Futebol

26 julho 2018, 10h40

Rui Vitória

O treinador do Benfica, Rui Vitória, analisou o jogo com o Borússia Dortmund a contar para a International Champions Cup. As águias venceram nas grandes penalidades após empate a duas bolas no final do tempo regulamentar.

Desde o início quisemos ter o controlo do jogo, ser uma equipa determinada e com muito entusiasmo, o que nos tirou alguma lucidez no processo defensivo, pois queríamos ganhar a bola muito à frente e com muita rapidez. Fomos sempre uma equipa muito proativa, alegre, a querer ter a bola. Ao intervalo retificámos, era preciso ser mais coeso, ter mais paciência, esperar mais pela bola… acabámos por fazer dois golos e ganhar nas grandes penalidades com justiça. Defrontámos um belíssimo adversário, com dinâmicas interessantes e que tinha vencido até agora todos os jogos. Batemo-nos olhos nos olhos e fomos melhores, fazendo-se justiça nos penáltis”, considerou.

O Benfica concedeu dois golos ainda na primeira parte, aspeto menos bom da exibição, segundo o técnico: “Esse foi o único pormenor menos bom. Foi o entusiasmo de pressionar e ganhar a bola à frente, mas foi só um pormenor e prefiro destacar o que fizemos de bom. A equipa foi entusiasta e a acreditar que podia roubar bolas na fase de construção do Dortmund, que baseia muito a sua construção a partir do guarda-redes e nós quisemos ser agressivos aí. Perdemos uma bola ou outra, mas prefiro valorizar o resto. Retificámos ao intervalo e marcámos dois golos, fazendo justiça.”

Agradecimentos

Na pré-época é natural a elevada rotatividade, mas, ainda assim, há jogadores com mais minutos do que outros e Rui Vitória explicou o porquê.

“Isso faz parte de um processo de pré-época em todas as equipas. Os jogadores estão todos a trabalhar bem, mas cada um precisa de processos individuais, do seu caminho para chegar à melhor forma. Cada jogador tem a sua realidade, não tem nada a ver com questões particulares. Fiquei contente com todos e com a equipa. Ficou ali a história dos golos [sofridos], mas é normal perante um adversário com jogadores de qualidade na frente. Mas nada belisca o rendimento global de uma equipa que está a crescer, muito determinada e convicta”, esclareceu.

O médio norte-americano Keaton Parks tem trabalhado com a equipa principal e mereceu elogios do treinador.

“Entrou no ano passado no Benfica, é um jogador de qualidade que está a fazer um processo evolutivo e em quem acreditamos”, reconheceu.

Texto: Marco Rebelo

Fotos: João Paulo Trindade / SL Benfica

Última atualização: 9 de julho de 2019

Patrocinadores principais do Futebol


Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar