto, neste sábado, 7 de maio, no Estádio da Luz, em jogo referente à 33.ª jornada da Liga Bwin. O golo anulado a Darwin pelo VAR (por fora de jogo de... dois centímetros) foi um dos casos polémicos do clássico.

Afirmando a sua intenção de procurar a baliza contrária desde os primeiros minutos, a equipa do Benfica, com cinco elementos diferenciados face ao onze apresentado por Nélson Veríssimo na jornada anterior frente ao Marítimo (Gilberto, Grimaldo, Taarabt, Valentino e Gonçalo Ramos), mostrou-se acutilante e pressionante sobre o último reduto contrário. Foram dez minutos em que só faltaram situações de finalização.

Retraídos pela entrada dos encarnados, os forasteiros tiveram a única oportunidade de golo criada pelas duas equipas na primeira parte aos 15', quando Taremi, escapando nas costas de Vertonghen, frente a Odysseas e em posição frontal, atirou para a defesa do internacional grego, efetuando a recarga com um cabeceamento para fora. No mesmo minuto Evanilson rematou frouxo para defesa do guardião benfiquista.

Clássico na Luz

Três minutos depois, aos 18', Darwin cabeceou fraco para defesa fácil de Diogo Costa, ganhando no ar a Mbemba. A melhor jogada ofensiva do Benfica, aos 19', concluída com um remate de Valentino por cima da baliza perto da marca de grande penalidade, foi invalidada por um fora de jogo a sancionar a posição irregular de Darwin no início do momento.

O jogo tinha pouca baliza e o Benfica procurava com incursões de Valentino na esquerda esticar o jogo, enquanto Gil Dias, na direita, olhava para as diagonais para o centro como solução. Confortável pelo facto de o tempo correr a seu favor, a formação visitante jogou sempre pela certa.

Clássico na Luz

Aos 30' uma entrada perigosa de Grujic sobre Valentino na zona intermediária agitou o jogo, num lance em que o cartão (apenas amarelo...) exibido ao sérvio foi contestado. O desvio da bola com a mão de Mbemba aos 37', quando Darwin procurava ganhar posição frente a Diogo Costa, foi outro dos momentos de insatisfação com a equipa de arbitragem liderada por Luís Godinho.

Com escassa qualidade futebolística, pese a intensidade dos duelos disputados, a primeira parte terminou com uma aproximação do Benfica à baliza defendida por Diogo Costa, em que Otamendi, de cabeça, a canto de Grimaldo na esquerda, atirou ao lado e sem perigo.

Filme do jogo

Ver mais ›

No início da segunda parte, os remates de Evanilson, aos 46' e 50', levaram perigo para a baliza de Odysseas.

O Benfica marcou aos 52', mas viu a equipa de arbitragem liderada por Luís Godinho, após indicação do VAR, anular o golo apontado por Darwin. Foram dois os centímetros que sustentaram a decisão, invalidando a ação excelente do avançado encarnado sobre Mbemba, a passe de classe de Otamendi.

Clássico na Luz

O mesmo Darwin, aos 65', obrigou Diogo Costa a defesa apertada e daí em diante pouco futebol se viu na Luz. Aos 86' Vitinha rematou ao lado, aos 87' foi Taarabt a dar trabalho a Diogo Costa e, aos 88', o livre frontal de Grimaldo acabou com a bola a passar por cima da baliza. O jogo acabou por ficar sentenciado aos 90'+4', quando, após um canto a favor do Benfica, no contra-ataque, Zaidu fez o golo (0-1) da vitória dos azuis e brancos, que se sagraram campeões nacionais.

O Benfica encerra a temporada no próximo fim de semana em Paços de Ferreira, frente à formação local, em jogo da 34.ª jornada da Liga Bwin.

Texto: Rui Miguel Gomes
Fotos: Isabel Cutileiro e Tânia Paulo / SL Benfica
Última atualização: 8 de maio de 2022

Patrocinadores principais do Futebol


Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar