Futebol

27 junho 2022, 16h44

Roger Schmidt

CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

Roger Schmidt, treinador do Benfica para 2022/23, realizou nesta segunda-feira, no Estádio da Luz, a primeira conferência de Imprensa, onde pôde responder a todas as questões colocadas pelos jornalistas presentes.

Seguro no discurso e otimista quanto à temporada que agora arranca, o germânico respondeu a tudo, sem fugir a nenhum assunto. Desde o número de jogadores a ter no plantel aos possíveis reforços, passando pelos rivais, arbitragem, a presença de Javi García na equipa técnica, a importância dos adeptos e fechou com um convite…

Quando chegou a Portugal disse que quem ama o futebol, ama o Benfica. Os adeptos gostaram muito dessa frase. Quer desenvolver essa ideia?

Foi uma resposta dada no aeroporto aos jornalistas. O que queria dizer era que existem vários clubes no futebol que, devido à sua história, longa tradição, fantásticos jogadores, títulos conquistados… Sou alemão, de um país longe de Portugal, mas, para mim, o Benfica é um desses clubes e foi por isso que o disse.

Roger Schmidt

"Estou satisfeito com a atitude evidenciada. Temos muita qualidade na equipa, boa mentalidade"

Roger Schmidt, treinador do Benfica

Olhando para os jogadores ao dispor, considera que tem as peças certas para jogar futebol da forma pretendida?

Estou ansioso pelas próximas semanas. Claro que conheço todos os jogadores, bem como aos futebolistas jovens que chegam dos empréstimos. Estou entusiasmado por vê-los a treinar e trabalhar com eles. Estou satisfeito com a atitude evidenciada. Temos muita qualidade na equipa, boa mentalidade. A pré-época é uma altura muito importante, onde temos tempo para trabalhar. Tenho uma ideia da forma como quero jogar, mas estou também aberto à qualidade e à forma de jogar dos jogadores.

Javi Garcia é um dos seus adjuntos, um antigo jogador do Clube. O que considera que Javi García pode trazer à equipa?

Para mim, é importante haver ligação entre os meus treinadores adjuntos alemães e os treinadores adjuntos que não são alemães. Todos juntos vamos preparar a época e ajudar os jogadores. Javi García foi uma sugestão do Clube, foi um grande jogador, é uma excelente pessoa. Está muito motivado por começar. A minha primeira impressão foi muito positiva, estou muito satisfeito por ele fazer parte da equipa técnica, dado que ele pode ajudar-nos com a sua experiência sobre o futebol português. Sou um treinador novo, num novo país e ele pode ajudar em alguns pormenores que desconheça. Estas são algumas das razões que o levam o estar connosco.

Roger Schmidt

Qual é a sua opinião sobre Weigl? Considera que ele encaixa na sua forma de jogar?

É um jogador experiente. Conheço-o da Alemanha quando treinava o Bayer Leverkusen e pode ser um futebolista de topo. Agora tenho a possibilidade de o treinar e estou ansioso por obter mais informações. No fim, a decisão de ficar ou não é sempre do jogador. Estou focado no treino, no trabalho diário. Julian [Weigl] é um grande jogador, uma ótima pessoa e vamos ver o que acontece.

Está preparado para esperar por Enzo Fernández?

Primeiro do que tudo, estamos felizes por tê-lo connosco. É um jovem jogador muito talentoso, que apareceu no River Plate. O melhor para nós é que venha o mais cedo possível, mas temos de esperar pelos próximos jogos. O importante é que vai juntar-se ao Benfica e estou ansioso por trabalhar com ele.

Roger Schmidt

"É um novo desafio e oportunidade para melhorar a nossa performance e jogar um futebol diferente" 

Qual é a sua opinião acerca do FC Porto, Sporting e dos árbitros portugueses?

Ser árbitro é sempre uma função especial no futebol, mas vou esperar para ter a minha opinião. O FC Porto conquistou muitos pontos na época passada e mereceu ser campeão, o Sporting ficou em 2.º lugar. Mas isto é passado e temos de olhar para a frente. Agora é uma nova temporada e uma nova oportunidade para trabalharmos bem para podermos estar preparados para lutar por títulos.

Considera que o Benfica parte atrás do FC Porto e do Sporting?

Para mim, isso é passado. Começamos todos do zero outra vez, é um novo desafio e oportunidade para melhorar a nossa performance e jogar um futebol diferente. Queremos ter uma boa estabilidade exibicional para podermos conquistar pontos. Neste momento estamos focados em preparar a temporada para termos um desfecho diferente.

Roger Schmidt

Nos últimos anos, o Benfica não foi Campeão Nacional. Sente maior pressão devido a isso?

Se tivesse vencido nos últimos três anos também teria pressão. Não me interessa. O Presidente e o diretor-geral para o futebol acreditam que sou a pessoa certa para treinar o Benfica. Esta é a altura para mostrar que estão certos, que fizeram uma boa escolha. Quando treinamos grandes clubes há sempre a pressão de vencer títulos. O que interessa é a motivação e queremos que os adeptos sintam orgulho e estejam felizes com a equipa. Para isso temos de ser uma equipa lutadora, vencedora e que tem capacidade para conquistar troféus. Não sinto pressão.

Tem um plantel com cerca de 30 jogadores e ainda faltam chegar sete internacionais. Qual é o número de jogadores que pretende ter no plantel? Tem urgência em fazer escolhas sobre quem fica e quem sai?

Não é urgente. Não podemos ter um grupo com cerca de 40 jogadores e é para isto que serve a pré-época, para fazer escolhas e para dar a oportunidade aos mais jovens de trabalharem com a equipa principal. Assim podemos tomar as melhores decisões para cada jogador e eles [jogadores] também tomarem as melhores decisões para eles mesmos. No fim da pré-temporada queremos ter um plantel focado em cada jogo e na época em si. Neste momento temos um grupo de 25 futebolistas e é um bom grupo para trabalhar. Dentro de uma semana chegam os internacionais. Neste momento estamos a trabalhar bem e os ajustes serão feitos depois.

Roger Schmidt

"Temos de ser uma equipa lutadora, vencedora e que tem capacidade para conquistar troféus" 

Ricardo Horta é um jogador que quer na equipa?

Ricardo Horta é um bom jogador, não sei se o vamos ter, mas seria uma melhoria para nós. Vamos ver o que acontece nas próximas semanas.

Falou antes ou depois com Mario Gotze sobre a decisão [de regressar à Alemanha]?

Foi meu jogador nos últimos dois anos. Trouxe-o para Eindhoven. Claro que seria um bom jogador para o Benfica, mas a decisão do Mario foi clara: voltar à Alemanha e a família também pesou na sua decisão. É um assunto encerrado.

Roger Schmidt

Já pensou como será jogar no Estádio da Luz cheio, com 65 mil adeptos a apoiar?

Estou ansioso por ver o Estádio cheio, com a multidão nas bancadas. Os adeptos do Benfica são muito entusiastas, precisamos do apoio deles para jogarmos ao nosso melhor nível. Os adeptos são uma grande motivação para os jogadores e todos juntos podemos tentar atingir os objetivos. No próximo domingo vamos ter a primeira oportunidade de ver isso, porque vamos abrir o treino aos nossos adeptos aqui no Estádio e espero que eles venham. Convido todos os Benfiquistas. Domingo será uma boa oportunidade para estarmos juntos e começarmos a criar uma conexão entre equipa e adeptos.

 

Texto: Marco Rebelo
Fotos: SL Benfica
Última atualização: 27 de junho de 2022

Patrocinadores principais do Futebol


Relacionadas

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar