30 de abril de 2020, 20h28

COVID-19: o que se passou em Portugal e no mundo no mês de abril

Covid-19

Resumo das principais notícias oficiais, desportivas e generalistas sobre o coronavírus nos jornais e sites nacionais e internacionais.

Tags

Covid-19

A pandemia COVID-19 parou o mundo desportivo, financeiro e político. Leia aqui as principais notícias oficiais, desportivas e generalistas do que se passou em Portugal e no mundo em abril. Ver DIRETO aqui.

 

30 de abril

PORTUGAL: Dinheiro Vivo [19h34] | "Mais nove detidos a dois dias do fim da emergência." "A dois dias do fim do estado de emergência, o total de detidos nesta terceira fase – que arrancou às 00h00 de dia 18 – sobe para 117 pessoas por crime de desobediência, das quais 39 por desobediência à obrigação de confinamento obrigatório, 1 por desobediência ao dever especial de proteção, 56 por desobediência ao dever geral de recolhimento domiciliário, 8 por desobediência ao encerramento de instalações e estabelecimentos, 1 por desobediência às regras de funcionamento do comércio a retalho, 3 por desobediência às regras de funcionamento na prestação de serviços e 9 por resistência/coação. No mesmo período, foram encerrados 252 estabelecimentos por incumprimento das normas estabelecidas. Que se juntam aos 2140 que foram fechados nas primeiras duas fases de estado de emergência."

FRANÇA: Le Monde [19h16] | "A epidemia em França." Há mais 339 novas vítimas mortais em França, devido ao novo coronavírus. As mortes registadas nas últimas 24 horas fazem aumentar para 24.376 o número total. Dessas, 15 244 morreram em hospitais e 9132 em lares. Há ainda 26 283 pessoas hospitalizadas, sendo que 551 pessoas foram admitidas nas últimas 24 horas. No total, existem 129 481 casos de COVID-19.

COVID-19

PORTUGAL: SIC Notícias [18h22] | Portugal transita de estado de emergência para estado de calamidade. O primeiro-ministro anuncia que o Governo aprovou o plano de transição do estado de emergência para a situação de calamidade. "Depois de ontem termos ouvido a equipa de cientistas que tem apoiado a DGS, os parceiros sociais e todos os partidos políticos com representação parlamentar e depois de ter podido informar o Presidente da República, o Conselho de Ministros aprovou hoje um plano de transição do estado de emergência para o estado de calamidade", diz António Costa no início da comunicação em que, a partir do Palácio da Ajuda, em Lisboa.

"Estas últimas semanas têm parecido uma eternidade, mas a verdade é que no próximo sábado passam dois meses desde que foi diagnosticado o primeiro caso de COVID-19 em Portugal. Graças ao esforço de contenção e disciplina de todos os portugueses e do notável trabalho de todos os profissionais de saúde, foi possível que a pandemia registasse uma evolução num sentido positivo ao longo destes dois meses", afirma. 

"Graças ao esforço de todos os portugueses a pandemia registou uma evolução num sentido positivo"

António Costa mostrou-se satisfeito pela diminuição "consistente" do número de pacientes internados ao longo das últimas semanas, pelo aumento do número de testes realizados no mesmo período de tempo e pela estabilização do número de óbitos diários.

"Isto significa que durante estes dois meses passámos de uma fase de crescimento exponencial para uma fase em que foi possível controlar o ritmo de crescimento em que, depois de uma fase em que o número de novos casos cresceu exponencialmente, progressivamente fomos tendo uma diminuição de novos casos. Isso traduziu-se também num menor número de pessoas internadas, num menor número de pessoas internadas nos cuidados intensivos e progressivamente uma estabilização no número de óbitos", explica António Costa. "Perante esta nova realidade o Presidente da República entendeu, e o Governo apoiou, que não se justificava renovar mais uma vez o estado de emergência", esclarece. 

"O risco mantém-se elevado, a pandemia mantém-se ativa", avisa António Costa. 

"Contudo, o não se justificar renovar o estado de emergência não significa que a pandemia esteja ultrapassada, que o risco esteja vencido e que possamos retomar a normalidade da nossa vida anterior a 2 de março. Não podemos. O risco mantém-se elevado, a pandemia mantém-se ativa e por isso temos de continuar ativamente a prevenir e a combater a pandemia", alertou. 

"É por isso que, não havendo estado de emergência, temos de manter um nível de contenção elevado e, por isso, o Governo entendeu que era o momento de descer um degrau no nível da contenção, passando do estado de emergência para o estado de calamidade."

Medidas reavaliadas de 15 em 15 dias

"Como tenho dito, não terei vergonha de dar um passo atrás se isso for necessário para garantir esse bem essencial que é a segurança dos portugueses e, portanto, este é um percurso que temos que fazer em segurança, mas, em conjunto, contando eu com a responsabilidade e o empenho de cada um dos portugueses e podendo os portugueses contar com a total determinação do Governo em adotar em qualquer momento e em quaisquer circunstâncias todas as medidas que forem necessárias para preservar a nossa saúde pública", afirma António Costa.

"É neste contexto que começamos a dar os primeiros passos para transitar do estado de emergência para o estado de calamidade a partir da próxima segunda-feira."

Na prática de desportos individuais, António Costa diz que vão ser permitidas as atividades individuais ao ar livre, excluindo as piscinas. Os desportos de combate estão proibidos, bem como os desportos coletivos em espaços fechados.

O primeiro-ministro confirma ainda que a Primeira Liga de futebol profissional começa no final de maio, mas está "sujeita a aprovação do protocolo sanitário apresentado pela Liga por parte da DGS". E está ainda condicionado a "avaliação de que estádios cumprem todas as condições indispensáveis para que essa atividade possa ser retomada".

"A única exceção tem a ver com a possibilidade de, a partir do fim de semana de 30 e 31 de maio, se iniciar a conclusão das provas das equipas da Primeira Liga, permitindo a disputa das últimas dez jornadas e também da final da Taça de Portugal. Gostaria ainda de dizer que esta situação está sujeita ainda da aprovação da DGS quanto ao protocolo sanitário que a Liga nos apresentou, indispensável a que essa atividade possa ser retomada. Em qualquer caso, esse reinício será sempre feito à porta fechada, sem público nos estádios, qualquer que seja ele, seja na Primeira Liga como na final da Taça", esclareceu. 

COVID-19

PORTUGAL: ECO [17h45] | "Liga de futebol regressa no final do mês de maio." "O ministro de Estado e da Economia, Pedro Siza Vieira, anunciou esta quinta-feira que os jogos da Liga NOS poderão ser retomados no final do mês de maio, se a evolução da pandemia do novo coronavírus assim permitir. 'A partir de segunda-feira, a prática de desportos individuais ao ar livre será permitida. E, no final do mês, poder-se-á retomar a competição profissional da primeira liga de futebol', revelou Siza Vieira no Parlamento, depois de explicar as três fases do plano de reabertura da economia após o Estado de Emergência decretado em março. O ministro não adiantou mais pormenores, mas o Governo já tinha discutido com os parceiros sociais e os partidos políticos o regresso de futebol com as partidas realizadas à porta fechada."

FRANÇA: Le Figaro [17h34] | "Liga francesa entrega título ao PSG." O campeonato francês 2019/20 foi oficialmente cancelado, devido à pandemia de COVID-19, sendo que o título de campeão foi atribuído ao Paris Saint-Germain, que, na altura da interrupção, em março, liderava a prova com mais 12 pontos e menos um jogo do que o Marselha, segundo classificado, quando faltavam 10 rondas para o final.

COVID-19

REINO UNIDO: Sky News [17h19] | Reino Unido com mais 647 mortes. O Reino Unido registou mais 647 mortes nas últimas 24 horas, fazendo subir para 26 711 o total de vítimas mortais devido ao novo coronavírus, anunciou o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, em conferência de Imprensa. O país está "além do pico e numa curva descendente", garantiu. 

PORTUGAL: TVI24 [16h31] | Conselho de Ministros já terminou. Enquanto o Parlamento continua em debate, terminou o Conselho de Ministros e António Costa seguiu para Belém para dar conhecimento ao Presidente da República das decisões tomadas pelo Governo. Agora, e antes de regressar ao Palácio da Ajuda para apresentar, em conferência de Imprensa, prevista para as 17h30, as medidas decididas, António Costa está reunido com Marcelo Rebelo de Sousa para que o Presidente da República conheça oficialmente as novas regras de abertura da economia que serão apresentadas. 

PORTUGAL: Lusa [14h56] | "Governo da Madeira declara situação de calamidade na região a partir de domingo." "O Conselho do Governo da Madeira declarou hoje a situação de calamidade no arquipélago, com efeitos a partir das 00h00 de domingo e por um período de 15 dias, no âmbito da pandemia da COVID-19. Em comunicado, o executivo regional, de coligação PSD/CDS-PP, informa que foi ainda determinado o 'confinamento, se necessário compulsivamente, por um período de 14 dias, de todas as pessoas e respetivas bagagens que desembarquem nos aeroportos e portos da Madeira e Porto Santo'."

COVID-

PORTUGAL: RTP 3 [13h19] | "Vamos ter de estar muito atentos às características das máscaras comunitárias", pede Graça Freitas. A epidemia de COVID-19 em Portugal está em queda, assegurou nesta quinta-feira, a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, na habitual conferência de Imprensa diária, apelando ainda para que todos estejamos "muito atentos às características das máscaras comunitárias". 

"A epidemia não está a crescer. Todos os dias temos novos casos, mas a curva, apesar de altos e baixos, é uma tendência decrescente. A nossa epidemia está francamente a descer, apesar de todos os dias temos novos casos", declarou Graça Freitas.

A diretora-geral de Saúde disse ainda que "tem de haver um equilíbrio entre a dinâmica da epidemia e a dinâmica do desconfinamento". "É deste equilíbrio que vamos ter de viver nos próximos dias para que a epidemia se mantenha em níveis estáveis", afirmou.

O secretário de Estado relembrou que abril foi um mês importante no controlo da pandemia, mas maio será "determinante" dadas as medidas de desconfinamento progressivo. "Temos uma responsabilidade acrescida", avisou António Lacerda Sales, que chamou a atenção sobre o uso de máscaras, que não têm eficácia se forem mal usadas, sem higienização das mãos. "O levantamento do estado de emergência obriga-nos a estar ainda mais alerta", reiterou.

"Vamos ter de estar muito atentos às características das máscaras comunitárias, porque algumas são de uso único e outras terão reutilização. Quem comprar uma máscara comunitária, tem que ver na etiqueta se é uma máscara de uso único ou reutilizável", explicou Graça Freitas.

Depois de ontem ter sido questionada sobre se havia ou não algum caso de crianças infetadas com COVID-19 em Portugal com doença inflamatória semelhante à síndrome de Kawasaki, Graça Freitas confirmou hoje que há "uma situação". "Fomos perguntar e há uma situação de quadro clínico pelo menos parecido com os que têm sido descritos na literatura médica", afirmou a diretora-Geral da Saúde acrescentando que o caso "ainda carece de melhor caracterização".

PORTUGAL: CMTV [13h09] | "Boletim da DGS: Portugal com 989 mortos, 25 045 infetados e 1519 recuperados." Portugal tem 25 045 casos confirmados de COVID-19, segundo o Relatório da Direção-Geral da Saúde sobre a situação epidemiológica no país desta quinta-feira, dia 30 de abril. Houve um aumento de 540 novos casos, num acréscimo percentual de 2,2%, mais 1,4% do que na véspera. Já o número de mortes subiu de 973 para 989, mais 16, o que fez descer a taxa de letalidade para 3,95% (3,97% na véspera). O número de casos recuperados, que na semana passada teve um aumento a pique, passou de 1470 para 1519, mais 49 (aumento de 3,3%).

COVID-19

PORTUGAL: SIC [13h00] | "Reabertura faseada da economia em Portugal: conheça aqui as datas." "António Costa reuniu esta quarta-feira com os partidos para discutir a reabertura da economia em Portugal. Ao que a SIC apurou, o plano de reabertura faseada vai ser feito em três fases: 4 de maio, 18 de maio e 1 de junho. Cada fase será precedida de uma reunião com partidos e parceiros para avaliar as medidas em curso e outras a implementar.

Em cada fase vai ser também preciso decidir se as medidas implementadas continuam, se devem ser adaptadas ou se é preciso voltar atrás. É importante lembrar que podem existir alterações no que respeita às datas de abertura descritas abaixo."

1.ª fase – 4 de maio 

  • Espaços até 200 metros quadrados;
  • Pequeno comércio, preferencialmente com porta virada para a rua;
  • Cabeleireiros, barbeiros, stands de automóveis, conservatórias, serviços de atendimento ao público não concentrados;
  • Livrarias, bibliotecas e arquivos;
  • Autocarros com cabine no motorista de forma a isolá-los;
  • Reforço de autocarros na linha de Sintra;
  • Atividades desportivas individuais por exemplo o ténis e o golfe.

2.ª fase – 18 de maio 

  • Espaços até 400 metros quadrados;
  • Restaurantes, museus, cafés, esplanadas e similares;
  • Palácios;
  • Creches (numa primeira fase, os pais podem ainda optar por continuar de apoio à família);
  • Escolas (aulas presenciais para 11.º e 12.º anos);
  • Autarquias podem decidir pontualmente pela abertura de outros estabelecimentos. Por exemplo, se um espaço tiver mais de 400 metros quadrados, mas não concentrar muita gente, a autarquia pode mandar abrir.

3.ª fase – 1 de junho

  • Espaços com mais de 400 metros quadrados;
  • Creches, pré-escola e ATL;
  • Lojas;
  • Lojas do Cidadão;
  • Centros comerciais;
  • Cinemas e teatros com lotação restringida;
  • Reinício das provas desportivas em recinto aberto mas sem público;
  • Desportos coletivos.

COVID-19

PORTUGAL: Record [10h13] | "Coronavírus: o que deixa de ser obrigatório com o fim do estado de emergência?" O fim do estado de emergência em Portugal, no sábado, já anunciado pelo Presidente da República, implica a suspensão das medidas que começaram por ser aplicadas a partir de 22 de março e já foram prolongadas duas vezes, com algumas alterações. Ainda assim, destaca-se a proibição de deslocação do concelho de residência no fim de semana prolongado que começa na sexta-feira e termina no domingo, já anunciada, mas ainda não publicada. 

As medidas que, assim, devem terminar no sábado (mas podem ou não ser substituídas por semelhantes, de acordo com a decisão do Governo no Conselho de Ministros de hoje) são:

Confinamento obrigatório – o confinamento obrigatório, em estabelecimento de saúde, em casa ou noutro local definido pelas autoridades de saúde abrange:

  • Os doentes com COVID19 e os infetados com SARSCov2
  • Os cidadãos em "vigilância ativa"

Nestes casos, a violação da obrigação de confinamento constitui crime de desobediência.

Dever especial de proteção – há um dever especial de proteção para os seguintes grupos de cidadãos: 

  • Os maiores de 70 anos.
  • Os imunodeprimidos e portadores de doença crónica que devam ser considerados de risco, nomeadamente hipertensos, diabéticos, doentes cardiovasculares, portadores de doença respiratória crónica e doentes oncológicos.

Ainda assim, com exceção de uma situação de baixa médica, podem circular para o exercício da atividade profissional. Quem está sujeito a um dever especial de proteção só pode circular em espaços e vias públicas para:

  • Aquisição de bens e serviços.
  • Deslocações por motivos de saúde.
  • Deslocação a estações e postos de correio, agências bancárias ou seguradoras.
  • Deslocações de curta duração para atividade física, sendo proibida a atividade física coletiva.
  • Deslocações de curta duração para passeio dos animais de companhia.
  • Outros motivos de força maior ou necessidade impreterível, desde que devidamente justificados.

Estas restrições não se aplicam aos profissionais de saúde e outros trabalhadores de instituições de saúde e de apoio social, agentes de proteção civil, forças e serviços de segurança, militares e pessoal civil das Forças Armadas, inspetores da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica, titulares de cargos políticos, magistrados e líderes dos parceiros sociais.

Dever geral de recolhimento domiciliário – os cidadãos que não estão sujeitos ao "confinamento obrigatório" ou "dever especial de proteção" só podem circular em espaços e vias públicas, ou em espaços e vias privadas equiparadas a vias públicas para:

  • Aquisição de bens e serviços.
  • Deslocação para desempenho de atividades profissionais.
  • Procura de trabalho ou resposta a uma oferta de trabalho.
  • Deslocações por motivos de saúde, incluindo transporte de pessoas a quem devam ser administrados tais cuidados, ou dádiva de sangue.
  • Deslocações para acolhimento de emergência de vítimas de violência doméstica, tráfico de seres humanos, crianças e jovens em risco, decretadas por autoridade judicial ou Comissão de Proteção de Crianças e Jovens, em casa de acolhimento residencial ou familiar.
  • Deslocações para assistência de pessoas vulneráveis, pessoas com deficiência, filhos, progenitores, idosos ou dependentes.
  • Deslocações para acompanhamento de menores.
  • Deslocações de curta duração para "fruição de momentos ao ar livre".
  • Deslocações para estabelecimentos escolares e creches.
  • Deslocações de curta duração para atividade física, sendo proibida a atividade física coletiva.
  • Deslocações para ações de voluntariado.
  • Deslocações por "razões familiares imperativas", como o cumprimento da partilha de responsabilidades parentais.
  • Deslocações para visitas, "quando autorizadas", entrega de bens essenciais a pessoas incapacitadas ou privadas de liberdade de circulação.
  • Participação em atos processuais junto das entidades judiciárias.
  • Deslocação a estações e postos de correio, agências bancárias e agências de corretores de seguros ou seguradoras.
  • Deslocações de curta duração para passeio dos animais de companhia e para alimentação de animais.
  • Deslocações de médicos veterinários, detentores de animais para assistência médico-veterinária, cuidadores de colónias reconhecidas pelos municípios, voluntários de associações zoófilas com animais a cargo que necessitem de se deslocar aos abrigos de animais e serviços veterinários municipais para recolha e assistência de animais.
  • Deslocações de pessoas portadoras de livre-trânsito.
  • Deslocações de pessoal das missões diplomáticas, consulares e das organizações internacionais localizadas em Portugal, desde que relacionadas com o desempenho de funções oficiais.
  • Deslocações necessárias ao exercício da liberdade de imprensa.
  • Retorno a casa.
  • Participação nas celebrações oficiais do Dia do Trabalhadores, celebrado em 01 de maio, "mediante a observação das recomendações das autoridades de saúde, designadamente em matéria de distanciamento social". A organização e a participação dos cidadãos nas celebrações do Dia do Trabalhador serão articuladas pelas forças e serviços de segurança com as centrais sindicais. Ainda não é claro como é que esta medida, decidida na última prolongação do estado de emergência, se irá articular com a decisão, anunciada depois pelo primeiro-ministro, de proibir a circulação entre concelhos na mesma altura.
  • Outras atividades de natureza análoga ou por outros motivos de "força maior ou necessidade impreterível", desde que devidamente justificados.

Circulação de veículos particulares  os veículos particulares podem circular na via pública para realizar as atividades permitidas ou para reabastecimento em postos de combustível.

Atletas de alto rendimento e treinadores – a atividade dos atletas de alto rendimento, treinadores e acompanhantes desportivos do desporto adaptado, é equiparada a atividade profissional.

Limitações especiais no concelho de Ovar – no concelho de Ovar, ainda que tenha sido levantada a cerca sanitária, foi interditada a circulação e permanência de pessoas na via pública, "incluindo as deslocações com origem ou destino no referido concelho, exceto as necessárias e urgentes".

São consideradas exceções à interdição de circulação e permanência na via pública:

  • Aquisição ou venda de bens alimentares, de higiene ou farmacêuticos, bens transacionados em estabelecimentos industriais ou comerciais e a prestação de serviços autorizados a funcionar.
  • Acesso a unidades de cuidados de saúde.
  • Acesso ao local de trabalho, mas os trabalhadores têm de circular com uma declaração da entidade empregadora que ateste que estão no desempenho das respetivas atividades profissionais.
  • Assistência e cuidado a idosos, menores, dependentes e pessoas especialmente vulneráveis.
  • Deslocações para acolhimento de emergência de vítimas de violência doméstica ou tráfico de seres humanos, bem como de crianças e jovens em risco.
  • Participação em atos processuais junto das entidades judiciárias.
  • Deslocação a estações e postos de correio, agências bancárias e seguradoras.

Os estabelecimentos industriais, comerciais e de serviços de empresas localizadas no concelho de Ovar, autorizados a funcionar terão de obedecer a algumas regras:

  • O número de trabalhadores em permanência no estabelecimento tem que garantir o afastamento num perímetro mínimo de três metros entre postos de trabalho.
  • Uso obrigatório de máscara por parte de todos os trabalhadores que se encontrem dentro do estabelecimento.
  • A capacidade dos espaços comuns de convívio, incluindo cantinas, é limitada em um terço, em simultâneo.
  • A prestação de trabalho é limitada para os cidadãos com mais de 60 anos ou sujeitos ao "dever especial de proteção" (imunodeprimidos e portadores de doença crónica que devam ser considerados de risco).

A comissão municipal de proteção civil de Ovar está em funcionamento e o respetivo plano municipal de emergência de proteção civil em execução. A atividade das forças e serviços de segurança e dos serviços de socorro a operar no concelho de Ovar pode ser reforçada, em caso de necessidade, por efetivos de outras áreas geográficas, em articulação com a estrutura municipal de proteção civil.

Teletrabalho – o teletrabalho é obrigatório, independentemente do vínculo laboral, sempre que as funções em causa o permitam.

Arrendamento e "exploração de imóveis" – o encerramento de instalações ou estabelecimentos devido ao estado de emergência não pode ser invocado como fundamento de resolução, denúncia ou outra forma de extinção de contratos de arrendamento não habitacional ou de outras formas de exploração de imóveis, nem como fundamento de obrigação de desocupação de imóveis em que os mesmos se encontrem instalados.

Comércio eletrónico e serviços à distância ou através de plataforma eletrónica – podem continuar em funcionamento as atividades de comércio eletrónico, atividades de prestação de serviços que sejam prestados à distância, sem contacto com o público, ou que desenvolvam a sua atividade através de plataforma eletrónica.

Vendedores itinerantes – é permitida a atividade por vendedores itinerantes, para disponibilização de bens de primeira necessidade ou de outros bens considerados essenciais, nas localidades onde essa atividade seja necessária (a identificação das localidades será definida pelos municípios, após parecer favorável da autoridade de saúde local).

Aluguer de veículos de passageiros sem condutor – é permitido o aluguer de veículos de passageiros sem condutor ('rent a car'), nas seguintes situações:

  • Deslocações autorizadas, nomeadamente para aquisição de bens ou serviços essenciais, nomeadamente medicamentos, e deslocações por motivos de saúde ou para assistência a outras pessoas.
  • Para o exercício das atividades de comércio a retalho ou de prestação de serviços autorizadas.
  • Para prestação de assistência a condutores e veículos avariados, imobilizados ou sinistrados.
  • Quando os veículos se destinem à prestação de serviços públicos essenciais.

Restrições de acesso a estabelecimentos de comércio por grosso e mercados – a ocupação máxima por metro quadrado de área é de 0,04 pessoas, sendo a regra aplicada aos estabelecimentos de comércio por grosso e a quaisquer mercados e lotas autorizados a funcionar.

Os estabelecimentos de comércio por grosso de distribuição alimentar podem vender os seus produtos diretamente ao público, devendo assegurar a disponibilização dos bens para aquisição sob forma unitária.

Atividade funerária – as empresas que exerçam atividade funerária mantêm-se em funcionamento e realizam os serviços fúnebres dos mortos diagnosticados com COVID-19.

Autorizações ou suspensões em casos especiais – o comércio a retalho e as atividades de prestação de serviços situados ao longo da rede de autoestradas, no interior dos aeroportos e nos hospitais continuam em funcionamento.

Regras de segurança e higiene – nos estabelecimentos de comércio a retalho ou de prestação de serviços que mantenham a atividade deve ser assegurada "uma distância mínima de dois metros entre pessoas".

Os consumidores devem permanecer no espaço "o tempo estritamente necessário à aquisição dos produtos", sendo proibido o seu consumo no interior dos estabelecimentos.

Nas "máquinas de vending", terminais de pagamento, dispensadores de senhas e bilhetes ou veículos alugados, os responsáveis pelo espaço ou os operadores devem assegurar "a desinfeção periódica de tais objetos ou superfícies".

Atendimento prioritário – os estabelecimentos de comércio a retalho ou de prestação de serviços que continuem a funcionar devem atender com prioridade "as pessoas sujeitas a um dever especial de proteção", bem como profissionais de saúde, elementos das forças e serviços de segurança, de proteção e socorro, pessoal das forças armadas e de prestação de serviços de apoio social.

Livre circulação de mercadorias – as restrições à circulação não prejudicam a livre circulação de mercadorias.

Serviços públicos – as lojas de cidadão estão encerradas, mantendo-se o atendimento presencial mediante marcação na rede de balcões dos diferentes serviços, bem como a prestação desses serviços através dos meios digitais e dos centros de contacto com os cidadãos e as empresas.

O Governo pode determinar o funcionamento de serviços públicos considerados essenciais.

O executivo pode ainda definir "orientações sobre os casos em que aos trabalhadores da Administração Pública pode ser imposto o exercício de funções em local diferente do habitual, em entidade diversa ou em condições e horários de trabalho diferentes".

Regime excecional de atividades de apoio social – durante o estado de emergência, podem ser utilizados os equipamentos sociais que estejam aptos a entrar em funcionamento e dotados dos equipamentos necessários.

O Instituto da Segurança Social fixará o número de vagas dos estabelecimentos, "privilegiando o acolhimento de pessoas com alta hospitalar e outras necessidades detetadas na comunidade".

Reforço dos meios e poderes da Autoridade para as Condições do Trabalho – sempre que um inspetor do trabalho verifique a existência de indícios de um despedimento ilegal "notifica o empregador para regularizar a situação".

Com a notificação ao empregador e até à regularização da situação do trabalhador ou ao trânsito em julgado da decisão judicial, o contrato de trabalho não cessa, mantendo-se o direito à retribuição, bem como as obrigações perante a segurança social.

Podem ser requisitados inspetores e técnicos superiores dos serviços de inspeção para reforço temporário da Autoridade para as Condições do Trabalho.

A Autoridade para as Condições do Trabalho está autorizada a contratar a aquisição de serviços externos que auxiliem a execução da sua atividade.

Eventos de cariz religioso e culto – a realização de celebrações religiosas e outros eventos de culto que impliquem uma aglomeração de pessoas é proibida.

A realização de funerais está condicionada à adoção de medidas organizacionais que garantam "a inexistência de aglomerados de pessoas e o controlo das distâncias de segurança", nomeadamente a fixação de um limite máximo de presenças, a determinar pela autarquia gere o cemitério.

Proteção individual – todas as atividades que se mantenham em laboração ou funcionamento devem respeitar as recomendações das autoridades de saúde, designadamente em matéria de higiene e de distâncias a observar entre as pessoas.

Garantia de saúde pública – o Governo pode determinar medidas excecionais de articulação dos serviços e estabelecimentos do Serviço Nacional de Saúde com o setor privado e social para a prestação de cuidados de saúde.

O Governo pode emitir ordens e instruções para garantir o fornecimento de bens e o funcionamento de serviços nos centros de produção afetados pela escassez de produtos necessários à proteção da saúde pública.

Pode ser feita a "requisição temporária" de indústrias, fábricas, oficinas, campos ou instalações de qualquer natureza, incluindo centros de saúde, serviços e estabelecimentos de saúde particulares.

Pode ser feita a "requisição temporária" de todo o tipo de bens e serviços, incluindo profissionais, e a imposição de prestações obrigatórias a qualquer entidade, nos casos em que tal seja adequado e indispensável para a proteção da saúde pública.

Suspensão excecional da cessação de contratos de trabalho – durante a vigência do estado de emergência, suspende-se, temporária e excecionalmente, a possibilidade de fazer cessar os contratos de trabalho de profissionais de saúde vinculados aos serviços e estabelecimentos integrados no Serviço Nacional de Saúde.

Suspensão da obrigatoriedade de publicação no Boletim do Trabalho e Emprego – fica suspensa a obrigatoriedade de publicação no Boletim do Trabalho e Emprego de atos legislativos a aprovar pelo Governo sobre legislação do trabalho, pois pode "representar demora na entrada em vigor de medidas legislativas urgentes", no âmbito do combate à pandemia de covid19.

Quando essa suspensão se verificar, o Governo consulta diretamente os parceiros sociais, através de meios eletrónicos, com um prazo para pronúncia de 24 horas.

Circulação rodoviária e ferroviária – o Governo pode determinar o encerramento da circulação rodoviária e ferroviária, por razões de saúde pública, segurança ou fluidez do tráfego ou a restrição à circulação de determinados tipos de veículos.

Cercas sanitárias – são estabelecidas pelos ministros da Administração Interna e da Saúde, mediante proposta das autoridades de saúde.

Transportes – é obrigatória a limpeza dos veículos de transporte de passageiros, de acordo com as recomendações estabelecidas pelo Ministério da Saúde.

A lotação é reduzida para um terço do número máximo de lugares disponíveis para "garantir a distância adequada entre os utentes dos transportes".

Serão adotadas as medidas necessárias para assegurar a participação da TAP em operações para apoiar o regresso de cidadãos nacionais a território nacional, "seja através da manutenção temporária de voos regulares, seja através de operações dedicadas àquele objetivo".

Agricultura – o Governo tomará as medidas necessárias e indispensáveis para garantir a normalidade na "produção, transporte, distribuição e abastecimento de bens e serviços agrícolas e pecuários, e os essenciais à cadeia agroalimentar".

Requisição civil – podem ser requisitados quaisquer bens ou serviços de pessoas coletivas de direito público ou privado que se mostrem necessários ao combate à pandemia de covid19, nomeadamente equipamentos de saúde, máscaras de proteção respiratória ou ventiladores, que estejam em 'stock' ou que venham a ser produzidos, por decisão das autoridades de saúde ou das autoridades de proteção civil.

COVID-19

ESPANHA: El Diário [10h04] | "Número diário de mortes por coronavírus na Espanha cai para 268, o número mais baixo desde 20 de março." Nas últimas 24 horas, foram registadas em Espanha 268 vítimas mortais por COVID-19. O número é inferior ao de ontem, quando se confirmaram 325 mortes, e é o mais baixo das últimas seis semanas. Ao todo, morreram 24 543 pessoas desde o início da pandemia. O número de infetados encontra-se agora nos 213 435, mais 268 do que esta quarta-feira. Há 112 050 doentes recuperados.

29 de abril

PORTUGAL: Rádio Renascença [20h15] | "ASAE lança fiscalização nacional a máscaras comunitárias ou sociais. Operação visa detetar as que não respeitem certificação de qualidade." "Prometem grande resistência e durabilidade, mas não têm os requisitos nem certificações para tal. Venda de máscaras comunitárias ou sociais sem garantias de proteção disparou nos últimos dias. Diretor-geral do CITEVE – o único centro tecnológico têxtil com protocolo com o Infarmed e DGS para as certificar –, admite que em alguns casos, possa tratar-se apenas de excesso de voluntarismo."

PORTUGAL: RTP [19h43] | "Detidas 108 pessoas na terceira fase do estado de emergência." "A PSP e a GNR detiveram até hoje 108 pessoas por crime de desobediência e encerraram 235 estabelecimentos comerciais por incumprimento das normas definidas para a terceira fase do estado de emergência decretado devido à pandemia da COVID-19. O Ministério da Administração Interna (MAI) adianta, em comunicado, que desde 18 de abril e até às 17h00 de hoje, no âmbito da 'intensa atividade de sensibilização, vigilância e fiscalização', foram detidas 108 pessoas, das quais 36 por desobediência à obrigação de confinamento obrigatório, uma por desobediência ao dever especial de proteção, 51 por desobediência ao dever geral de recolhimento domiciliário, oito por desobediência ao encerramento de instalações e estabelecimentos, uma por desobediência às regras de funcionamento do comércio a retalho, três por desobediência às regras de funcionamento na prestação de serviços e oito por resistência/coação. No mesmo período, foram encerrados 235 estabelecimentos por incumprimento das normas estabelecidas, refere o MAI."

Bolas das Modalidades

PORTUGAL: Público [18h48] | "Fim dos campeonatos de andebol, basquetebol, hóquei e voleibol." Ponto final na temporada 2019/20 para mais quatro modalidades de pavilhão em Portugal. Depois da paragem definitiva do futsal, por decisão da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), foi a vez de o andebol, o basquetebol, o hóquei em patins e o voleibol também fecharem a temporada para balanço, como consequência da pandemia de COVID-19 que praticamente paralisou o país desde março. 

Esta tomada de posição foi assumida num comunicado conjunto das quatro federações, que já antes se haviam juntado para exigir ao Governo uma revisão regulamentar que lhes permitisse adaptarem-se às novas circunstâncias. Essa alteração avançou, permitindo que a presente temporada fosse concluída fora do prazo inicialmente previsto, mas o entendimento comum foi de que não estavam reunidas as condições de saúde pública necessárias para fechar o ciclo.

A decisão de atalhar a época significa, em toda a linha, a ausência de atribuição de títulos nacionais. "Na época 2019/2020, não será atribuído qualquer título de campeão nacional, em qualquer categoria das quatro modalidades", pode ler-se no comunicado.

FRANÇA: Le Fígaro [17h58] | "427 novas mortes em França." 427 novas mortes foram registadas nas últimas 24 horas em França, elevando o total de óbitos para 24 087 desde o dia 1 de março. 26 834 pessoas estão hospitalizadas, menos 650 do que ontem, e 4207 estão ainda em unidades de cuidados intensivos, menos 180 do que na véspera, um número que confirma a tendência decrescente das últimas semanas.

COVID-19

ITÁLIA: Corriere Della Sera [17h23] | "Coronavírus em Itália: 203 591 casos positivos e 27 682 mortes: o boletim de 29 de abril." Nas últimas 24 horas morreram em Itália 323 pessoas devido ao novo Coronavírus. Agora, o país regista 27 682 mortos. Nas últimas 24 horas, as autoridades afirmam que houve mais 2086 infetados. Com estes números, o país mais afetado na Europa pela pandemia tem agora 203 531 casos confirmados de COVID-19.

REINO UNIDO: BBC [17h07] | "Mortes no Reino Unido ultrapassam as 26 000." O número de mortes provocadas pela COVID-19 no Reino Unido está agora nos 26 097, avança a Public Health England. A contagem inclui as vítimas mortais registadas não só nos hospitais, como também em lares e em casas particulares. De ontem para hoje, o número de óbitos aumentou em 765. 

COVID-19

PORTUGAL: Observador [16h05] | "PM janta esta noite com Marcelo em Belém para acertar desconfinamento." "O primeiro-ministro está esta tarde a ouvir os partidos com assento parlamentar sobre o fim do estado de emergência e as medidas restritivas que se seguirão. A seguir, António Costa segue para um jantar com o Presidente da República no Palácio de Belém para lhe dar conta dos desenvolvimentos e acertar a decisão do Governo, confirmou o Observador junto de Belém e de São Bento. Amanhã realiza-se o Conselho de Ministros que vai aprovar as medidas de reabertura da economia e o desconfinamento gradual da vida do país, a partir de 3 e 4 de maio. No final da reunião será o próprio primeiro-ministro a fazer o briefing da explicação das medidas."

SUÉCIA: Helsingborgs Dagblad [15h02] | Ultrapassada a barreira dos 20 mil casos de Coronavírus. Na Suécia, um total de 2462 pessoas já morreram infetadas pela COVID-19, o que significa um aumento de 107 óbitos nas últimas 24 horas. Os números atualizados nesta quarta-feira também mostram que o país ultrapassou a barreira dos 20 mil infetados confirmados (20 302, mais 681 do que na terça-feira).

PORTUGAL: ECO [14h24] | "Administração dos CTT terá decidido não avançar para lay-off, diz Governo." "O secretário de Estado Adjunto e das Comunicações disse, nesta quarta-feira, que as informações que tem são de que a administração dos CTT terá decidido recentemente não avançar para lay-off, o que considerou uma 'decisão corajosa'. 'A informação que tenho é que a administração dos CTT terá decidido muito recentemente que não ia para lay-off', adiantou Alberto Souto de Miranda, que falava na comissão parlamentar de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação, no âmbito de uma audição regimental."

COVID-19

PORTUGAL: RTP3 [14h06] | "Acordo genérico" entre Governo e parceiros sociais. Ana Mendes Godinho, ministra do Trabalho e Segurança Social, afirma que a ideia é ter uma validação e acordo dos parceiros para as condições da retoma da atividade económica. "Estamos a trabalhar num documento comum de orientações globais sobre a segurança e saúde no trabalho", disse a ministra, reforçando que a reunião se tratou de uma partilha de informação e dúvidas sobre as medidas que foram sendo implementadas, e que resultou no "acordo genérico" sobre as condições para a retoma.

"Temos procurado desde o início ir ajustando as medidas para chegar ao maior número de pessoas e de situações possível. O que temos feito é criado mecanismos extraordinários para responder as situações de forma extraordinária", afirmou.

Questionada sobre se o acordo com os parceiros sociais prevê medidas concretas como o uso obrigatório de máscara nos locais de trabalho, a ministra recusou-se a entrar em detalhe, afirmando que se trata apenas, para já, de um acordo genérico, estando ainda os pormenores a ser definidos. "A retoma deve ser feita de forma planeada, segura, para gerar confiança em todos", afirmou.

"A ACT [Autoridade para as Condições do Trabalho] tem estado a desenvolver uma grande ação nacional para acompanhamento de situações relacionadas com a situação que vivemos, tendo já feito inspeção a mais de 1800 empresas, que abrangeu 58 mil trabalhadores (dados de ontem)", explica. 

"Nunca na história da Segurança Social se criou uma medida num mês e se implementou no mês seguinte, mesmo em termos de sistema informático, por isso peço inclusive que compreendam todo o esforço que está a ser feito", apelou. "Estamos a fazer pagamentos sucessivos extraordinários para ir respondendo o mais depressa possível às empresas", nota, acrescentando que o Governo procurou que o layoff simplificado fosse um processo não-burocrático, uma vez que "a preocupação é ir identificando problemas e ir corrigindo".

COVID-19

PORTUGAL: RTP3 [13h48] | "Estamos a combater uma epidemia, não podemos começar outra", apela Graça Freitas. A diretora-geral da Saúde voltou a apelar ao cumprimento do Plano Nacional de Vacinação, de forma a que se evitem futuros surtos de outras doenças. "Não deixem de vacinar os vossos filhos. É seguro vacinar. É seguro ir ao Centro de Saúde", garantiu. "Quero deixar um apelo muito sério aos pais e aos cuidadores: não deixem de vacinar as crianças. Estamos a combater uma epidemia, não podemos começar outra", reforçou.

Na habitual conferência de Imprensa em que se detalha o cenário da pandemia em Portugal, António Sales, secretário de Estado da Saúde, relembra que, com o fim do estado de emergência, a "pandemia continua" e que continuamos a ser "agentes de saúde pública". "Portugal está em Estado de Emergência e continuará depois do levantamento deste estado a ter de lidar com esta emergência de saúde pública", reforçou, acrescentando: "Doravante somos ainda mais chamados a cumprir esta missão que nos compete. Está em cada um de nós a missão de salvar vidas."

António Sales lembrou ainda que "continuamos a ter uma responsabilidade acrescida em não sobrecarregar o Serviço Nacional de Saúde (SNS) para que ele continue como até agora a conseguir dar resposta às exigências impostas pela COVID-19. Mas também, paulatinamente, continuando a responder às outras doenças", afirmou. 

COVID-19

O SNS24, destacou o secretário de Estado da Saúde, "continua a ser a porta de entrada por excelência no Serviço Nacional de Saúde" e "serve, não só para doentes com suspeitas de COVID-19, como outros que possam ter dúvidas sobre se devem recorrer aos serviços de saúde". Neste momento, detalhou, "a Linha de Saúde 24 atende cerca de 7 mil chamadas por dia e tem um tempo médio de espera para atendimento de menos de meio minuto"

Uma das preocupações do Governo, referiu António Sales, é a garantia que o Estado continua a proteger e a não deixar os mais vulneráveis sem resposta, recordando que a violência doméstica afeta milhares de pessoas, especialmente mulheres e crianças e "não pode ficar esquecida em tempos de COVID-19"

Daniela Machado, coordenadora do Programa Nacional de Prevenção da Violência no Ciclo de Vida, esteve presente na mesa conferência de Imprensa desta quarta-feira, e explicou que tem estado a ocorrer uma capacitação de profissionais e uma atuação junto de vítimas com equipas multidisciplinares (452 equipas em todo o SNS). "A comunidade deve estar alerta e proteger os mais vulneráveis", lembrou, relembrando que "a violência doméstica é um crime público e deve ser denunciados por todos nós".

COVID-19

PORTUGAL: Lusa [13h40] | "PR promulga decreto-lei que impede compensação por quebras de utilização nas PPP." "O Presidente da República promulgou hoje o diploma do Governo que impede a compensação por quebras de utilização em contratos de execução duradoura com o Estado ou entidades públicas, incluindo parcerias público-privadas (PPP). Numa nota divulgada no portal da Presidência da República na Internet, o chefe de Estado afirma que decidiu promulgar este decreto-lei 'dada a alteração substancial e extraordinária de circunstâncias provocada pela situação de pandemia' de COVID-19 e 'considerando também a necessidade do esforço e contribuição de todos, para ultrapassar aquela situação e também os seus efeitos sociais e económicos'."

PORTUGAL: RTP3 [13h18] | 25 mortos e 183 infetados nas últimas 24 horas. O número de óbitos em Portugal por COVID-19 subiu para 973, 25 deles nas últimas 24 horas. São agora 24 505 os casos de infeção (mais 183 do que ontem, ou seja, mais 0,8%); 980 os casos em internamento (169 em UCI, menos 3 do que ontem); e 1470 os doentes recuperados (mais 81 casos do que ontem). 

Boletim DGS

MUNDO: Lusa [13h15] | "Cancelados GP da Alemanha, Países Baixos e Finlândia de MotoGP." "Os Grandes Prémios da Alemanha, Países Baixos e Finlândia do campeonato do mundo de motociclismo de velocidade foram hoje cancelados, anunciou a organização do Mundial de MotoGP. Num comunicado assinado pela Federação Internacional de Motociclismo (FIM), pela Dorna (empresa promotora do Mundial) e IRTA (associação de equipas), lê-se que 'a pandemia do novo coronavírus obrigou ao cancelamento destes três eventos', pontuáveis para as três categorias do campeonato do mundo de velocidade, MotoGP, Moto2 e Moto3."

Índia

ÍNDIA: DPA International | "Maior salto diário nas mortes por COVID-19."  Índia registou o maior aumento de mortes relacionadas com a COVID-19 num período de 24 horas, numa altura em que os governos regionais se preparavam para aliviar as restrições. No total, 73 pessoas morreram desde a manhã de terça-feira, elevando o número de óbitos na Índia para 1007, informou o Ministério Federal da Saúde. O número de casos positivos ultrapassou os 30 000.

ESPANHA: El Confidencial [12h20] | Infeções por coronavírus aumentam novamente. O Ministério da Saúde espanhol atualizou, nesta quarta-feira, o número de infeções por coronavírus, que aumentou para 212 917, depois de somar 2144 novos casos nas últimas 24 horas. Estes números representam um aumento de 1% em relação a terça-feira. Com 325 novas mortes num só dia, o número total de óbitos pela COVID-19 em Espanha desde o início da pandemia sobe para 24 275.

28 de abril

antonio costa

PORTUGAL: Lusa [22h52] | António Costa: "Retoma do futebol, quando for decidida, terá de ser sustentada em fundamentos técnicos de saúde." "O primeiro-ministro salientou hoje que a retoma das competições de futebol terá de ser sustentada 'em fundamentos técnicos de saúde' por causa da COVID-19, avisando que não se poderão correr riscos que coloquem em causa atletas e adeptos. Esta mensagem foi transmitida por António Costa na sua conta pessoal da rede social Instagram, depois de ter recebido em São Bento os presidentes da FPF, Liga Portuguesa de Futebol Profissional, Benfica, Sporting e FC Porto. Segundo o primeiro-ministro, nesta reunião, em que foram analisadas as condições para um regresso das competições profissionais de futebol, houve 'uma discussão franca e aberta'. 'A retoma das competições de futebol, quando for decidida, terá de ser sustentada em fundamentos técnicos de saúde. Não podemos correr riscos que ponham em causa a saúde nem dos atletas, nem dos adeptos', advertiu o líder do executivo. 'O futebol, quer queiramos, quer não, é mesmo o desporto-rei. A vontade que sentimos de voltar a assistir ao vivo a um jogo de futebol e de vibrarmos com os golos da nossa Seleção é imensa. Sendo essa, acredito, a nossa vontade coletiva, essa decisão não pode ser emocional nem tomada de impulso', insistiu."

PORTUGAL: Lusa [20h52] | "Retoma do futebol em Portugal decidida nos próximos dias." "A retoma das competições de futebol profissional em Portugal será decidida 'nos próximos dias', garantiu hoje o presidente da FPF, Fernando Gomes, após uma reunião com o primeiro-ministro. À saída do encontro com António Costa e os presidentes da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, FC Porto, Benfica e Sporting, Fernando Gomes garantiu que a decisão será analisada 'entre técnicos da FPF, com a Liga e as autoridades de saúde'. A decisão final poderá ser anunciada na quinta-feira pelo primeiro-ministro, quando este revelar ao país 'um conjunto de medidas para diminuir o confinamento', mas apenas 'se os trabalhos com a Direção-Geral da Saúde' conduzirem os técnicos de saúde, liderados por Adalberto Campos Fernandes, a uma 'posição definitiva'. A possibilidade de se utilizar menos estádios, e fazê-lo numa localização geográfica mais confinada, 'enquadra-se na avaliação do risco' e na tentativa de aferir 'a prudência da retoma', explicou Fernando Gomes em São Bento."

MUNDO: Universidade Johns Hopkins [20h14] | Mais de 900 mil recuperados no mundo. A Universidade Johns Hopkins atualizou os números da COVID-19 no mundo. Há 3 091 141 casos positivos, já morreram 213 824 pessoas que estavam infetadas e recuperaram 915 988 doentes.

COVID-19

PORTUGAL: Lusa [19h35] | "PSP e GNR detiveram 101 pessoas e enceraram 226 estabelecimentos." "A PSP e a GNR detiveram, desde o início da terceira fase do estado de emergência, 101 pessoas por desobediência e encerraram 226 estabelecimentos comerciais por incumprimento das normas estabelecidas, informou o Ministério da Administração Interna (MAI). (…) Estes números juntam-se aos verificados nos dois primeiros períodos de estado de emergência: no primeiro período, que vigorou entre 22 de março e 2 de abril, quando se registaram 108 detenções por crime de desobediência e foram encerrados 1708 estabelecimentos comerciais; no segundo período, que vigorou entre os dias 3 e 17 de abril, registaram-se 184 detenções por crime de desobediência e foram encerrados 432 estabelecimentos comerciais."

ESTADOS UNIDOS: Universidade Johns Hopkins [19h34] | EUA ultrapassam um milhão de infetados. A Universidade Johns Hopkins acabou de atualizar os números nos Estados Unidos da América, que assim ultrapassam a barreira do milhão de casos positivos oficialmente diagnosticados. São agora: 1 002 498.

FRANÇA: Le Figaro [18h36] | Número diário de mortes baixou nesta terça-feira. "A Direção-Geral de Saúde revelou a avaliação diária da epidemia na França. Desde 1 de março, 23 660 pessoas morreram do coronavírus (mais 367 em 24 horas, mas abaixo das 437 reveladas há dois dias). O país conta com 27 484 pessoas hospitalizadas, sendo que 4387 pacientes estão em terapia intensiva."

ESTADOS UNIDOS: New York Times [18h04] | Números do coronavírus estão em baixa em Nova Iorque. "O Governador do Estado de Nova Iorque, Andrew Cuomo, informou que mais 335 pessoas morreram devido ao coronavírus, ainda assim um valor que segue em baixa há três dias. Também o número de pacientes recém-internados no estado baixou drasticamente. Nesta terça-feira, o registo ficou abaixo dos 1000, 70 por cento menos do que os 3000 que se verificavam no início de abril."

REINO UNIDO: The Guardian [17h31] | Cerca de 600 mortes num dia. O relatório diário do coronavírus no Reino Unido já foi divulgado e mostrou que mais 586 pessoas morreram devido à COVID-19 em 24 horas. O total de mortes no Reino Unido é agora de 21 678.

ITÁLIA: La Repubblica [17h04] | Números voltam a subir ligeiramente em Itália. "Os dados do novo boletim de Proteção Civil relatam 382 novas mortes, atingindo um total de 27 359 mortes. Foram detetadas 2091 novas infeções, sendo que o total desde o início do surto é de 201 505. Itália tem 19 723 pessoas hospitalizadas com sintomas, das quais, 1863 em terapia intensiva. Há 68 941 recuperados a registar."

RÚSSIA: Público [16h57] | "Rússia estende suspensão de trabalho até 11 de maio." "O Presidente russo Vladimir Putin anunciou esta terça-feira que o período de suspensão laboral, provocado pela pandemia do coronavírus, será prolongado até dia 11 de maio. O anúncio foi feito depois de uma reunião governamental transmitida em televisão."

António Costa

PORTUGAL: Primeiro-ministro reúne com a FPF e presidentes dos 'três grandes' às 18h00. "Na sequência de reuniões praticamente diárias que tem mantido com diversos sectores da sociedade, em distintas áreas de atividade (turismo, hotelaria, restauração, indústria, comércio…), o primeiro-ministro convidou para reuniões de trabalho os principais representantes, promotores e/ou responsáveis por eventos de grandes afluências de público.

Pelas 18h00, o primeiro-ministro terá uma reunião com a Federação Portuguesa de Futebol (com o presidente, Fernando Gomes, e com o diretor-geral, Tiago Craveiro) que se faz acompanhar, a seu pedido, pelos presidentes do Sport Lisboa e Benfica (Luís Filipe Vieira), Futebol Clube do Porto (Jorge Pinto da Costa) e Sporting Clube de Portugal (Frederico Varandas), bem como o presidente da Liga Portugal (Pedro Proença). O tema central da reunião é analisar em que termos pode ser efetuada a retoma dos campeonatos profissionais e o levantamento de restrições na área do desporto. Da parte do Governo estarão presentes, para além do primeiro-ministro, o ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital [Pedro Siza Vieira], o ministro da Educação [Tiago Brandão Rodrigues] e a ministra da Saúde [Marta Temido]."

GRÉCIA: Ekathimerini [16h23] | "Grécia divulga plano de desconfinamento." "Trinta e sete dias após a Grécia entrar em pleno confinamento para retardar a disseminação do coronavírus, o primeiro-ministro Kyriakos Mitsotakis apresentou um plano, há muito aguardado, para o levantamento gradual das medidas restritivas que permitirão o regresso das atividades diárias e a recuperação da economia. O plano desenrolar-se-á em três fases, de 4 de maio a meados de junho, e, dependendo dos dados, será alterado."

PORTUGAL: Lusa [16h12] | "Quase 40% dos pedidos de layoff foram rejeitados." "Quase 40% dos mais de 62 mil pedidos de empresas de adesão ao layoff simplificado que entraram na Segurança Social até ao início do mês foram recusados, revelou hoje a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho."

FRANÇA: Le Monde [15h51] | Os planos de dsconfinamento em França. "O primeiro-ministro Edouard Philippe anunciou as medidas de desconfinamento em duas etapas de três semanas em França: a primeira de 11 de maio a 2 de junho, a segunda de 2 de junho até ao fim do verão.

A partir de 11 de maio quem testar positivo – e respetiva família – terá de se isolar por 14 dias em casa ou num local escolhido para o efeito; os transportes públicos começam a funcionar a 11 de maio, mas os utentes têm de usar máscara obrigatoriamente; escolas primárias e creches (com grupos até 10 crianças) abrem a 11 de maio, as universidades a 18; viagens proibidas com mais de 100 quilómetros de distância, com exceção de motivos profissionais ou familiares; parques e jardins podem abrir, praias só acessíveis a partir de 1 de junho; bibliotecas também podem abrir a 11 de maio; cerimónias religiosas só a partir de 2 de junho; reuniões ao ar livre ou locais fechados limitadas a 10 pessoas."

FRANÇA: Le Figaro [14h00] | Ligue 1 2019/20 terminou. O primeiro-ministro francês Edouard Philippe apresentou hoje as regras de desconfinamento no país. "Um dos mais afetados é o desporto e o campeonato francês em particular. ‘Para dar visibilidade aos organizadores de eventos, quero deixar claro que os principais eventos desportivos e culturais, em particular, festivais, grandes feiras, todos os eventos que reúnam mais de 5000 participantes (…) não podem ser realizados antes do mês de setembro’, explicou." "E acrescentou: ‘A temporada 2019/20 dos desportos profissionais, especialmente a do futebol, não poderá retomar’."

EUROPA: Channel News Asia [13h51] | "UEFA: ligas europeias têm de informar os planos de retoma até 25 de maio." "As ligas europeias de futebol têm até 25 de maio para informar a UEFA sobre o plano para reiniciar as suas competições. O futebol parou em todas as principais ligas da Europa e nenhuma foi ainda retomada, mas a UEFA quer começar a planear os torneios europeus de clubes da próxima temporada.

Numa carta enviada às 55 federações da UEFA, o presidente Aleksander Ceferin escreveu que qualquer liga que cancele a temporada precisa de produzir uma lista com as equipas que se qualificam para competições tuteladas pelo organismo, também até 25 de maio. ‘As federações ou as ligas nacionais devem estar em condições de comunicar à UEFA até 25 de maio de 2020 a data para o regresso previsto das competições nacionais, incluindo a data do regresso e o formato da competição mais relevante’, escreveu Ceferin. ‘No caso de uma competição nacional ser encerrada prematuramente por razões legítimas... a UEFA exige que a federação explique até 25 de maio de 2020 as circunstâncias especiais que justificam esse término prematuro e selecione os clubes para as competições da UEFA em 2020/21, com base no mérito desportivo nas competições nacionais de 2019/20’, acrescentou."

Marcelo Rebelo de Sousa

PORTUGAL: RTP [13h14] | Marcelo Rebelo de Sousa: "Estado de emergência cessará a 2 de maio." Após o encontro com os especialistas do Infarmed, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, revelou que o estado de emergência em vigência cessará a 2 de maio. "O estado de emergência teve um papel jurídico, político e psicológico fundamental. Foi uma arma extrema para fechar. Os portugueses perceberam isso e o confinamento teve uma adesão maciça e eficaz. Passou-se depois para uma segunda fase de controlo e para o reforço da contenção, fazendo baixar o número de internados, de internados em Unidades de Cuidados Intensivos e de óbitos. Nesse processo surgem questões próprias do surto e que levou a que o indicador tivesse subido acima de um em Lisboa e Vale do Tejo. Deveu-se a situações pontuais, nomeadamente o elevado número de contagiados num hostel. Passámos depois a uma terceira fase, que foi de controlo da situação com a retoma ou abertura por pequenos passos. A ideia não é a de fechar, não é a da utilização do instrumento extremo e radical, é a da utilização de outros instrumentos. O estado de emergência cessará a sua vigência às 00h00 do dia 2 de maio", revelou.

"Esperemos não ser necessário ter de recorrer ao estado de emergência, mas será ponderado, se necessário. Importante é o equilíbrio em que os portugueses têm de ter noção que o controlo da situação continua a ser importante. Esta é a chave do êxito desta terceira fase. Haverá ainda uma quarta fase, onde se espera que haja a aproximação da termo do surto como nasceu e o conhecemos. O que ouvimos dos especialistas foi uma chamada de atenção para a terceira fase e como é importante acompanhar a par e passo e avaliar", reforçou Marcelo Rebelo de Sousa.

PORTUGAL: CMTV [12h54] | António Sales pede que confiem nas decisões do Governo em relação às escolas. Na conferência de Imprensa diária, o secretário de Estado da Saúde, António Sales, escalpelizou os números do dia, sublinhou o reforço de material de proteção individual e tocou no assunto da abertura das escolas. "Verificam-se 936 casos em internamento (menos 59 do que ontem), dos quais 172 em Unidades de Cuidados Intensivos (menos quatro em 24 horas). A taxa de letalidade é de 3,9 por cento, a taxa de letalidade acima dos 70 anos é de 13,9 por cento. As pessoas em tratamento domiciliário são 86,5 por cento. Os primeiros casos confirmados de COVID-19 em Portugal foram detetados a 2 de março. Desde aí, o Serviço Nacional de Saúde, que já se vinha a preparar para a pandemia, tem adaptado a sua resposta às diferentes fases epidemiológicas. Sem ter a situação controlada na propagação do novo coronavírus, não se consegue dar uma resposta adequada a outras patologias", frisou.

"Desde 1 de março foram realizados cerca 370 mil testes de diagnóstico de COVID-19 em Portugal. Na semana de 20 a 26 de abril foi feita uma média superior a 13 mil testes. No que toca a equipamento, quero dar nota de que temos cerca de 50 empresas que adaptaram a sua produção e que já produzem equipamento de proteção individual", completou o secretário de Estado.

Sobre a abertura das escolas, António Sales não se alongou, mas pediu para os portugueses confiarem nas decisões que serão tomadas. "O que posso dizer é… neste momento está a decorrer um encontro no Infarmed com o Governo, o Presidente da República e os especialistas. Remeto para esse encontro as medidas que serão tomadas. Há que ter confiança, porque não vai ser tomada nenhuma medida que não tenha a segurança necessária para que possa acontecer", apontou.

Boletim DGS

PORTUGAL: TVI24 [12h39] | Portugal com cerca de 25 mil casos e perto dos 1400 recuperados. A Direção-Geral da Saúde divulgou o boletim epidemiológico do dia, que apresenta 948 mortes (mais 20 do que ontem, 24 322 casos diagnosticados (um crescimento de 295 face a segunda-feira) e 1389 doentes recuperados (mais 32 em 24 horas).

RÚSSIA: The Moscow Times [11h40] | Rússia está perto dos 94 mil casos positivos. "A Rússia confirmou 6411 novas infeções por coronavírus nesta terça-feira, elevando o número oficial de casos do país para 93 558, e marcando um novo recorde de casos num dia. A Rússia é agora o oitavo país mais afetado por casos positivos diagnosticados, tendo ultrapassado a China e o Irão. O número de mortes por coronavírus no país é de 867."

ESPANHA: El Mundo [11h31] | "Volta a baixar o número de mortes diário." "Os novos dados oficiais mostram 1308 novos casos diagnosticados, elevando o número total oficial desde o início da epidemia para 210 773 casos. O número de mortos aumentou em 301 em 24 horas, um pouco abaixo das 331 registadas ontem. O total de óbitos em Espanha é de 23 822. O número de curados continua a subir. Nesta terça-feira, 102 548 pessoas foram declaradas curadas, 1673 das quais no último dia."

BÉLGICA: La Libre [10h55] | Número de mortes volta a subir. "A Saúde Pública e o Conselho de Segurança Nacional fizeram um balanço nesta terça-feira, 28 de abril, sobre os últimos números relativos à epidemia de coronavírus na Bélgica. Nas últimas 24 horas, há 134 mortes relacionadas ao coronavírus. O número total de mortes na Bélgica é de 7331 desde o início da epidemia. Há, ainda, 3976 pessoas hospitalizadas (mais 123 em 24 horas), sendo que 876 estão em terapia intensiva. Desde o início da epidemia, 47 334 casos foram oficialmente detetados no país."

PORTUGAL: Antena 1 [10h52] | "Altice suspende pagamentos a clubes das I e II Ligas de futebol em abril." "A Altice não vai pagar os montantes aos clubes de futebol em abril, por se tratar de ‘um serviço que não está a ser disponibilizado’, face à suspensão dos campeonatos, disse esta terça-feira o presidente executivo da empresa, Alexandre Fonseca. A revelação foi feita em entrevista à Antena 1 pelo presidente executivo daquela empresa, Alexandre Fonseca, que explicou que da mesma forma que, para quem compra canais ‘premium’ de desporto, com o intuito de ver jogos em direto ‘não faz sentido pagar por um conteúdo que não existe’, o mesmo se aplica aos clubes."

ÁFRICA: Lusa [10h27] | Continente africano perto das 1500 mortes. "O número de mortes provocadas pela COVID-19 em África subiu para 1467 nas últimas horas, com 33 273 casos da doença registados em 52 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia naquele continente. De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), nas últimas 24 horas o número de mortos subiu de 1423 para 1467, enquanto as infeções aumentaram de 31 933 para 33 273. O número total de doentes recuperados subiu de 9566 para 10 091."

ESTADOS UNIDOS: Universidade Johns Hopkins | EUA perto do milhão de infetados. Os dados revelados pela Universidade Johns Hopkins dizem que os Estados Unidos da América estão perto do milhão de casos positivos (987 467). O país regista, igualmente, 56 164 mortes e cerca de 111 mil doentes recuperados.

27 de abril

Notícias Covid-19

MUNDO: Universidade Johns Hopkins [20h12] | Mais de três milhões de infetados e cerca de 210 mil mortes. A Universidade Johns Hopkins revela que há mais de três milhões de casos detetados em todo o mundo (3 017 806) e que as vítimas mortais estão muito perto das 210 mil (209 661). Há 885 302 doentes que já recuperaram.

ARGENTINA: El Espectador [18h47] | "Campeonato argentino sem descidas." "Claudio Tapia, presidente da Associação Argentina de Futebol (AFA), disse nesta segunda-feira que os campeonatos terminaram e que a entidade planeia cancelar as descidas de divisão por duas temporadas e aumentar, assim, o número de equipas da Primeira Divisão devido à crise económica que os clubes estão a enfrentar devido à pandemia do coronavírus."

PORTUGAL: Lusa [18h45] | "Detidas 96 pessoas no terceiro período do estado de emergência." "A PSP e a GNR detiveram até hoje 96 pessoas por desobediência e encerraram 212 estabelecimentos comerciais desde o início do terceiro período do estado de emergência, em 18 de abril, indicou o Ministério da Administração Interna (MAI). Em comunicado, o Ministério tutelado por Eduardo Cabrita refere que, entre as 00h00 de 18 de abril e as 17h00 de hoje, foram detidas 96 pessoas por crime de desobediência, 31 das quais por desobediência à obrigação de confinamento obrigatório, 47 por desobediência ao dever geral de recolhimento domiciliário e sete por desobediência ao encerramento de instalações e estabelecimentos. O MAI refere que durante o terceiro período do estado de emergência decretado para combater a pandemia de COVID-19, que começou a 18 de abril e termina em 2 maio, foram encerrados 212 estabelecimentos por incumprimento das normas estabelecidas."

ESTADOS UNIDOS: New York Times [18h42] | Número de mortes mais baixo desde março. O número de mortes no Estado de Nova Iorque segue em queda. "O Governador do estado Andrew Cuomo disse que, nesta segunda-feira, 337 pessoas perderam a vida devido ao coronavírus, o valor mais baixo desde março. Cuomo disse ainda que, a partir de 15 de maio, quando o confinamento no estado terminar, vai ser possível abrir algumas atividades, como a construção, nas zonas menos afetadas pelo vírus."

FRANÇA: Le Figaro [18h26] | Número de óbitos em França volta a subir. "Desde 1 de março, 23 293 pessoas morreram devido ao coronavírus. A epidemia matou 437 vidas nas últimas 24 horas. Há ainda 28 055 pessoas hospitalizadas (menos 162 em 24 horas), das quais, 4608 pacientes estão em terapia intensiva (menos 74 do que ontem)."

Logotipo da UEFA

EUROPA: UEFA.com | Apoio de 236,5 milhões de euros para as federações. "A UEFA libertou o valor de 236,5 milhões de euros para ajudar as 55 federações-membro a enfrentarem os desafios da COVID-19.

Esse financiamento do HatTrick é, geralmente, distribuído às federações para cobrir os custos de operação, ajudar a desenvolver áreas específicas e direcionadas do futebol doméstico. No entanto, a UEFA permite que cada federação estabeleça as suas próprias prioridades à luz do impacto negativo do coronavírus no futebol a todos os níveis.

No momento em que anunciou o financiamento, o presidente da UEFA, Aleksander Čeferin, disse: ‘O nosso desporto está a enfrentar um desafio sem precedentes causado pela crise da COVID-19. A UEFA quer ajudar os seus membros a responderem de maneira adequada às circunstâncias. Como resultado, concordámos que, até 4,3 milhões de euros por federação, pagos pelo que resta desta temporada e pela próxima, além de parte do financiamento do investimento, podem ser usados conforme os nossos membros considerem adequado para reconstruir a comunidade de futebol.’

‘Acredito que esta é uma decisão responsável para ajudar o máximo que pudermos; estou orgulhoso da unidade que o futebol está a mostrar ao longo desta crise’."

REINO UNIDO: The Telegraph [17h51] | Mais 360 mortes no Reino Unido. Em 24 horas, o Reino Unido registou novas 360 mortes, elevando o número para os 21 092. O registo de casos positivos cifra-se nos 157 149.

ITÁLIA: Corriere della Sera [17h27] | Itália perto dos 27 mil óbitos. "Em Itália, desde o início da epidemia de coronavírus, 199 414 pessoas contraíram o vírus Sars-CoV-2 (mais 1730 do que ontem, mas ainda assim abaixo dos 2324 registados há dois dias). Já morreram 26 977 pessoas (mais 333 do que ontem, valor mais alto face aos 260 revelados há dois dias) e 66 624 tiveram alta. Os dados fornecidos pela Proteção Civil revelam 20 353 pacientes hospitalizadas com sintomas, das quais 1956 estão em terapia intensiva."

BÓSNIA-HERZEGOVINA: Reuters [16h25] | "Bósnia reabre empresas a facilita desconfinamento a idosos." "Nesta segunda-feira, a Bósnia-Herzegovina aliviou as restrições impostas para conter a disseminação do novo coronavírus, permitindo que idosos possam sair de casa durante três horas nos dias de semana. Vai ser ainda permitido reabrir algumas empresas. A Bósnia declarou estado de emergência em todo o país a 17 de março."

Francisca Van Dunem

PORTUGAL: SIC Notícias [15h25] | Francisca Van Dunem explicou os indultos concedidos. Após o site da Presidência da República divulgar que Marcelo Rebelo de Sousa concedera 14 indultos, a ministra da Justiça, Francisca Van Dunem, esclareceu a Comunicação Social sobre em que condições os mesmos foram aplicados. "Verificou-se 14 pedidos de indulto num universo de 492 de indultos não valorados para o efeito pelo Presidente da República. O Governo propôs os 14 indultos e o Presidente da República concedeu-os", começou por afirmar.

"Este processo de flexibilização de execução das penas foi um processo complexo que envolveu todos os órgãos de soberania, o Governo, o Parlamento, a Presidência da República e os tribunais. Foi ditado por razões humanitárias e visa proteger a população prisional mais frágil. Temos uma população prisional envelhecida e muito concentrada. O que trouxemos ao Presidente da República foi um conjunto de pessoas com idade avançada, a partir dos 65 anos, que problemas graves de saúde", explicou a ministra da Justiça.

PORTUGAL: Presidência da República | "Presidente da República concedeu catorze indultos excecionais." "O Presidente da República recebeu hoje, dia 27 de abril de 2020, a Ministra da Justiça, Francisca Van Dunem, para proceder à concessão de indultos excecionais. A Ministra da Justiça recebeu 492 pedidos de indulto, depois de verificadas as condições legais, propôs ao Presidente da República a concessão de 14 indultos."

ITÁLIA: La Gazzetta dello Sport [14h36] | Gravina quer recomeçar o futebol em Itália a 18 de maio. "Gabriele Gravina, presidente da Federação Italiana de Futebol, pediu uma audiência ao Comité Técnico Cientifico: ‘Trabalhamos para reiniciar o futebol com segurança, não apenas para reiniciá-lo’. Gabriele Gravina apela a que os treinos individuais regressem a 4 de maio, sem contacto com bola; a 18 de maio, sempre nos centros de estágio das equipas, regressaria o contacto com a bola nos treinos."

HOLANDA: De Telegraaf [13h51] | Número de mortes supera as 4500. "O número oficial de mortos pelo coronavírus aumentou para 4518. O Instituto Nacional de Saúde Pública e Meio Ambiente (RIVM) notificou 43 novas mortes nas últimas 24 horas. O número de pessoas com teste positivo aumentou para 38 245."

PORTUGAL: CMTV [13h20] | António Sales revela a chegada de mais equipamento de proteção individual. Na conferência de Imprensa diária, António Sales, secretário de Estado da Saúde, apresentou os números e revelou que vai ser reforçada a quantidade de equipamento de proteção individual ao dispor. "Verificam-se 995 casos em internamento, dos quais 176 em Unidades de Cuidados Intensivos, menos seis do que ontem. A taxa de letalidade é de 3,9 por cento, a taxa de letalidade acima dos 70 anos é de 73,8 por cento. A percentagem de pessoas em tratamento domiciliário é de 86,6 por cento. Desde 1 de março, foram realizados cerca de 757 mil testes de diagnóstico COVID-19. As zonas norte e centro são as que realizam mais testes. Há já 18 laboratórios universitários a processar amostras, algo muito importante para o sucesso coletivo", frisou.

"Em relação a equipamento de proteção individual, prevê-se a chegada de 7,9 milhões de máscaras cirúrgicas e 4 milhões de respiradores FFP2 e FFP3. Neste momento, Portugal regista uma taxa de ocupação em UCI de 54 por cento", destacou António Sales.

Boletim DGS

PORTUGAL: CMTV [13h15] | Subida muito ligeira nos novos casos. A Direção-Geral de Saúde revelou que Portugal tem agora 24 027 casos positivos, o que significa uma ligeira subida de mais 163 em relação aos dados de ontem. Já morreram 928 pessoas (mais 25 em 24 horas) e os doentes recuperados são 1357 (mais 22 em relação ao dia anterior).

SUÉCIA: The Local [13h10] | "Mortes na Suécia sobe para 2274." "Na Suécia, a 27 de abril, há 18 926 casos conhecidos e 2274 mortes a registar. O Governo sueco anunciou que o número de testes serão aumentados para chegar a 50 000 a 100 000 por semana, com foco em pessoas com profissões-chave na sociedade, como polícias e profissionais de saúde."

FRANÇA: TVI24 [12h45] | GP de França cancelado. O Grande Prémio de França em Fórmula 1 foi cancelado. A prova estava marcada para 28 de junho, ia abrir a temporada, mas a pandemia da COVID-19 e a decisão do Governo francês de não permitir eventos públicos até julho, obrigaram ao cancelamento.

ESPANHA: El Mundo [12h05] | Espanha ultrapassa a barreira dos 100 mil curados. "Com as estatísticas oficiais, o número de casos cresceu 0,9 por cento no último dia para os 209 465 casos, o que implica 1831 casos a mais do que os relatados no domingo. Em relação ao número de mortes, e após dias de boas notícias, houve uma nova subida, com a adição de 331 novas mortes, elevando o número total desde o início da epidemia para 23 521. O número de recuperados cresceu em 2144 pessoas, o que significa que já existem 100 875 pacientes curados."

ÁFRICA: Lusa [11h42] | Continente está perto dos 32 mil casos diagnosticados. "O número de mortes provocadas pela COVID-19 em África subiu para 1423 nas últimas horas, com 31 933 casos da doença registados em 52 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia naquele continente. De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), nas últimas 24 horas o número de mortos subiu de 1374 para 1423, enquanto as infeções aumentaram de 30 329 para 31 933. O número total de doentes recuperados subiu de 8409 para 9566."

António Costa

PORTUGAL: RTP3 [11h42] | António Costa reitera que o confinamento continua com ou sem estado de emergência. Numa visita a uma empresa têxtil em Paços de Ferreira, o primeiro-ministro, António Costa, elogiou a atitude de uma empresa que vai passar a fabricar material de proteção individual em vez de roupa de luxo, o seu core principal. "Esta empresa vai deixar de produzir roupa de luxo para passar a produzir uma série de material ou máscaras laváveis. Isto é muito importante, porque se em maio queremos reabrir algumas atividades e aliviar o desconfinamento, temos de ter todos acesso, com facilidade, às máscaras de uso comunitário. Queria louvar e agradecer este esforço. É também aqui que controlamos a baixa da economia", reconheceu.

"Acredito, sobretudo, nas pessoas. As pessoas têm consciência de que têm de estar isoladas e em confinamento caso estejam doentes ou sobre vigilância, independentemente de haver ou não estado de emergência. Antes do estado de emergência já tínhamos fechado as fronteiras com Espanha, já havia cerca sanitária a Ovar e havia confinamentos. A Lei de Bases de Saúde e da Proteção Civil dão ao Estado legitimidade para agir", esclareceu António Costa.

PORTUGAL: RTP3 [11h15] | Siza Vieira lembra a capacidade do Estado em disponibilizar ajudas às empresas em tão pouco tempo. O ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, lembrou que o Estado português disponibilizou o mais rápido quanto possível uma série de medidas de apoio às empresas, aos empresários e que visam dinamizar a economia. "Julgo que todos os empresários reconhecerão que nunca se teve processos tão simplificados e alargados de apoios. Sabemos que temos de ter o cuidado de perceber se os apoios financeiros chegam aos destinatários e se são aplicados para o concedido. Este é um esforço muito grande em muito pouco tempo", sublinhou.

BÉLGICA: La Libre [10h55] | Número de mortes diárias volta a descer. "A Saúde Pública e o Conselho de Segurança Nacional fizeram um balanço nesta segunda-feira, 27 de abril, dos últimos números relativos à epidemia de coronavírus na Bélgica. Nas últimas 24 horas, foram notificadas 113 mortes relacionadas com o coronavírus, o que perfaz um total de 7207 pessoas que morreram de coronavírus desde o início da epidemia. Também houve 127 novas hospitalizações e 93 pessoas foram declaradas curadas. Atualmente, 3968 pessoas estão hospitalizadas, das quais, 903 estão em terapia intensiva. Um total de 46 687 casos foram detetados desde o início da epidemia."

RÚSSIA: The Moscow Times [09h34] | Rússia ultrapassa a China no número de casos. "A Rússia confirmou 6198 novas infeções por coronavírus nesta segunda-feira, elevando o número oficial de casos no país para 87 147. A Rússia agora superou a China e tornou-se o nono país mais afetado do mundo pela pandemia. Até agora, foram relatadas 794 mortes."

NOVA ZELÂNDIA: New Zealand Herald [07h30] | Primeira-ministra Jacinda Ardern diz que país venceu o coronavírus. "A primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, declarou a eliminação do novo coronavírus no país. Nesta segunda-feira, numa altura em que o comércio apresta-se para reabrir, Jacinda Ardern congratulou o facto de a Nova Zelândia apresentar menos de 10 casos diários: ‘Conseguimos. Todos juntos, conseguimos’."

ESTADOS UNIDOS: Universidade Johns Hopkins | EUA perto das 55 mil mortes. A Universidade Johns Hopkins revelaram os números dos Estados Unidos da América em relação à COVID-19. No país há 964 937 infetados e 54 841 mortes a registar. Os recuperados estão perto dos 100 mil.

26 de abril

MUNDO: Universidade Johns Hopkins [19h51] | Perto de três milhões de infetados. A Universidade Johns Hopkins apresentou os números do coronavírus no mundo. O número de infetados está perto dos três milhões em todo o mundo. Concretamente, são 2 954 106. Já perderam a vida devido à COVID-19, 205 607 e os recuperados são 860 875.

PORTUGAL: Público [19h14] | "Mais de 80 detenções desde que foi renovado o estado de emergência." "Foram detidas 83 pessoas por crime de desobediência desde que foi renovado o estado de emergência, a 18 de abril. Em comunicado, o Ministério da Administração Interna (MAI) refere que, dessas 83 pessoas, 29 desobedeceram à obrigação de confinamento obrigatório. No mesmo período, foram encerrados 187 estabelecimentos por incumprimento das normas estabelecidas."

PSP

PORTUGAL: Lusa [18h39] | Operações de fiscalização da PSP na Grande Lisboa. "A PSP está hoje a realizar várias operações de fiscalização rodoviária na zona da Grande Lisboa para verificar se os condutores estão a cumprir as limitações de circulação impostas pelo estado de emergência, disse à agência Lusa fonte policial. Segundo a fonte do Comando Metropolitano de Lisboa, estas operações de patrulhamento e fiscalização do trânsito começaram hoje de manhã em vários pontos da Grande Lisboa e os locais vão alternando ao longo do dia."

ESTADOS UNIDOS: New York Times [18h19] | Desde 31 de março que as mortes não eram tão baixas em Nova Iorque. "O Governador do Estado de Nova Iorque, Andrew Cuomo, informou que faleceram 367 pessoas nas últimas 24 horas, o valor mais baixo desde 31 de março. No total, 16 966 pessoas no estado morreram devido ao vírus."

FRANÇA: Le Figaro [17h54] | Óbitos em queda em França. "A COVID-19 causou a morte de 22 856 pessoas em França, anunciou o diretor-geral da Saúde Jérôme Salomon neste domingo. Dessas, há 242 mortes nas últimas 24 horas, valor muito abaixo dia anterior: 369 óbitos. Atualmente, 28 217 pessoas estão hospitalizadas devido à infeção por COVID-19. O número de pacientes internados em terapia intensiva devido ao coronavírus chega a 4682."

ITÁLIA: Corriere della Sera [17h31] | Registo de mortes baixa a níveis de março. "Em Itália, desde o início da epidemia de coronavírus, 197 675 pessoas contraíram o vírus Sars-CoV-2 (2324 nas últimas 24 horas. Destes, 26 644 morreram (mais 260 em 24 horas, mas muito abaixo das 415 registadas há dois dias) e 64 928 tiveram alta depois de recuperarem do vírus. Os dados fornecidos pela Proteção Civil revelaram que existem 21 372 pacientes hospitalizados com sintomas; 2009 estão em terapia intensiva."

ARÁBIA SAUDITA: Saudi Press Agency [17h00] | Rei levanta parcialmente o recolher obrigatório. O Rei Salman, o monarca da Arábia Saudita, autorizou um levantamento parcial do recolher obrigatório. (…) O mesmo será levantado entre as 9h00 e as 17h00 a partir deste domingo. Os centros comerciais, lojas e retalhistas estão autorizados a abrir do sexto do Ramadão ao 20.º dia do mês sagrado, 29 de abril a 13 de maio.

REINO UNIDO: The Telegraph [16h31] | Número de mortes num dia baixa. "Os últimos números do Departamento de Saúde mostram 413 novas mortes registadas nas últimas 24 horas." O Reino Unido tem agora 152 840 casos diagnosticados e 20 732 mortes.

Máscara de proteção

TIMOR-LESTE: Lusa [16h10] | Estado de emergência termina em Timor-Leste. "O estado de emergência decretado pelo Presidente da República timorense para responder à pandemia de COVID-19 termina hoje às 23h59 locais (16h59 em Lisboa) sem que tenha sido tomada a decisão sobre a sua renovação. E com o fim do estado de emergência, e sem que o parlamento tenha ainda decidido se o vai ou não prolongar, caducam vários diplomas cruciais do Governo com as medidas que estavam em vigor para contenção da doença."

ÁFRICA: Lusa [14h00] | Continente africano passa os 30 mil casos positivos. "O número de mortes provocadas pela COVID-19 em África subiu para 1374 nas últimas horas, com 30 329 casos da doença registados em 52 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia naquele continente. O número total de doentes recuperados subiu de 8364 para 8409."

ESPANHA: El Pais [13h33] | "Sánchez anuncia que permitirá desporto individual e passeios em família a partir de 2 de maio." "O presidente do Governo, Pedro Sánchez, anunciou esta tarde que, a partir do próximo dia 2 de maio, será possível ‘a atividade física individual’ e os ‘passeios com a família com que se vive’. Isto sempre que a evolução da pandemia se mostre favorável, como tem sido até agora."

PORTUGAL: SIC [13h07] | Marta Temido: "R0 situa-se nos 2,08." Em conferência de Imprensa, a ministra da Saúde, Marta Temido, apresentou os números do dia e esclareceu o ponto de situação da COVID-19 em Portugal. "O número total de casos não confirmados e o total de pessoas que aguardam resultado laboratorial fazem o total de 236 410 desde 1 de janeiro. A taxa de letalidade é de 3,8 por cento, a taxa de letalidade acima dos 70 anos é de 13,6 por cento. Em relação aos doentes internados em hospital, 1005 estão em enfermaria geral e 182 – menos quatro do que ontem – estão em Unidades dos Cuidados Intensivos", referiu.

"Gostava de sublinhar os seguintes aspetos: estamos todos num momento em que nos interrogamos sobre o alívio nas medidas de contenção. O número médio de contágios, o conhecido R0, situa-se nos 2,08, podendo o verdadeiro valor estar entre em 1,97 e os 2,19. O número de R efetivo (RT) é de 1,04, sendo 0,99 no norte e 1,2 em Lisboa e Vale do Tejo. Continuamos a estimar o máximo da incidência da infeção esteja entre 23 e 25 de março. A doença não está ultrapassada, mantém-se a necessidade do cumprimento das medidas de saúde pública (higienização, distanciamento social, etiqueta respiratória e o uso de máscara em espaços fechados)", avisou Marta Temido.

Boletim DGS

PORTUGAL: CMTV [12h55] | Mais de 900 mortos no País. A Direção-Geral de Saúde divulgou o boletim epidemiológico do dia, onde constam 23 864 casos positivos, 903 vítimas mortais (mais 23 em 24 horas) e 1329 doentes recuperados (mais 52 do que ontem).

INGLATERRA: BBC [12h24] | Boris Johnson regressa ao trabalho na segunda-feira. "Boris Johnson regressa ao trabalho na segunda-feira, depois de mais de três semanas de baixa. O primeiro-ministro retomará as suas funções em tempo integral em Downing Street depois de recuperar do coronavírus."

ESPANHA: El Mundo [11h29] | Espanha baixa das 300 mortes em 24 horas. "Espanha registou, no último dia, 288 mortes por coronavírus, o número mais baixo desde 21 de março, o que representa um aumento de 1,3 por cento. O número total de mortes desde o início da pandemia é 23 190. No total, os novos casos positivos confirmados são 1729, um valor muito abaixo dos 2944 registados ontem. Ao todo, os positivos somam 207 634."

BÉLGICA: La Libre [11h13] | "Coronavírus: barreira dos 7000 óbitos ultrapassada." "Os últimos números da epidemia da COVID-19 na Bélgica já foram divulgados. A Bélgica registou 178 mortes nas últimas 24 horas, disse o centro federal de pesquisa Sciensano, neste domingo. A barra de 7000 mortos é assim ultrapassada. No mesmo período, também houve 204 novos internamentos. No entanto, 368 pessoas estão recuperadas. O número de pacientes em terapia intensiva agora é de 891. Desde o início da epidemia, 7094 mortes foram relatadas."

RÚSSIA: The Moscow Times [10h06] | Rússia segue com a cifra acima dos 6000 novos casos. "A Rússia confirmou 6361 novas infeções por coronavírus neste domingo, elevando o número oficial de casos do país para 80 949 casos. No total, 747 pessoas morreram através do vírus."

ARGENTINA: Folha de São Paulo | "Argentina estende quarentena em grandes cidades até 10 de maio." "O Presidente da Argentina, Alberto Fernández, anunciou que a quarentena obrigatória para conter a disseminação do coronavírus continuará até, pelo menos, 10 de maio. O anúncio foi feito a jornalistas na residência presidencial. Neste período, não haverá flexibilização da quarentena em cidades com mais de 500 mil habitantes."

ESTADOS UNIDOS: Universidade Johns Hopkins | EUA com cerca de 2500 casos num dia. Nas últimas 24 horas, segundo a Universidade Johns Hopkins, os Estados Unidos da América registou 2494 mortes por coronavírus, elevando o total para as 53 511. O total de infetados no país está nos 936 293. Os recuperados são 105 818.

MUNDO: Twitter OMS | Organização Mundial de Saúde clarifica questão dos anticorpos. "Publicámos um tweet que causou alguma preocupação e gostaríamos de clarificar: é expectável que a maior parte das pessoas infetadas com COVID-19 desenvolva anticorpos que permitirão ter algum nível de imunidade. O que ainda não sabemos é o nível de proteção que será desenvolvida e a sua duração. Estamos a trabalhar com cientistas de todo o mundo para perceber melhor a resposta do corpo à infeção. Até agora, os estudos ainda não responderam as estas questões."

25 de abril

Itália

MUNDO: Universidade Johns Hopkins [20h10] | Barreira dos 200 mil mortes no mundo ultrapassada. A Universidade Johns Hopkins atualizou os dados da COVID-19 no mundo e é possível perceber que já faleceram mais de 200 mil pessoas em todo o mundo. Concretamente, perderam a vida 201 502 pessoas. O coronavírus infetou já 2 868 539 pessoas. Os doentes curados são 810 327.

SRI LANKA: Expresso [19h19] | "Sri Lanka volta a instituir recolher obrigatório após novas infeções." "Mais 24 horas de recolher obrigatório após subida súbita no número de infeções por coronavírus é a receita imposta pelo Governo do Sri Lanka a nível nacional. As 46 novas infeções registadas na sexta-feira representam o maior número num só dia desde o início da crise."

ALEMANHA: Instituto Robert Koch | Alemanha atinge as 5800 mortes. O Instituto Robert Koch (RKI) revelou os números da Alemanha em relação ao novo coronavírus. O país conta com 5805 óbitos confirmados, mais de 155 mil infetados e cerca de 110 mil doentes recuperados.  

MACAU: Público | "Macau há 17 dias sem novos casos." "As autoridades de Macau anunciaram que mais um doente da COVID-19 recebeu alta hospitalar. O território está há 17 dias consecutivos — desde 8 de abril — sem novos casos reportados. Macau registou um total de 45 infetados desde o início do surto do novo coronavírus, em 22 de janeiro."

FRANÇA: Le Figaro [17h50] | "22 614 mortes em França." "O número total de mortos em França é de 22 614, anunciou a Direção-Geral da Saúde, neste sábado, 25 de abril. Desse total, 369 pessoas morreram nas últimas 24 horas."

ESTADOS UNIDOS: New York Times [17h34] | Óbitos no Estado de Nova Iorque voltam a subir. O Governador do Estado de Nova Iorque, Andrew Cuomo, revelou que "o número de novas mortes ligadas ao coronavírus foi de 437, ou seja, mais 15 do que as reportadas na sexta-feira, o dia com menor registo desde o início do mês. Nova Iorque continua a ser o estado mais atingido nos Estados Unidos da América, com 16 599 mortes devido ao vírus."

António Costa

PORTUGAL: SIC Notícias [17h28] | António Costa: "Vencer esta pandemia e voltar a celebrar o 25 de abril." Desde São Bento, na residência oficial, o primeiro-ministro, António Costa, deixou uma mensagem de esperança aos portugueses, desejando que se celebre a Revolução dos Cravos, juntos, depois de ultrapassada a COVID-19: "Bem-vindos, este ano de forma online, à residência oficial do primeiro-ministro, que é a residência de todos vós. Habitualmente, no 25 de abril, abrimos estas portas para que possam visitar esta residência oficial, os seus jardins. Este ano é especial, em que temos de estar juntos estando separados para podermos enfrentar e vencer esta pandemia, de forma a podermos voltar a celebrar, aqui e ali, o 25 de abril, sempre!"

ITÁLIA: Corriere della Sera [17h26] | Número de mortes segue em baixa. "Em Itália, desde o início da epidemia do coronavírus, 195 351 pessoas contraíram o vírus Sars-CoV-2 (mais 2357 em 24 horas). Destes, 26 384 morreram (mais 415 do que ontem, mas menos cinco em comparação com há dois dias) e 63 120 tiveram alta, segundo os dados foram fornecidos pela Proteção Civil. Existem, ainda, 21 533 pacientes hospitalizados com sintomas; 2102 estão em terapia intensiva."

Navio de cruzeiro

JAPÃO: NHK | "Mais de 60 pessoas testam positivo num navio de cruzeiro." "As autoridades de Nagasaki, no oeste do Japão, confirmaram que mais de 60 pessoas estão infetadas pelo coronavírus entre a tripulação de um navio de cruzeiro. Este valor eleva o número total de casos na embarcação para quase 150. Todos os 623 tripulantes a bordo do Costa Atlântica já foram testados."

REINO UNIDO: The Telegraph [16h07] | "Reino Unido passa as 20 mil mortes." "O número de mortes por coronavírus no Reino Unido atingiu  as 20 000 depois dos 813 novos óbitos relatados nas últimas 24 horas. São agora 20 319, segundo o Departamento de Saúde."

ITÁLIA: La Repubblica [15h23] | "Testes serológicos começam a 4 de maio." Itália vai arrancar com os testes que permitem saber se uma pessoa desenvolveu anticorpos à COVID-19. Os testes serológicos arrancam a 4 de maio, o mesmo dia definido para o levantamento do confinamento.

PORTUGAL: Sapo Desporto [14h37] | "COVID-19: Governo e Federação Portuguesa de Futebol avaliam regresso." "As condições para o regresso das competições de futebol, suspensas devido à pandemia COVID-19, começaram a ser avaliadas na sexta-feira, na primeira reunião entre Governo e Federação Portuguesa de Futebol (FPF), disse à Lusa fonte ligada ao processo. De acordo com aquela fonte, e à semelhança do que vem acontecendo noutros países, as equipas focais estabelecidas pela Direção-Geral da Saúde e da FPF, vão procurar criar as condições para que as provas tenham a possibilidade de se concluir."

PORTUGAL: SIC [13h21] | Marta Temido alerta que desconfinamento depende de três critérios. Em conferência de Imprensa, a ministra da Saúde, Marta Temido, explicou como se define um doente curado e advertiu para os critérios necessários para o regresso gradual à normalidade. "Vários hospitais já iniciaram a reprogramação da atividade suspensa e que praticamente todos já têm mesmo um calendário definido para essa retoma, alguns já no início de maio", começou por dizer.

"Está livre de doença quem tenha tido os seus sintomas resolvidos, ultrapassados e, simultaneamente, tenha testado negativo para a COVID-19", esclareceu a ministra.

"Um eventual desconfinamento vai ter que ser ponderado considerando três critérios. Em primeiro lugar, critérios epidemiológicos que evidenciem que a infeção pelo novo coronavírus está controlada, depois critérios que demonstrem que o Serviço Nacional de Saúde tem capacidade de responder às necessidades, tanto de doentes COVID como não-COVID, e critérios de vigilância que incluam testes, rastreio de suspeitos e isolamento de casos", avisou Marta Temido.

Boletim DGS

PORTUGAL: CMTV [13h15] | Doentes recuperados continuam a crescer. O boletim epidemiológico do dia já foi divulgado. Portugal tem 23 392 casos positivos (mais 595 do que ontem), 880 óbitos (mais 26) e 1277 pacientes recuperados (mais 59 em 24 horas).

ESPANHA: El Mundo [11h52] | Espanha mantém-se com a cifra abaixo das 400 mortes por dia. "Pequeno aumento nas mortes por coronavírus em Espanha neste último dia, em que 378 pessoas morreram (mais 11 do que ontem). No total, 22 902 pessoas morreram desde o início da pandemia. O total de infetados é de 223 769 e de curados é 95 708."

Marcelo Rebelo de Sousa

PORTUGAL: RTP3 [11h30] | Marcelo Rebelo de Sousa: "Evocar o 25 de abril é combater a crise na saúde e económica." Na sessão solene que teve lugar na Assembleia da República e que evocou os 46 anos do 25 de abril, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, discursou perante os presentes e justificou a razão por que decorreu a cerimónia, mesmo com críticas à mistura. "Compreendem os portugueses que o Presidente da República respeite a competência própria da Assembleia da República, tal como sempre respeitaram os seus antecessores. Compreendem ainda que o Presidente da República concebesse sequer um desencontro sequer com a casa da democracia num momento da vida do país tão grave. Esta hora impõe-nos unidade, que não é nem unicidade, nem unanimismos. A convergência que tem sido importante para Portugal", começou por referir.

"Em tempos excecionais não devem dispensar-se costumeiras e ritualistas. É precisamente em momentos excecionais o que se institui mais do que um costume e ritual. O 10 de junho é essencial e vai ser evocado. O 5 de outubro, o 25 de abril é essencial e tinha de ser evocado. Em temos de dor, sofrimento, luto, separação e confinamento é que devemos evocar a democracia, a Pátria e a liberdade", adiantou o Presidente da República.

"Não, não é uma festa de políticos alheia ao clima e de privação vivido na sociedade portuguesa. Num tempo de confinamento de tantos portugueses, como foi na Páscoa e Ramadão, não estamos a dar um mau exemplo em estado de emergência? Não. O estado de emergência implica um reforço extraordinário dos poderes do Governo e, porque vivemos em liberdade e democracia, quanto maiores os poderes do Governo, maiores devem ser os da Assembleia da República para o controlar", justificou.

"Evocar o 25 de abril é combater a crise na saúde, combater a crise económica, chorar os mortos, testar o que há testar, isolar o que há a isolar, internar os que há a internar, ventilar os que há a ventilar, proteger os que há a proteger", observou ainda Marcelo Rebelo de Sousa.

BÉLGICA: La Libre [10h55] | Mais de 45 mil infetados e cerca de 7000 mortes. "O Serviço Público de Saúde e o Conselho de Segurança Nacional fizeram um balanço neste sábado, 25 de abril, sobre os últimos números relativos à epidemia de coronavírus na Bélgica. Nas últimas 24 horas, foram notificadas 241 mortes relacionadas ao coronavírus. No total são já 6917 mortes desde o início da epidemia. Foram também relatadas 1032 novas infeções, o que totaliza 45 235 casos positivos confirmados desde o início da pandemia."

RÚSSIA: The Moscow Times [10h02] | Rússia perto da barreira dos 75 mil infetados. "A Rússia confirmou 5966 novas infeções por coronavírus neste sábado, elevando o número oficial de casos do país para 74 588. No total, 681 pessoas morreram através do vírus."

ÍNDIA: The Times of India [09h54] | Medidas aliviam para algum comércio. O Governo da Índia revelou, através do secretário dos Assuntos Internos, Punya Salila Srivastava, que algum comércio vai poder abrir, nomeadamente das lojas de bairro que vendam produtos.

ESTADOS UNIDOS: Universidade Johns Hopkins | Mortes diárias nos EUA voltam a baixar. Os Estados Unidos da América ultrapassam a barreira dos 900 mil infetados (905 333) e dos 50 mil mortos (51 949). Os recuperados são agora 99 079.

24 de abril

MUNDO: Universidade Johns Hopkins [20h15] | COVID-19: cerca de 200 mil mortes no mundo. Segundo os últimos dados apresentados pela Universidade Johns Hopkins, o novo coronavírus já infetou cerca de 2,8 milhões de pessoas e retirou a vida a perto de 200 000 pessoas em todo o mundo. Os doentes recuperados estão acima dos 765 mil.

SINGAPURA: South China Morning Post | Singapura ultrapassa as 12 mil mortes e deixa o Japão para trás. A mãos com uma possível segunda vaga da pandemia, Singapura ultrapassou o Japão e contabiliza agora 12 075 casos positivos e 12 mortes.

FRANÇA: Le Figaro [18h19] | Mais de 22 mil mortes em França. "O diretor-geral da Saúde, Jérôme Salomon, anunciou que, em França, morreram 22 245 pessoas devido ao coronavírus (389 em 24 horas). Há 28 658 pessoas hospitalizadas, das quais 4870 ainda estão em terapia intensiva."

Eduardo Cabrita

PORTUGAL: SIC Notícias [18h00] | Eduardo Cabrita fez um balanço deste estado de emergência. Em conferência de Imprensa, Eduardo Cabrita, ministro da Administração Interna, fez um balanço do terceiro estado de emergência, reiterou a posição apresentada por António Costa sobre as limitações de circulação no fim de semana prolongado de 1 a 3 de maio e apresentou os números no que concerne a detidos e encerramento de estabelecimentos. "Apelo a que neste fim de semana limitemos as deslocações a situações expressamente admitidas. As forças de segurança, já no final desta tarde de sexta-feira e no fim de semana, terão um particular empenho na recomendação e fiscalização das regras do regime do estado de emergência. Em articulação com as câmaras municipais não deixaremos de encerrar zonas que propiciem grande aglomeração, nomeadamente em zonas perto do mar ou de lazer. É um esforço adicional para que possamos, no início de maio, iniciar gradualmente a abertura de vários sectores da nossa vida coletiva", enfatizou.

"Para isso, como foi anunciado pelo primeiro-ministro, é importante perceber que no fim de semana alongado de 1 a 3 de maio é tempo de um esforço adicional, em que teremos restrições de circulação similares às que tivemos na Páscoa", completou Eduardo Cabrita.

"Desde o início deste estado de emergência verificámos apenas 58 detenções, 23 das quais por violação de confinamento obrigatório. Neste mesmo período foram encerrados pelas forças de segurança 142 estabelecimentos que estavam a violar as regras de funcionamento. Estão confirmadas 168 infeções pelo coronavírus nas forças de segurança, mas registamos com satisfação 26 curados. Há 382 agentes da PSP ou militares da GNR que estão em isolamento profilático. Isto em nada afeta as operações das forças de segurança", revelou.

"Uma referência aos sectores de atividade protegidos pelas suas características e que merecem uma maior atenção por parte do Governo. Em primeiro lugar, os lares. Foi dada a prioridade de testes a trabalhadores e utentes dos lares. Esse trabalho, em conjunto com universidades, segurança social e autoridades de saúde, está em plena aplicação. Foram já realizados testes a mais de 50 por cento dos trabalhadores de lares. Até ao final da primeira semana de maio contamos testar todos. Voltando a falar de sectores sensíveis, desenvolvemos várias ações de sensibilização de trabalhadores migrantes, fazendo chegar informação em cuidados de saúde e de segurança. Foi decidido promover a realização de testes a requerentes de asilo a aguardar decisão administrativa ou judicial, nomeadamente em Lisboa", afirmou o ministro da Administração Interna.

"Foi, ainda, reportado pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros que chegaram 25 voos com material de apoio médico até ontem. Na próxima semana estão programados mais quatro voos. Para que seja possível a retoma gradual de atividade, foi-nos comunicada a contratação, pelas maiores redes de distribuição para retalho no País, de equipamentos de proteção individual e gel desinfetante, que estará, a meio da próxima semana, disponível para abastecimento com confiança", congratulou, por fim, Eduardo Cabrita.

ESTADOS UNIDOS: New York Times [17h39] | "Mortes em Nova Iorque atingem o nível mais baixo desde 1 de abril." "As mortes por coronavírus continuam a decrescer de forma gradual, disse o Governador do Estado de Nova Iorque, Andrew Cuomo, nesta sexta-feira. O estado regista mais 422 mortes em 24 horas, o valor mais baixo desde 1 de abril. O número total de mortes no estado é de 16 162. Numa semana, verificaram-se menos 3000 pacientes em hospitais devido à COVID-19, de acordo com dados fornecidos pelo Governador de Nova Iorque."

ITÁLIA: Corriere della Sera [17h15] | Número de mortes diárias continuam a descer. "Em Itália, desde o início da epidemia de coronavírus, 192 994 pessoas contraíram o vírus Sars-CoV-2 (mais 3021 do que ontem). Desses, 25 969 morreram (420 nas últimas 24 horas, menos 44 face ao dia anterior) e 60 498 tiveram alta, segundo os dados foram fornecidos pela Proteção Civil. Há, ainda, 22 068 pacientes hospitalizados com sintomas, 2173 nos cuidados intensivos."

HOLANDA: Federação Holandesa de Futebol [17h00] | "Época 2019/20 de futebol está concluída." Num comunicado, a Federação Holandesa de Futebol (KNVB) informou que a temporada 2019/20 de futebol profissional no país está terminada. "Infelizmente, com as medidas para combater o coronavírus mais recentemente definidas pelo Governo, tornou-se impossível concluir a temporada 2019/2020 das competições de futebol profissional a tempo.

Ficará claro para todos os envolvidos, de adeptos a jogadores, de diretores a árbitros, que a saúde pública vem sempre em primeiro lugar; as decisões hoje tomadas sobre a resolução das competições tiveram em conta os problemas causados pelo vírus na sociedade. No entanto, o conselho profissional de futebol está ciente de que as decisões de hoje causarão uma grande deceção.

FORTE GOLPE FINANCEIRO

O conselho de futebol profissional, após consultar clubes, jogadores e treinadores, e com a aprovação do Conselho de Supervisão, decidiu interromper a competição 2019/20 e permitir a alocação dos lugares dos clubes nas provas europeias com base na classificação atual da liga. Esta decisão está de acordo com as diretrizes da UEFA. Em relação a subidas e descidas, foi decidido que não haverá."

MUNDO: Público [16h56] | "OMS lança iniciativa com líderes europeus e mundiais para acelerar vacina." "A Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciou esta sexta-feira uma parceria global tendo em vista a aceleração de esforços para o 'desenvolvimento, produção e distribuição equitativa de vacinas, diagnósticos e terapêuticos' para tratar a COVID-19. A iniciativa conta com o apoio e a cooperação de vários países e líderes europeus e mundiais, incluindo Angela Merkel (Alemanha), Emmanuel Macron (França), Ursula Von der Leyen (Comissão Europeia), Pedro Sánchez (Espanha) ou António Guterres (Nações Unidas)."

Bandeiras

MUNDO: FIFA.com | COVID-19: FIFA inicia apoio financeiro imediato às federações. "A FIFA libertará todo o financiamento operacional devido às federações-membro para os anos 2019 e 2020 nos próximos dias. Esta operação faz parte da primeira etapa de um plano de assistência para ajudar a comunidade de futebol afetada pela pandemia da COVID-19. Essa medida significará que um total de cerca de 150 milhões de dólares será distribuído entre os 211 órgãos nacionais de futebol em todo o mundo. ‘A pandemia causou desafios sem precedentes para toda a comunidade do futebol e, como órgão mundial, é dever da FIFA apoiar aqueles que enfrentam necessidades extremas’, disse o presidente da FIFA, Gianni Infantino. ‘Vamos começar por fornecer assistência financeira imediata às federações-membro, muitas das quais a passar por graves dificuldades financeiras’, acrescentou.

(…)

Como parte da medida, todos os direitos remanescentes das associações-membro a custos operacionais no âmbito do Programa Forward 2.0 serão libertados integralmente para os anos de 2019 e 2020. Em particular, a libertação da segunda parcela dos custos operacionais para 2020, originalmente prevista para julho, será paga imediatamente.

Em circunstâncias normais, as associações-membro da FIFA receberiam apenas o valor total da contribuição mediante o cumprimento de critérios específicos. Em vez disso, a FIFA vai transferir o valor como um suporte ativo para ajudar a proteger o futebol em todas as associações-membro. Concretamente, isso significa que a FIFA libertará 500 000 dólares para cada federação nos próximos dias, bem como quaisquer direitos remanescentes para 2019 e 2020.

Esta assistência financeira imediata deve ser usada para mitigar o impacto financeiro da COVID-19 no futebol através das associações-membro, ou seja, para cumprir as obrigações financeiras ou operacionais que possam ter com os funcionários e outros. As obrigações e responsabilidades padrão em relação ao uso desses fundos, conforme descritas nos Regulamentos a termo 2.0, permanecem totalmente aplicáveis e estarão sujeitas ao processo padrão de auditoria e relatório."

REINO UNIDO: The Guardian [15h16] | Mais 684 mortes no Reino Unido. "Na atualização diária de hoje, o Departamento de Saúde e Assistência Social anunciou que (…) o número de pessoas testadas está em 444 222, das quais 143 464 deram positivo. Já morreram 19 506 pessoas, 684 das quais nas últimas 24 horas."

PORTUGAL: Público [13h33] | António Sales lembra que o aumento de testes não se reflete em mais infetados. Na conferência de Imprensa diária, o secretário de Estado da Saúde, António Sales, apresentou os números, revelou que o dia 21 de abril foi o que teve mais amostras realizadas, mais de 14 mil. "Verificam-se 1068 casos de internamentos, dos quais 188 em cuidados intensivos (menos 16 casos). A taxa de letalidade é de 3,7 por cento, a taxa de letalidade acima dos 70 anos é de 13,5 por cento. As pessoas em tratamento domiciliário são 86,2 por cento. Desde 1 de março foram realizados cerca de 317 mil testes de diagnóstico de COVID-19 em Portugal. Na última terça-feira [21 de abril] foram processadas 14 769 amostras, o dia com maior número. O aumento de testagem não se tem refletido em mais casos positivos. Estamos a realizar cerca de 31 mil testes por milhão de habitantes", enumerou.

PORTUGAL: SIC [13H29] | Portugal perto dos 23 mil infetados. A Direção-Geral de Saúde já revelou o boletim epidemiológico do dia. Portugal tem 854 óbitos (mais 34 mortes do que ontem), 22 797 casos positivos (um crescimento de 444 unidades) e 1228 doentes recuperados (mais 27 nas últimas 24 horas).

António Costa

PORTUGAL: RTP [13h10] | António Costa revela que restrições da Páscoa vão vigorar no fim de semana de 1 a 3 de maio. Após o encontro com o presidente da comunidade islâmica em Lisboa, Abdool Vakil, o primeiro-ministro, António Costa, falou com os jornalistas e revelou que as medidas de restrição de circulação da Páscoa vão vigorar entre 1 e 3 de maio. "Quis aproveitar este dia em que se inicia o Ramadão para conversar com o presidente da comunidade islâmica, agradecer todo o empenho da comunidade e, sobretudo neste período tão importante para os muçulmanos, devido às medidas de contenção, dizer que vão viver o Ramadão de uma forma diferente do habitual. Também dialogar no sentido de perceber como é que a comunidade islâmica poderá adaptar-se, depois do estado de emergência, a manter as normas de afastamento social. Pude também testemunhar o empenho da comunidade islâmica nesse sentido", adiantou.

"É fundamental perceber que temos de manter o afastamento. Para lá do estado de emergência não vamos viver a vida normalmente. Este 1.º de maio vai ser diferente para as centrais sindicais. Até haver uma vacina, temos de viver todos mais afastados uns dos outros. O Governo irá decretar para o próximo fim de semana, que é um fim de semana prolongado, a mesma norma que aconteceu na Páscoa: não pode haver deslocações entre concelhos", revelou o primeiro-ministro.

"A normalidade pré-COVID não haverá até haver a vacina. O que temos é de ir preparado, com os sectores de atividade, as condições para ir aliviando as regras de contenção. Queremos que as atividades retomem com segurança para os profissionais e para os clientes. Não basta haver a porta para os clientes lá irem. Tem de haver segurança. É isso que temos estado a discutir. Essas normas têm de ir sendo estabelecidas e têm de ser aprovadas pela Direção-Geral de Saúde, e em condições de serem aplicadas quando o Conselho de Ministros, a 30 de abril, anunciar qual é o calendário para libertar as normas de confinamento. Essas regras vigorarão por 15 dias, a partir de 4 de maio, e serão renovadas a 18 de maio e a 1 de junho. Não abrangerão logo todas as atividades. Temos ainda de ver a capacidade de reposta e de higienização dos transportes públicos", acrescentou António Costa.

PORTUGAL: TVI24 [12h37] | Ministra da Agricultura apresenta plataforma de apoio a produtores agrícolas. Maria do Céu Albuquerque, ministra da Agricultura, explicou à Comunicação Social como vai funcionar a nova plataforma de apoios aos produtores nacionais, www.alimentequemoalimenta.pt. "Gostava de dizer que a plataforma que criámos, o alimentequemoalimenta.pt não é concorrencial a outras que existam, antes pelo contrário. Congrega! Para além disso, permite que os produtores se inscrevam diretamente, e já temos cerca de 700 produtores inscritos e já temos mais de 50 mil interações com possíveis consumidores", sublinhou.

"Queremos alimentar esta ideia de que, com produtores e consumidores, temos de assumir uma responsabilidade coletiva para darmos garantia à produção nacional, que não parou e que continua a alimentarmo-nos diariamente com alimentos seguros", desejou.

ALEMANHA: Federação Alemã de Futebol [12h30] | "Final da Taça da Alemanha adiada." "O presidente da Federação Alemã de Futebol (DFB) analisou, na reunião desta sexta-feira, os efeitos da pandemia de coronavírus e decidiu mudar a data da final da Taça da Alemanha. Inicialmente, o jogo seria disputado a 23 de maio no Estádio Olímpico de Berlim e, como de costume, marcaria o fim da temporada na Alemanha. No contexto das operações de jogo atualmente inativas no país e o facto de não se saber até quando, as datas para a final da Taça da Alemanha, bem como as das duas meias-finais permanecem vagas. O objetivo de encerrar a temporada 2019/20 até 30 de junho permanece inalterado."

ESPANHA: El Mundo [12h01] | "Espanha regista descida no número de mortes." "A tendência continua em declínio. Hoje, em Espanha, registaram-se 367 mortes em comparação com as 440 de ontem, o que eleva o número global de mortes através da pandemia para 22 524. O número de pessoas infetadas aumenta para 202 990, mais 2796 do que ontem. 92 355 pacientes receberam alta desde o início da pandemia, só 3105 aconteceram nas últimas 24 horas."

RÚSSIA: The Moscow Times [11h47] | Perto de 6000 casos diários na Rússia. "A Rússia confirmou 5849 novas infeções por coronavírus nesta sexta-feira, elevando o número oficial de casos do país para 68 622. No total, 615 pessoas morreram através do vírus."

Ministro da Educação Áustria

ÁUSTRIA: ORF [11h45] | Escolas vão abrir por turnos. "De acordo com o divulgado pelo Governo, os alunos do ensino médio regressam às aulas no dia 4 de maio, os alunos das escolas de ensino fundamental deverão recomeçar a partir de 18 de maio."

BÉLGICA: La Libre [10h55] | Número de óbitos baixa em 24 horas. "A Saúde Pública e o Conselho de Segurança Nacional fizeram um balanço nesta sexta-feira, 24 de abril, sobre os últimos números relativos à epidemia de coronavírus na Bélgica. Nas últimas 24 horas, foram notificadas 190 mortes relacionadas ao coronavírus, elevando o total para 6679 mortes desde o início da epidemia. Existem também 210 novos internamentos e 322 pessoas deixaram o hospital. No total, 4355 pessoas estão atualmente hospitalizadas, das quais 970 estão em terapia intensiva. No total, há 44 293 casos oficialmente detetados na Bélgica."

ALEMANHA: Instituto Robert Koch | Mais de 150 mil infetados no país. O Instituto Robert Koch (RKI) anunciou que a Alemanha ultrapassou os 150 mil casos diagnosticados para o novo coronavírus (150 383). O país regista, ainda, 5321 mortes e perto de 107 mil doentes recuperados.

ESTADOS UNIDOS: Universidade Johns Hopkins | EUA com mais de 3000 mortes num dia. Os Estados Unidos da América registaram 3176 óbitos por COVID-19 nas últimas 24 horas, o que é quase o dobro em comparação com o dia anterior. O país é o mais fustigado pelo coronavírus e apresenta 869 712 casos positivos, 49 963 mortes e 80 934 doentes recuperados.

23 de abril

PORTUGAL: SIC Notícias [20h35] | António Costa: "Vamos ter uma bazuca contra a crise se tudo se concretizar na União Europeia." Ao responder às questões dos jornalistas presentes na conferência de Imprensa após a reunião do Conselho Europeu, o primeiro-ministro não adiantou uma verba certa, mas falou em "algo com capacidade e robustez". "Se tudo se concretizar, será certamente uma bazuca. As medidas de emergência aprovadas pelo Eurogrupo já constituem entre si 500 mil milhões de euros. A verba em que estamos para o fundo de recuperação ainda não é final, mas o vice-presidente da Comissão referiu 1,5 bilhões, o Banco Central Europeu falou em 1,6 bilhões. Será algo com capacidade e robustez, tendo em conta o impacto da crise económica que temos pela frente. Já sabemos que não será uma fisga. Agora estamos a discutir se é uma pressão de ar ou se é mesmo uma bazuca", considerou António Costa.

Mariana Vieira da Silva

PORTUGAL: SIC [20h08] | Mariana Vieira da Silva: "Será o regresso à normalidade possível." No final do Conselho de Ministros que teve lugar no Palácio da Ajuda, a ministra do Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, esclareceu como vai decorrer o desconfinamento progressivo em Portugal após o estado de emergência. "É muito importante que saibamos que o regresso à normalidade será sempre um regresso à normalidade possível. Haverá muitas restrições e traremos, na próxima semana, o plano organizado, com datas e condições, para que as atividades se realizem", garantiu.

Também presente na conferência de Imprensa, Francisca Van Dunem, ministra da Justiça, revelou o número de indultos que serão entregues a Marcelo Rebelo de Sousa para apreciação. "O Ministério da Justiça recebeu, por baixo, 400 pedidos de indulto. Considerando os critérios definidos na Lei, creio que não serão presentes ao Presidente da República mais de uma dezena, dezena e meia", frisou.

PORTUGAL: Notícias ao Minuto | "Número de detidos por desobediência sobe para 50." "Nas últimas 24 horas foram detidas mais nove pessoas por crime de desobediência no âmbito do terceiro estado de emergência em vigor, anunciou o Ministério da Administração Interna em comunicado. No mesmo período, foram encerrados 128 estabelecimentos por incumprimento das normas estabelecidas."

PERU: Reuters [19h33] | Casos crescem no Peru e a quarentena foi estendida. "Os casos relatados de coronavírus no Peru aumentaram rapidamente nesta semana e superaram os 20 000 nesta quinta-feira, duplicando em nove dias, com o Presidente da República, Martin Vizcarra, a estender a quarentena nacional até 10 de maio, sobrepondo-se ao dia 26 de abril anteriormente definido."

FRANÇA: Le Figaro [19h10] | França com perto de 22 mil óbitos. "Com 516 novas mortes registadas nesta quinta-feira, a epidemia do novo coronavírus causou 21 856 mortes em França. Há 120 804 casos confirmados, mais 1653 do que ontem."

António Costa

PORTUGAL: TVI24 [18h30] | António Costa apresenta as decisões do Conselho Europeu. O primeiro-ministro português esteve reunido com os seus homólogos da União Europeia para acertarem as iniciativas para a recuperação económico-financeira dos países, bem como as de combate à pandemia do novo coronavírus. "Em primeiro lugar fizemos um ponto de situação nos vários estados-membros, afirmando a vontade comum de continuarmos a cooperar para o combate à COVID, desde logo com o apoio a iniciativas tendo em vista o desenvolvimento de uma vacina que permita suficiente imunidade a esta pandemia. Em segundo lugar, aprovando as orientações propostas pela Comissão Europeia para a estratégia de desconfinamento e que teve a insistência especial numa coordenação na abertura das fronteiras, quer externas, quer internas da União Europeia, tendo em conta, porque nos aproximamos do período de férias, a importância do turismo para a economia europeia", começou por reconhecer António Costa.

"Foi também avançada a necessidade de uma estratégia de preparação para uma segunda vaga da pandemia que, inevitavelmente, poderá existir enquanto não for descoberta, e esteja disponível em larga escala, uma vacina", advertiu.

"A segunda parte do Conselho [Europeu] incidiu sobre a resposta da União Europeia à crise económica e social desencadeada pela pandemia COVID-19. Em primeiro lugar, tendo em conta o plano de emergência. O Conselho aprovou a criação de três linhas de crédito que sejam linhas de segurança para financiar as empresas através do Banco Europeu de Investimentos, para apoiar os Estados no conjunto de medidas que têm sido adotadas para apoiar a manutenção dos postos de trabalho e a proteção de rendimentos, designadamente as medidas de layoff, e uma terceira linha  tendo em vista assegurar a capacidade de todos os Estados terem recursos financeiros para poderem responder às despesas necessárias, tendo em conta o combate direto, o combate indireto e a prevenção da COVID-19. Estas linhas não estão sujeitas a nenhum tipo de condicionalidade. Não só as aprovámos, como demos a indicação de que devem estar todas as vigor até ao dia 1 de junho", referiu o primeiro-ministro.

António Costa

"Para além desta resposta de emergência, o Conselho aprovou a medida da Comissão [Europeia] para avançarmos com um fundo de recuperação económica em articulação com o próximo quadro financeiro plurianual. A Comissão respondeu que no próximo dia 6 de maio apresentará uma proposta do novo quadro financeiro associado a este programa de recuperação económica. Gostaria de sublinhar que em relação à criação do fundo de recuperação houve unanimidade e houve também um acordo unânime de que esse fundo de recuperação deve ser financiado através da emissão de dívida por parte da Comissão Europeia. A grande questão, contudo, está em saber como é que esse fundo de recuperação vai financiar cada um dos estados-membros. Aí, a grande maioria defendeu que deve financiar através de subvenções; alguns estados-membros admitiram que pudesse haver uma combinação justa entre o financiamento através de subvenções ou através de empréstimos aos estados-membros; finalmente, uma pequena minoria defendeu que este apoio se devia cingir à modalidade de empréstimos. O fundo de recuperação deve ter um horizonte de dois ou três anos, deve ter uma forte capacidade para responder à quebra acentuada dos PIB´s da União Europeia e deve ser coerente com a estratégia da União Europeia. Este Conselho Europeu foi marcado por uma grande coincidência de pontos de vista e por uma unanimidade", congratulou António Costa.

ESTADOS UNIDOS: New York Times [18h03] | "21 por cento dos testados em Nova Iorque têm anticorpos ao coronavírus." "Cerca de 21 por cento das cerca de 1300 pessoas na cidade de Nova Iorque que foram testadas para anticorpos contra o coronavírus apresentaram resultados positivos, revelou o Governador Andrew Cuomo. As mortes no estado estão em queda: 438 mortes foram registadas nesta quinta-feira, contra as 474 assinaladas na quarta-feira. O número de mortes durante os primeiros quatro dias desta semana caiu 33 por cento em relação aos primeiros quatro dias da semana passada. O número de mortos no Estado de Nova Iorque é agora de 15 740."

ITÁLIA: La Repubblica [17h58] | Quase 190 mil infetados desde o início da pandemia. "Os dados do boletim de Proteção Civil de hoje relatam um declínio nas pessoas hospitalizadas. Hoje, existem 2267 pessoas em terapia intensiva, menos 117 do que ontem e 22 871 pessoas ainda estão hospitalizadas com sintomas, ainda assim menos 934 em 24 horas. No que concerne a óbitos, 464 pessoas morreram nas últimas 24 horas, atingindo um total de 25 549 mortes. Já a cura chegou a 57 576, o que significa um aumento de 3033 doentes. O número total de pessoas que contraíram o vírus desde o início do surto é de 189 973."

MUNDO: Público [17h42] | "Medicamentos contra a malária podem causar efeitos colaterais." "Os medicamentos contra a malária que estão a ser testados no combate ao novo coronavírus podem provocar efeitos colaterais sérios, incluindo convulsões e problemas cardíacos, alertou esta quinta-feira a Agência Europeia de Medicamentos (EMA)."

Logo da UEFA

EUROPA: UEFA.com [16h57] | Diretrizes sobre elegibilidade para participação em competições da UEFA. "O Comité Executivo da UEFA reuniu-se hoje através de videoconferência e recebeu as atualizações sobre os Grupos de Trabalho estabelecidos em parceria com a Associação Europeia de Clubes (ECA), Ligas Europeias (EL) e FIFPRO Europe. Dos dois cenários examinados, ambos preveem as competições dos respetivos países a começarem antes das competições de clubes da UEFA. (…)

Como resultado das declarações feitas pelas autoridades de futebol na Bélgica e na Escócia, o Comité reconhece as questões levantadas e aprovou as diretrizes sobre os princípios de elegibilidade para as competições de clubes da UEFA em 2020/21. As diretrizes refletem o princípio de que a admissão nas competições de clubes da UEFA baseia-se sempre no mérito desportivo. Por conseguinte, a UEFA insta as Associações e Ligas Nacionais a explorarem todas as opções possíveis para disputarem todas as principais competições nacionais, permitindo às competições de clubes da UEFA a sua conclusão natural. No entanto, a UEFA salienta que a saúde dos jogadores, espectadores e todos os envolvidos no futebol, bem como do público em geral, deve permanecer como a principal preocupação.

O cenário ideal, se a situação da pandemia permitir, é concluir as competições domésticas atualmente suspensas, permitindo que os clubes se qualifiquem para as competições da UEFA por mérito desportivo no seu formato original. Caso esse cenário não seja possível, principalmente devido a problemas de calendário, seria preferível que as competições nacionais suspensas fossem reiniciadas com um formato diferente, de maneira a facilitar a mesma qualificação através dos resultados desportivos.

Ao usar os melhores esforços para concluir as competições nacionais, as Federações Nacionais e as Ligas podem ter razões legítimas para encerrar prematuramente as suas competições nacionais, principalmente nos seguintes casos:

  • existência de uma ordem oficial proibindo eventos desportivos para que as competições domésticas não possam ser concluídas antes de uma data que permita concluir a temporada atual em tempo útil antes do início da próxima temporada;

  • problemas económicos intransponíveis que impossibilitam o término da temporada porque colocariam em risco a estabilidade financeira no longo prazo da competição e/ou dos clubes nacionais.

Se uma competição doméstica for prematuramente encerrada por razões legítimas, de acordo com as condições acima, a UEFA exigiria que a Federação Nacional em questão selecionasse os clubes para as competições da UEFA em 2020/21, com base no mérito desportivo nas competições domésticas de 2019/20:

  • o procedimento de seleção de clubes deve basear-se em princípios objetivos, transparentes e não discriminatórios. As Federações e Ligas Nacionais devem ter a capacidade de decidir as posições finais nas competições nacionais, levando em consideração as circunstâncias específicas de cada competição;

  • a determinação final dos lugares elegíveis para as competições de clubes da UEFA deve ser confirmada pelos órgãos competentes relevantes a nível nacional.

A UEFA reserva-se o direito de recusar ou avaliar a admissão em qualquer clube proposto por uma Federação Nacional de uma competição encerrada prematuramente, em particular quando:

  • as competições nacionais não foram prematuramente encerradas com base nas razões indicadas nestas diretrizes da UEFA ou com base noutras razões legítimas de saúde pública;

  • os clubes foram selecionados de acordo com um procedimento que não era objetivo, transparente e não discriminatório, de modo que os clubes selecionados não pudessem ser considerados qualificados por mérito desportivo;

  • existe uma perceção pública de injustiça na qualificação do clube."

COVID-19

ANGOLA: Lusa [16h35] | "Parlamento angolano aprova prorrogação do Estado de emergência por mais 15 dias." "A Assembleia Nacional de Angola aprovou hoje, por unanimidade, o projeto de resolução relativo à nova prorrogação do estado de emergência, por mais 15 dias, devido à COVID-19, solicitada pelo Presidente angolano, João Lourenço."

REINO UNIDO: The Telegraph [15h24] | Mais de 138 mil infetados no Reino Unido. "O número de mortes por coronavírus no Reino Unido aumentou em 616 nas últimas 24 horas, chegando a um total de 18 738, informou o Departamento de Saúde. O número total de casos confirmados está agora nos 138 078."

ESTADOS UNIDOS: New York Times [15h02] | "Mais 4,4 milhões de trabalhadores pedem subsídio de desemprego." "Mais de 26 milhões de pessoas juntaram os seus nomes à lista de desempregados nas últimas cinco semanas, enquanto a pandemia de coronavírus continua a devastar a economia do país. O governo dos EUA informou, esta quinta-feira, que 4,4 milhões de trabalhadores entraram com pedido de subsídio de desemprego na semana passada."

HOLANDA: De Telegraaf [13h55] | Números do dia na Holanda. "O número oficial de mortes por coronavírus aumentou para 4177. O Instituto Nacional de Saúde Pública e Meio Ambiente (RIVM) recebeu mais 123 mortes nas últimas 24 horas. O número de infeções detetadas aumentou em 887 em 24 horas para as 35 729."

PORTUGAL: RTP [13h03] | António Sales destaca a capacidade de testagem portuguesa por milhão de habitantes. Em conferência de Imprensa, o secretário de Estado da Saúde, António Sales, elogiou a capacidade que o País tem demonstrado na testagem por milhão de habitantes. “Já foram 27 925 pessoas testadas por milhão de habitantes. Temos números superiores à Noruega, Suíça, Itália e Alemanha. Cerca de 49 por cento dos testes foram realizados nos laboratórios públicos, 45 por cento no privado e as restantes noutras entidades. Há cada vez mais utentes inseridos na plataforma Trace COVID. Atualmente, são mais de 135 mil, que são seguidos em cuidados de saúde primários ou suspeitos de terem COVID-19”, reconheceu.

Boletim DGS

PORTUGAL: CMTV [12h57] | Mais de 1200 recuperados em Portugal. O boletim epidemiológico do dia já foi revelado pela Direção-Geral de Saúde. Portugal tem 22 353 casos confirmados (mais 371 do que ontem), 820 mortes (mais 35 em 24 horas) e 1201 doentes recuperados (mais 58 em comparação com o dia anterior).

EUROPA: UEFA.com | Campeonato da Europa feminino adiado para julho de 2022. "O Comité Executivo da UEFA confirmou que o Campeonato da Europa feminino de 2021 foi adiado, e que será disputado em Inglaterra de 6 a 31 de julho de 2022. Está planeado usar os mesmos locais que foram originalmente propostos para sediar o evento. O presidente da UEFA, Aleksander Ceferin, comentou este adiamento: ‘Quando tínhamos que tomar uma decisão urgente sobre o adiamento do UEFA EURO 2020, sempre tivemos o foco no EURO 2021 feminino da UEFA. Considerámos cuidadosamente todas as opções, tendo em conta ao nosso compromisso para com o crescimento do futebol feminino. Ao transferir o Campeonato da Europa feminino da UEFA para o ano seguinte, estamos a garantir que a nossa principal competição feminina será o único grande torneio de futebol do verão, proporcionando-lhe os holofotes que merece’."

ESPANHA: El Mundo [12h13] | Número de mortes volta a subir. "O Ministério da Saúde divulgou os dados de evolução da epidemia, que regista um novo aumento no número de casos, que soma 4635 positivos num dia (em comparação aos 4211 de ontem). O total de infetados subiu para os 214 535 casos confirmados. Nesta quinta-feira, mais 440 mortes foram registadas, passando para as 22 157 vítimas oficiais desde o início da epidemia."

BÉLGICA: La Libre [10h55] | Bélgica está perto dos 6500 óbitos. "A Saúde Pública e o Conselho de Segurança Nacional fizeram um balanço nesta quinta-feira, 23 de abril, dos últimos dados relativos à epidemia de coronavírus na Bélgica. Nas últimas 24 horas, foram relatadas 230 mortes relacionadas com o coronavírus. Isso totaliza 6490 mortes desde o início da epidemia. Há também 211 pessoas internadas, totalizando 4527 pessoas atualmente hospitalizadas, incluindo 993 em terapia intensiva. 367 pessoas já recuperaram. Ao todo, existem 42 797 casos oficialmente detetados."

RÚSSIA: The Moscow Times [10h05] | Rússia com cerca de 5000 casos num dia. "A Rússia confirmou 4774 novas infeções por coronavírus nesta quinta-feira, elevando o número oficial de casos do país para 62 773. No total, 555 pessoas morreram pelo vírus na Rússia."

ÁFRICA: Lusa [09h54] | Continente africano com quase 26 mil infetados. "O número de mortos provocados pela COVID-19 em África subiu para 1242 nas últimas horas, com quase 26 mil casos registados da doença em 52 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia naquele continente. Segundo o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), nas últimas 24 horas, o número de mortos registados subiu de 1191 para 1242 enquanto as infeções aumentaram de 24 686 para 25 937. O número total de doentes recuperados subiu de 6425 para 6534."

ALEMANHA: Instituto Robert Koch | Mais de 100 mil recuperados na Alemanha. O Instituto Robert Koch (RKI) divulgou os números do dia do país no que diz respeito à epidemia do coronavírus. A Alemanha tem mais de 103 mil curados e 148 046 casos de infeção diagnosticados. Em relação às mortes, há 5094 óbitos a registar, mais 215 em 24 horas.

ESTADOS UNIDOS: Universidade Johns Hopkins | Mais de 1700 mortes em 24 horas. Os Estados Unidos da América, país mais fustigado pela COVID-19, apresentou mais 1738 óbitos por coronavírus nas últimas 24 horas. O total de mortes está nas 46 583; os casos de doentes infetados são 839 675. Os recuperados atingem os 76 614.

22 de abril

Praia Portugal

PORTUGAL: SIC Notícias [19h59] | "Praias com limite máximo de pessoas no verão." "Até 6 de maio vai ser elaborado um manual para a época balnear, em tempo de pandemia do coronavírus. O manual vai ser criado pela Agência Portuguesa do Ambiente e mais 11 entidades e ditará as regras que municípios, concessionários e banhistas terão de seguir. No areal, os banhistas terão de salvaguardar uma distância mínima uns dos outros e a praia será limitada a um número máximo de pessoas."

PORTUGAL: Público | Arranque da época balnear adiado para 1 de junho, mas data não é definitiva. "Este ano, a época balnear começa mais tarde, estando prevista arrancar a 1 de junho, altura em que as praias passarão a ser vigiadas pelos nadadores-salvadores. 'Tendo em conta a atual situação de emergência de saúde pública devido à pandemia da COVID-19, e a consequente declaração do estado de emergência, existe uma reconhecida incerteza se, nos períodos em que habitualmente se dava início à prática balnear [nomeadamente os que se iniciavam em maio], estarão reunidas as condições para tal atividade', refere a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) ao PÚBLICO."

PORTUGAL: RTP [18h36] | 41 detenções por desobediência no terceiro período do estado de emergência. "Dando cumprimento às determinações do decreto que renovou o estado de emergência (que vigora das 00h00 de 18 de abril até 2 de maio), a GNR e a PSP detiveram, até ‪às 17h00 de hoje, 41 pessoas por crime de desobediência, das quais 17 por desobediência à obrigação de confinamento obrigatório, 22 por desobediência ao dever geral de recolhimento domiciliário, 1 por desobediência ao encerramento de instalações e estabelecimentos e 1 por desobediência às regras de funcionamento na prestação de serviços. No mesmo período, foram encerrados 63 estabelecimentos por incumprimento das normas estabelecidas. Estes números juntam-se aos verificados nos dois primeiros períodos de estado de emergência: no primeiro período, que vigorou entre os dias 22 de março e 2 de abril, registaram-se 108 detenções por crime de desobediência e foram encerrados 1708 estabelecimentos comerciais; no segundo período, que vigorou entre os dias 3 e 17 de abril, registaram-se 184 detenções por crime de desobediência e foram encerrados 432 estabelecimentos comerciais."

FRANÇA: Le Figaro [18h33] | "544 mortes nas últimas 24 horas." O diretor-geral da Saúde, Jérôme Salomon, anunciou esta quarta-feira que desde o dia 1 de março registam-se 21 340 mortes devido à COVID-19. 29 541 pessoas encontram-se hospitalizadas, mas, por outro lado, 40 657 pessoas já recuperaram.

OMS Declarações 22 de abril

MUNDO: TVI 24 [18h04] | "Este vírus vai estar connosco por muito tempo." A COVID-19 parece começar a dar tréguas na Europa, o continente mais atingido pelo vírus, com mais de 110 000 mortos, mas o que parecer ser uma lufada de ar fresco para a maioria está longe de sê-lo para a Organização Mundial de Saúde (OMS).

"Não se enganem, temos um longo caminho pela frente. Este vírus vai estar connosco por muito tempo", avisou o diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus, nesta quarta-feira em Genebra. Um dos principais receios da OMS é o facto de se tratar de um vírus que pode "facilmente reacender-se". "A maioria dos contágios na Europa (Ocidental) parecem estar a estabilizar ou a baixar. Mas, ainda que os números sejam baixos, estamos a assistir a crescimentos preocupantes na Europa Central, na África Central e na América do Sul", sublinhou o diretor-geral. 

ITÁLIA: La Repubblica [18h00] | "437 mortes nas últimas 24 horas." O número total de vítimas é agora de 25 085. Relativamente a recuperações o número ascendeu a 54 543 (mais 2943 do que ontem), segundo o boletim epidemiológico divulgado pelas autoridades italianas.

REINO UNIDO: The Sun [16h53] | Números do dia no Reino Unido. Total de mortes ascende às 18 100, ou seja, mais 763 nas últimas 24 horas. As autoridades de saúde britânicas confirmaram que 133 495 pessoas testaram positivo para a COVID-19. 

António Costa 22 de abril

PORTUGAL: Lusa [16h19] | "Governo anuncia dia 30 de abril a data para reabertura das aulas presenciais nos 11.º e 12.º anos." António Costa afirmou hoje que o Governo espera anunciar no próximo dia 30 a data para o regresso às aulas presenciais nos 11.º e 12.º anos de escolaridade, depois de receber novamente os partidos com representação parlamentar.

O líder do executivo referiu que, no próximo dia 28 de abril, haverá nova reunião entre responsáveis políticos e parceiros sociais com os epidemiologistas, no Infarmed, onde se fará o ponto de situação sobre o combate à COVID-19 em Portugal. "Queremos ter a segurança para, no Conselho de Ministros de dia 30 podermos tomar decisões sobre o calendário de reabertura das aulas presenciais para os alunos. No dia 29, vou convidar todos os partidos para uma nova ronda de audições sobre o calendário de reabertura, numa estratégia de desconfinamento gradual e progressivo, na qual a componente escola não estará obviamente ausente", disse.

PORTUGAL: Dinheiro Vivo [16h13] | "Governo avança com redução do IVA de máscaras e gel desinfetante." "O Governo vai avançar com a redução da taxa de IVA sobre as máscaras de proteção e o gel desinfetante. Atualmente, esta taxa de IVA está nos 23%. No debate quinzenal desta quarta-feira, no entanto, o primeiro-ministro, António Costa não detalhou se a taxa cobrada sobre este material vai ser reduzida para o escalão dos 13% ou dos 6%."

FPF Cidade do Futebol Medidas Covid-19

PORTUGAL: Federação Portuguesa de Futebol | FPF prepara regresso com equipa de especialistas. A FPF tem uma equipa de especialistas multidisciplinar a trabalhar num plano gradual de regresso à atividade. O objetivo é assegurar que o regresso será efetuado no momento adequado, de acordo com as regras estipuladas e garantindo a segurança de todos os intervenientes, desde logo os jogadores, os treinadores, e os staffs clínicos e logísticos de apoio direto às equipas, mas estendendo-se aos restantes intervenientes em treinos, jogos e deslocações.

O projeto envolve, na área da Saúde Pública, o Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto e a Escola Nacional de Saúde Pública da Universidade Nova de Lisboa. Os serviços de infeciologia do Hospital Curry Cabral (Lisboa), dirigido por Fernando Maltez, e do Hospital São João (Porto), através de Margarida Tavares, contribuem com o seu conhecimento na área das infeciologia.A CUF, parceira oficial de Saúde e Performance da FPF, colabora nas especialidades de Cardiologia e Patologia Clínica. A Unidade de Saúde e Performance da FPF coordena o projeto, integrando as várias especialidades médicas na área da Medicina Desportiva.

No site oficial da Federação Portuguesa de Futebol pode ainda ler-se a mensagem de Fernando Gomes, presidente da FPF: "A FPF está comprometida e empenhada em garantir um regresso ordenado e seguro à prática desportiva. Com a nossa Unidade de Saúde e Performance, envolvemos algumas das mais reputadas instituições na área da saúde pública para a elaboração de um plano que permita esse regresso em condições que inspirem confiança. Agradeço a colaboração da CUF e dos hospitais Curry Cabral e São João, bem como das universidades Nova e do Porto cujos contributos são essenciais neste projeto."

PORTUGAL: SIC Notícias [15h12] | "Governo prolonga suspensão de voos de e para Itália." "O Governo alargou a suspensão de todos os voos de e para Itália por mais 14 dias. A suspensão vigora entre a meia-noite de hoje e o dia 6 de maio. A medida aplica-se a todos os voos de todas as companhias aéreas, comerciais ou privadas. Estão excluídos os voos das aeronaves do Estado, os voos para transporte exclusivo de carga e correio, de carácter humanitário ou de emergência médica e escalas técnicas para fins não comerciais."

Conferência DGS 22 de abril

PORTUGAL: TVI 24 [13h31] | "Linha SNS24 passa a atender utentes surdos por videochamada." O secretário de Estado da Saúde, António Sales, disse esta quarta-feira, em conferência de Imprensa conjunta entre a DGS e o Ministério da Saúde, que a Linha SNS24 está apta para atender utentes surdos através de videochamada.

De acordo com António Sales, a Linha SNS24 contará com seis intérpretes de língua gestual portuguesa, que farão correspondência entre o enfermeiro e o utente. Esta funcionalidade permitirá às pessoas surdas acederem ao serviço de triagem, aconselhamento e encaminhamento do SNS24, para obterem as orientações adequadas ao seu problema de saúde não emergente. 

Desde o dia 1 de março, já foram realizados 288 000 testes para COVID-19 em Portugal. No total, estão 56 laboratórios a processar amostras no país. Foi também anunciado na conferência de Imprensa que Portugal tem cerca de 1 000 000 de testes em stock.

A diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, debruçou-se sobre a possibilidade de os doentes de COVID-19 em cuidados intensivos ficarem com sequelas. "Tudo o que sabemos é o que está escrito na literatura. Em Portugal ainda temos muito pouco tempo de epidemia para perceber se quem esteve em cuidados intensivos poderá ficar com sequelas", finalizou.

Boletim Covid-19

PORTUGAL: SIC Notícias [13h14] | Números do dia em Portugal. A Direção-Geral da Saúde já divulgou os números e Portugal conta com 21 982 casos positivos (mais 603 do que ontem), 762 mortes (mais 23 em comparação a terça-feira) e 1143 recuperados. 

ÁFRICA: TVI 24 [11h51] | "África com mais de 24 mil infeções e 1 191 mortes." Segundo o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), nas últimas 24 horas, o número de mortes registadas subiu de 1158 para 1191, enquanto as infeções aumentaram de 23 505 para 24 686.

ESPANHA: ABC [10h04] | "435 mortes em 24 horas." Segundo os dados divulgados pelo Ministério da Saúde espanhol, ao todo já morreram 21 717 pessoas e o total de infetados chegou aos 208 389 (mais 4211 do que ontem). O número de recuperados ascende a 85 915. 

ALEMANHA: Zeit | "2 237 novos casos de COVID-19." O número total de infetados é de 145 694, sendo que já há 99 400 doentes recuperados. Segundo os dados revelados pelo Instituto Robert Koch, nas últimas 24 horas morreram 281 doentes. O vírus já provocou 4879 mortos no país.

21 de abril

Hotelaria

PORTUGAL: Expresso | "Hotéis começam a reabrir em julho com selo de garantia sanitária." "'A hotelaria portuguesa pensa que poderá começar a reabrir em julho, provavelmente alguns hotéis ainda em junho, e naturalmente com todos os cuidados e todas as garantias sanitárias', afirmou Raul Martins, presidente da Associação da Hotelaria de Portugal, à saída de uma reunião com o primeiro-ministro, António Costa, que recebeu em São Bento, Lisboa, representantes do sector hoteleiro para falar sobre a crise causada pela pandemia COVID-19."

MUNDO: SIC Notícias | "OMS insiste que coronavírus veio de morcego e não de laboratório." "As evidências reunidas pelas autoridades de saúde mundiais sugerem que o novo coronavírus surgiu a partir de morcegos e não da 'criação em laboratório', como muitas teorias defendem. A revelação é feita pela porta-voz da Organização Mundial de Saúde (OMS), Fadela Chaib, depois de ser anunciado que o Governo dos Estados Unidos da América está a investigar a possibilidade de o novo coronavírus ter-se propagado através de um laboratório chinês, em vez de num mercado. A porta-voz da OMS esclareceu que não é possível, 'nesta fase', determinar com exatidão a origem do vírus que causou a pandemia da COVID-19. 'No entanto, todas as evidências disponíveis sugerem que o vírus tem origem natural de um animal. Não é um vírus manipulado, nem criado. O mais provável é que o morcego seja o hospedeiro reservatório do vírus', reiterou."

COVID-19

PORTUGAL: Jornal i [18h51] | "Já foram detidas 32 pessoas por desobediência." "No âmbito do terceiro período do estado de emergência e até ‪às 17h00 desta terça-feira, já foram detidas 32 pessoas por desobediência, mais oito nas últimas 24 horas, anunciou o Ministério da Administração Interna. Foram ainda encerrados 54 estabelecimentos no mesmo período de tempo, 22 nas últimas 24 horas. Estes números juntam-se aos registados nos dois primeiros períodos do estado de emergência. No primeiro período registaram-se 108 detenções por crime de desobediência e foram encerrados 1708 estabelecimentos comerciais. No segundo período registaram-se 184 detenções por crime de desobediência e foram encerrados 432 estabelecimentos comerciais."

FRANÇA: Le Figaro [18h26] | Números do dia em França. "O diretor-geral da Saúde, Jérôme Salomon, anunciou que há 117 324 casos confirmados de COVID-19. 39 181 pessoas já recuperaram. Há 20 796 falecimentos na totalidade, sendo que 531 foram registados nas últimas 24 horas."

ITÁLIA: La Repubblica [17h15] | "534 mortos nas últimas 24 horas." Segundo o boletim epidemiológico divulgado pelas autoridades italianas o número total de falecimentos ascendeu a 24 648. Há 2723 casos recuperados nas últimas 24 horas, o que perfaz no total de 51 600. O total de infetados é de 183 957 desde o início da pandemia de COVID-19.

Reino Unido Westminster 21 de abril

REINO UNIDO: The Sun [16h35] | "823 mortos nas últimas 24 horas." Segundo as autoridades britânicas, o número total de casos de contágio é agora de 129 044, mais 4301 do que ontem (segunda-feira, 20 de abril). 17 337 é o número total de vítimas devido à COVID-19, sendo que nas últimas 24 horas o número de falecimentos quase duplicou em relação a ontem. 

FUTEBOL EUROPEU: UEFA.com [15h15] | Forte recomendação para terminar as principais competições nacionais. "A UEFA reuniu hoje as 55 federações nacionais por videoconferência e apresentou uma atualização das opções analisadas pelos dois grupos de trabalho criados em meados de março. Uma variedade de opções de calendário foi apresentada, cobrindo os jogos das seleções nacionais e dos clubes. O financiamento das Associações Nacionais através do programa Hat-Trick também foi discutido, com a UEFA a reiterar o seu compromisso de cumprir os pagamentos às federações conforme planeado. Foi passada uma forte recomendação no sentido de terminar os principais campeonatos nacionais e as Taças, mas alguns casos especiais serão ouvidos após o desenvolvimento de diretrizes sobre a participação em competições europeias (no caso de uma liga cancelada). Qualquer decisão sobre os tópicos acima será anunciada após a reunião do Comité Executivo da UEFA na quinta-feira [23 de abril]."

PORTUGAL: Público [15h03] | Recuperação "não vai passar por políticas de austeridade", garante o ministro da Economia. "Pedro Siza Vieira repete que a orientação global do Governo, a mesma que espera ser erigida a nível europeu para responder à crise económica associada aos efeitos da propagação da COVID-19, não vai passar por 'políticas de austeridade'."

PORTUGAL: Notícias ao Minuto [13h27] | "Plano europeu deve ter ambição correspondente à dimensão da crise." "À saída da reunião da Comissão Permanente de Concertação Social para preparação do Conselho Europeu, que teve lugar esta manhã na residência oficial do primeiro-ministro, o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, vincou 'a necessidade de o Conselho Europeu validar as decisões tomadas pelo Eurogrupo e também avançar um pouco em relação a essas decisões'. 'O Eurogrupo já chegou a acordo sobre medidas de apoio à economia europeia, que, no seu conjunto, representam uma resposta do ponto de vista europeu com uma dimensão nunca antes alcançada. Essas medidas são três: uma dirigida às famílias e pessoas, outra dirigida às empresas e outra aos estados.' (...) Defendendo que a Europa vai precisar de financiamento para um plano de 'recuperação económica e social de que a Europa vai necessitar no dia seguinte a esta emergência', Augusto Santos Silva defende que este 'plano deve ter ambição correspondente à dimensão da crise que se abateu sobre a União Europeia'."

CI DGS 21 de abril Covid-19

PORTUGAL: RR [13h21] | "Liga de futebol de regresso em junho? DGS diz que 'terá de ser analisado nos próximos tempos'." "Em conferência de Imprensa, confrontada com os planos da Liga para o regresso das competições, Graça Freitas, diretora-geral da Saúde, explicou que a questão [do regresso da Liga de futebol] terá de ser analisada nos próximos tempos para perceber se será possível voltar aos relvados sem aumentar o risco de propagação da COVID-19. 'Não me vou pronunciar muito, porque é uma questão muito complexa. Vai ter de ser analisado nos próximos dias, nos próximos tempos, entre a Liga de Clubes e as regras que a DGS institui para a população em geral. Temos regras e temos de ver como se aplicam para evitar que exista um aumento de propagação e contágio da doença", disse.

Boletim DGS

PORTUGAL: RTP 3 [13h10] | Números do dia em Portugal. A Direção-Geral da Saúde já divulgou os números e Portugal conta com 21 379 casos positivos (mais 516 do que ontem), 762 mortes (mais 27 em comparação a segunda-feira) e 917 recuperados. 

O secretário de Estado da Saúde anunciou que esta terça-feira, pela primeira vez, o número de recuperados é superior ao número de óbitos. 917 casos recuperados perante 762 mortes. António Sales avançou ainda que foram feitos, desde o dia 1 de março, cerca de 274 000 testes à COVID-19, sendo que 70% desses testes foram realizados no mês de abril. Sexta-feira, 17 de abril, continua a ser o dia com mais testes realizados, com cerca de 14 500 amostras processadas. 

ESPANHA: Site Oficial FC Barcelona [13h00] | O clube irá vender o 'naming' do estádio em prol da luta contra a COVID-19. Segundo o comunicado emitido pelo emblema blaugrana, pela primeira vez alguém terá a oportunidade de associar o seu nome ao nome do estádio (Camp Nou). O clube aprovou a cedência dos direitos para a época 2020/21, sendo que os dividendos serão doados à Fundação do Barcelona. O dinheiro será investido em projetos de pesquisa relativos aos efeitos da COVID-19.

ALEMANHA: Maisfutebol [11h50] | "Governo alemão autoriza Bundesliga a regressar a 9 de maio. Jogos terão de decorrer à porta fechada." "A Bundesliga pode estar perto de voltar à ação, mais de um mês depois de ter sido suspensa devido à pandemia de COVID-19. Segundo o ministro da Saúde alemão, Jens Spahn, o campeonato germânico tem autorização para regressar no próximo dia 9 de maio, mas à porta fechada. 'Com o plano geral [traçado pela Bundesliga], os jogos à porta fechada são novamente possíveis. É crucial que o risco de infeção seja minimizado. Mesmo que seja à porta fechada, [o regresso da Bundesliga] traria uma sensação de normalidade a milhões de adeptos no dia 9 de maio', disse, citado pelo Bild."

BÉLGICA: Le Libre [11h00] | "170 mortes nas últimas 24 horas." O número total de falecimentos ascenderam aos 5998, de acordo com o boletim epidemiológico divulgado nesta terça-feira pelas autoridades de saúde federais. Nas últimas 24 horas foram registados 973 novos casos confirmados de infeção por COVID-19. O número total ascende aos 40 956.

ESPANHA: ABC [10h12] | Espanha ultrapassa as 21 mil mortes. O número total de mortes é agora de 21 282, ou seja, mais 430 nas últimas 24 horas. Os casos positivos ascenderam aos 205 602, enquanto 82 mil doentes já se encontram recuperados.

Aguero Telescola Covid-19

INGLATERRA: FOX Sports | "Aguero será professor de espanhol para crianças inglesas em telescola de emissora britânica." O atacante do Manchester City foi escolhido pela BBC para dar aulas durante o período em que as escolas se encontram fechadas, devido à pandemia. "É uma altura difícil para as crianças e também para os pais, que tentam manter as crianças focadas na educação a partir casa. A BBC está a fazer um trabalho brilhante para ajudar e sinto-me honrado por fazer parte disso", disse Aguero.

20 de abril

DINAMARCA: Observador [20h09] | "Dinamarca reabre pequenas empresas." "A Dinamarca, segundo país da Europa a anunciar, há duas semanas, o alívio progressivo das restrições impostas para conter a propagação do coronavírus, reabriu esta segunda-feira cabeleireiros, estúdios de tatuagem, escolas de condução, clínicas de fisioterapia e dentistas."

Portugal

PORTUGAL: Lusa [18h49] | Organização Mundial de Saúde elogia Portugal. "Numa conferência de Imprensa na sede da organização, em Genebra, Michael Ryan, diretor do programa de emergências sanitárias, embora admitindo não estar a par de todos os dados sobre Portugal, disse que os números indicam que o país agiu de forma correta e que ‘a boa notícia’ é que o ritmo de crescimento da doença está estável. ‘Creio que [Portugal] agiu de forma racionalmente correta, os números indicam isso’, afirmou."

PORTUGAL: RTP3 [18h42] | 24 detidos por desobediência. Desde a entrada em vigor deste novo estado de emergência, foram detidas 24 pessoas até às 17h00 de hoje por desobediência, segundo informou o Ministério da Administração Interna. A tutela adiantou, igualmente, que foram encerrados 32 estabelecimentos por incumprimento das normas estabelecidas.

FRANÇA: Le Figaro [18h29] | Barreira dos 20 mil mortos ultrapassada em França. "O diretor-geral da Saúde, Jérôme Salomon, afirmou que França tem agora 20 265 mortes por COVID-19 (mais 547 em 24 horas). Há, ainda, um total de 30 584 pessoas que estão hospitalizadas, das quais 5863 em estado grave. Os doentes recuperados são 37 409 (mais 831 em 24 horas)."

ESPANHA: Conselho Superior do Desporto | Acordo para o regresso aos treinos do futebol profissional. "O Conselho Superior de Desporto (CSD), a La Liga e a Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF) concordaram com o regresso aos treinos por parte do futebol profissional, facto que está sujeito, em qualquer caso, à evolução da pandemia da COVID-19 e às decisões do Ministério da Saúde. Assim ocorrerá enquanto as condições sanitárias o permitirem e sob rigorosos protocolos de saúde."

ESTADOS UNIDOS: New York Times [17h34] | Número de óbitos mais baixo desde 2 abril em Nova Iorque. "O Governador Andrew Cuomo disse nesta segunda-feira que 478 pessoas morreram no Estado de Nova Iorque, o número mais baixo num dia desde 2 de abril. As mortes em todo o estado elevaram para as 14 347. O número de pacientes hospitalizados também baixa há seis dias, sendo que o registo é de 16 428."

ITÁLIA: La Repubblica [17h16] | Números de infetados em Itália continuam a descer. "Os dados do novo boletim de Proteção Civil relatam um declínio nas novas infeções: hoje foram 2256, o mínimo desde 11 de março, ontem haviam sido 3047. Desde o início do surto, 181 228 pessoas contraíram o vírus em Itália. Há 24 906 pessoas hospitalizadas, 2573 delas, nos cuidados intensivos. Os doentes recuperados são 48 877. Em Itália já morreram 24 114, mais 454 em 24 horas."

Papa Francisco

PORTUGAL: Público [16h59] | "Papa Francisco não vem a Portugal em 2022." "A Jornada Mundial da Juventude, agendada para agosto de 2022, foi adiada, anunciou o Vaticano esta segunda-feira, no boletim informativo diário da Santa Sé. Este evento, que será acolhido pela cidade de Lisboa, passa a realizar-se um ano mais tarde, em agosto de 2023."

REINO UNIDO: The Telegraph [16h30] | Mais de 400 mortes num dia. O Reino Unido registou mais 449 óbitos num dia, passando o máximo para 16 509. Os casos positivos diagnosticados são já 124 743.

ALBÂNIA: Expresso [15h48] | "Albânia reinicia diversas atividades após 40 dias de confinamento." "O Governo decidiu abrir hotéis e parques de campismo, na esperança de um regresso do turismo interno de praia e montanha, mas sob estritas medidas de distanciamento social."

EUROPA: Corriere della Sera | Aleksander Ceferin assume que as ligas podem ser jogadas à porta fechada. "Em entrevista ao jornal italiano 'Corriere della Sera', o presidente da UEFA, Aleksander Ceferin, assumiu que ‘as ligas europeias de futebol estão prontas para voltar à competição à porta fechada e, dessa forma, limitar o impacto negativo da suspensão causada pela pandemia da COVID-19’."

REPÚBLICA CHECA: Reuters [14h25] | Algum comércio já reabriu. "Mercados agrícolas, lojas de artesanato, concessionários de carros e salões de beleza abriram na República Checa, nesta segunda-feira. Este é mais um passo em direção ao regresso à vida normal, à medida que o Governo se torna mais confiante de que a pandemia de coronavírus está sob controlo."

PORTUGAL: CMTV [12h51] | António Sales pede para se confiar no SNS. Na conferência de Imprensa diária, o secretário de Estado da Saúde, António Sales, para além de apresentar os números, pediu para os portugueses terem confiança e acreditarem na capacidade do Serviço Nacional de Saúde. "Verificam-se 1208 casos em internamento, dos quais 215 em Unidades de Cuidados Intensivos (menos nove do que ontem). A taxa de letalidade é de 3,5 por cento, a taxa de letalidade acima dos 70 anos é de  12,8 por cento. Os doentes tratados em domicílio são 88,7 por cento. Neste momento, Portugal regista 54 por cento de ocupação dos cuidados intensivos", revelou.

"Os portugueses também têm receios e incertezas e é por isso, mais do que nunca, necessário reforçar a confiança na capacidade dos portugueses e nas capacidades do Serviço Nacional de Saúde. É nisso que trabalhamos todos os dias", assegurou o secretário de Estado.

Boletim DGS

PORTUGAL: TVI24 [12h39] | Números do dia em Portugal. A Direção-Geral da Saúde já divulgou o boletim diário e Portugal conta com 20 863 casos positivos (mais 657 do que ontem), 735 mortes (mais 21 em comparação com domingo) e os mesmos 610 recuperados.

MUNDO: France-Presse [12h30] | Mais de 165 mil mortos por coronavírus. Segundo um estudo feito para a agência de notícias France-Presse, já faleceram 165 216 pessoas através da COVID-19. Há, ainda, a registar 2 403 410 infetados em 193 países. O país mais fustigado são os Estados Unidos da América, com mais de 750 mil casos e 40 mil mortes.

SINGAPURA: South China Morning Post [12h28] | Singapura com recorde de casos num dia. "Singapura registou 1426 novas infeções na segunda-feira, um recorde nos casos da COVID-19. O número total de casos é de 8014, o mais alto do sudeste da Ásia e 11 mortes."

ESPANHA: El Mundo [12h06] | Mais de 200 mil infetados em Espanha. "O número de mortes por coronavírus continua a diminuir. Nas últimas 24 horas, 399 pessoas morreram em Espanha devido ao coronavírus, o número mais baixo desde 22 de março, chegando às 20 852 pessoas que perderam a vida. Embora as infeções também diminuam, para as 4266 num dia, segundo o balanço do Ministério da Saúde, já existem 200 210 infetados, e 80 587 pacientes recuperados."

BÉLGICA: La Libre [10h57] | Bélgica perto dos 40 mil casos e das 6000 mortes. "O Serviço Público de Saúde e o Conselho de Segurança Nacional fizeram um balanço dos últimos números relativos à epidemia de coronavírus na Bélgica. Nas últimas 24 horas, houve 168 novas mortes, elevando o total para 5828 pessoas que morreram de coronavírus desde o início da epidemia. Houve também 232 novos internamentos, passando o total 4920, dos quais 1071 estão em terapia intensiva; 8895 já recuperaram. Ao todo, existem 39 983 casos oficialmente detetados no país."

RÚSSIA: Moscow Times [08h58] | Número de infetados aumenta na Rússia. "A Rússia confirmou 4268 novas infeções por coronavírus, elevando o número oficial de casos do país para 47 121. A cifra das mortes está nas 361."

ALEMANHA: Instituto Robert Koch | COVID-19: Alemanha com números em decréscimo. O Instituto Robert Koch informou que o país registou 1775 novos casos, 110 mortes e 3500 doentes recuperados. Os totais são agora: 141 672 infetados, 4404 óbitos e 91 500 curados.

ESTADOS UNIDOS: Universidade Johns Hopkins | Quase 2000 óbitos em 24 horas. A Universidade Johns Hopkins revelou que 1997 pessoas morreram devido ao coronavírus nos Estados Unidos da América nas últimas 24 horas. O país regista 759 786 infetados, 40 683 mortos e 70 980 doentes recuperados.

19 de abril

COVID-19

PORTUGAL: Lusa [19h03] | "Mais 14 detidos por desobediência no âmbito do estado de emergência." "O Ministério da Administração Interna (MAI) anunciou que 14 pessoas foram detidas por crime de desobediência, até às 17h00 de hoje, no âmbito do terceiro período do estado de emergência, em vigor desde as 00h00 de sábado. No mesmo período, de acordo com o MAI, foram encerrados 22 estabelecimentos por incumprimento das normas estabelecidas."

TURQUIA: Público [18h34] | "Turquia tem o maior número de casos fora da Europa e dos Estados Unidos." "O número de casos confirmados na Turquia subiu para 86 306, o que faz com que o país tenha o maior número de casos de infeção fora da Europa e dos Estados Unidos, anunciou este domingo o ministro da Saúde turco, Fahrettin Koca. Nas últimas 24 horas registaram-se mais 3977 casos e realizaram-se 35 344 testes. Já morreram 2017 pessoas na Turquia e 11 976 recuperaram."

ESTADOS UNIDOS: New York Times [18h19] | Mais de 500 mortes em 24 horas. O Governador do Estado de Nova Iorque informou que "mais 507 pessoas morreram no estado, elevando o total de óbitos pelo vírus para 13 869."

ITÁLIA: La Repubblica [17h31] | Número de mortes em Itália em declínio. "Os dados do novo boletim de Proteção Civil relatam um declínio nas pessoas hospitalizadas. Hoje, existem 2635 pessoas em terapia intensiva e 25 033 pessoas ainda estão hospitalizadas com sintomas. Nas últimas 24 horas, 433 pessoas morreram (ontem foram 482 vítimas), atingindo um total de 23 660 mortes. A cura atingiu 47 055 doentes. Entretanto, 3047 novas infeções foram detetadas nas últimas 24 horas. O número total de pessoas que contraíram o vírus desde o início do surto é de 178 972."

FRANÇA: Le Figaro [17h00] | Quase 20 mil mortos em França pela COVID-19. "A epidemia de coronavírus matou pelo menos 19 718 pessoas em França, mais 395 em 24 horas, mas o número de pacientes hospitalizados e em terapia intensiva continua em declínio, segundo o diretor-geral da Saúde, Jérôme Salomon."

RÚSSIA: Lusa [15h53] | "Liga russa de futebol espera recomeçar competição em junho ou julho." "A Liga de Futebol da Rússia espera poder recomeçar o principal campeonato do país entre junho e julho, mas indica que tudo depende da situação da pandemia da COVID-19, indica uma nota divulgada hoje. Segundo a liga, ‘o campeonato começará assim que as autoridades retirem as restrições em vigor, de forma a permitir eventos públicos, entre os quais os desportivos’."

Laboratório de testes

HOLANDA: De Telegraaf [14h52] | Mais de 1000 casos novos num só dia. "Até agora, o coronavírus matou 3684 pessoas na Holanda. O Instituto Nacional de Saúde Pública e Meio Ambiente (RIVM) registou 83 novas mortes. No total, 32 655 foram testados positivamente, um aumento de 1066 em relação a ontem."

ÁFRICA: La Vanguardia [14h36] | Continente africano perto dos 20 mil casos. "Com 19 895 casos, 1016 mortes e 4642 doentes curados, o diretor da Organização Mundial de Saúde, Tedros Adhanom Ghebreyesus, alertou que o número de casos de coronavírus no continente multiplicou-se nos últimos sete dias."

EUROPA: Universidade Johns Hopkins | Mortes na Europa ultrapassam as 100 mil. Com o número de mortes atualizado no Reino Unido, a Europa ultrapassa os 100 mil óbitos. Os dados da Universidade Johns Hopkins revelam que já perderam a vida para a COVID-19, 100 316 pessoas. Itália ainda tem o maior número de mortes no continente, com 23 227, seguida por Espanha com um número de mortes de 20 453 e por França com 19 323.

REINO UNIDO: The Guardian [14h29] | "Mortes no Reino Unido passam as 16 mil." "No Reino Unido já morreram 16 060 pessoas devido ao coronavírus (mais 596 em 24 horas), informou o Departamento de Saúde e Assistência Social. Das 372 967 pessoas testadas, 120 067 deram positivo."

PORTUGAL: CMTV [12h30] Marta Temido garante entrega dos kits de extração amanhã. Na conferência de Imprensa diária, a ministra da Saúde, Marta Temido, assegurou que o stock de material de proteção e de testagem está salvaguardado. "A taxa de letalidade geral é de 3,5 por cento; a taxa de letalidade acima dos 70 anos é de 12,6 por cento. Do total de casos, 87,3 por cento estão a ser tratados no domicílio. Em termos de testes, desde 1 de março, já se fizeram cerca de 249 mil testes de diagnóstico. Desde 1 de abril, a média de testes por dia foi de 9800. Nesta semana foram entregues 9000 kits para teste PCR e cerca de 334 mil zaragatoas. Amanhã serão entregues os kits de extração de RNA. Hoje aterrou em Lisboa um avião com 65 dos 508 ventiladores que adquirimos à China. A Linha SNS24 continua a funcionar com regularidade, tendo um tempo médio de 28 segundo para atender uma chamada", revelou.

ALEMANHA: Instituto Robert Koch | Alemanha com perto de 90 mil curados. O Instituto Robert Koch divulgou os números da Alemanha em relação ao coronavírus. O país regista 139 897 casos diagnosticados e cerca de 88 000 doentes recuperados. O número de vítimas é, neste momento, 4294.

Boletim DGS

PORTUGAL: TVI24 [11h59] | Portugal passa os 20 mil infetados. A Direção-Geral da Saúde já revelou o boletim epidemiológico do dia. Portugal tem 20 206 casos confirmados (mais 521 do que no sábado), 714 pessoas perderam a vida devido ao coronavírus (mais 27 nas últimas 24 horas) e tem 610 doentes recuperados.

ESPANHA: El Mundo [11h49] | Menor registo de mortes em 24 horas. "O número diário de mortes em Espanha por coronavírus caiu para 410, uma queda significativa de 155 pessoas em comparação com os dados de ontem, de acordo com o último balanço oficial do Ministério da Saúde." Ainda assim, o país regista um total de 20 453 óbitos. Espanha tem "195 944 casos positivos confirmados."

PORTUGAL: Lusa [11h10] | "Hostel com cerca de 200 pessoas evacuado em Lisboa devido a um caso positivo." "Um hostel com cerca de 200 pessoas localizado na rua Morais Soares, na freguesia de Arroios, em Lisboa, foi, esta manhã, evacuado devido a um caso positivo da COVID-19."

BÉLGICA: La Libre [11h09] | Número de mortes na Bélgica continuam a descer. "A Bélgica divulgou os dados mais recentes sobre a epidemia de coronavírus. 265 pessoas foram hospitalizadas nas últimas 24 horas, elevando para 13 130 o número total de internados, dos quais 1081 estão em terapia intensiva; 230 belgas perderam a vida nas últimas 24 horas. Até agora, a Bélgica lamenta a morte de 5683 pessoas ligadas à COVID-19. Atualmente, 38 496 casos de coronavírus foram confirmados."

RÚSSIA: Moscow Times [09h03] | Novo recorde de casos num dia na Rússia. "A Rússia confirmou 6060 novas infeções por coronavírus, neste domingo, elevando o número oficial de casos do país para 42 853. No país, 361 pessoas morreram devido ao vírus."

ESTADOS UNIDOS: Universidade Johns Hopkins | EUA passam as 39 mil mortes. Segundo os dados apresentados pela Universidade Johns Hopkins, os Estados Unidos da América registam 735 287 casos detetados, 39 090 óbitos e 66 819 doentes recuperados.

18 de abril

ESPANHA: El Pais [19h43] | Governo espanhol prolonga o estado de emergência. O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez acaba de comunicar "a terceira renovação do estado de emergência no país, neste caso até ao dia 9 de maio."

PORTUGAL: Jornal da Madeira [19h11] | Cerca sanitária em Câmara de Lobos. "A freguesia de Câmara de Lobos vai ser sujeita a uma cerca sanitária, segundo revelou há momentos o presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, em conferência de imprensa digital, a segunda realizada este sábado."

EUA-Canadá

CANADÁ: Expresso [19h01] | "Estados Unidos e Canadá prolongam fecho de fronteiras por 30 dias." "O primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau, disse este sábado que os Estados Unidos e o Canadá acordaram manter fechadas as suas fronteiras a viagens não essenciais por mais 30 dias, devido à pandemia de COVID-19."

MARROCOS: Expresso [18h41] | Marrocos prolonga confinamento. "O estado de emergência sanitária foi prorrogado por um mês em Marrocos e dura até 20 de maio, anunciou este sábado o Governo marroquino. A decisão de prolongar as medidas de confinamento surge depois da divulgação dos últimos dados oficiais sobre a pandemia: 2670 pessoas infetadas; 137 óbitos e 298 recuperações."

FRANÇA: Le Figaro [18h20] | Mais de 19 mil falecimentos em França. "O número de mortos subiu para as 19 323 mortes em França, ou seja, mais 642 em 24 horas, afirmou a Direção-Geral da Saúde. Os hospitalizados no país são agora 30 639, dos quais 5833 em terapia intensiva."

ESTADOS UNIDOS: New York Times [17h35] | Mortes decrescem no Estado de Nova Iorque. "No briefing diário, o Governador do Estado de Nova Iorque, Andrew Cuomo, anunciou que o número diário de mortes baixou para as 540, contra as 630 do dia anterior." O coronavírus já matou mais de 13 mil pessoas no estado.

ITÁLIA: La Repubblica [17h27] | Itália baixa o número de óbitos em 24 horas. "Os dados do primeiro boletim divulgado pela Proteção Civil sem uma conferência de imprensa confirmam o declínio no número de mortes nas últimas 24 horas. 482 pessoas morreram (ontem houve 575 vítimas), atingindo um total de 23 227 mortes. Há 25 007 pessoas hospitalizadas, das quais 2733 estão em terapia intensiva. Os recuperados em Itália são agora 44 927. Foram detetadas 3491 novas infeções, sendo que, desde o início do surto, 175 925 testaram positivo."

REINO UNIDO: The Guardian [14h08] | Reino Unido passa as 15 mil mortes. Os números de coronavírus mostram que "15 464 pessoas morreram no Reino Unido depois de dar positivo para a COVID-19, informou o Departamento de Saúde e Assistência Social. Nas últimas 24 horas registou-se um aumento de 888 óbitos. 357 023 pessoas já foram testadas, das quais 114 217 deram positivo."

PORTUGAL: Público [13h45] | Marta Temido: "Podemos alternar entre momentos de contenção e de alívio." "A ministra da Saúde, Marta Temido, explicou na conferência de Imprensa que poderá ser seguida uma política que vai alternar medidas de contenção e de alívio. Como o vírus não poderá ser erradicado, e como com a abertura das medidas aumentará os riscos de recrudescimento da infeção, a ministra explicou o que pode acontecer daqui para a frente. ‘Podemos ter de alternar períodos de maior contenção com períodos de maior alívio. E se isto acontecer não é porque nos enganámos na estratégia, não é porque os portugueses fizeram algo errado, mas, porque à luz do conhecimento disponível essa alternância, essa adaptação de comportamentos, parece ser o melhor caminho a seguir para todos’."

Boletim DGS

PORTUGAL: TVI24 [12h20] | Casos recuperados sobem a bom ritmo. Segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde, o número de recuperados sobe a bom ritmo. Portugal tem 19 685 casos positivos (mais 663 do que ontem), 687 óbitos (mais 30 em 24 horas) e 610 doentes recuperados (mais 91 do que no dia anterior).

ESPANHA: El Mundo [12h02] | Espanha passa a cifra das 20 mil mortes. "Os dados apresentados pelo Ministério da Saúde revelam um novo aumento nos casos de coronavírus, que hoje somam 191 726 (4449 a mais do que no dia anterior) e de falecidos, totalizando 565 nas últimas 24 horas, atingindo os 20 043."

IRÃO: Tehran Times [11h00] | Irão passa as 5000 mortes. "O Ministério da Saúde iraniano informou que 73 pacientes com coronavírus perderam a vida no país nas últimas 24 horas, um declínio acentuado em comparação com 89 mortes no dia anterior. Ainda assim, já morreram 5031 pessoas no Irão desde o início do surto. Nas últimas 24 horas, 1374 novos pacientes foram infetados, disse o porta-voz do Ministério da Saúde Kianoush Jahanpour. O número total de pessoas diagnosticadas com o coronavírus no país atingiu as 80 868, das quais 55 987 recuperaram."

BÉLGICA: La Libre [10h57] | Números do dia na Bélgica. "O centro nacional de crise e o Serviço de Saúde Pública fizeram um balanço, neste sábado, em conferência de Imprensa, da evolução da epidemia de Covid-19 na Bélgica. Foram anunciadas 290 novas mortes nas últimas 24 horas. No total, 5453 pessoas perderam a vida devido à COVID-19. Houve, ainda, 303 novos doentes internados e 387 casos de recuperação. Foram detetados 1045 novos casos, num total de 37 183."

RÚSSIA: Moscow Times [08h39] | Novo recorde de casos na Rússia. "A Rússia confirmou 4785 novas infeções por coronavírus, elevando o número oficial de casos do país para 36 793. As mortes na Rússia por COVID-19 são já 313."

ALEMANHA: Instituto Robert Koch | Passada a barreira dos 4000 óbitos. São já 4110 as mortes por coronavírus na Alemanha, depois de se registar um aumento de 242 vítimas mortais em relação ao dia anterior.  De acordo com o Instituto Robert Koch (RKI), há 137 439 casos diagnosticados no país.

ESTADOS UNIDOS: Universidade Johns Hopkins | EUA passam os 700 mil infetados. A Universidade Johns Hopkins revelou os números dos Estados Unidos da América em relação à pandemia do novo coronavírus. Os infetados são 706 799, os óbitos registados são 37 079 e os doentes recuperados são 59 672.

antonio costa

PORTUGAL: Expresso | Primeiro-ministro António Costa em entrevista. Por via da pandemia do novo coronavírus, há várias incógnitas na equação de regresso da sociedade à normalidade, seja na vida pessoal, seja na vida profissional. Numa entrevista ao jornal "Expresso", o primeiro-ministro, António Costa, respondeu a várias questões, lembrando que os portugueses têm "de ser prudentes" nos próximos tempos, tentando normalizar as suas vidas e "convivendo com o vírus no próximo ano, ano e meio".

REGRESSO À NORMALIDADE SEM AGLOMERADOS

"O que gostaríamos era de, no Conselho de Ministros de 30 de abril, poder anunciar o calendário e o programa de desconfinamento progressivo de um conjunto de atividades que têm a ver com o sistema de ensino, com as atividades comerciais e de restauração e com as atividades culturais."

"Assim que seja possível, tomaremos as primeiras medidas. Não vamos estar a atrasar medidas."

"Num cinema, a lotação é restrita, os lugares passam a ser todos marcados, só podem vender bilhetes de duas em duas filas, de três em três cadeiras."

"A aglomeração não vai poder existir. As autarquias e as capitanias vão ter de tomar as medidas necessárias para que possamos ir à praia sem que se verifique uma aglomeração."

"Temos de ser prudentes no passo que damos para não ter crises de confiança e ir normalizando a nossa vida convivendo com o vírus no próximo ano, ano e meio."

Antonio Costa

FUTEBOL PODE SER À PORTA FECHADA

"Futebol vai ser à porta fechada ou só com os lugares cativos distribuídos pelo estádio."

ORÇAMENTO DE ESTADO SUPLEMENTAR

"O ideal era que o orçamento suplementar pudesse ser apresentado ainda antes da interrupção dos trabalhos parlamentares."

"Só faz sentido fazê-lo quando tivermos dados suficientemente sólidos sobre a situação económica, financeira, e as necessidades do país."

Antonio Costa

PORTUGAL NÃO PRECISA DE AUSTERIDADE

"O país não precisa de austeridade, precisa de relançar a economia. Já ando nisto há muitos anos para não dar hoje uma resposta que amanhã não possa garantir."

"A primeira prioridade foi conter a pandemia sem matar a economia. A nova prioridade que temos agora é a de reanimar a economia sem deixar descontrolar a pandemia."

NOVOS HORÁRIOS ESCOLARES

"De forma a que os estudantes que se desloquem para a escola e os trabalhadores que se desloquem para o trabalho não se cruzem nos transportes públicos, onde vai ser obrigatório, numa primeira fase, o uso de máscara."

Antonio Costa

TELETRABALHO SEGUE EM MAIO

"Manter o maior número possível de pessoas em teletrabalho ainda durante o mês de maio"

REFORÇO DE RECURSOS HUMANOS EM ALGUNS SECTORES

"Tínhamos enormes queixas na construção de falta de mão de obra, creio que é um problema (por más razões) que já não haverá. Temos o programa de reestruturação da floresta, que implica mão de obra intensiva, porque temos os incêndios a seguir. Temos também a necessidade de reforçar muito as condições de apoio pessoal, porque ficou manifesta a fragilidade de recursos humanos de muitas instituições de solidariedade social."

Antonio Costa

AS DÚVIDAS SOBRE O QUE ESPERAR DA UE

"Vamos ou não ter um fundo de recuperação? Como vai ser esse fundo? Vai ser integrado no próximo quadro plurianual? Vai ser financiado por reforço das transferências, por emissão de dívida da UE, por um reforço dos recursos com a criação de novas taxas?"

AUMENTO DA DESPESA E O APOIO ÀS EMPRESAS

"É necessário para acomodar o acréscimo da despesa que estamos a ter. Não estamos na fase da contenção, mas do aumento da despesa."

"Não podemos apoiar ilimitadamente porque é preciso ter consciência de que a despesa de hoje é o imposto de amanhã. É preciso perceber que não é altura de contar tostões para acudir às necessidades da saúde pública, mas obviamente temos de ter em conta que há amanhã."

17 de abril

Marcelo Rebelo de Sousa

PORTUGAL: Presidência da República | "Presidente da República promulga três diplomas do Governo." "O Presidente da República assinou hoje o diploma do Governo que executa o Decreto Presidencial que renova o estado de emergência até ao dia 2 de maio de 2020. O Presidente da República promulgou ainda os seguintes diplomas do Governo: Estabelece medidas excecionais e temporárias relativas à pandemia da doença COVID-19, permitindo o procedimento simplificado de ajuste direto para compra de equipamento médico e de proteção; Estabelece medidas excecionais e temporárias relativas ao setor do turismo, no âmbito da pandemia da doença COVID-19."

PORTUGAL: FPV | "Campeonatos nacionais dos escalões de formação concluídos." "Na sequência da sua reunião do dia 16.04.2020, realizada por videoconferência, deliberou a direção da Federação Portuguesa de Voleibol, por unanimidade dos presentes, atento o ponto único da sua ordem de trabalhos – Campeonatos Nacionais dos escalões de formação e aperfeiçoamento, o que abaixo se transcreve:

  • A suspensão presencial das atividades letivas do ensino básico, secundário e superior, sustentada em medidas governamentais;

  • A indissociável ligação entre a escola e a prática do voleibol;

  • A prorrogação do estado de emergência hoje decretada;

  • O valor primordial da saúde e a salvaguarda da integridade física dos jovens e crianças, assim como das suas famílias, em segurança e com a maior estabilidade possíveis;

  • A evolução da situação provocada pela pandemia de covid-19, deliberou a direção da Federação Portuguesa de Voleibol, após consulta aos seus associados, dar por concluídos todos os Campeonatos nacionais dos escalões de formação e aperfeiçoamento (desde os infantis até aos juniores B, inclusive), masculinos e femininos, sem que sejam atribuídos títulos nas referidas competições.

Ciente do papel insubstituível dos clubes, bem como da sua primordial relevância enquanto formadores de atletas de voleibol, a Federação Portuguesa de Voleibol agradece-lhes todo o apoio e solidariedade demonstrados, mais deixando uma palavra de apreço e esperança a todos os agentes desportivos, neste que é um momento de inegável união de toda a família do voleibol, e que tanta força nos dá para a projeção e preparação, já em curso, da próxima época desportiva."

FRANÇA: Le Figaro [18h36] | França acrescenta mais de 750 mortes num dia. "O diretor-geral da Saúde, Jérôme Salomon, detalhou a avaliação diária da epidemia de COVID-19 em França. Há 31 190 pessoas hospitalizadas por infeção do coronavírus, mais 2167 em 24 horas. Destes, 6027 estão em terapia intensiva. No total, a mortalidade atingiu 18 681 pessoas, mais 761 do que no dia anterior."

ESTADOS UNIDOS: New York Times | Mais 630 óbitos registados no Estado de Nova Iorque. Em conferência de Imprensa, o "Governador do Estado de Nova Iorque comunicou novas 630 mortes em 24 horas, passando o total do estado para os 12 822 falecimentos."

PORTUGAL: Lusa [18h09] | "177 detenções por desobediência no segundo período do estado de emergência." "O ministro da Administração Interna anunciou hoje que foram detidas 177 pessoas por desobediência durante os quinze dias do segundo período de estado de emergência devido à pandemia de COVID-19."

ITÁLIA: La Repubblica [17h18] | Itália passa a barreira dos 170 mil casos positivos. "O chefe da Proteção Civil, Angello Borrelli, anunciou que a conferência de imprensa diária, realizada continuamente desde 22 de fevereiro, não será mais realizada. (…) ‘Continuaremos a garantir a máxima transparência dos dados todos os dias, transmitindo-os no site’, disse Angello Borrelli. Nas últimas 24 horas, 575 pessoas morreram, atingindo um total de 22 745 mortes. O boletim divulgado relata uma diminuição nas pessoas hospitalizadas: 25 786 doentes ainda estão em unidades hospitalares com sintomas, dos quais 2812 em terapia intensiva. A cura atingiu 42 727 doentes, enquanto 3493 novas infeções foram detetadas nas últimas 24 horas. O número total de pessoas que contraíram o vírus desde o início do surto é de 172 434."

Eduardo Cabrita

PORTUGAL: RTP3 [16h59] | As medidas no novo estado de emergência em Portugal. O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, em conferência de Imprensa, apresentou as medidas que sustentam o decreto da renovação do terceiro estado de emergência, que vigorará até às 00h00 de 2 de maio. "Faremos uma apresentação dos aspetos inovadores do decreto do Governo para a renovação deste terceiro estado de emergência. Este período caracteriza-se pela estabilidade das medidas previstas em relação ao período anterior, de acordo com o princípios daquilo que os portugueses esperam e no grande consenso existente em termos sociais na aplicação das restrições a direitos fundamentais. O que os portugueses esperam é a manutenção de um esforço que o Governo saúda com uma adesão voluntária e que nos permita, na próxima quinzena, consolidar os resultados animadores que o Ministério da Saúde tem vindo a transmitir, e que permitam programar uma gradual, progressiva e coordenada de alguns sectores de atividade em maio", começou por referir.

"As alterações mais significativas tem que ver com o levantamento da cerca sanitária de Ovar. A cerca sanitária foi determinada há cerca de um mês, vigorou por dois períodos de cerca de 15 dias. Queria salientar o reconhecimento pelo esforço da população de Ovar que permitiu mitigar a pandemia no município. Não decorre daí que não haja restrições a liberdades como a de circulação em Ovar. Aplicam-se as regras em vigor em todo o território nacional. Mantêm-se as regras da organização empresarial, como limitação do trabalho a quem tem mais de 60 anos e estruturação para que se garantam condições de higiene, mas modelos laborais que sejam compatíveis para que nunca convivam no mesmo espaço empresarial mais do que um terço dos trabalhadores", esclareceu o ministro.

"Relativamente às celebrações oficiais do 1.º de maio, aguardamos as indicações das autoridades da saúde sobre os requisitos de distanciamento social que condicionaram as celebrações oficiais e, na próxima semana, as forças de segurança e o Ministério da Administração Interna entrarão em contato com as duas centrais sindicais para que se estabeleçam as condições adequadas para que seja cumprido esta parte do decreto", sublinhou.

"Prosseguimos o apoio ao regresso a Portugal de cidadãos nacionais. Foram apoiados 4212 portugueses, cerca de 80 por cento dos que solicitaram. Estão a ser feitas diligências para apoiar o regresso de todos os cidadãos nacionais ao País. Quero, ainda, destacar uma área fundamental e de intervenção prioritária: o acompanhamento a cerca de 100 mil portugueses que estão nos lares. Foi possível estabelecer contatos com a União das Misericórdias e através das comunidades intermunicipais, para a criação de um programa de realização de  testes direcionados aos trabalhadores de lares e, sempre que sinalizado, aos utentes dos lares", adiantou Eduardo Cabrita.

ITÁLIA: La Gazzetta dello Sport [16h18] | Presidente da Federação Italiana de Futebol acredita no regresso do futebol no país em maio. "Gabriele Gravina, presidente da Federação Italiana de Futebol (FIGC) revelou que ‘amanhã vai ser entregue o protocolo aos ministros [Vicenzo] Spadafora e [Roberto] Speranza’. Em seguida, acrescentou: ‘Espero que cada equipa possa jogar no seu próprio estádio. Se tivermos de projetar no tempo, gostaria de dar aos italianos a esperança de que, entre o final de maio e o início de junho, seja possível jogar também nos estádios do norte de Itália’."

Graça Fonseca e Mariana Vieira da Silva

PORTUGAL: SIC Notícias [15h35] | Governo apresenta medidas de apoio ao sector do jornalismo. Através das ministras do Estado e da Presidência e a da Cultura, Mariana Vieira da Silva e Graça Fonseca, foram conhecidas, em conferência de Imprensa, as medidas de apoio ao sector da Comunicação Social.

Mariana Vieira da Silva foi a primeira a intervir e abriu um pouco o livro sobre que tipo de apoio vai ser disponibilizado ao jornalismo nos tempos mais próximos. "Estas necessidades vão ser aprofundadas e alargadas. Teremos a informação da Direção-geral de Saúde a ter que ser aprofundada para este momento de regresso à normalidade, como as regras de higiene e segurança no trabalho, proteção civil e funcionamento das escolas nos meses que se seguem. Menos diretamente, mas ainda ligado à COVID-19, o combate à violência doméstica e às descriminações, todo um conjunto de regras de mudança no funcionamento do Estado e dos serviços públicos. Como tal, o Governo tomará, para a semana, uma decisão de compra de publicidade institucional, que será organizada de forma transversal a todos os serviços da administrarão pública que precisem de comunicar procedimentos", revelou.

A ministra da Cultura, Graça Fonseca, explicou ao detalhe em que consistirá o apoio ao sector, revelando valores e que tipo de publicidade institucional será lançada nos diversos meios. "Este é um tempo em que precisamos de comunicar e informar as pessoas numa forma que transmita confiança na informação que as pessoas recebem, não só no âmbito da saúde pública, mas também no regresso progressivo à normalidade. A publicidade institucional ganha agora um papel mais relevante. A publicidade institucional é, segundo a Lei, uma campanha desenvolvida por entidades do Estado com o sentido de divulgar mensagens mediante a aquisição onerosa de espaços publicitários. A Lei da publicidade institucional obedece a critérios, distribuição das campanhas em vários órgãos de Comunicação Social de forma proporcional. Este é um ano (2020) – mas em 2021 ainda será provavelmente necessário – para investir em publicidade institucional. O Governo alocará 15 milhões de euros para a aquisição antecipada de espaço de publicidade institucional em rádio e televisão, em programas generalistas e temáticos informáticos e em publicações periódicas de informação geral. Com esta decisão, o Estado está a atuar em nome do interesse público, assumindo a comunicação com os cidadãos, destinada a campanhas humanitárias e sociais; literacia mediática, para garantir que as pessoas acedem a informação fidedigna; campanhas para divulgação de atividades culturais e retoma da atividade económica. Este processo será articulado com a ERC. Através desta decisão, o Estado está a apoiar a Comunicação Social, considerada um pilar fundamental da nossa democracia. Precisamos de jornalismo livre e plural", esclareceu.

MUNDO: France Presse [14h24] | Perto de 150 mil mortes por coronavírus no mundo. "A China anunciou cerca de 1300 mortes adicionais em Wuhan, elevando para 4632 o número de óbitos registados no país por coronavírus. Com esta revisão, os falecimentos são 145 673, de acordo com um estudo da AFP sobre a COVID-19. A Europa é o continente com mais mortes: 94 021 em 1 099 211 casos detetados. Mais de 2 182 000 casos do novo coronavírus foram oficialmente declarados em todo o mundo. Os Estados Unidos da América são o país com mais casos e mais mortes: 671 425 e 33 286, respetivamente."

REINO UNIDO: The Guardian [14h11] | Mais de 800 mortes num dia. "O Departamento de Saúde e Assistência Social publicou os últimos números de mortes de coronavírus no Reino Unido. Houve 847 novas mortes, elevando o total para 14 576. Foram testadas 341 551 pessoas, das quais 108 692 deram positivas."

RÚSSIA: Moscow Times [13h02] | Mais de 4000 casos novos na Rússia. "A Rússia confirmou 4070 novas infeções por coronavírus nesta sexta-feira, elevando o número oficial de casos do país para 32 008. Até o momento, foram registadas 273 mortes."

PORTUGAL: CMTV [12h41] | António Sales revela a chegada de testes de biologia molecular. Na conferência de Imprensa diária, o secretário de Estado da Saúde, António Sales, apresentou os números do dia e deixou novidades sobre a capacidade de testagem do País. "Conforme o relatório epidemiológico, registam-se 19 022 novos casos de COVID-19 (mais 1 por cento). Por outro lado, verificam-se 1284 casos em internamentos, dos quais 222 nos cuidados intensivos (menos sete casos). A taxa de letalidade é de 3,5 por cento; a taxa de letalidade acima dos 70 anos é de 12,4 por cento. As pessoas em tratamento domiciliário são 87,1 por cento dos casos. Desde 1 de março foram processadas cerca de 224 mil amostras para COVID-19, das quais 10,5 por cento do total com resultado positivo", observou.

"Ultrapassámos a nossa capacidade de 11 mil testes por dia e o aumento do número de testes não se reflete num aumento proporcional de amostras positivas. Esta semana, distribuímos mais 272 mil testes. Ainda sobre testes, a resposta tem sido dinâmica à fase epidemiológica. Em breve, vão ser distribuídos os primeiros 5000 testes de biologia molecular, que permitem resultados em 45 minutos a uma hora e que podem ser usados em ambiente hospitalar e de urgência. Foi reforçada a capacidade nacional de ventiladores em 426", apresentou António Sales.

Boletim DGS

PORTUGAL: TVI24 [12h15] | Número de novos casos com subida residual. A Direção-Geral de Saúde já revelou os dados epidemiológicos do dia, onde se destaca o crescimento residual de novos casos em 24 horas. Portugal tem 19 022 casos positivos (mais 181 do que ontem), 657 óbitos (+28 em 24 horas) e 519 doentes recuperados (mais 26 em comparação com o dia anterior).

ÁFRICA: Lusa [11h46] | Continente africano perto da cifra das 1000 mortes. "O número de mortes provocadas pela COVID-19 em África subiu para 961 nas últimas horas, com mais de 18 mil casos registados em 52 países, de acordo com a mais recente atualização dos dados da pandemia naquele continente. Segundo o boletim do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), nas últimas 24 horas, o número de mortes registadas subiu de 910 para 961, enquanto as infeções aumentaram de 17 247 para 18 333."

ESPANHA: El Mundo [11h12] | Infetados crescem em Espanha. "O novo documento confirma 188 068 casos confirmados, representando 5252 novos casos e 19 478 mortes, o que implica mais 585 óbitos. No entanto, nesta quinta-feira, os casos recuperados somam agora os 72 963."

BÉLGICA: La Libre [10h56] | Bélgica passa as 5000 mortes. "O centro nacional de crise e o Serviço Público de Saúde atualizaram nesta sexta-feira, 17 de abril, em conferência de Imprensa, a evolução da epidemia de coronavírus na Bélgica. Nas últimas 24 horas, houve 313 novas mortes, elevando o total para as 5163 pessoas morreram de coronavírus desde o início da epidemia. No que concerne aos internamentos, houve 320 novos em 24 horas (5161 no total) e 1140 em terapia intensiva. Houve 1329 novos casos, sendo que, ao todo, estão contabilizados 36 138 casos oficiais detetados."

CHINA: Observador [08h07] | "China revê números do novo coronavírus em Wuhan." "O número de casos e de mortes pelo novo coronavírus em Wuhan sofreu esta sexta-feira um aumento exponencial depois de as autoridades chinesas terem revisto os números previamente anunciados. Assim, foram anunciadas 1290 mortes por COVID-19 no epicentro da epidemia na China, o que equivale a um aumento de 50 por cento face aos dados anteriores, e 325 novos casos de infeção, elevando o total de mortes para 3869 e de casos para 50 333."

ESTADOS UNIDOS: Universidade Johns Hopkins | EUA com perto de 4500 mortes em 24 horas. Com 671 425 casos diagnosticados, os Estados Unidos da América são o país com mais casos de coronavírus no mundo. Registam-se 33 286 mortes e 56 236 doentes recuperados.

16 de abril

PORTUGAL: Lusa [20h53] | Mais 29 reclusos libertados. "Vinte e nove reclusos foram hoje libertados por aplicação das normas excecionais de flexibilização de penas, devido à pandemia de COVID-19, num total de 1164 mandados de libertação emitidos desde sábado."

BRASIL: Rádio Renascença [20h48] | "Em plena pandemia de Covid-19, Bolsonaro demite ministro da Saúde." "O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, exonerou esta quinta-feira o seu ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, no meio da pandemia provocada pelo novo coronavírus, após várias semanas de confronto entre ambos em relação ao isolamento como medida preventiva."

Marcelo Rebelo de Sousa

PORTUGAL: RTP [20h00] Estado de emergência: intervenção de Marcelo Rebelo de Sousa ao País. No Palácio de Belém, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, explicou as razões para nova renovação do estado de emergência até 2 de maio e elogiou os portugueses. "Acabo de assinar a segunda – e desejo que seja a última – renovação do estado de emergência, a vigorar até às 00h00 de 2 de maio. Estamos agora mais próximo do fim de abril, o mês decisivo para ganharmos a segundo fase, e estamos a ganhá-la. Tínhamos de fazer da Páscoa um tempo de contenção reforçado e fizemos, tínhamos de pedir aos compatriotas para adiar as férias da Páscoa e eles fizeram-no, tínhamos de definir um quadro com a compreensão de pais e professores para este fim acidentado de ano letivo e definimos, tínhamos de garantir que uma medida humanitária de clemência não comtemplasse crimes merecedores de especial juízo de censura penal e garantimo-lo, tínhamos de manter a descida do crescimento de infetados para menos de cinco por cento, e, sobretudo, manter a descida da percentagem de infetados graves a precisar de internamento ou cuidados intensivos e mantivemo-la. Assim, sem alarde, agricultores mantiveram a sua faina, empresas industriais retomaram o trabalho, até dentro de cercas sanitárias, comércio e serviços reajustaram-se à crise. É uma parte da nossa economia real a querer avançar, em teletrabalho e presencialmente. Aqui cerâmicas, ali construção civil, acolá material para construção… muito transporte público e de mercadorias. É verdade que, com muitos sectores e trabalhadores, a sofreram nos ordenados e no trabalho", começou por afirmar.

Marcelo Rebelo de Sousa

"Aqui chegados, porquê esta renovação do estado de emergência? Primeira razão: a nossa tarefa nos lares não desperdiçou um minuto, mas precisa de mais tempo. Detetar, despistar, isolar e preservar é importante para quem lá está, mas também para quem está cá fora. Consolidar essa tarefa é ainda imperativo; segunda razão: somos o quarto País da Europa que mais testa por milhão de habitantes e, mesmo assim, o número total de contaminados de hoje fica abaixo dos 20 mil ou 30 mil que dizia há uma semana, mas temos de continuar a estabilizar o número de internados em geral e nos cuidados intensivos para que o nosso Serviço Nacional de Saúde se encontre em condições de responder à evolução do surto em caso de aumento dos contactos sociais. Uma coisa é conviver com o vírus em atividade aberta, sabendo que a situação está controlada, outra, bem diferente, é provocar recuos e recaídas já experimentados em sociedades que conhecemos; a terceira razão, porventura a mais relevante: a presente renovação do estado de emergência está pensada de tal forma que dá tempo ao Governo para definir critérios, isto é, para estudar e preparar, para depois do fim de abril, a abertura gradual da sociedade e da economia, atendendo a tempo, a modo, a territórios, a áreas e a sectores. Com uma preocupação essencial: criar segurança e confiança aos portugueses, para que possam sair de casa e retomar as suas vidas, sem se correr o risco de passos precipitados ou contraproducentes", advertiu o Presidente da República.

Marcelo Rebelo de Sousa

"Uma palavra para os da minha idade ou acima dela ou mesmo os que estão abaixo, mas que têm problemas de saúde. Não tenham receio! Ninguém minimiza a vossa entrega de várias décadas, tal como ninguém vos quer encerrar num gueto, dividindo os portugueses entre os que são imprescindíveis e resistem e os que frágeis que são descartáveis. Cuidar de vós é diferente dos vos menorizar. Outra palavra para os mais jovens, de quem poucos falam: admiro a vossa capacidade de reagir ao maior choque da vossa vida. Uma terceira palavra é para os autarcas. Se alguém, passado este momento, a pretexto de uma visão estreita, questionar decisões dramáticas tomadas de boa-fé, serei o primeiro a testemunhar que foi fundamental o vosso papel de proximidade. E duas dúvidas finais: Será que maio poderá corresponder às expectativas suscitadas? Será possível suportar, por algum tempo, mais tamanhas privações neste caminho a que tantos estrangeiros chamam o milagre português? Tudo dependerá do que conseguirmos até ao fim de abril. Isso será medido dentro de duas semanas e do bom senso com que gerirmos abertura sedutora, mas complexa. No meu espírito conjugam-se esperança e compreensão do dever a cumprir. Maio tem de ser o mês dessa ponte entre o dever e esperança. Retenhamos isto: uma crise na saúde bem encaminhada e uma abertura bem ponderada, dão força à sociedade e à economia. Do emprego ao consumo, da cultura à Comunicação Social, do investimento ao turismo; uma crise na saúde menos controlada e uma abertura menos bem acautelada podem criar problemas à vida, à saúde, à sociedade e à economia. Há espaço para pedir aos portugueses mais este esforço de contenção? Claro que haverá!"

Marcelo Rebelo de Sousa

"O cansaço aperta. Temos de resistir a facilidades tentadoras e deitarmos a perder maio com precipitações em abril. É verdade que bastante está a ser ganho, mas ainda nos falta o mais difícil. Como diz o povo: não queremos morrer na praia. Será este caminho já feito um milagre como dizem? É bom que pensem que sim, mas nós sabemos que não. É fruto de muito sacrifício e de, nas fases cruciais, quem tem responsabilidade política, ter ouvido os especialistas e ter feito deste o combate das duas vidas, nomeadamente o Primeiro-ministro, o Governo, o Presidente da Assembleia da Republica, os partidos políticos… Isso é que ficará para a história. É ainda fruto da dedicação de quem, há um mês e meio, demonstra que não tem preço dedicar tudo a salvar vidas. É fruto de todos nós termos atuado cedo, de termos estado solidários, com determinação, coragem e zelo. Se isto é um milagre, então nós, portugueses, somos um milagre vivo há quase nove séculos. Se isto é um milagre, o milagre chama-se Portugal", elogiou Marcelo Rebelo de Sousa.

PORTUGAL: Lusa [19h24] | "Detidas 167 pessoas no segundo período do estado de emergência." "A GNR e a PSP detiveram até às 17h00 de hoje 167 pessoas por desobediência e encerraram 396 estabelecimentos por incumprimento durante o segundo período do estado de emergência devido à COVID-19, anunciou hoje a tutela."

PORTUGAL: Açoriano Oriental [19h01] | "Cercas sanitárias em São Miguel vão manter-se." "O presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, anunciou esta quinta-feira que as cercas sanitárias na ilha de São Miguel vão manter-se até dia 1 de maio."

FRANÇA: Le Figaro [18h30] | França com perto de 18 mil óbitos por COVID-19. "O diretor-geral da Saúde, Jérôme Salomon, divulgou o relatório diário sobre a epidemia da COVID-19 em França. Atualmente, 31 305 pessoas estão hospitalizadas, 1823 nas últimas em 24 horas. Há 6248 pacientes em terapia intensiva; no que diz respeito à mortalidade, há um total de 17 920 mortes registadas desde o início da epidemia, sendo que em 24 horas foram relatados 753 novos óbitos; há mais de 32 mil curados no país."

Mário Centeno

PORTUGAL: RTP3 [18h28] | Mário Centeno apresenta medidas de apoio às empresas e à economia. Em audição no Parlamento, o ministro das Finanças, Mário Centeno, apresentou as medidas económicas e fiscais de ajuda às famílias e às empresas, e que podem permitir o retomar económico-financeiro do País. "Tudo o que estamos a viver é inédito na história moderna. Por isso, na primeira linha respondemos à crise sanitária e preparamos a reação a curto prazo à liquidez de trabalhadores e empresas. Destaco duas grandes linhas que nos permitem, na primeira fase, amortecer o choque que atravessamos. A primeira traduzida no ajuste das responsabilidades, perante a banca, de famílias, empresas, trabalhadores independentes e instituições de terceiro sector; a segunda linha tem que ver com a fiscalidade. A moratória pretende proteger as famílias portuguesas mais afetadas nos rendimentos no que respeita ao crédito habitação e proteger as empresas que estão a registar quebras nos seus negócios, permitindo, a umas e outras, adiar o pagamento às instituições financeiras neste período", observou.

"Todas as obrigações em sede de IRC foram transferidas para o 3.º trimestre, as obrigações fiscais de pagamento que se vencem no 2.º trimestre foram flexibilizadas por via no pagamento fracionado em três ou seis prestações sem juros. As execuções fiscais foram suspensas. Estamos a fazer um grande esforço da tesouraria do Estado. Os apoios ao tecido empresarial complementam-se com acesso às linhas de crédito. Neste momento, são mais de três mil milhões de euros em créditos garantidos em novos empréstimos. O regime simplificado de layoff já protegeu mais de um milhão de trabalhadores", reconheceu o ministro.

"O quadro orçamental que se avizinha decorrerá da discussão que os vários países têm mantido e vão continuar a manter. A Europa conseguiu, em apenas 10 dias, disponibilizar um volume de 540 mil milhões de euros para apoiar, no imediato, os países do Euro e da União Europeia. Um primeiro passo, mas imprescindível para assegurar uma rede de segurança para o longo caminho que temos de trilhar para a recuperação da economia", sublinhou.

"A economia portuguesa irá contrair no segundo trimestre numa dimensão jamais vista. A queda deverá ser quatro vezes superior à do pior trimestre da crise anterior. Em 2020 perdemos uma parte significativa do nosso PIB. Temos de retomar com determinação e estou convicto que, em 2021, teremos uma recuperação robusta da economia. As contas públicas estão equilibradas e têm capacidade de dar resposta nesta fase", assegurou Mário Centeno.

ITÁLIA: La Repubblica [17h33] | Mais de 22 mil mortes em Itália. "Os dados do novo boletim apresentado pela Proteção Civil relatam que 26 893 pessoas estão hospitalizadas com sintomas, das quais 2936 em Unidade de Cuidados Intensivos. Nas últimas 24 horas, 525 pessoas morreram, atingindo um total de 22 170 óbitos. A cura atingiu 40 164 pessoas em Itália. Foram detetadas 3786 novas infeções, sendo que o número total de pessoas que contraíram o vírus desde o início do surto é de 168 941."

Assembleia da República

PORTUGAL: SIC Notícias [17h14] | Assembleia da República aprovou novo estado de emergência. Os partidos políticos com acento parlamentar já decidiram sobre o novo decreto do Presidente da República para o prolongamento do estado de emergência. O mesmo foi aprovado com os votos favoráveis do PS, PSD, BE, CDS e PAN; os votos contra do PCP, da IL e da deputada Joacine Katar Moreira; a abstenção do Chega e de Os Verdes.

INGLATERRA: The Guardian [17h06] | Confinamento por mais três semanas. "Em conferência de Imprensa, Dominic Raab, primeiro secretário de Estado do Governo, revelou que as medidas de confinamento vão ser estendidas por mais três semanas. ‘O levantamento das medidas levaria ao ressurgimento do vírus e isso prejudicaria a economia’."

SUÉCIA: Dagens Nyheter [16h57] | Proibições de entrada no país vão ser estendidas até 15 de maio. "A entrada de pessoas de outros países da União Europeia continuará a ser proibida até 15 de maio. Assim decidiu o Governo sueco."

ESTADOS UNIDOS: New York Times [16h41] | "Em quatro semanas, 22 milhões de americanos perderam o emprego." "Mais de 5,2 milhões de trabalhadores foram adicionados à lista de desempregados no país. Nas últimas quatro semanas, o número de pedidos de desemprego atingiu os 22 milhões – aproximadamente, o número líquido de empregos criados num período de nove anos e meio, que começou após a última recessão e terminou com a chegada da pandemia."

MUNDO: France Presse | "Mais de 90 mil mortes na Europa." "Mais de 2 083 820 casos do novo coronavírus foram declarados oficialmente em todo o mundo, incluindo mais de 137 500 mortes, de acordo com um estudo da AFP. Os Estados Unidos da América são o país com mais mortes e casos positivos: 30 985 mortes e 639 644 casos. A Europa ultrapassou as 90 000 mortes nesta quinta-feira, o que representa mais de 65 por cento das mortes em todo o mundo. Os países mais afetados são Itália, Espanha, França e Reino Unido."

REINO UNIDO: The Telegraph [15h32] | Reino Unido passa as 13 mil mortes. "Mais 861 pessoas morreram no Reino Unido após testes positivos para a COVID-19, elevando o número total de mortes confirmadas para 13 729." Os casos positivos são 103 093.

RÚSSIA: Moscow Times [15h09] | Rússia com cerca de 3500 casos novos em 24 horas. "A Rússia confirmou 3448 novas infeções por coronavírus nesta quinta-feira, elevando o número oficial de casos do país para 27 938. As mortes por coronavírus no país estão nas 232."

Zurique

SUÍÇA: The Guardian [14h59] | Medidas restritivas vão aliviar a partir de 27 de abril. "As restrições para combater a disseminação do coronavírus na Suíça serão gradualmente aliviadas a partir de 27 de abril. Nesta quinta-feira, o Governo afirmou que os hospitais podem realizar todos os procedimentos, incluindo cirurgias, enquanto os salões de cabeleireiro e as salas de massagens poderão reabrir."

EUROPA: EHF.com | Final four da Liga dos Campeões de andebol adiada para dezembro. "Devido à pandemia da COVID-19, a Federação Europeia de Andebol adiou a final four 2020 [da Liga dos Campeões], definindo 28 e 29 de dezembro de 2020, na arena LANXESS de Colónia, como as novas datas para o evento. Os ingressos que já foram comprados permanecem válidos para a edição de dezembro. O final de semana da final da Liga dos Campeões estava previsto inicialmente para 30 e 31 de maio. No entanto, à luz da crise global da saúde, fora transferida para 22 e 23 de agosto e agora voltou a ser adiada."

PORTUGAL: CMTV [12h56] | António Sales reforça a eficácia da plataforma Trace COVID e da Linha SNS24. Em conferência de Imprensa, o secretário de Estado da Saúde, António Sales, apresentou os números do dia revelados pela DGS. "Comecemos pelos números: conforme o relatório epidemiológico revelado há pouco, registam-se 18 841 casos de COVID-19, o que representa mais 4,1 por cento; verificam-se 1302 casos em internamento, dos quais 229 em cuidados intensivos; registam-se 493 casos de recuperação e, finalmente, 629 óbitos, que lamentamos. A taxa de letalidade é de 3,3 por cento e a taxa de letalidade acima dos 70 anos é 12 por cento", enumerou.

"A aplicação Trace COVID tem mais 35 mil pessoas a serem acompanhadas por vigilância clínica em casa. Hoje, há mais de 73 200 profissionais nesta plataforma, que conta com mais de 110 500 utentes inscritos. A Linha de SNS24 está a receber mais de 9500 chamadas por dia. Esta linha deve ser usada também em caso de dúvida com outras patologias. No que toca a material de proteção individual, recebemos, esta semana, cerca de 900 mil respiradores FFP2 e FFP3 e seis milhões de máscaras cirúrgicas, entre outros equipamentos", revelou António Sales.

"Conscientes do desafio que o recolhimento significa, a Direção-Geral de Saúde publica hoje no site COVID-19 um manual para ajudar as famílias a lidar com o isolamento, com dicas importantes sobre situação de violência, risco e segurança online", partilhou o secretário de Estado.

Boletim DGS

PORTUGAL: TVI24 [12h40] | Números do dia em Portugal. O boletim do dia da Direção-Geral da Saúde já foi divulgado e mostra um grande crescimento no número de doentes recuperados em 24 horas. Portugal conta com 18 841 casos positivos de coronavírus (mais 750 do que ontem) e 629 mortes (mais 30 em 24 horas). Os doentes recuperados são agora 493 (mais 110 do que os revelados no dia anterior).

ALEMANHA: Instituto Robert Koch | Alemanha passa os 130 mil casos e as 3500 mortes. Segundo o Instituto Robert Koch, o país teve mais 2866 casos, passando o total para os 130 450 casos positivos; os óbitos são agora 3569.

IRÃO: Tehran Times [12h00] | Irão volta a ter menos de 100 óbitos num só dia. "O número de mortes por coronavírus no Irão em 24 horas voltou a estar abaixo da centena (92), menos cinco – 97 – face ao dia anterior. Nas últimas 24 horas, 1606 novos doentes foram identificados, disse o porta-voz do Ministério da Saúde Kianoush Jahanpour. O número total de pessoas diagnosticadas com o coronavírus no país atingiu as 77 995, das quais 52 229 recuperaram."

ESPANHA: El Mundo [11h57] | Mais de 19 mil falecidos em Espanha. "O balanço diário dos dados de coronavírus mostra 182 816 casos confirmados, o que implica um aumento de 2 por cento. O número de mortos cresceu num dia para as 551 pessoas, elevando o total de óbitos para os 19 130."

BÉLGICA: La Libre [10h57] | Bélgica aproxima-se das 5000 mortes por COVID-19. "O centro nacional de crise e o Serviço Público de Saúde atualizaram, em conferência de Imprensa, a evolução da epidemia de coronavírus na Bélgica. Nas últimas 24 horas, ocorreram 417 novas mortes, elevando o total para 4857 pessoas morreram de coronavírus desde o início da epidemia. Houve 310 novas hospitalizações em 24 horas, com o total a ser de 5309; os recuperados no país são 7562. Ao todo, são 34 809 casos oficialmente detetados desde o início do surto."

ESPANHA: El Pais [9h51] | "O escritor chileno Luis Sepúlveda morre com coronavírus em Oviedo." "O escritor Luis Sepúlveda [Ovalle, Chile, 1949] morreu nesta quinta-feira no Hospital Universitário Central das Astúrias (Oviedo). Sepúlveda foi um dos primeiros casos de coronavírus positivo em Espanha. (...) Autor de mais de vinte romances, livros de viagens, roteiros e ensaios, Sepúlveda deixou o Chile em 1977, depois de sofrer represálias na ditadura de Augusto Pinochet."

ESTADOS UNIDOS: Universidade Johns Hopkins | Mais de 2500 óbitos num dia nos EUA. Com 639 664 casos positivos de coronavírus, os Estados Unidos da América estão na pole position no mundo. As 2569 mortes das últimas 24 horas fez subir o número total para 30 985. Os recuperados são 52 738.

15 de abril

Prisão em Portugal

PORTUGAL: Lusa [19h49] | Mais 55 reclusos libertados. "Cinquenta e cinco reclusos foram hoje libertados por aplicação das normas excecionais de flexibilização de penas resultantes da pandemia do coronavírus, juntando-se a 1080 outros presos libertados desde sábado, indicou o Conselho Superior da Magistratura. (…) Desde sábado, data de entrada em vigor do diploma, já terão saído das cadeias portuguesas 1135 reclusos."

PORTUGAL: Liga Portugal [19h46] | "Grupo de trabalho de marketing trabalha na retoma." "O grupo de trabalho de marketing, composto por representantes da Sociedades Desportivas que disputam as competições profissionais e da Liga Portugal, esteve reunido esta quarta-feira, através de videoconferência, com o principal objetivo de preparar a retoma das competições.

A ordem de trabalhos passou pela definição de linhas gerais, de forma uníssona, de um conjunto de medidas com a finalidade de se minimizarem as perdas de receitas. Neste âmbito foi abordado o tema dos direitos televisivos e da compensação de patrocinadores e parceiros, bem como o tipo de operações de marketing que estão inerentes a uma possível continuidade das competições à porta fechada.

No final da reunião, Susana Rodas, a diretora executiva de Marketing, Comercial e Business Development da Liga Portugal deixou claro ‘que a partilha de ideias e de princípios entre a Liga Portugal e os responsáveis de Marketing das Sociedades Desportivas da Liga NOS e da LigaPro é fundamental.’ ‘Esta é uma das alturas mais difíceis que juntos ultrapassamos. Foi muito importante este alinhamento estratégico em questões críticas nas áreas comerciais e de marketing’, acrescentou."

TURQUIA: Corriere dello Sport [19h02] | Fatih Terim está curado. "O treinador do Galatasaray, Fatih Terim, que anteriormente liderou o Milan e a Fiorentina, anunciou que testou negativo para a COVID-19, 15 dias após receber alta de um hospital de Istambul, onde esteve uma semana para recuperar do coronavírus."

FRANÇA: Le Monde [18h30] | França volta a superar as 500  mortes. "O diretor-geral da Saúde, Jérôme Salomon, faz a avaliação diária da epidemia no país: 514 mortes adicionais foram registadas, elevando o total para 10 643 pessoas que morreram desde o dia 1 de março. O total de mortes desde o início da COVID-19 em França é de 17 167 pessoas; 31 779 pessoas estão hospitalizadas pelo coronavírus, sendo que 6457 são casos graves e estão em terapia intensiva; os curados, desde o início da pandemia, já ultrapassam os 31  mil."

PORTUGAL: Lusa [18h29] | Mais de 150 detidos por desobediência. "A GNR e a PSP detiveram até às 17h00 de hoje 153 pessoas pelo crime de desobediência e encerraram 377 estabelecimentos por incumprimento das normas durante o segundo período do estado de emergência devido à COVID-19, anunciou a tutela. Com os números hoje avançados pelo Ministério da Administração Interna (MAI), totalizam 261 as detenções feitas pelas forças de segurança desde que entraram em vigor as primeiras medidas do estado de emergência, a 22 de março."

Angela Merkel

ALEMANHA: Bild [18h11] | Medidas restritivas estendidas até 3 de maio. A Chanceler Ângela Merkel anunciou que a Alemanha manterá as medidas que evitam ao máximo o contacto pessoal até ao dia 3 de maio. ‘Temos de estar juntos também na próxima fase da pandemia’, alertou a chanceler. "Entre as medidas, os alemães têm de manter a distância mínima de 1,5 metros e só podem estar com a família em espaços públicos. Quem não cumprir pode ser multado pelas autoridades reguladoras."

BÉLGICA: Le Figaro [17h16] | "Bélgica estende o confinamento até 3 de maio." "As medidas de contenção em vigor na Bélgica desde meados de março para conter a pandemia de coronavírus vão ser estendidas até 3 de maio, inclusive, e nenhum ‘evento que obrigue a grande aglomeração de pessoas' pode ser organizado até 31 de agosto, anunciou a Primeira-ministra belga, Sophie Wilmes. Nenhuma data foi, ainda, especificada para a reabertura de escolas e empresas, sendo que fica agendada uma nova reunião na próxima semana para discutir o ‘decrescimento progressivo’ que será aplicado no início de maio."

ITÁLIA: La Repubblica [17h10] | Cerca de 600 falecimentos num dia em Itália. "Os dados do novo boletim de Proteção Civil relatam que, apesar de estar em declínio, a cifra de pessoas hospitalizadas ainda está nos 27 643 doentes com sintomas, dos quais 3079 estão nos cuidados intensivos. Nas últimas  horas, 578 pessoas morreram, atingindo um total de 21 645 óbitos. Em relação aos curados, o total aponta para os 38 092. O número total de pessoas que contraíram o vírus desde o início do surto é de 165 155."

ESTADOS UNIDOS: Expresso [16h51] | "OMS lamenta decisão dos EUA de suspender financiamento." "O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, lamentou esta quarta-feira a decisão do Presidente dos EUA, Donald Trump, de suspender o financiamento do país à organização. O responsável sublinhou, no entanto, que ‘o compromisso [da OMS] de servir todas as pessoas no mundo continua inabalável.’ ‘Estamos a rever o impacto no nosso trabalho da retirada do financiamento dos EUA e trabalharemos com os parceiros para preencher quaisquer lacunas. Os EUA são um amigo generoso e de longa data e esperamos que continue a sê-lo’, acrescentou."

MUNDO: Universidade Johns Hopkins [16h46] | Mais de dois milhões de infetados por coronavírus. A COVID-19, que surgiu em dezembro de 2019, na China, já infetou mais de dois milhões de pessoas em todo o mundo (2 006 513). Devido ao coronavírus já morreram 128 886 pessoas, mas, em contraponto, há 501 758 doentes que recuperaram.

ARGENTINA: Olé [16h42] | Argentina sem futebol até ao fim de maio. "Matías Lammens, ministro do Desporto e Turismo da Argentina, confirmou que o regresso das atividades desportivas está longe da agenda do Governo e garantiu que não há data para o regresso do futebol, tendo em conta a crise do coronavírus. ‘O futebol é uma das últimas coisas a serem lançadas. É difícil fazer previsões com certeza, mas acredito que passaremos abril e maio sem futebol’, disse Lammens."

Marcelo Rebelo de Sousa

PORTUGAL: TVI [14h36] | Marcelo Rebelo de Sousa aponta a maio para aligeirar as medidas restritivas. Após o encontro com os especialistas do Infarmed, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, revelou, à Comunicação Social, as diretrizes que nortearam a reunião. "Há três ideias fundamentais que recolhemos desta reunião. A primeira é que o processo continua a seguir uma evolução positiva em dois aspetos: no crescimento da projeção do vírus na sociedade. Há uma desaceleração consistente e regular; em segundo, há uma redução do valor da propagação do vírus, isto é, no início, cada um dos portugueses contagiava perto de duas pessoas e agora os valores descem em todas as áreas territoriais e situam-se abaixo do que caracterizava o início deste processo. A segunda conclusão é que estamos em abril e eu disse que era preciso ganhar em abril o mês de maio. É preciso continuar a dar o exemplo que os portugueses deram, mas seguir, de maneira regular, até ao final de abril. Faltam duas semanas e é preciso continuar a fazer o que foi feito em  março e abril. O terceiro ponto é que abril permite olhar para maio como um mês diferente, de transição progressiva, olhando para vários sectores e áreas da sociedade portuguesa. Preside a tudo isto uma ideia: se abril correr até ao fim como esperamos, em maio, os portugueses podem conviver socialmente com a realidade de um vírus que foi vencido naquilo que representava de um risco grave e passa a ser um dado do dia a dia. Isto, naturalmente, é uma transição que tem de ser feita com precaução, com seriedade, com proteção sanitária e com distanciamento no convívio, mas com a retoma da vida social e económica. Este é um sinal importante de esperança para aqueles que estão confinados há tanto tempo, porque representa, como disse o Primeiro-ministro, uma luz ao fundo do túnel", frisou.

"Isto significa que tem sido muito positivo este diálogo com os cientistas, os especialistas e os decisores políticos, nomeadamente o Governo, que tem a decisão fundamental, com o apoio pelo Presidente da República, pela Assembleia da República e pelo Presidente da Assembleia da República, na condução de um processo que tem sido ganho", sublinhou ainda Marcelo Rebelo de Sousa.

REINO UNIDO: The Guardian [14h34] | Números do dia no Reino Unido. "O Departamento de Saúde e Assistência Social apresentou os últimos números de mortes por coronavírus no Reino Unido. Nas últimas 24 horas foram relatados 761 mortes, passando o total para 12 868. Dos 313 769 testes de diagnóstico realizados, 98 476 deram positivo."

HOLANDA: De Telegraaf [13h52] | Holanda passa as 3000 mortes. "O número de holandeses que morreram devido ao coronavírus aumentou para 3134. O Instituto Nacional de Saúde Pública e Meio Ambiente deu indicação de 189 novos óbitos no país nas últimas 24 horas. Há a relatar 188 novas hospitalizações e 734 pessoas que testaram positivo para a COVID-19 nas últimas 24 horas."

PORTUGAL: SIC Notícias [12h44] | António Sales revela que o País tem "1 035 000 testes em stock." Em conferência de Imprensa, o secretário de Estado da Saúde, António Sales, desmontou os números do dia do boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde e revelou novos valores para o número de testes disponíveis em Portugal. "Portugal realizou, desde o dia 1 de março, mais de 200 mil testes à COVID-19. Temos hoje 1 035 000 testes em stock e foram distribuídos esta semana mais 265 000 testes. O norte recebeu 45 por cento dos kits, Lisboa e Vale do Tejo recebeu cerca de 30 por cento, sendo a restante quantidade distribuída para as outras administrações regionais", afirmou.

ESTADOS UNIDOS: USA Today | "Trump suspende o financiamento dos EUA à Organização Mundial de Saúde." "O Presidente Donald Trump disse que o seu governo ‘interromperá’ o financiamento dos Estados Unidos da América para a Organização Mundial da Saúde, ao conduzir uma revisão do tratamento da organização global da pandemia do coronavírus. ‘Temos profundas preocupações sobre se a generosidade dos EUA foi aproveitada da melhor maneira possível’, disse o Presidente numa conferência de Imprensa, em Rose Garden. ‘A realidade é que a OMS não conseguiu obter, verificar e compartilhar informações adequadamente, de maneira oportuna e transparente.’ Trump acusou a organização de não agir com a rapidez suficiente para fazer soar o alarme sobre a COVID-19 e de ser muito amigável para com a China."

Boletim DGS

PORTUGAL: TVI24 [12h14] | Portugal ultrapassa os 18 mil casos positivos. A Direção-Geral de Saúde já revelou os números do boletim epidemiológico do dia. Portugal tem agora 18 091 infetados; há 599 óbitos a registar e 383 doentes recuperados.

FRANÇA: Sapo Desporto [12h09] | "Tour vai correr-se de 29 de agosto a 20 de setembro." "Inicialmente previsto para ser corrida entre 27 de junho e 19 de julho, a edição 2020 do Tour deverá ser adiada por cerca de dois meses e será corrida de 29 de agosto a 20 de setembro. A notícia começou por ser avançada pelo diário espanhol 'AS', com base em fontes da ASO, entidade organizadora da prova, e foi, entretanto, confirmada pela União Ciclista Internacional (UCI)."

ESPANHA: El Mundo [11h48] | "Curva de falecimentos desce, mas as mortes passam as 500 em 24 horas." "A curva da morte por coronavírus em Espanha voltou a cair. As estatísticas oficiais mostram 18 579 óbitos desde o início da epidemia, o que implica 523 mortes no último dia. Os casos confirmados de coronavírus totalizam 177 633, com 5092 novos casos em 24 horas."

BÉLGICA: La Libre [11h01] | Bélgica está perto das 4500 mortes. "Nesta quarta-feira, em conferência de Imprensa, o centro nacional de crise e o Serviço Público de Saúde fizeram, em conferência de Imprensa, um balanço sobre a evolução da epidemia de coronavírus na Bélgica. Foram registadas 283 mortes nas últimas 24 horas: O total é agora de 4440 pessoas que perderam a vida devido à COVID-19. Foram, igualmente, registadas 250 novas hospitalizações, elevando o número de doentes hospitalizados para 5524. Os recuperados são agora 7107 no total. No que concerne aos novos casos, nas últimas 24 horas, foram registados 2454 infetados, elevando o número total de pessoas infetadas pelo coronavírus para 33 573."

ALEMANHA: Instituto Robert Koch [10h06] | Alemanha passa os 3000 óbitos. Com 132 210 casos positivos e 72 600 doentes recuperados, o país depara-se agora com 3495 mortes por coronavírus.

ESTADOS UNIDOS: Universidade Johns Hopkins | Mais de 2200 mortes em 24 horas. A Universidade Johns Hopkins declarou que os Estados Unidos da América apresentaram mais 2228 novas mortes por coronavírus, ultrapassando a barreira das 26 mil mortes (26 059). Os recuperados rondam os 50 mil (49 966). O país regista 609 685 casos positivos diagnosticados desde o início do surto.

BRASIL: EBC | Governador do Rio de Janeiro testa positivo. "O Governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, enunciou que testou positivo para o coronavírus. A informação foi divulgada na rede social Twitter do Governador, que sentiu sintomas e decidiu fazer o teste."

14 de abril

PORTUGAL: Expresso [20h24] | "Siza Vieira anuncia reabertura gradual da economia e com muitas máscaras na cara." "'Como ganhámos algum tempo graças à disciplina dos portugueses, o próximo passo vai ser a abertura gradual de alguma atividade económica', disse o ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, no final de uma maratona de reuniões com economistas e académicos. 'Queremos saber se estão reunidas as condições, do ponto de vista sanitário, para ir preparando o regresso à atividade económica, que será sempre gradual', frisou ainda o ministro da Economia. Para que isso aconteça na máxima segurança estão já a ser produzidas máscaras em grande escala para que todos os cidadãos possam ter a garantia da maior proteção possível nas suas deslocações assim que a atividade económica começar a voltar à normalidade."

FRANÇA: Le Monde [18h15] | Números do dia. Jérôme Salomon, diretor-geral da Saúde francês, anunciou nesta terça-feira que o país chegou às 15 729 mortes desde o início da pandemia de COVID-19. Ocorreram 541 mortes nas últimas 24 horas e 28 805 pessoas já recuperaram do vírus.

ITÁLIA: La Repubblica [17h09] | 602 mortes nas últimas 24 horas. Número total de falecimentos ascende a 21 067. O número de contágios é de 2972 (menos 181 que no dia anterior). O número de casos recuperados é de 37 130.

PORTUGAL: Conselho Superior da Magistratura | "166 reclusos libertos durante a manhã desta terça-feira." Mais de 900 reclusos já foram libertados das cadeias portuguesas no âmbito das normas excecionais em vigor devido à pandemia de COVID-19, informou o Conselho Superior da Magistratura.

PORTUGAL: Observador [16h25] | António Costa: "Esperem mais umas semanas, mas não deixem de pensar nas férias de verão." "Não querendo correr o risco de ser otimista, eu diria: esperem mais umas semanas, mas não deixem de pensar nas férias de verão. Aliás, para a economia portuguesa seria um dano imenso se o próximo verão fosse um verão onde o turismo não tivesse condições de funcionamento mínimo. Quero crer que até ao verão a situação estará suficientemente controlada para podermos ter as férias e para as podermos gozar o melhor possível. Agora, obviamente que, tal como aconteceu quando foi o ataque às Torres Gémeas, em que durante bastante tempo houve um impacto na retoma da aviação, porque as pessoas tinham medo, seguramente não creio que a primeira coisa que as pessoas vão fazer é marcar férias para locais muito distantes, sabendo que podem ser surpreendidas como aconteceu agora a milhões de pessoas em todo o mundo, em pleno gozo de férias, e ficar isoladas pelo encerramento de fronteiras, pelo cancelamento de voos. Para já, aos portugueses eu daria um conselho, que é: planeiem as férias cá dentro porque estamos sempre mais seguros cá dentro nesta fase e menos sujeitos à incerteza", disse o primeiro-ministro português, António Costa, em entrevista ao Observador.

Polícia 14 de abril Operação Páscoa Covid-19

PORTUGAL: TVI 24 [16h15]| "Operação Páscoa: PSP e GNR fazem 87 detenções." "A PSP e a GNR detiveram, esta terça-feira, 87 pessoas e procederam ao encerramento de 227 estabelecimentos durante a operação 'Páscoa em Casa', que terminou às 24h00 de segunda-feira. A PSP deteve ainda dez suspeitos, nove em flagrante delito, por crimes de violência doméstica. Das detenções correspondentes à violação das medidas do estado de emergência, 14 foram efetuadas pela PSP por desrespeito ao confinamento obrigatório, tendo a GNR realizado uma detenção de um infetado que estava na via pública."

BÉLGICA: Le Libre [15h43] "Ultrapassada a barreira dos 4000 mortos." Nas últimas 24 horas registaram-se 262 mortes na Bélgica por COVID-19, sendo que o balanço é de 4157 vítimas mortais.

REINO UNIDO: The Sun [15h18] | "Mais de 12 000 mortes no Reino Unido." 778 falecimentos nas últimas 24 horas, segundo os dados do Serviço Nacional de Saúde britânico. Os casos positivos subiram de 88 621 (registados esta segunda-feira, 13 de abril) para 93 873.

HOLANDA: De Telegraaf [13h49] "122 mortes nas últimas 24 horas." O número total de mortes ascendeu às 2945. As autoridades de saúde holandesas revelaram que foram detetados 868 novos casos de contágio por COVID-19. 

CI DGS 14 de abril Covid-19

RTP 3 [12h53] | "Estamos a aproximar-nos de uma média de 10 mil testes por dia", indicou António Sales. O secretário de Estado da Saúde referiu também que esta é uma fase decisiva na luta contra a COVID-19. "Estamos numa fase decisiva da nossa luta. É o momento em que temos de ser mais resilientes. Várias crianças iniciaram o terceiro período nas suas casas. Estão a zelar pelo futuro do nosso país", salientou. 

António Sales abordou ainda a questão da taxa de ocupação dos cuidados intensivos. "Admito que possa haver diariamente algum ajuste de números, quer por nós, quer por quem nos reporta estes dados. A capacidade dos cuidados intensivos é expansível e depende muito do critério clínico. O número de doentes em cuidados intensivos tem oscilado, sim. Ontem, tínhamos uma taxa de ocupação de 61%, sendo que estavam libertas cerca de 39%. É sempre uma vitória do país quando conseguimos retirar um doente dos cuidados intensivos", enalteceu o secretário de Estado da Saúde.

CI DGS 14 de abril Covid-19

Depois de relembrar a importância da vacinação contra outras doenças, Graça Freitas debruçou-se sobre o cerco sanitário implementado na região de Ovar. "As medidas são feitas em acordo entre a autoridade de saúde e a autarquia. Enquanto o risco for considerado elevado, as autoridades locais manterão essas medidas. Quando entenderem que está na altura de aliviar essas medidas, essa será a tendência natural", explanou a diretora-geral da Saúde.

Rui Ivo, diretor do Infarmed, também esteve presente na habitual conferência de Imprensa diária da Direção-Geral da Saúde e disse que vai ser possível ter acesso a algumas máscaras que serão reutilizáveis. "As pessoas passam a poder dispor de informação sobre a utilização de máscaras. Vai ser possível termos algumas máscaras que serão reutilizáveis. Estamos a ter um terceiro tipo de equipamento de proteção que, com o apoio da indústria nacional, nos vai permitir usá-lo devidamente. Muito em breve, iremos passar a ter acesso a estes equipamentos nos locais de compras", finalizou.

Covid-19 Boletim 14 de abril DGS

PORTUGAL: TVI 24 [12h35] | Portugal chega às 567 mortes por COVID-19. O boletim epidemiológico do dia foi divulgado e mostra que as mortes no País são agora de 567 (mais 32 do que na segunda-feira 13 de abril). Há 17 448 casos confirmados (mais 514 do que no dia anterior) e 347 doentes recuperados.

SUÍÇA: Le Temps [12h00] | "Vírus já matou 900 pessoas." A COVID-19 já causou 900 falecimentos no país, segundo as autoridades nacionais de saúde, registando mais 15 mortes nas últimas 24 horas. O número de infetados subiu para 25 834.

ÁFRICA: TVI 24 [11h37] "Ultrapassadas as 800 mortes." "O número de mortes provocadas pela Covid-19 em África ultrapassou as 800, com mais de 15 mil casos registados em 52 países, de acordo com a mais recente atualização dos dados da pandemia naquele continente. Segundo o boletim do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (CDC África), nas últimas 24 horas o número de mortes registadas subiu de 788 para 815, enquanto as infeções aumentaram de 14 528 para 15 284."

ESPANHA: ABC [10h10] | Números do dia. O país regista, esta terça-feira de manhã, 172 541 casos e 18 056 mortes. Nas últimas 24 horas morreram 567 pessoas, de acordo com as últimas informações divulgadas pelo Ministério da Saúde. O número de casos recuperados aumentou para 67 504.

ESTADOS UNIDOS: Universidade John Hopkins [07h00] | Estados Unidos registam mais 1509 mortes em 24 horas. O número total de mortes, desde o início da pandemia no país, subiu para 23 529, fazendo assim dos Estados Unidos o país mais atingido pela COVID-19. Mais de 550 mil pessoas estão infetadas, referiram ainda os centros de prevenção e luta contra as doenças.

13 de abril

MUNDO: RTP | "COVID-19 é 10 vezes mais mortal do que a gripe de 2009, diz OMS." "O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, alertou nesta tarde que a COVID-19 é 10 vezes mais mortal do que a pandemia de gripe de 2009 e pediu precaução aos países que querem aliviar restrições. 'Sabemos que a COVID-19 se espalha rapidamente e que é mortal, 10 vezes mais mortal do que a gripe de 2009', alertou numa conferência de Imprensa online a partir da sede da organização, em Genebra."

FRANÇA: Le Figaro [19h00] | "574 mortes nas últimas 24 horas." O país francês está perto de chegar às 15 000 mortes devido à pandemia de COVID-19. Ao todo são já 14 967 falecimentos, segundo os dados disponibilizados esta tarde pela DGS. Desde o início da pandemia já foram identificados 98 076 casos em França, sendo que 32 113 pessoas foram hospitalizadas.

PORTUGAL: TVI 24 [17h23] | "117 detidos durante operação 'Páscoa em casa'." A operação, realizada numa parceria entre a GNR e a PSP, teve início na quinta-feira e termina às 24h desta segunda-feira. Até ao início da tarde, 117 pessoas foram detidas por desobediência. 

ITÁLIA: La Repubblica [17h20] | "Itália ultrapassa as 20 000 mortes." Segundo os números da Proteção Civil italiana, nas últimas 24 horas morreram mais 566 pessoas, totalizando 20 445 óbitos. Houve ainda mais 1363 pessoas contagiadas desde o último balanço, num total de 159 519 desde o início da pandemia.

Ambulância Reino Unido 13 de abril

REINO UNIDO: The Sun [15H32] | "11 329 mortes no Reino Unido devido à COVID-19." Foram registados mais 717 óbitos nas últimas 24 horas, indicou esta segunda-feira o Ministério da Saúde britânico. O número total de contágio é agora de 88 621, mais 4342 do que no dia anterior.  

PORTUGAL: LUSA [14h00] | "Mais 100 reclusos libertados esta manhã." "Cem reclusos, em todo o País, foram libertados ao abrigo das normas excecionais e de perdão de penas devido à pandemia de COVID-19." Segundo a nota de Imprensa divulgada pelo Conselho Superior da Magistratura (CSM), dos 100 reclusos, 34 foram libertados em Lisboa, 25 no Porto, 22 em Évora e 19 em Coimbra. Com a libertação destes 100 reclusos sobe para 389 o número total de reclusos já libertados pelos Tribunais de Execução de Penas (TEP), desde a entrada em vigor da lei que consagra a aplicação de normas excecionais (lei 9/2020).

PORTUGAL: FPF | "Seleção Nacional solidária com o futebol amador." "Os jogadores da Seleção, a equipa técnica, os dirigentes de topo da FPF e o staff da equipa nacional decidiram ceder metade do prémio de qualificação para o Euro 2020 ao fundo criado para auxiliar o futebol amador. A verba reforçará o Fundo de Apoio às competições criado pela FPF e que prevê a distribuição de 4,7 milhões de euros às Associações Distritais e clubes de futebol não profissional, para que jogadores e treinadores possam ser apoiados até ao final da época 2019/20."

"Numa mensagem dirigida aos futebolistas que atuam nas competições organizadas pela FPF é sublinhada a responsabilidade de ajudar os colegas destas provas que, por via do não profissionalismo, sentem um impacto ainda maior da pandemia COVID-19 nas suas vidas. A Seleção Nacional reitera ainda a vontade de continuar a ajudar, quer individualmente, quer coletivamente, os portugueses afetados pela pandemia COVID-19", pode ler-se no site oficial da FPF.

RTP 3 [12h44] | Marta Temido divulgou realização de 179 000 testes desde 1 de março e "aprovou" o uso de máscaras. Em conferência de Imprensa, a ministra da Saúde enalteceu que no mês de abril já se fizeram mais testes do que no mês de março. "São 179 mil testes diagnóstico desde 1 de março. Entre 1 e 31 de março realizaram-se cerca de 45% destes testes e entre 1 a 12 de abril cerca de 55%", referiu.

Conferência Imprensa DGS 13 de abril Covid-19

A ministra da Saúde aproveitou ainda para informar que a Direção-Geral da Saúde (DGS) publicou uma informação sobre o uso de máscaras. "Existem três tipos de máscaras. As designadas não cirúrgicas, comunitárias ou sociais obedecem à normalização, podem ser de diferentes materiais e são destinadas à população em geral, não são para doentes ou profissionais de saúde", explicou.

"Todos percebemos que temos de ter uma preocupação de dar passos pequenos, mas seguros. Temos tido resultados que são encorajadores na forma como temos gerido a pandemia, não obstante o número de óbitos. Não queremos perder os resultados obtidos. Temos de calcular bem os passos a dar. Há menos doentes internados em cuidados intensivos, o que é encorajador, mas não podemos ficar completamente tranquilos. Continuamos a apostar nas encomendas que fizemos, em termos de materiais, como ventiladores. Sabemos que esta doença vai permanecer connosco até haver um tratamento ou uma vacina", finalizou Marta Temido.

Conferência Imprensa DGS 13 de abril Covid-19

Graça Freitas aproveitou ainda para relembrar que o potencial de resposta médica ainda não foi esgotado. "Os dados que temos indicam que, de facto, ainda não foi atingido o máximo do nosso potencial. Temos tido crescimento do número de casos confirmados não muito acentuado, mas não podemos ficar descansados. Ainda não houve necessidade de expandir a capacidade. O Ministério da Saúde mantém-se atento a estes números", terminou a diretora-geral da Saúde.

Boletim DGS 13 de abril Covid-19

PORTUGAL: TVI24 [12h30] | Portugal chega às 535 mortes por COVID-19. O boletim epidemiológico do dia foi divulgado e mostra que as mortes no País são agora de 535 (mais 31 do que no domingo 12 de abril). Há 16 934 casos confirmados (mais 349 do que no dia anterior) e 277 doentes recuperados.

ESPANHA: ABC [10h37] | "Espanha soma 517 mortes nas últimas 24 horas e supera os 17 000 falecimentos." O país registou, esta segunda-feira de manhã, uma nova descida no número total de mortes provocadas pela pandemia da COVID-19. Mais 517 pessoas perderam a vida, fazendo um total de 17 489 mortos até agora. Espanha regista 3477 novos casos de infeção, somando agora 169 496 infetados. Uma taxa de crescimento inferior ao dia anterior. 64 727 pessoas recuperaram da doença em Espanha, até agora, indicam as autoridades de saúde.

BRASIL: Jornal Económico [08h54] | "Número de mortos no Brasil sobe para 1223 e país regista 22 169 infetados." "De acordo com o Ministério da Saúde, o país registou 99 mortes nas últimas 24 horas e mais 1 442 novos casos de infeção pelo novo coronavírus."

12 de abril

Nova Iorque

ESTADOS UNIDOS: New York Times [18h48] | Mortes em Nova Iorque passam as 9000. "O Governador do Estado de Nova Iorque, Andrew Cuomo, anunciou que mais 758 pessoas morreram no estado, elevando o total de mortos pelo coronavírus para 9385."

PORTUGAL: SIC Notícias [18h07] | Estado de emergência: número de detidos. O Ministério da Administração Interna informou, em comunicado, que a PSP e a GNR já detiveram 117 pessoas desde a renovação do estado de emergência. A tutela acrescentou, ainda, que foram encerrados 311 estabelecimentos.

FRANÇA: Le Figaro [18h07] | França ultrapassa as 14 mil mortes. "A COVID-19 causou 14 393 mortes desde o início da epidemia – mais 561 nas últimas 24 horas –, de acordo com a mais recente avaliação divulgada pela Direção-Geral de Saúde. Atualmente, em todo o país, estão hospitalizados 31 826 pacientes infetados com o coronavírus, dos quais 6845 nos cuidados intensivos."

ITÁLIA: La Repubblica [17h46] | Perto de 2000 casos positivos em Itália. "O novo boletim da Proteção Civil italiana fala num crescimento do número de infetados em 1984 nas últimas 24 horas. O total desde o início da pandemia no país é de 156 363. Em termos de hospitalizações, Itália regista um total de 27 847. Nas últimas 24 horas morreram 431 pessoas, elevando o total para 19 899. Os recuperados no país são  34 211."

ESPANHA: La Vanguardia [17h31] | Pedro Sánchez: "Não podemos baixar as armas, temos de continuar a lutar." "O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, anunciou que a fase de confinamento continuará e avançou que o regresso à normalidade no país será progressivo e cauteloso. Em conferência de Imprensa, Pedro Sánchez não descartou a possibilidade de manter ou reforçar as restrições atuais, quando a duração do estado de emergência terminar (26 de abril). Segundo o chefe do Governo espanhol, tudo dependerá da evolução da pandemia que, até hoje, já matou cerca de 17 000 pessoas no país. Pedro Sánchez afirmou ainda que existem dados encorajadores que confirmam que foram dados os primeiros passos decisivos para uma vitória na luta contra a COVID-19." 

Londres

REINO UNIDO: The Telegraph [15h40] | Reino Unido passa os 10 mil óbitos. "O Departamento de Saúde do Reino Unido informou que o total de mortes por coronavírus é de 10 612, após o registo de 737 nas últimas 24 horas. Há 84 279 casos positivos após 282 374 pessoas terem sido sujeitas a teste de diagnóstico."

HOLANDA: De Telegraaf [13h49] | Cerca de 100 mortes em 24 horas. "As autoridades de saúde da Holanda relataram 94 mortes nas últimas 24 horas. Atualmente, no país, existem 2737 óbitos por coronavírus e 25 587 infetados. Mais de 8000 pessoas foram hospitalizadas desde o início do surto."

INGLATERRA: The Guardian [13h31] | Boris Johnson teve alta. "O primeiro-ministro inglês, Boris Johnson, deixou o hospital de St. Thomas, em Londres, depois de estar internado uma semana devido à COVID-19. Recorde-se que Boris Johnson chegou a passar pelos cuidados intensivos desta unidade hospitalar."

PORTUGAL: RTP3 [12h44] | Marta Temido garante a chegada de mais material para testes. Em conferência de Imprensa, a ministra da Saúde, Marta Temido, apresentou os dados de eficácia de atendimento da Linha SNS24 e confirmou a chegada a breve trecho de mais material para a realização de testes de diagnóstico. "Como se sabe, no contexto de pandemia, o encaminhamento dos pacientes tem sido baseado na ajuda das tecnologias, nomeadamente através do Trace COVID e a Linha SNS24. Sublinho que os doentes que estão em domicílio estão a ser acompanhados telefonicamente. Temos cerca de 70 000 profissionais inscritos do Trace COVID e fazemos vigilância clínica a mais de 36 000 utentes. Quanto à linha SNS24, retomou a normalidade. Ontem recebeu mais de 12  mil chamadas e foram atendidas mais de 11 mil", revelou.

"Desde 1 de março foram realizados 172 440 testes de diagnóstico para a COVID-19; a média desde o início de abril é mais de 9000 testes por dia. Do total de testes, 52 por cento foram feitos em laboratórios públicos. A propósito da distribuição de material para testes. Recebemos um voo com 900 mil testes de diagnóstico e 220 mil zaragatoas. Ainda não recebemos os kits de extração, mas esperamos receber na semana que se inicia amanhã", assegurou a ministra.

"Os 508 ventiladores que adquirimos, e que a entrada estava prevista para esta semana, estão atrasados. Os regulamentos sobre transportes na China mudaram e estamos a tratar das novas autorizações. Isto atrasou o transporte em sensivelmente oito dias", esclareceu Marta Temido.

Boletim DGS 12 de abril Covid-19

PORTUGAL: TVI24 [12h42] | Portugal passa as 500 mortes por COVID-19. O boletim epidemiológico do dia já foi divulgado e mostra que as mortes no País são agora de 504 (mais 34 do que ontem). Há 16 585 casos confirmados (mais 598 do que no dia anterior) e 277 doentes recuperados (mais 11 nas últimas 245 horas).

IRÃO: Tehran Times [11h59] | Irão com perto de 4500 óbitos. "O número total de pessoas diagnosticadas com o coronavírus no Irão atingiu os 71 686. Destes dados, 4474 morreram (117 nas últimas 24 horas) e 43 894 recuperaram, disse o porta-voz do Ministério da Saúde Kianoush Jahanpour no domingo."

ESPANHA: El Mundo [11h53] | Mortes em Espanha voltam a subir. "A tendência de queda iniciada na pretérita quarta-feira foi interrompida com o último boletim sobre a pandemia no país. Nas últimas 24 horas, 619 pessoas morreram com a COVID-19, sendo que o total de mortos está nos 16 972. No entanto, o número de infetados diminuiu em comparação com o dia anterior. Neste domingo, foram registados 4167, com o número total a ser de 166 019. Nas últimas 24 horas, 3282 doentes recuperaram, com o total a cifrar-se nos 62 391."

BÉLGICA: La Libre [11h03] | 3600 óbitos por coronavírus na Bélgica. "O desenvolvimento da pandemia na Bélgica mostra mais 268 mortes nas últimas 24 horas para um total de 3600 óbitos devido à COVID-19. Houve também 392 novas hospitalizações, elevando o número total para as 5353; os recuperados são agora 6463. Foram detetados 1629 novos casos em 24 horas, elevando o total para os 29 647."

RÚSSIA: Reuters [8h57] | "Coronavírus na Rússia: casos aumentam em mais de 2000, no maior aumento diário." "Neste domingo, a Rússia registou 2186 novos casos de coronavírus, o maior aumento diário desde o início do surto, elevando o total nacional de casos confirmados para 15 770. O número de mortes relacionadas com a COVID-19 aumentou de 24 para 130, disse o centro russo de resposta a crises de coronavírus."

MUNDO: France-Presse [7h23] | Mais de 107 mil mortes no mundo pela COVID-19. "A pandemia matou pelo menos 107 064 pessoas em todo o mundo desde o seu aparecimento em dezembro na China, de acordo com um estudo da agência France-Presse junto de fontes oficiais. Há a registar 1 745 290 casos de infeção oficialmente diagnosticados em 193 países."

ESTADOS UNIDOS: Universidade Johns Hopkins | EUA passam as 20 mil mortes. Segundo os números apresentados pela Universidade Johns Hopkins, os Estados Unidos da América contam agora com 20 608 (mais 1920 do que ontem) e 32 110 pacientes recuperados. O país é o que regista mais casos positivos no mundo: 530 006.

11 de abril

Guine Bissau

GUINÉ-BISSAU: Lusa [19h48] | "Guiné-Bissau prolonga estado de emergência por mais 15 dias." "O autoproclamado presidente da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, prolongou por mais 15 dias o estado de emergência no país, no âmbito do combate à pandemia da COVID-19. ‘É renovada a declaração do estado de emergência em todo o território nacional com fundamento na verificação de uma continuada situação de calamidade pública’, refere o decreto presidencial divulgado à Imprensa."

ARGENTINA: La Prensa | "Argentina estende a quarentena até 26 de abril." "O presidente da Argentina, Alberto Fernández, anunciou a extensão do isolamento social, preventivo e obrigatório devido ao coronavírus até 26 de abril. O presidente explicou que a quarentena permanece em vigor porque mostrou que serviu para achatar a curva do contágio."

PORTUGAL: SIC Notícias [18h44] | 99 detidos desde a renovação do estado de emergência. O Ministério da Administração Interna revelou, em comunicado, que as forças de segurança PSP e GNR já detiveram 99 pessoas desde a renovação do estado de emergência e encerraram 263 estabelecimentos.

FRANÇA: Le Figaro [18h29] | França com quase 14 mil mortes. "A epidemia já matou 13 832 doentes em França desde o dia 1 de março, explicou o diretor-geral da Saúde, Jérôme Salomon. Nas últimas 24 horas, o país apresentou mais 643 óbitos. Atualmente, 31 320 pessoas estão hospitalizadas e 6883 pacientes estão em Unidades de Cuidados Intensivos."

ESTADOS UNIDOS: Folha de São Paulo [18h07] | Escolas de Nova Iorque não abrem mais neste ano letivo. "O presidente da Câmara de Nova Iorque, Bill de Blasio, afirmou que as escolas públicas permanecerão fechadas até ao fim deste ano letivo, enquanto a cidade enfrenta o surto do novo coronavírus."

Hospitais em Itália

ITÁLIA: La Repubblica [17h27] | Perto de 20 mil óbitos em Itália. A Proteção Civil italiana apresentou o boletim diário de coronavírus no país, onde se refere que o número total de pessoas positivas desde o início da epidemia é de 152 271, com 4694 novas infeções detetadas nas últimas 24 horas; 619 pessoas morreram, resultando num total de 19 468; das 28 144 pessoas hospitalizadas, 3381 estão em terapia intensiva; o número de recuperados está agora nos 32 534.

ESTADOS UNIDOS: New York Times [17h14] | Cerca de 800 mortes no Estado de Nova Iorque em 24 horas. Em conferência de Imprensa, "o Governador de Nova Iorque, Andrew Cuomo, apresentou os dados das últimas 24 horas no estado". "Existem 783 pessoas que morreram devido ao coronavírus, o que faz aumentar o total de falecimentos para os 8627."

CANADÁ: The Guardian [16h35] | Canadá regista 600 mortes por coronavírus. "O número de casos de coronavírus no Canadá aumentou para 22 559, segundo os dados da agência de Saúde Pública. Com as 69 mortes das últimas 24 horas, há já 600 óbitos registados."

REINO UNIDO: BBC News [14h24] | Mais 917 mortes no Reino Unido por COVID-19. "O número de mortos por coronavírus no Reino Unido aumentou em 917 para as 9875 pessoas, segundo as autoridades de saúde. Em Inglaterra perderam a vida devido ao coronavírus 823 doentes; na Escócia há 47 óbitos registados nas últimas 24 horas e na Irlanda do Norte faleceram 15 pessoas."

PORTUGAL: RTP [13h12] | Marta Temido refere que "estamos numa fase de planalto" e esclarece vários tópicos. Em conferência de Imprensa, a ministra da Saúde, Marta Temido, fez o ponto de situação da COVID-19 em Portugal e esclareceu alguns aspetos. "O que se mantém é que estamos numa fase de planalto, mas estes dados são preliminares e têm de ser interpretados com cautela. Os nossos esforços têm de ser no sentido de reduzir a transmissão. Gostávamos de apelar na ajuda de todos e focarmo-nos em vários aspetos: primeiro é o dos testes. Notou-se que o relatório diário da Direção-Geral da Saúde referir um número de casos inferior ao de testes positivos dado pelo Instituto Ricardo Jorge. Recordo que um caso confirmado pode corresponder a mais do que um teste positivo. A cura é feita através de dois testes negativos. Por outro lado, recordo também que existe confirmação interlaboratorial em caso de dúvida. Não devemos, portanto, estranhar que haja mais testes positivos do que casos positivos. Aproveito para referir que foram feitos 161 475 testes de diagnóstico desde 1 de março, com nove mil testes por dia desde o início deste mês; segundo tópico tem que ver com boletins epidemiológicos regionais ou locais. Não há nenhuma proibição de partilha de informação. Há, sim, um apelo a que todas as entidades que integram o Ministério da Saúde se concentrem no envio de informação consistente para o nível nacional. Os dados são apresentados por concelho e por ordem alfabética. O que nos preocupa é que a informação oficial seja divulgada a nível nacional no mesmo horário, para evitar divergências ou que se viole o segredo estatístico", explicou Marta Temido.

COVID-19

PORTUGAL: CMTV [13h09] | Números do dia em Portugal. A Direção-Geral da Saúde divulgou o boletim epidemiológico do dia, onde se revelaram 15 987 novos infetados (mais 515 do que ontem), 266 doentes recuperados (mais 33 nas últimas 24 horas) e 470 óbitos (mais 35 do que no dia anterior). A taxa de letalidade da COVID-19 em Portugal é de 2,9 por cento (10,6 por cento em pessoas com mais de 70 anos).

IRÃO: Tehran Times [12h30] | Mais de 70 000 casos positivos no país. "O número total de pessoas diagnosticadas com o coronavírus no Irão atingiu os 70 029 (mais 1837 em 24 horas); 4357 doentes morreram (mais 125 do que ontem) e 41 947 recuperaram, disse o porta-voz do Ministério da Saúde Kianoush Jahanpour."

FRANÇA: Le Figaro [12h25] | Desemprego atinge 8 milhões de franceses. "O uso do desemprego parcial foi solicitado por 700 000 empresas e associações", o que obrigou a que "8 milhões de funcionários – mais 3 milhões numa semana – ficassem parcialmente desempregados, anunciou o ministro do Trabalho, Muriel Pénicaud."

António Costa

PORTUGAL: Lusa [11h54] | António Costa recusa adotar austeridade como receita após o coronavírus. Em entrevista à agência Lusa, o primeiro-ministro de Portugal, António Costa, deixou claro que, ultrapassada a COVID-19 e as crises sanitária e económica que dai advêm, a austeridade não será a solução a seguir. "Não adotarei a mesma receita. Não altura não acreditei e agora a doença é diferente daquela que tínhamos há 10 anos", considerou.

Ainda assim, a crise na economia portuguesa é inevitabilidade e para a superar, António Costa conta com os parceiros da geringonça: Partido Comunista Português e Bloco de Esquerda. "Ficaria muito desiludido se só pudermos contar com o PCP e com o BE em momentos de vacas gordas e quando a economia está a crescer", alertou.

A postura de Rui Rio, líder do PSD, tem sido amplamente elogiada em Portugal e noutras latitudes. António Costa não fugiu à questão. "Não tenho o menor rebuço em dizer que a Rui Rio, como líder da oposição, nada se pode apontar, apesar de discordar do que tem de discordar e concordar com o que deve concordar. Aliás, não tenho nada a apontar a Rui Rio ou qualquer partido do sistema político português, que têm demonstrado grande maturidade", reconheceu.

"Quanto mais determinados formos em cumprir estas regras, mais rapidamente nos libertamos dos constrangimentos. Não haverá nenhum empresário que esteja mais ansioso do que o Primeiro-ministro para ultrapassar esta situação", destacou o primeiro-ministro ao responder às preocupações do tecido empresarial português.

ESPANHA: El Mundo [11h50] | Mais de 500 mortes em Espanha nas últimas 24 horas. "O número de mortes por coronavírus em Espanha é de 16 353. Ontem houve mais 510 mortes, ainda assim, menos 15 por cento do que no dia anterior, segundo os últimos dados fornecidos pelo Ministério da Saúde. Em relação aos infetados, há mais 4830 nas últimas 24 horas, com o número total de infetados a passar para os 161 852. Os recuperados totalizam 59 109."

ESPANHA: El País [11h20] | Espanha prorroga o controlo de fronteiras com Portugal e França. "O Governo decretou a prorrogação, por mais 14 dias, do restabelecimento do controlo das fronteiras terrestres com França e Portugal, segundo informou, neste sábado, o Ministério do Interior. A ordem, assinada pelo ministro, Fernando Grande Marlaska, entrará em vigor às 00h00 de sábado e permanecerá até às 00h00 de sábado, 25 de abril."

BÉLGICA: La Libre [10h57] | Números do dia na Bélgica. "O centro nacional de crise e o Serviço Público de Saúde fizeram um balanço da evolução do coronavírus na Bélgica, em conferência de Imprensa. Há mais 327 mortes relatadas em 24 horas, passando o total para as 3346 pessoas que perderam a vida devido à COVID-19. Há, ainda, a registar 421 novos internamentos, com o total a ser de 5635, dos quais, 1261 estão nos cuidados intensivos. Foram detetados 1351 novos casos positivos; o total de infetados é de 28 018."

ALEMANHA: Instituto Robert Koch [10h14] | Quase 60 mil recuperados na Alemanha. Segundo os dados apresentados pelo Instituto Robert Koch, a proporção entre infetados e recuperados na Alemanha é de cerca de 50 por cento. O país regista 117 658 casos positivos e 57 400 doentes recuperados. A cifra dos óbitos está nos 2544.

ESTADOS UNIDOS: Universidade Johns Hopkins [02h00] | EUA passam os 500 mil infetados. Os Estados Unidos da América são o país com mais casos positivos de coronavírus. Até ao momento, segundo a Universidade Johns Hopkins, o país regista 501 615 de infetados; há 18 777 óbitos a registar e 29 191 recuperados.

10 de abril

Médicos

MUNDO: Lusa [19h11] | Barreira das 100 mil mortes ultrapassada. "Mais de 100 mil pessoas já morreram, a nível global, em consequência da doença COVID-19, segundo um balanço divulgado pela Agência France-Presse. De acordo com os dados recolhidos pela agência noticiosa junto de fontes oficiais, 100 661 pessoas morreram por causa do novo coronavírus, 70% (70 245) das quais na Europa."

SUÍÇA: 20 Minuten | Suíça passa as 1000 mortes e os 10 mil recuperados. "Atualmente, existem 24 308 casos positivos no país e 1001 mortes registadas." O número de recuperados por COVID-19 já ultrapassou os 10 mil, sendo, em concreto, 10 600.

PORTUGAL: RTP3 [18h53] | Estado de emergência: 74 detidos por desobediência. O Ministério da Administração Interna acabou de revelar que a PSP e a GNR já detiveram 74 pessoas por desobediência desde que este novo estado de emergência arrancou (3 de abril). Segundo o MAI, foram encerrados 248 estabelecimentos.

FRANÇA: Le Figaro [18h25] | Mais de 13 000 mortes em França. "O diretor-geral da Saúde, Jérôme Salomon, fez a avaliação diária em relação à pandemia do coronavírus em França. Há mais de 120 000 casos positivos detetados no país (mais de 4000 em 24 horas); 13 197 pessoas perderam a vida devido à COVID-19, sendo que 987 foram nas últimas 24 horas; 31 267 doentes estão internados, dos quais 7004 precisam de cuidados intensivos; mais de 25 000 pessoas já recuperaram."

ESTADOS UNIDOS: New York Times [18h14] | Nova Iorque: número de doentes nos cuidados intensivos baixa, mas as mortes continuam a crescer. O Governador do Estado de Nova Iorque, Andrew Cuomo, revelou que "os pacientes do estado em Unidades de Cuidados Intensivos baixou pela primeira vez desde que  o surto arrancou". "A queda foi de apenas 17 pessoas (4925 de ontem para 4908 hoje). O Governador informou que nas últimas 24 horas morreram 777 doentes, elevando o máximo para 7844."

ITÁLIA: La Repubblica [17h32] | Números do dia de coronavírus em Itália. "Os dados do novo boletim de Proteção Civil falam de um aumento no número de óbitos: 570, atingindo um total de 18 849 mortes. O número total de pessoas que contraíram o vírus no país desde o início da epidemia é de 147 577 (mais 3951 novas infeções detetadas nas últimas 24 horas). Os casos recuperados atingem os 30 455."

Gianni Infantino

MUNDO: FIFA.com | Gianni Infantino apresenta três prioridades para o futebol nesta fase. "O presidente da FIFA, Gianni Infantino, delineou três prioridades para organismo apoiar o futebol durante e depois do coronavírus. Numa mensagem de vídeo dirigida às 211 associações-membro da FIFA, o presidente reiterou, em ordem de prioridade, que a saúde vem em primeiro lugar e que a FIFA está pronta para ajudar proativamente o futebol nessas circunstâncias excecionais. ‘A nossa primeira prioridade, e que usaremos nas nossas competições e incentivaremos todos a seguir, é sublinhar que a saúde vem primeiro.’

Nenhuma partida, nenhuma competição, nenhuma liga deverá colocar em risco a vida humana. Todos devem ter isso muito claro. Seria muito irresponsável forçar o regresso das competições. Terá de ser 100 por cento seguro. Se tivermos de esperar, devemos fazê-lo.’

O presidente da FIFA afirmou que já está em andamento um processo de consulta para avaliar o impacto financeiro no futebol, de modo a preparar uma resposta concreta. ‘Quando o futebol necessita de apoio financeiro, temos de pensar no que podemos fazer para ajudar... É nossa responsabilidade e nosso dever.’

Por forma a aliviar problemas financeiros imediatos, o presidente da FIFA declarou que, sujeita à aprovação relevante do comité, a segunda parte dos custos operacionais da associação-membro do Programa Forward da FIFA, prevista para o final deste ano, será paga antecipadamente. Gianni Infantino acrescentou que, dadas as circunstâncias excecionais, solicitou que o requisito para o cumprimento dos critérios adicionais, que deveria ser pago em 2019 e em 2020, fosse dispensado, para que o valor total seja pago a todas as associações-membro."

REINO UNIDO: The Guardian [17h08] | Quase mil óbitos num dia no Reino Unido. As mortes por coronavírus no Reino Unido continuam em escalada e, nas últimas 24 horas, foram registadas 980 novas mortes, com o total a ser agora de 8958.

MUNDO: France-Presse | Perto de 100 mil mortes devido ao coronavírus. Com mais de 1,6 milhões de infetados em todo o mundo, sendo que os Estados Unidos da América são o país com mais casos positivos (467 184), a COVID-19 já fez perto de 100 000 vítimas em todo o mundo, segundo um estudo realizado pela agência France Presse. O número exato de óbitos é, até às 12h00 desta sexta-feira, 96 344.

IRLANDA: Irish Times [16h38] | "Coronavírus: restrições sociais e comerciais estendidas até 5 de maio." "Com restrições impostas pelo Governo irlandês até este domingo, o Primeiro-ministro, Leo Varadkar, anunciou que as mesmas devem ser estendidas por mais três semanas, até 5 de maio."

PORTUGAL: Correio da Manhã [14h55] | "Estudo em casa. Conheça o plano de aulas e horários da telescola." "Já são conhecidos os horários da nova telescola, agora designada de #EstudoEmCasa. Num comunicado divulgado esta sexta-feira, o Ministério da Educação anunciou a programação [de segunda a sexta-feira] a emitir pela RTP Memória dos conteúdos pedagógicos temáticos, lecionados por professores, para alunos do ensino básico. ‘#EstudoEmCasa é o nome do espaço que vai ocupar a grelha das 9h00 às 17h50, com conteúdos organizados para diferentes anos letivos, uma ferramenta importante para complementar o trabalho dos professores com os seus alunos. Estes conteúdos pedagógicos temáticos contemplam matérias que fazem parte das aprendizagens essenciais do 1.º ao 9.º ano, agrupados por: 1.º e 2.º anos, 3.º e 4.º anos, 5.º e 6.º anos, 7.º e 8.º anos e 9.º ano, abrangendo matérias de uma ou mais disciplinas do currículo, as quais servirão de complemento ao trabalho dos professores com os seus alunos’, pode ler-se no comunicado."

HOLANDA: De Telegraaf [14h29] | Holanda passa a barreira das 2500 mortes. "O número oficial de mortos pelo coronavírus na Holanda aumentou para 2511. Nas últimas 24 horas, o Instituto Nacional de Saúde Pública e Meio Ambiente notificou 115 novas mortes. O número total de infeções detetadas aumentou em 1335 para 23 097."

Marcelo Rebelo de Sousa

PORTUGAL: SIC [13h29] | Marcelo Rebelo de Sousa convicto na renovação do estado de emergência até 1 de maio. O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, falou aos jornalistas no Palácio de Belém, reforçando que é necessário fazer um esforço nesta Páscoa para evitar viagens. Esclareceu, ainda, como decorrerá o ensino à distância, que crimes estão excluídos de perdões ou indultos e revelou que é sua intenção renovar o estado de emergência até 1 de maio. "Este é um esforço dos portugueses para terem uma Páscoa diferente. Todos nos privamos da companhia da família por um objetivo comum. Quero agradecer aos nossos compatriotas que tinham viagens marcadas para Portugal e que as cancelaram ou anularam. Não esquecemos, em particular os que estão na Europa e que estão mais próximos das suas famílias", assinalou.

"Convém terminar este ano escolar, e quero apoiar a proposta apresentada pelo Primeiro-ministro e pelo ministro da Educação, trabalhada em diálogo com as escolas e com os pais. Não há propostas ideais neste momento; não há como ter uma recuperação integral do tempo perdido; não há como evitar desigualdades entre alunos e famílias; não há como encontrar a melhor forma de avaliar a matéria. Procurou-se a melhor solução possível. A solução encontrada aponta para aulas presenciais de um número limitado de alunos, que têm exames nacionais para que os possam realizar, mas isso depende da evolução do surto. Foi uma proposta honesta, possível para minorar custos que existem", explicou Marcelo Rebelo de Sousa.

Marcelo Rebelo de Sousa

"Outra preocupação dos portugueses tem que ver com uma Lei aprovada na Assembleia da República e que promulguei. Importa esclarecer se, através do perdão ou do indulto, em casos excecionais, a pensar nos mais idosos e doentes, se se vão cobrir crimes graves. Não cobre! Não cobre homicídios, crimes de cariz sexual, crimes contra pessoas, abuso de menores, violência doméstica ou violência contra as mulheres, crimes contra a identidade cultural ou de género, roubos com violência, crimes de incêndio, associação criminosa, tráfico de estupefacientes, crimes de corrupção e de branqueamento de capitais ou crimes cometidos por titulares de cargos políticos ou públicos. Os casos apresentados ao Presidente da República são outros", enumerou.

"A terceira preocupação tem que ver com o esforço feito nos lares. Mais de 3000 voluntários ofereceram-se para colaborar com o pessoal dedicado, com os autarcas e com as forças de segurança. Este é um problema deste momento. É – já o tinha dito – uma preocupação de todos nós", reconheceu.

"Disse, ao renovar o estado de emergência, que os portugueses deviam estar preparados para ver o número de infetados subir. Falei que poderia atingir mais de 20 mil ou mais de 30 mil. Vai haver muito mais testes, logo há a possibilidade de se detetar mais infetados. Felizmente, a proporção entre os infetados e os internados não tem subido. Depois, daqueles que estão internados, os que precisam de Cuidados Intensivos. Essa proporção também não tem subido. Nos últimos dias tem-se assistido a uma descida lenta, mas consistente de infetados, mas, hoje, o número representa quase uma duplicação dos dados dos últimos dias. Significa que temos de estar muito focados num combate que ainda não está ganho. Continuamos a ter de prestar atenção a este combate e, por isso, é que o esforço nesta Páscoa é tão importante. Se queremos abrir perspetivas em relação a maio, temos de garantir até ao final de abril que há uma evolução do decrescimento em números absolutos. Em suma, todos unidos – Governo, o Parlamento e o Presidente da República – continuamos, como todos os portugueses, a enfrentar o mesmo combate. Embora precise de ouvir os epidemiologistas na quarta-feira para formalizar o texto que será objeto de parecer do Governo e de votação na Assembleia da República, está formada a minha convicção quanto à renovação do estado de emergência até ao dia 1 de maio, até às 00h00", revelou o Presidente da República.

Eduardo Cabrita

PORTUGAL: RTP3 [13h22] | Eduardo Cabrita: "Segurança absoluta nesta fase para celebrar no futuro." Em entrevista à RTP, Eduardo Cabrita, ministro da Administração Interna, analisou a operação levada a cabo pela PSP e pela GNR nas estradas entre 9 e 13 de abril, a fim de evitar deslocações para fora do concelho de residência. "O que desejamos é que os portugueses compreendam que este esforço que está a ser pedido é fundamental para a saúde e para a segurança de todos. Uma palavra de reconhecimento e admiração aos milhares de mulheres e homens da PSP e da GNR que não estão com as suas famílias, mas sim a defender a nossa saúde. O apelo é que no período de 9 a 13 [de abril], os portugueses compreendam que, para contermos o número de infetados, é fundamental respeitar as orientações da Direção-Geral de Saúde, e que garantirão que vamos superar esta pandemia", avisou.

"Esta operação tem sido seguida com muita intensidade desde o início do período do estado de emergência, e foi intensificada neste período para que não houvesse deslocações de férias ou o chamado ‘ir à terra’. A única forma de garantirmos que teremos, no futuro, motivos para celebrar em alegria a Páscoa e outras datas é garantir que, desta vez, há uma segurança absoluta", sublinhou Eduardo Cabrita.

Na estrada a operação das forças de segurança arrancou a 8 de abril, de modo a evitar deslocações através da tolerância de ponto concedida pelas empresas. "As indicações sobre os pontos fundamentais são coordenados entre a PSP e a GNR, tendo em atenção o que são os pontos de saída das cidades. Por isso, houve esses congestionamentos, nomeadamente no dia 8, de modo a evitar que alguns tentassem ir para fora das suas zonas de residência. Quer ontem, quer hoje, verificamos uma significativa redução dos indicadores", revelou.

"Quero aproveitar para falar da atenção que estamos a dar ao concelho de Castro Daire. A avaliação feita foi que, fundamentalmente em Castro Daire, o importante era intervir nos lares em que se verificavam situações de infeção e reforço dos mecanismos de fiscalização", esclareceu, por fim, o ministro.

Jamila Madeira

PORTUGAL: SIC Notícias [12h47] | Jamila Madeira elogia SNS e avisa que não se pode "levantar a guarda." Em conferência de Imprensa, a secretária de Estado da Saúde, Jamila Madeira, reforçou que ficar em casa e manter o distanciamento social são fundamentais para ultrapassar a COVID-19. "Todos os dias são uma realidade diferente, e esta é já uma longa caminhada em que conquistamos etapas, passo a passo, ultrapassando as adversidades de uma pandemia inesperada. O que os dados nos dizem é que temos de continuar. Não podemos abrandar, nem levantar a guarda", advertiu.

"O Serviço Nacional de Saúde foi capaz de organizar e preparar uma estratégia de resposta em todo o sistema hospitalar num contexto de máxima exigência; foi capaz de superar os constrangimentos iniciais, que nunca negámos, e de adaptar a Linha SNS24 em tempo recorde. Hoje temos cerca de 99 por cento de atendimento em mais de 15 000 chamadas diárias, com um tempo de espera inferior a um minuto – 59 segundos; o SNS foi capaz de alargar a rede e reforçar a capacidade laboratorial de testes, com fiabilidade e credibilidade. Sempre com o apoio do sector privado e das universidades", elogiou Jamila Madeira.

Boletim DGS

PORTUGAL: TVI24 [12h44] | Números do dia em Portugal. A Direção-Geral de Saúde já divulgou o boletim epidemiológico do dia, onde se registam 15 472 casos positivos por coronavírus (mais 1516 do que ontem), 435 mortes e 233 doentes recuperados.

ESPANHA: El País [11h45] | Espanha regista o menor número de mortes num dia desde 24 de março. "O número oficial de mortes por coronavírus nesta sexta-feira é de 605, o mais baixo desde 24 de março. Ainda assim, o país regista 15 843 vidas perdidas devido à COVID-19. Os casos positivos relatados foram 4576 – um aumento de 3% –, o menor número desde que o Ministério da Saúde começou a centralizar os dados. O número total de positivos sobe para 157 022. No total, 55 668 pessoas estão oficialmente curadas."

IRÃO: Tehran Times [11h41] | Perto de 2000 novos casos no Irão. "O número total de pessoas diagnosticadas com o coronavírus no Irão atingiu os 68 192, dos quais 4232 morreram e 35 465 recuperaram. Nas últimas 24 horas, 1972 novos casos foram identificados e 122 pessoas morreram pela COVID-19, referiu o porta-voz do Ministério da Saúde Kianoush Jahanpour nesta sexta-feira."

BÉLGICA: La Libre [10h54] | Mais de 3000 óbitos registados. "O centro nacional de crise e o Serviço Público de Saúde belga fizeram um balanço, em conferência de Imprensa, da evolução da epidemia de coronavírus na Bélgica. Foram relatadas 496 mortes nas últimas 24 horas, passando o total de óbitos por via da COVID-19 para as 3019, desde da propagação da epidemia. Houve também 462 novos internamentos, elevando o número de doentes em hospitais para 5610, dos quais 1278 estão em terapia intensiva. Nas últimas 24 horas foram detetados 1684 novos casos, sendo que o total na Bélgica é agora de 26 667."

ALEMANHA: Instituto Robert Koch [10h28] | Mais de 5000 casos positivos na Alemanha em 24 horas. Com mais de 110 mil casos positivos por coronavírus (113 525 infetados), a Alemanha registou, segundo o Instituto Robert Koch, 5323 casos positivos num só dia. Em relação aos óbitos, o país tem 2373 mortes registadas.

9 de abril

UNIÃO EUROPEIA: Acordo no Eurogrupo | 500 mil milhões "disponíveis imediatamente". Os ministros das Finanças da Zona Euro chegaram hoje a acordo sobre um "pacote de dimensões sem precedentes", de 540 mil milhões de euros, fazer face à crise provocada COVID-19 e relançar a economia no pós-pandemia, anunciaram vários participantes na videoconferência conduzida desde Lisboa por Mário Centeno. O entendimento foi alcançado após várias horas de negociações, por videoconferência, lideradas pelo português Mário Centeno. O acordo prevê ainda "um fundo de relançamento" no futuro.

"A Holanda recuou e aceitou flexibilizar as condições de acesso às linhas de crédito do Mecanismo Europeu de Estabilidade, o fundo de resgate dos países que partilham a moeda única, mas só para financiar despesas relacionadas (direta ou indiretamente) com 'saúde, cura e prevenção' por causa da pandemia da COVID-19. Este instrumento deverá estar operacional em duas semanas", escreve o Expresso. "A decisão foi anunciada por Mário Centeno numa conferência de imprensa a partir do Ministério das Finanças. 'É imperativo que cresçamos juntos e não separados', disse o ministro das Finanças, presidente do Eurogrupo."

PSP

PORTUGAL: Notícias ao Minuto [19h42] | Cerca de 70 detidos por desobediência. "O Ministério da Administração Interna (MAI) anunciou, ao final da tarde desta quinta-feira, que 17 pessoas foram detidas por crime de desobediência, designadamente, por violação da obrigação de confinamento obrigatório e por outras situações de desobediência ou resistência, nas últimas 24 horas. Segundo o documento, 67 pessoas foram detidas por este crime desde que foi renovado o decreto do Estado de Emergência, em vigor desde ‪as 00h00 do dia 3 de abril. A tutela indica ainda que também que, nas últimas 24 horas, foram ainda encerrados mais 16 estabelecimentos 'por incumprimento das normas estabelecidas', o que aumenta para 223 o número de estabelecimentos encerrados desde as 00h00 do dia 3 de abril."

INGLATERRA: Daily Mail [19h40] | "Boris Johnson sai dos Cuidados Intensivos." "Boris Johnson saiu da Unidade dos Cuidados Intensivos, o que é um sinal de que o primeiro-ministro inglês está a vencer a batalha contra o coronavírus. O primeiro-ministro, que está no hospital desde domingo, passou três noites na unidade de alta dependência no Hospital St. Thomas, no centro de Londres. O anúncio foi feito pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Dominic Raab."

ESTADOS UNIDOS: The Guardian [18h43] | Óbitos em Nova Iorque continuam em ascensão. "Nova Iorque bateu o recorde de mortes pelo terceiro dia consecutivo, anunciou o governador Andrew Cuomo. O Estado de Nova Iorque registou mais 799 mortes por coronavírus, elevando o número total de óbitos para 7067."

FRANÇA: Le Figaro [18h35] | Mais de 12 000 mortes em França. "O diretor-geral da Saúde, Jérôme Salomon, anunciou que 12 210 pessoas morreram através do coronavírus desde 1 de março (1341 nas últimas 24 horas). Há 30 767 pessoas hospitalizadas, sendo que 7066 estão em condição grave. 23 200 pessoas já estão recuperadas da COVID-19."

ESTADOS UNIDOS: New York Times [18h33] | Mais 6,6 milhões de norte-americanos pedem subsídio de desemprego. "Mais 6,6 milhões de pessoas entraram com pedido de subsídio de desemprego na semana passada, enquanto o surto de coronavírus continuava a sua marcha devastadora pela economia americana, informou o Departamento do Trabalho na quinta-feira."

PORTUGAL: Expresso [17h58] | Estacionamento gratuito em Lisboa durante o estado de emergência. "Até que dure o estado de emergência, ou que ele seja novamente prolongado, como se prevê, não será preciso pagar para estacionar em Lisboa. A medida tomada a 16 de março, ainda antes da entrada em vigor do decreto, vai ser reavaliada quando as restrições abrandarem. A informação é avançada por fonte da EMEL à agência Lusa."

PORTUGAL: Lusa [17h56] | "Governo prolonga controlo de pessoas nas fronteiras até 14 de maio." "O Governo aprovou hoje uma resolução que prolonga até 14 de maio a reposição, ‘a título excecional e temporário’, do controlo de pessoas nas fronteiras devido à pandemia COVID-19, ‘sendo esta medida reavaliada a cada 10 dias’. Segundo o comunicado do Conselho de Ministros, foi também aprovada ‘a entrada e saída do território nacional das aeronaves e do pessoal a afetar à respetiva operação e manutenção, no âmbito do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR)’."

Informação de dados COVID-19

REINO UNIDO: The Telegraph [17h40] | Quase 900 mortes num dia. "O número de mortes por coronavírus no Reino Unido aumentou para as 7978, depois de um aumento de 881 óbitos nas últimas 24 horas. Das 243 421 pessoas testadas para o vírus, 65 077 estão positivas."

ITÁLIA: Corriere della Sera [17h27] | Mais de 18 mil óbitos em Itália. "Em Itália, desde o início da epidemia de coronavírus, 143 626 pessoas contraíram o vírus Sars-CoV-2 (mais 4204 do que ontem). Destes, 18 279 (610 nas últimas 24 horas) morreram e 28 470 tiveram alta, segundo os dados fornecidos pela Proteção Civil italiana. Os pacientes hospitalizados com sintomas são 28 399 e 3605 estão em terapia intensiva. 64 873 doentes estão em isolamento domiciliar."

POLÓNIA: Welt [17h06] | Polónia estende as medidas restritivas. "O governo da Polónia estendeu as restrições de circulação nesta quinta-feira, a fim de conter a pandemia de coronavírus. Segundo o primeiro-ministro Mateusz Morawiecki, as fronteiras permanecerão fechadas para estrangeiros até 3 de maio. Todas as lojas – com exceção de supermercados e farmácias – vão estar fechadas até 19 de abril. Aulas, voos internacionais e viagens de comboio permanecem suspensas até 26 de abril."

FIBA

EUROPA: Federação Internacional de Basquetebol | FIBA: nova calendarização das provas internacionais. "O Comité Executivo da FIBA reuniu-se hoje por videoconferência para analisar o impacto da atual pandemia da COVID-19 no calendário da FIBA.

A mais recente reunião do Conselho Central confirmou a suspensão de todas as competições da FIBA a 13 de março, e delegou o Comité Executivo da FIBA para fazer os ajustes necessários no calendário das competições, após a alteração das datas. para os Jogos Olímpicos de Tóquio. (…) Após uma análise cuidadosa aos cenários possíveis, o Comité Executivo da FIBA fez os seguintes ajustes no calendário:

Torneios Seniores FIBA - Masculino

Os torneios de qualificação olímpica da FIBA serão disputados no período entre 22 de junho e 4 de julho de 2021 (datas pendentes de aprovação do COI).

O FIBA EuroBasket 2021 e o FIBA AmeriCup 2021 são reagendados para o período entre 1 e 18 de setembro de 2022.

A fim de limitar a carga de trabalho dos jogadores e maximizar as oportunidades dentro do calendário, as equipas nacionais que participam das eliminatórias da Taça do Mundo de Basquetebol da FIBA disputarão os dois jogos originalmente previstos para setembro de 2022 no final de agosto de 2022, durante a fase de preparação da EuroBasket da FIBA e FIBA AmeriCup. Todas as outras datas restantes das eliminatórias para a Taça Continental de 2021 e para a Taça do Mundo de Básquete da FIBA 2023 permanecem inalteradas.

O Afrobasket 2021 da FIBA (24 de agosto a 5 de setembro) e a Taça da Ásia da FIBA 2021 (17 a 29 de agosto) são remarcados por uma e duas semanas, respetivamente, em agosto de 2021, para evitar o conflito de calendário com os Jogos Olímpicos de Tóquio.

Torneios Seniores FIBA - Feminino

O AmeriCup 2021 feminino da FIBA é remarcado para 20 a 27 de junho de 2021, antes dos Jogos Olímpicos de Tóquio e em datas semelhantes ao EuroBasket 2021 feminino da FIBA (17 a 27 de junho de 2021).

As quatro Taças continentais femininas classificarão um total de 16 equipas que competirão nos torneios de qualificação para a Taça do Mundo de Basquetebol feminino da FIBA em fevereiro de 2022.

As datas de todos os outros torneios seniores da FIBA a nível mundial e continental para o período 2020-2023 permanecem sem alterações.

Taças do Mundo jovem da FIBA

A Taça do Mundo de Basquetebol FIBA Sub-17 2020, na Bulgária, foi remarcada para as mesmas datas que a Taça do Mundo de Basquetebol feminina FIBA Sub-17 2020, na Roménia (15 a 23 de agosto). Uma decisão final sobre esses torneios será tomada em meados de maio, dependendo da evolução da pandemia do COVID-19."

António Costa

PORTUGAL: RTP3 [15h09] | As medidas do Governo sobre o ensino durante a pandemia. No final do Conselho de Ministros, António Costa revelou à Comunicação Social todas as decisões tomadas pelo Governo sobre o futuro próximo do ensino em Portugal em tempos de pandemia, nomeadamente no que diz respeito ao 3.º período.

É certo que este ano não haverá provas de aferição e exames nacionais até ao 9.º ano e o calendário de exames nacionais do ensino secundário foi adiado. As provas de 11.º e 12.º anos de escolaridade decorrerão, na primeira fase, entre 6 e 23 de julho, na segunda fase, entre 1 e 7 de setembro. 

"Sei que esta é uma decisão aguardada com muita angustia e ansiedade. Tendo em conta a informação mais atual sobre a pandemia que nos foi fornecida, tive a oportunidade de ouvir todos os partidos políticos presentes no Parlamento e também o Presidente da República. Este é um sacrifício que se justifica. A suspensão das atividades letivas presenciais nas escolas deu um contributo decisivo para travar o crescimento exponencial da pandemia e tem sido uma ajuda preciosa no trabalho notável que os profissionais de saúde têm desenvolvido. Parabéns à comunidade educativa. Com o esforço e criatividade dos professores, empenho dos alunos e apoio das famílias, a comunidade educativa reinventou a aprendizagem à distância, tendo conseguido concluir com sucesso o 2.º período, com as respetivas avaliações. Apesar do ritmo de desaceleração da pandemia, ainda não chegou o dia em que podemos afastar as medidas restritivas de circulação e de distanciamento social. Ainda não é possível prever a semana ou o dia em que podemos fazer com segurança", começou por referir.

Sobre o ensino básico, o primeiro-ministro revelou que o mesmo vai ser concluído apenas com aulas à distância e com o apoio de suporte televisivo. "Assim, este 3.º período iniciar-se-á, como previsto, no próximo dia 14 de abril, mas sem atividades letivas presenciais. No ensino básico, todo o 3.º período prosseguirá à distância, reforçado com emissão televisiva com conteúdos pedagógicos, transmitidas a partir do dia 20 [de abril] na RTP Memória. A avaliação no ensino básico será feita nas escolas pelos professores que melhor conhecem o percurso educativo do aluno. Neste quadro será mantido, até ao final do ano letivo, o regime de apoio às famílias com filhos até 12 anos", partilhou.

Já no ensino secundário, as aulas presenciais serão possíveis, mas com elevadas restrições. "No que diz respeito ao ensino secundário, havendo menos oportunidades de recuperação, e sendo anos decisivos para a conclusão do longo processo educativo, é particularmente importante que ainda possamos retomar as atividades letivas presenciais. Contudo, ainda não podemos hoje tomar essa decisão. Continuaremos a acompanhar a evolução da situação para podermos confirmar, se e quando, se iniciarão em segurança as aulas dos 11.º e 12.º anos", frisou António Costa.

António Costa

"O calendário dos exames dos 11.º e 12.º anos é adiado, decorrendo a 1.ª fase entre 6 e 23 de julho e a 2.ª fase entre 1 e 7 de setembro. Deste modo, a atividade letiva poderá estender até 26 de junho. Iremos assim trabalhar em dois planos. Aquele que preferimos: de retomarmos parcialmente as aulas presenciais dos 11.º e 12.º anos durante o mês de maio, não excluindo um plano B, em que teremos de prosseguir o ano letivo à distância se a evolução da pandemia o exigir. Para garantir o maior distanciamento social, menor tempo de permanência na escola e maior higiene, só serão abrangidos os alunos dos 11.º e 12.º anos, permanecendo os do 10.º ano com ensino à distância; só haverá aulas presenciais para as disciplinas que estão sujeitas a exame específico para acesso ao ensino superior, continuando as restantes a serem ministradas à distância", acrescentou.

"Até decisão expressa em contrário das autoridades de saúde, alunos, professores, profissionais não-docentes ou qualquer pessoa que frequente a escola terão de usar máscara de proteção no seu interior que será disponibilizada pelo Ministério da Educação. Os alunos só realizam os exames de que necessitam para o acesso ao ensino superior. A restante classificação será através das notas internas de cada uma das escolas", completou o primeiro-ministro.

António Costa finalizou a sua intervenção com um esclarecimento sobre a educação pré-escolar. "Uma palavra final sobre a educação pré-escolar. O que neste momento posso dizer aos pais e educadores é que só podermos retomar as atividades nos jardins de infância quando forem revistas as atuais regras de distanciamento. É ainda prematuro dar um prazo seguro de alteração dessas regras", explicou.

HOLANDA: De Telegraaf [13h50] | Perto de 2400 óbitos no país. "O número oficial de mortes por coronavírus na Holanda aumentou para 2396. Nas últimas 24 horas, o Instituto Nacional de Saúde Pública e Meio Ambiente notificou 148 novas mortes." No país há 21 898 casos positivos e 272 recuperados.

PORTUGAL: CMTV [13h22] | António Sales fala em reforço de testes e de material. Em conferência de Imprensa, o secretário de Estado da Saúde, António Sales, revelou os números totais de testes feitos em Portugal e revelou que o material para testagem será reforçado. "Já foram realizados mais de 144 mil testes de COVID-19 em Portugal. Do total de testes, 52 por cento foram feitos no público e 48 por cento no privado. O dia com mais testes realizados foi esta terça-feira, dia 7 de abril, com quase 10 000 amostras", disse.

"Foi reforçada a distribuição de zaragatoas. Nos dias 5 e 6 de abril foram recebidas 90 000 zaragatoas. No final de março foram adquiridos para reserva estratégica cerca de 350 mil testes de diagnóstico. Amanhã recebemos mais de 1 milhão de testes e de kits de extração, que chegarão de forma faseada até 17 de abril", adiantou.

Boletim DGS

PORTUGAL: CMTV [13H22] | Portugal ultrapassa as 400 mortes. O boletim epidemiológico diário da Direção-Geral da Saúde relata que há 13 956 casos confirmados (mais 815 do que ontem) e 409 óbitos. Há, ainda, 205 pessoas que recuperaram da COVID-19, mas 1173 doentes continuam internados, sendo que 241 estão em Unidades de Cuidados Intensivos.

MUNDO: Organização Mundial de Saúde [13h00] | Mais de 1,5 milhões de infetados pela COVID-19. A Organização Mundial de Saúde acaba de revelar os números atualizados do novo coronavírus no mundo. Há 1 503 900 infetados desde o início da epidemia e 89 915 mortes a registar. A Europa é o continente com mais casos.

ESPANHA: El Mundo [11h28] | Espanha ultrapassa as 15 mil mortes. "Os dados mais recentes do Ministério da Saúde indicam que o número de mortes por coronavírus aumentou em 683 pessoas. Esse número implica uma queda em relação ao número registado ontem. Com esses novos dados, o número de mortes por coronavírus em Espanha excede a barreira dos 15 000 pela primeira vez e agora sobe para 15 238 casos. Os novos casos confirmados de contágio também caíram para 5756, mas ultrapassam largamente de 150 000: são agora 152 446."

BÉLGICA: La Libre [10h57] | Cerca de 25 000 infetados e mais de 2500 mortes na Bélgica. "O centro nacional de crise e o Serviço Público de Saúde belga fizeram um balanço nesta quinta-feira, em conferência de Imprensa, sobre a evolução da epidemia de coronavírus na Bélgica. Há 283 óbitos nas últimas 24 horas, passando o total de pessoas que perderam a vida através da COVID-19 para 2523. Houve, ainda, 459 novas hospitalizações durante o dia de ontem, o que eleva o número de doentes internados para 5590. Registaram-se 1580 novos casos, elevando o número total de pessoas infetadas com o coronavírus para 24 983."

IRÃO: Iran Daily [10h22] | Irão passa a barreira dos 4000 óbitos. "O Ministério da Saúde informou que, esta quinta-feira, registaram-se apenas 117 mortes nas últimas 24 horas, o que faz denotar uma tendência de queda dos óbitos nos últimos dias. Ainda assim, o número de mortes no país é de 4110. O porta-voz do Ministério da Saúde iraniano, Kianoush Jahanpour, acrescentou que o número de pacientes com coronavírus recuperados no Irão atingiu 32 309. Os infetados pelo vírus no Irão são, até agora, 66 220."

8 de abril

Médico nos EUA

ESTADOS UNIDOS: Universidade de Johns Hopkins | Mais de 400 mil casos e 13 mil mortes. A Universidade Johns Hopkins divulgou os números do coronavírus nos Estados Unidos da América. O país, que detém o maior número de testes positivos, soma agora 404 352 casos e contabiliza 13 007 mortes. Os recuperados são agora 22 717.

PORTUGAL: SIC Notícias [19h25] | Mais de 200 estabelecimentos encerrados. Horas depois de os responsáveis da PSP e da GNR, em conferência de Imprensa, terem revelado que cerca de 50 pessoas já foram detidas em Portugal por desobediência desde a renovação do estado de emergência, foi a vez de o Ministério da Administração Interna informar em comunicado que foram encerrados 207 estabelecimentos durante o mesmo período.

FRANÇA: Le Figaro [18h37] | Mais de 500 mortes num só dia em França. "O diretor-geral da Saúde, Jérôme Salomon, anunciou que 10 869 pessoas morreram do coronavírus desde o início da epidemia em França. A estes números, juntam-se 30 375 pessoas que estão, atualmente, hospitalizadas por infeção através da COVID-19 (mais 348 em relação a ontem), incluindo 7148 casos graves em terapia intensiva (mais 482 nas últimas 24 horas). Os recuperados cifram-se nos 21 254."

ESTADOS UNIDOS: New York Times [18h21] | Nova Iorque com recorde de mortes em 24 horas. "O Governador do Estado de Nova Iorque, Andrew Cuomo, afirmou nesta quarta-feira que, mesmo com a taxa de hospitalizados a cair, houve mais 779 pessoas que perderam a vida através do coronavírus. Este é o maior número de mortos num dia no Estado. O número total de mortes em Nova Iorque é de 6268."

INGLATERRA: BBC News [17h51] | Boris Johnson está a melhorar. "O ministro das Finanças inglês, Rishi Sunak, disse que a condição de Boris Johnson melhorou após duas noites em terapia intensiva. ‘O primeiro-ministro permanece nos Cuidados Intensivos, mas a sua condição está a melhorar. Também posso revelar-vos que [o Primeiro-ministro] está na cama, mas sentado e positivamente envolvido com o corpo clínico’."

Ângelo Barrelli

ITÁLIA: Corriere della Sera [17h10] | Itália com cerca de 140 mil casos positivos. "Em Itália, desde o início da epidemia de coronavírus, 139 422 pessoas testaram positivo (mais 3836 do que ontem). Destes, 17 669 (mais 542 nas últimas 24 horas) morreram e 26 491 tiveram alta, segundo os dados fornecidos pela Proteção Civil. Existem 28 485 pacientes hospitalizados; 3693 estão em terapia intensiva."

PORTUGAL: Açoriano Oriental [17h02] | "Açores registam o primeiro óbito pela COVID-19." "Os Açores registaram, esta quarta-feira, a primeira morte por COVID-19, anunciou Tiago Lopes, responsável pela Autoridade de Saúde Regional. Em conferência de Imprensa, em Angra do Heroísmo, o responsável da Autoridade de Saúde Regional adiantou que a doente tinha ‘cerca de 90 anos’ e ‘morbilidades associadas’."

PORTUGAL: Expresso [16h32] | Cerca de 50 detidos desde que arrancou o estado de emergência. "A PSP e a GNR detiveram desde 3 de abril quase meia centena de pessoas por violarem as restrições em vigor no estado de emergência para conter a pandemia da COVID-19, afirmaram esta quarta-feira responsáveis daquelas forças. Em conferência de imprensa conjunta realizada no Ministério da Administração Interna, o superintendente Luís Elias, da PSP, afirmou que a polícia deteve 33 pessoas por violação das disposições do decreto que impôs o estado de emergência. A GNR deteve 16 pessoas, nove fora da cerca sanitária do concelho de Ovar e sete dentro daquele perímetro, disse o diretor de operações da GNR, Vítor Rodrigues."

REINO UNIDO: The Times [16h00] | Óbitos no Reino Unido ultrapassam os 7000. "Um recorde de 936 mortes de coronavírus foi relatado no Reino Unido nas últimas 24 horas, elevando o total para números acima de 7000. Houve relatos de 828 mortes em Inglaterra, 70 na Escócia, 33 no País de Gales e cinco na Irlanda do Norte. O total de óbitos é agora de 7095, divulgou o Departamento de Saúde e Assistência Social."

MUNDO: World Athletics | Mundiais de atletismo adiados para 2022. "O Campeonato do Mundo de Atletismo, que terá lugar no Oregon (EUA), foi remarcado e terá lugar de 15 a 24 de julho de 2022, após o adiamento dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de Tóquio para 2021, devido à pandemia de coronavírus.

Originalmente agendados de 6 a 15 de agosto de 2021, os Mundiais de atletismo foram remarcados para evitar um confronto com os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos.

O Conselho Mundial de Atletismo aprovou as novas datas, após extensas reuniões com as partes interessadas do desporto, incluindo os organizadores de outros dois grandes eventos que ocorrem em julho e agosto de 2022: os Jogos da Comunidade de Birmingham e o Campeonato Europeu multidesportivo, em Munique."

IRÃO: Tehran Times [14h57] | Cerca de 4000 mortes por coronavírus. "O número total de pessoas diagnosticadas com coronavírus no Irão atingiu as 64 586, das quais 3993 morreram e 29 712 já recuperaram. Foram identificados nas últimas 24 horas mais 1997 casos positivos da COVID-19, disse o porta-voz do Ministério da Saúde Kianoush Jahanpour nesta quarta-feira."

Logo FPF

PORTUGAL: FPF [14h19] | "Federação Portuguesa de Futebol dá por concluídas provas nacionais não-profissionais." "A FPF reuniu-se, esta quarta-feira, por teleconferência, com as associações distritais e regionais para análise do impacto da pandemia COVID-19 no futebol sénior não-profissional.

A FPF entende que continuam a não estar reunidas as condições de saúde pública para que clubes com estruturas amadoras, como é próprio das provas em que participam, possam treinar e competir em segurança.

Por outro lado, vigora em Portugal o estado de emergência, pelo menos, até ao dia 17 de abril, sendo possível a sua prorrogação.

Estas circunstâncias impedem o normal decurso das competições, sendo imprevisível antever quando e se tais condições de saúde pública estarão reunidas ainda durante esta época desportiva.

Assim, a Direção da FPF entendeu dar por concluídas, sem vencedores, todas as suas competições seniores que se encontram nesta data suspensas, não sendo atribuídos títulos nem aplicado o regime de subidas e descidas.

A FPF analisará e comunicará com a maior brevidade possível de que forma serão indicados os dois clubes que acedem à II Liga de futebol, bem como os representantes de Portugal na Liga dos Campeões de futebol feminino e de futsal masculino.

A FPF continuará a estudar com as associações distritais e regionais os moldes em que decorrerão as competições nacionais não-profissionais na época 2020/21."

PORTUGAL: SIC [13h01] | António Sales: "A nossa resposta tem de ser firme e determinada." Em conferência de Imprensa, o secretário de Estado da Saúde, António Sales, sublinhou a importância do papel dos portugueses na suplantação da epidemia de coronavírus. "Há uma coisa que não podemos perder de vista. A nossa resposta tem de ser firme e determinada. Não podemos vacilar sob pena de prolongarmos o que ninguém que se prolongue mais do que o tempo necessário", vincou.

"Portugal só vence esta provação com o empenho de todos e todos são necessários neste caminho: profissionais de saúde, autarcas, IPSS, sector social e sociedade civil. Temos a obrigação de estar à altura do que o País espera de nós", adiantou.

"Desde o dia 1 de março, foram processadas mais de 130 000 amostras para diagnóstico para COVID-19. Esta informação estará disponível no microsite destinado à COVID-19. Mais de 65 000 testes foram enviados para o norte do País na semana passada", revelou António Sales.

Boletim DGS

PORTUGAL: SIC [13h00] | Números do dia em Portugal. A Direção-Geral da Saúde divulgou o boletim diário, onde se registam 13 141 casos positivos (mais 699 do que ontem) de coronavírus no País. Há ainda 380 mortes (mais 25 nas últimas 24 horas) e 196 recuperados a informar.

ESPANHA: El País [11h30] | "Número de mortes sobe em Espanha pelo segundo dia consecutivo." "As mortes por coronavírus cresceram em Espanha pelo segundo dia consecutivo. Nesta quarta-feira, registaram-se 757 novas mortes. O número total oficial de óbitos no país é de 14 555. Os contágios positivos são 146 690 e os recuperados são 48 000."

ÁFRICA: Lusa [11h14] | Continente africano ultrapassa as 500 mortes. "O número de mortes provocadas pela COVID-19 em África ultrapassou as 500 nas últimas horas num universo de mais de 10 500 casos registados em 52 países, de acordo com a mais recente atualização dos dados da pandemia naquele continente."

BÉLGICA: La Libre [10h59] | Números do dia na Bélgica. "Em conferência de Imprensa, o centro nacional de crise e da Saúde Pública belga fizeram o balanço do dia da epidemia coronavírus no país. Nesta quarta-feira, há a registar a morte de 205 pessoas. Portanto, o número total chega a 2240 óbitos devido à COVID-19. Além disso, houve 487 novos internamentos hospitalares, elevando o total para 9432, dos quais 1276 estão em terapia intensiva. Foram detetados 1209 novos casos nas últimas 24 horas, o que eleva para 23 403 o número de pessoas infetadas com o coronavírus."

BRASIL: Folha de São Paulo | Recorde de mortes no Brasil em 24 horas. "Pelo menos, 667 pessoas morreram pelo novo coronavírus no Brasil, de acordo com os dados do Ministério da Saúde. Foram registadas 114 novas mortes, nas últimas 24 horas (mais 21%), o que representa um recorde no país. Segundo o balanço, o país soma 13 717 casos confirmados."

7 de abril

Bola de futebol Liga 2019/20

PORTUGAL: Liga Portugal | "Esclarece Medidas tomadas em reuniões com o Sindicato dos Jogadores." "Na sequência do Comunicado do Sindicato dos Jogadores no que se refere às negociações com a Liga Portugal, cumpre esclarecer que ambas as entidades estão conscientes da inevitabilidade de intervenção para a sustentabilidade da modalidade, bem como da necessidade de um trabalho em conjunto. (...) Durante estas reuniões de trabalho, a Liga Portugal explicou ao Sindicato de Jogadores que, segundo estimativas já conhecidas, as perdas de receitas previsionais imediatas seriam na ordem dos 310 milhões de euros, o que significará um decréscimo de 60%, face aos 512 milhões de euros de valor de receitas operacionais na época 2018/19.

(...) Estando o mundo a viver uma situação absolutamente excecional, a Liga Portugal, à semelhança do que foram reuniões havidas e das quais resultaram em acordo entre Ligas e Sindicatos de Jogadores de vários países europeus, apresentou um conjunto de propostas com vista a serem refletidas, no imediato, no Contrato Coletivo de Trabalho, das quais, e após diálogo franco e produtivo, o SJ aceitou as seguintes:

  • 1) Prorrogação dos contratos de trabalho até término da época, considerando a sua duração até ao último jogo oficial de 2019/20;
  • 2) Prorrogação dos contratos de empréstimo e cedência até término da época, considerando a sua duração até ao último jogo oficial de 2019/2020;
  • 3) Aceitar que parte do período de férias será definido por indicação dos clubes;
  • 4) Acordar que nenhuma destas medidas constitui justa causa de rescisão do contrato de trabalho desportivo.

No que diz respeito às questões financeiras, o SJ manifestou desacordo com as seguintes propostas apresentadas pela Liga Portugal:

  • 1) Aceitar que os jogadores e os clubes celebrem acordos de redução salarial;O
  • 2) Acordar que, na falta de convenção entre jogadores e clubes, a Liga e o Sindicato determinam uma redução percentual do salário anual dos jogadores, repercutido nos meses de abril até ao término da época.

Os clubes da Liga NOS e da LigaPro ficaram, a partir do momento em que não se viabilizou esta parte do acordo com o SJ, libertos para poderem lançar mão de todas as medidas especiais propostas pelo Governo, em concreto o Layoff ou outras medidas análogas previstas na Lei, bem como a liberdade para negociar livremente com os seus atletas.

A Liga Portugal tem ainda a expectativa que, juntamente com o Sindicato de Jogadores Profissionais de Futebol, em clima de sinergia e mantendo o espírito de colaboração patenteado até ao momento, seja possível passar a instrumento escrito as medidas já acordadas de aditamento ao CCT, que entre si celebraram."

Bola futebol

PORTUGAL: Liga Portugal [20h03] | "Presidentes de clubes da Liga NOS estabelecem regra para rescisões unilaterais." "Os Presidentes dos clubes da Liga NOS, reunidos hoje, em videoconferência, com o presidente da Liga Portugal, Pedro Proença, além de uma análise à situação atual, deliberaram, e decidiram anunciar publicamente a decisão, que nenhum clube irá contratar um jogador que rescinda unilateralmente o seu contrato de trabalho, evocando questões provocadas em consequência da pandemia da COVID-19 ou de quaisquer decisões excecionais decorrentes da mesma, nomeadamente da extensão da época desportiva."

CHINA: China Daily | Wuhan levanta restrições de circulação. A partir desta quarta-feira, Wuhan deve suspender as restrições de circulação, mas, ainda assim, os residentes foram aconselhados a não deixarem as comunidades de Wuhan ou Hubei.

PORTUGAL: TVI24 [19h00] | 33 detidos desde a renovação do estado de emergência. Desde que o estado de emergência foi renovado em Portugal – às 00h00 de 3 de abril – já foram detidas 33 pessoas por desobediência e foram encerrados 177 estabelecimentos.

FRANÇA: Le Figaro [18h28] | "França ultrapassa a marca dos 10 000 mortos." "O diretor-geral de Saúde, Jérôme Salomon, apresentou o boletim diário através de uma conferência de Imprensa. O médico disse que França tem mais 305 pacientes hospitalizados por infeção através da COVID-19, elevando o número total para 30 000 pessoas. 7131 pacientes estão nos Cuidados Intensivos. No total, França teve 10 328 mortes desde o primeiro dia da epidemia. Há 19 337 curados desde o início da crise."

Sede da FIFA

MUNDO: FIFA [17h54] | "Diretrizes da FIFA para lidar com as consequências legais da COVID-19." "Após a interrupção sem precedentes causada pela COVID-19 em todos os níveis do futebol, a FIFA trabalhou em uma série de recomendações e diretrizes para abordar algumas das principais questões práticas decorrentes da pandemia, especialmente no que diz respeito aos contratos dos jogadores e ao sistema de transferências em geral.

Isso foi feito em consulta com diferentes partes interessadas através de uma equipa presidida pelo vice-presidente da FIFA e presidente do Comité de Partes Interessadas do Futebol da FIFA, Vittorio Montagliani, e incluindo representantes de clubes, jogadores, ligas, associações nacionais e confederações.

Um conjunto de princípios foi acordado por unanimidade pela equipa e foi endossado hoje pelo Conselho de Administração da FIFA.

‘A pandemia da COVID-19 mudou claramente todas as circunstâncias de fato relacionadas ao futebol nesta temporada. Assim, a FIFA, juntamente com as partes interessadas, apresentou algumas ideias e propostas práticas para enfrentar essas novas circunstâncias. Embora isso não resolva todos os problemas, deve servir para trazer uma certa estabilidade e clareza ao futebol no futuro próximo. Esperamos que esse esforço colaborativo, sob a liderança da FIFA, possa fornecer um exemplo positivo de como o futebol pode se unir e mostrar unidade, solidariedade e espírito de compromisso, a fim de enfrentar os tempos difíceis. Mas antes que esses tempos cheguem, uma coisa deve estar clara para todos, especialmente agora: a saúde vem em primeiro lugar, muito antes do futebol’, disse o presidente da FIFA, Gianni Infantino.

Abaixo, um resumo das principais diretrizes aprovadas, que a FIFA espera que sejam seguidas em todo o mundo.

Término e início dos contratos dos jogadores:

Os contratos de jogadores vencidos geralmente terminam quando a temporada termina, com uma data de término que coincide com o final da temporada. Com a atual suspensão do jogo na maioria dos países, é óbvio, agora, que a atual temporada não terminará quando as pessoas pensavam que seria. Portanto, propõe-se que os contratos sejam prorrogados até o final da temporada. Isso deve estar alinhado com a intenção original das partes quando o contrato foi assinado e também deve preservar a integridade e a estabilidade desportiva.

Um princípio semelhante se aplica aos contratos que devem começar quando a nova temporada começar, o que significa que a entrada em vigor de tais contratos é adiada até a próxima temporada realmente começar.

Contratos de emprego no futebol que não podem mais ser executados:

A pandemia do COVID-19 claramente teve um grande impacto nas receitas dos clubes, até porque os jogos não podem ser disputados. O futebol, como outros setores da economia, precisa encontrar soluções justas e equitativas adaptadas a essas circunstâncias, com o objetivo de proteger empregos e alcançar um equilíbrio justo e razoável de interesses entre jogadores e clubes.

Consequentemente, a FIFA incentiva fortemente clubes e jogadores a trabalharem juntos para encontrar acordos e soluções durante o período em que o futebol é suspenso.

Embora seja principalmente responsabilidade das partes relevantes, a nível nacional, encontrar soluções que atendam às circunstâncias em seu próprio país, a FIFA recomenda analisar todos os aspetos de cada situação de maneira imparcial, incluindo as medidas do governo para apoiar clubes e jogadores , se o pagamento deve ser diferido ou reduzido e que cobertura de seguro pode existir.

Se as partes não concordarem e, como consequência, os casos chegarem à FIFA, os fatores a serem examinados incluirão o seguinte:

  • se houve uma tentativa genuína do clube de chegar a um acordo com os jogadores;

  • qual é a situação económica do clube;

  • a proporcionalidade de qualquer ajuste nos contratos dos jogadores;

  • a posição de lucro líquido dos jogadores após qualquer ajuste do contrato;

  • se os jogadores foram tratados igualmente ou não.

Dessa forma, a FIFA espera encontrar soluções justas e equilibradas para os dois lados.

Janelas de transferência:

No que diz respeito às janelas de transferência, novamente, é necessário ajustar a posição regulamentar normal às novas circunstâncias factuais. Consequentemente, a FIFA será flexível e permitirá que as janelas de transferência relevantes sejam movidas para o período entre o final da temporada antiga e o início da nova temporada.

Ao mesmo tempo, a FIFA tentará garantir, sempre que possível, um nível geral de coordenação e também terá em mente a necessidade de proteger a regularidade, a integridade e o bom funcionamento das competições, para que os resultados desportivos de qualquer competição não sejam injustos."

Médico a testar COVID-19

ITÁLIA: La Repubblica [17h15] | Mais de 600 mortes em 24 horas em Itália. A Proteção Civil italiana apresentou o boletim diário, com alguns números animadores. "O número de mortes baixou de ontem para hoje, de 636 para 604, atingindo um total de 17 127 óbitos. O número total de pessoas que contraíram o vírus desde o início da epidemia é de 135 586. As 3039 novas infeções detetadas nas últimas 24 horas é o número mais baixo desde 13 de março." Itália tem, ainda, "28 718 pessoas hospitalizadas, sendo que 3792 estão em terapia intensiva".

LETÓNIA: The Baltic Times | Letónia estende estado de emergência até meados de maio. "O Governo revelou aos jornalistas que o estado de emergência no país vai ser estendido por mais um mês. O primeiro-ministro Krisjanis Karins disse que foi alcançado um acordo político na reunião da coligação sobre o prolongamento do estado de emergência. ‘Embora a situação esteja atualmente sob controlo, a crise e a pandemia ainda não terminaram, portanto, o estado de emergência vai ser estendido por mais quatro semanas’, disse. Isso significa que o estado de emergência vai continuar até meados de maio."

EGITO: Lusa [16h38] | Egito suspende atividades públicas do Ramadão. "O Egito tornou-se hoje o primeiro país árabe a anunciar a suspensão de todas as atividades coletivas para o mês sagrado do Ramadão, este ano com início a 23 ou 24 de abril, devido à pandemia da COVID-19. O Ministério dos Assuntos Religiosos ‘decidiu suspender todas as atividades coletivas durante o Ramadão, dado que anteriormente proibiu a colocação de mesas na proximidade das mesquitas’, indicou em comunicado a autoridade encarregada dos lugares de culto muçulmanos."

ESTADOS UNIDOS: New York Times [16h33] | "Recorde de mortes num dia no Estado de Nova Iorque." "O governador do Estado de Nova Iorque, Andrew Cuomo, acabou de informar que mais 731 pessoas morreram devido ao coronavírus, o maior aumento num único dia. O número total de mortes relatadas pelo Estado através do vírus é de 5489."

REINO UNIDO: The Guardian [16h24] | Cerca de 800 mortes num só dia no Reino Unido. "O Departamento de Saúde e Assistência Social publicou a sua última atualização sobre mortes por coronavírus em hospitais no Reino Unido. Nas últimas 24 horas, registam-se 786 mortes, elevando o número total de óbitos hospitalares no Reino Unido para 6159. Já foram testadas 213 181 pessoas, das quais 55 242 acusaram positivo."

MUNDO: France Presse | "Coronavírus: mais de 75 000 mortos em todo o mundo." "A avaliação da pandemia excede os 75 000 mortos no mundo, principalmente na Europa, onde o número de mortes está em ascensão. O Velho Continente é o mais atingido pela pandemia, com cerca de 54 000 mortes."

Marcelo Rebelo de Sousa

PORTUGAL: RTP3 [15h00] | Marcelo Rebelo de Sousa diz que estão a ser dados "passos positivos" no controlo da epidemia. O Presidente da República, após reunião com o Governo e com o Infarmed, falou com a Comunicação Social e elogiou o facto de as medidas restritivas estarem a ter resultados nos números. "O processo em curso está a conhecer passos positivos no crescimento diário do número de casos e na propagação do vírus. São dois exemplos que mostram que há uma tendência positiva. A segunda ideia é que se queremos ganhar liberdade em maio, precisamos de ganhar a pandemia em abril. Liberdade no sentido de regresso progressivo à normalidade", apontou Marcelo Rebelo de Sousa.

CHINA: Reuters [14h01] | China sem mortes por coronavírus pela primeira vez. "A China não relatou mortes por coronavírus pela primeira vez desde o início da pandemia, e [anunciou] uma queda em novos casos nesta terça-feira."

ESPANHA: Marca [14h00] | Javier Tebas quer terminar a La Liga em 2019/20 e aponta a datas. Numa entrevista, "o presidente da La Liga, Javier Tebas, revisitou a situação atual e os preparativos para a organização que permita a recuperação das atividades desportivas". Um dos assuntos abordados por Javier Tebas foram as datas para terminar o campeonato: "Os cenários levantados pela UEFA para voltar a competir são: 29 de maio, 6 e 7 de junho ou 28 de junho para todas as ligas europeias."

HOLANDA: De Telegraaf [12h56] | Óbitos na Holanda sobem e passam os 2000. "O coronavírus já matou, pelo menos, 2101 pessoas na Holanda, segundo o relatório apresentado pelo Instituto Nacional de Saúde Pública e Meio Ambiente. Foram contabilizadas 292 novos internamentos nas últimas 24 horas."

PORTUGAL: SIC Notícias [12h40] | António Sales revela o reforço dos recursos humanos no SNS. Na conferência de Imprensa diária, o secretário de Estado da saúde, António Sales, começou por apresentar os números do dia do coronavírus em Portugal. "Conforme o relatório epidemiológico, registam-se 12 442 casos confirmados de COVID-19, o que representa mais 712 do que ontem. Por outro lado, verificam-se 1180 casos em internamentos, dos quais 271 em Unidade de Cuidados Intensivos. Registam-se 345 óbitos que lamentamos, que são pessoas que fazem falta a alguém, e verificam-se 184 casos de recuperação. Taxa de letalidade global é de 2,8%, a taxa de letalidade acima dos 70 anos é de 10,7%", revelou.

António Sales deu ainda a conhecer o reforço do Serviço Nacional de Saúde através da contratação direta de mais de 1400 profissionais. "O Serviço Nacional de Saúde é um património que importa preservar e reforçar. Os conselhos de administração dos diversos hospitais têm autonomia para fazer contratação direta no âmbito da pandemia, e, neste momento, já foram feitos mais de 1400 contratos com profissionais de saúde", informou.

"A linha SNS24 continua a ser porta de entrada primordial no Sistema Nacional de Saúde e, hoje em dia, já é possível em tempo médio de espera neste centro de atendimento abaixo dos três minutos. Já se prestou apoio psicológico a 262 pessoas, algumas delas profissionais de saúde", acrescentou, António Sales.

Boletim DGS

PORTUGAL: TVI24 [12h05] | Números do dia em Portugal. O boletim da Direção-Geral da Saúde já foi divulgado e mostra que o número de infetados com coronavírus no País é agora de 12 442 pessoas, há 345 óbitos a registar, com os recuperados a crescerem para os 184.

JAPÃO: Lusa [11h56] | "Japão declara estado de emergência em sete regiões incluindo Tóquio." "O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, declarou hoje o estado de emergência, por um mês, para Tóquio e seis outras regiões do arquipélago face a uma recente aceleração do número de casos de COVID-19 no país. O estado de emergência não permite às autoridades japonesas impor um confinamento rigoroso como noutros países, mas os governadores regionais em causa poderão instar a população a ficar em casa e pedir o encerramento temporário do comércio não essencial. ‘Face a uma situação que pode afetar gravemente a vida de cada um e a economia, decidi declarar o estado de emergência’, anunciou Abe perante uma comissão parlamentar."

ESPANHA: El País [11h48] | Número de mortes volta a subir em Espanha. "Após quatro dias de declínio contínuo nas mortes por coronavírus, nesta terça-feira o número subiu novamente para os 743 óbitos, elevando o número total desde o início da pandemia para 13 798 mortes. Os casos confirmados de contágio totalizam 140 510, o que representa um crescimento de 4% em relação a segunda-feira, enquanto 7069 pacientes necessitaram de internamento em Cuidados Intensivos."

BÉLGICA: La Libre [10h57] | Bélgica ultrapassa as 2000 mortes por COVID-19. "O centro de crise nacional e o Serviço Público de Saúde apresentaram os dados mais recentes relacionados com o coronavírus na Bélgica. Nesta terça-feira há 314 novas hospitalizações, elevando para 6012 o número total de pessoas hospitalizadas, das quais 1260 precisam de assistência respiratória. Nas últimas 24 horas, há 162 mortes a registar. Desde o início da epidemia, 2035 belgas perderam a vida. Há um total de 22 194 pessoas positivas para a COVID-19 na Bélgica."

6 de abril

MUNDO: France-Presse | Mais de 1,3 milhões de infetados. A pandemia do novo coronavírus já matou, desde dezembro, 73 139 pessoas e infetou mais de 1,3 milhões em todo o mundo (191 países e territórios), segundo um balanço divulgado nesta segunda-feira pela France-Presse. A agência refere que o número de casos diagnosticados reflete apenas uma fração do número real de infeções, já que um grande número de países agora está a testar apenas os casos que requerem atendimento hospitalar.

Boris Johnson

INGLATERRA: The Guardian [20h16] | Boris Johnson nos cuidados intensivos. O primeiro-ministro britânico, infetado com coronavírus, passou para os cuidados intensivos, depois de ter sido internado por dificuldades respiratórias. A decisão foi tomada pela equipa médica em face do agravamento do estado de saúde de Boris Johnson.

ESTADOS UNIDOS: Globo | Mais de 10 000 mortos devido à pandemia. Os Estados Unidos da América registaram mais de 750 mortes nas últimas 24 horas e são já o terceiro país com mais óbitos por COVID-19, 10 335 no total, depois de Itália e Espanha, segundo os dados divulgados nesta segunda-feira pela Universidade Johns Hopkins. O número de casos de infeção subiu para 347 003. O número de casos recuperados é de 19 247.

PORTUGAL: Notícias ao Minuto [18h57] | "Mais oito detidos por desobediência nas últimas 24 horas." Ao todo, contabilizam-se 130 detenções no país desde que foi decretado o estado de emergência. Mais oito pessoas foram detidas por crime de desobediência, designadamente, por violação da obrigação de confinamento obrigatório e por outras situações de desobediência ou resistência, anunciou o Ministério da Administração Interna (MAI), durante o final da tarde desta segunda-feira.

Marcelo Rebelo de Sousa

PORTUGAL: RTP3 | Marcelo Rebelo de Sousa: "Encontrei na banca mobilização para ajudar a economia portuguesa." O Presidente da República falou aos jornalistas nesta segunda-feira, ao final da tarde, após uma reunião com os líderes das principais instituições bancárias nacionais. "Saio desta reunião com a sensação de que a banca portuguesa está a acompanhar de forma muito atenta a realidade do nosso país, aquilo que se vive nas empresas e nas famílias, por todo o país, a nível nacional e regional. (...) No final da reunião foi dito que tencionariam fazer chegar aos portugueses o ponto de vista que têm sobre a situação nacional e o empenho com que se encontram. Ao mesmo tempo que estamos a fazer a luta no domínio da vida e da saúde, as famílias e as empresas vão fazer a luta da reconstrução da economia e da sociedade portuguesa."

NORUEGA: Lusa [18h48] | "Epidemia está sob controlo na Noruega", afirmou o ministro da Saúde norueguês, referindo um ritmo baixo de transmissão no país. A taxa de propagação, definida pelo número de contágios por cada pessoa doente com Covid-19, baixou para 0,7, que compara com uma taxa de 2,5 antes da adoção de medidas de contenção, em meados de março, disse o ministro da Saúde, Bent Hoie, em conferência de Imprensa. "Isso quer dizer que passámos a ter a epidemia de coronavírus sob controlo", afirmou, depois de precisar que o objetivo das autoridades de saúde era limitar a propagação do vírus ao máximo de uma pessoa contagiada por cada pessoa doente. A Noruega, que notificou a primeira morte associada à Covid-19 a 12 de março, regista até ao momento, segundo números oficiais, 5755 casos de infeção, 59 dos quais mortais.

PORTUGAL: Expresso [18h30] | Fátima não terá peregrinos. "O Santuário de Fátima anunciou que a Peregrinação Internacional Aniversária de maio será este ano celebrada sem a presença física de peregrinos, devido à Covid-19, mas que se mantêm as principais celebrações." Contudo, "apesar de esta peregrinação não poder ser vivida nos moldes habituais, vão realizar-se as principais celebrações na Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima, que serão presididas pelo cardeal D. António Marto e transmitidas pelos meios de comunicação social e digital". "O programa da peregrinação ainda não está totalmente decidido, mas já se sabe que, na noite do dia 12 de maio, será recitado o rosário, com o lucernário, e, no dia 13 de maio, será celebrada a missa internacional."

FRANÇA: Le Figaro [18h12] | "8911 mortes em França, 833 nas últimas 24 horas."  O ministro da Saúde, Olivier Véran, anunciou durante a tarde que há 29 722 pessoas hospitalizadas. Há 7072 casos nos cuidados intensivos (mais 94 nas últimas 24 horas). Por último, Olivier Véran divulgou que 17 250 pessoas já recuperaram e saíram dos hospitais.

Ambulância Itália Covid-19

ITÁLIA: La Repubblica [17h25] | 636 mortes nas últimas 24 horas. O número total de mortes em Itália chega assim aos 16 523 desde o início da pandemia. 3599 novos casos positivos foram detetados no último dia, totalizando 132 547. O número de pacientes nos cuidados intensivos continua a descer. Neste momento há 3898 pessoas, menos 79 que no passado domingo.

REINO UNIDO: The Sun [16h35] | 439 mortes nas últimas 24 horas. O número de óbitos chegou, nesta segunda-feira, aos 5373. Os casos positivos de coronavírus são agora 51 608 (mais 3802 casos do que no passado domingo) segundo os dados divulgados pelo Serviço Nacional de Saúde.

INGLATERRA: Sky Sports [15h31] | Open Britânico de Golfe cancelado. A prova inglesa é a primeira do circuito masculino a ser cancelada este ano. A decisão foi divulgada esta segunda-feira pela R&A (Royal e Ancient Golf Club de St Andrews), o clube de golfe mais antigo e prestigiado do mundo. A última ocasião em que o evento, inaugurado em 1860, havia sido cancelado, foi devido à Segunda Guerra Mundial.

INGLATERRA: Reuters [15h17] | "Primeiro-ministro Boris Johnson internado." "Boris Johnson disse nesta segunda-feira numa rede social que, sob conselho médico, foi hospitalizado para fazer testes de rotina, mas que está bem-disposto. O primeiro-ministro anunciou no dia 27 de março que testou positivo para o coronavírus e que permaneceria sete dias em isolamento na sua residência em Downing Street. Continuou, porém, a apresentar febre, motivo pelo qual o seu médico, no domingo, decidiu enviá-lo ao hospital para novos exames como uma 'medida de precaução'."

Policia Alemanha Covid-19

ALEMANHA: Der Spiegel [15h17] | Nova medida de contenção: "Quarentena obrigatória no regresso à Alemanha." Os cidadãos alemães, da União Europeia ou que moram na Alemanha há vários anos, e queiram retornar, terão de ficar em quarentena obrigatória durante duas semanas.

PORTUGAL: Jornal i [14h51] | "Metro de Lisboa passa a medir a temperatura à entrada das instalações da empresa." "O Metropolitano de Lisboa passa esta segunda-feira a medir a temperatura à entrada das suas instalações administrativas a todos os seus fornecedores, empreiteiros ou visitantes. Os trabalhadores da empresa também poderão aderir a esta medição voluntariamente. Temperatura acima de 37,5 °C impede entrada."

PORTUGAL: FPF | "Árbitro Fábio Veríssimo testa positivo para a COVID-19." "O árbitro Fábio Veríssimo foi informado esta segunda-feira de que testou positivo para a COVID-19, depois de ter manifestado sintomas da doença no final da semana passada. Fábio Veríssimo encontra-se bem e está a ser tratado em casa, onde permanecerá. O contágio aconteceu em Portugal, onde contactou com uma pessoa infetada. O árbitro continuará a ser acompanhado pelas autoridades de saúde e pela Unidade de Saúde e Performance da FPF."

INGLATERRA: Manchester City [13h57] | Consternados pela morte da mãe de Pep Guardiola. Numa curta nota divulgada através da página oficial do clube, o Manchester City comunicou o falecimento da mãe de Pep Guardiola, o treinador da principal equipa de futebol dos citizens. "A família do Manchester City relata, consternada, a morte de Dolors Sala Carrió, mãe de Pep, em Manresa, Barcelona, depois de contrair o coronavírus. Ela tinha 82 anos", informou o colosso inglês.

CI 6 de abril DGS Covid-19

PORTUGAL: RTP 3 [12h45] | "Chegam 500 ventiladores esta semana e outros 500 depois da Páscoa", diz António Sales. Na habitual conferência de Imprensa diária, realizada na sede da Direção-Geral da Saúde, em Lisboa, o secretário de Estado da Saúde revelou ainda que Portugal continua a aumentar o número de testes realizados diariamente.

"Dos testes realizados em Portugal, 54% são realizados em hospitais públicos, 46% em privados. Portugal tem 10 500 amostras processadas por cada milhão de habitantes, em linha com o que acontece na Suécia, na Dinamarca e não muito longe de Itália", explicou.

O Bastonário da Ordem dos Médicos tinha dito que os cuidados intensivos estão nos limites das suas capacidades. Sobre este assunto, António Sales reforçou que a chegada de mais ventiladores irá fazer face a uma possível "situação menos boa". "Aquilo que é hoje a capacidade, pode variar amanhã, para pior, ou para melhor. Estamos sempre atentos e acreditamos que com o que vamos adquirir e distribuir esta semana, teremos capacidade para fazer face a uma situação menos boa", vincou o secretário de Estado da Saúde.

CI 6 de abril DGS Covid-19

Por sua vez, a diretora-geral da Saúde, questionada sobre os índices de mortalidade, reiterou que é importante que as pessoas não se deixem "amedrontar". "Os nossos profissionais não estão todos dedicados à COVID-19. Não se deixem amedrontar e continuem a procurar assistência médica", salientou Graça Freitas.

Relativamente aos testes efetuados por todo o território nacional, a diretora-geral da Saúde também deu o seu parecer. "Os testes têm chegado onde são necessários. A prioridade é testar sintomáticos, mesmo que sejam sintomas ligeiros. Abrimos a rede para captar pessoas com sintomas mínimos. Temos zonas do país mais afetadas do que outras. Em contextos como os lares, a testagem é alargada aos utentes e trabalhadores", vincou.

CI 6 de abril DGS Covid-19

Corroborando as indicações de António Sales, a Bastonária da Ordem dos Nutricionistas, Professora Dra. Alexandra Bento, enalteceu a importância de se praticar uma alimentação equilibrada e referiu que não existem alimentos "capazes de prevenir ou combater a pandemia". 

"Adensa-se a desinformação. Circulam na internet alegadas soluções milagrosas. Não existem superalimentos ou alimentos capazes de prevenir ou combater a Covid-19. A alimentação equilibrada é fundamental, mas, deixem que vos diga, o sistema imunitário agradece que fiquem em casa e que se alimentem bem. Comprem só os alimentos que precisam, tenham um comportamento moral. Não haverá falta de alimentos. A cadeia está a funcionar. Em tempo de pandemia, devemos privilegiar alimentos frescos, em detrimento dos que têm muito sal e açúcar", finalizou.

PORTUGAL: TVI 24 [12h04] | 16 mortes nas últimas 24 horas. Portugal regista, nesta segunda-feira, 11 730 infetados com COVID-19, que já causou 311 mortes (mais 16 nas últimas 24 horas) em território nacional, segundo a Direção-Geral da Saúde. O número de infetados confirmados (total) é agora de 11 730. O número de casos recuperados ascende a 140, estando neste momento a aguardar resultados de testes laboratoriais, 4500 pessoas. Há ainda 23 470 pessoas sob vigilância.

Boletim DGS 6 de março Covid-19

ESPANHA: El Confidencial [11h28] | "634 mortes em 24 horas, o número mais baixo dos últimos dias." Espanha regista o menor número de mortes das últimas duas semanas, contudo, o número total ascende aos 13 055. Registam-se agora 135 032 casos positivos, representando um crescimento de 3,3% desde o passado domingo. Nas últimas 24 horas, 2357 pessoas recuperaram (ou seja, 30% dos casos reportados estão restabelecidos).

FRANÇA: Le Monde [9h11] | "Governo dá volta de 180 graus relativamente ao uso de máscaras." "O uso de máscaras poderia muito bem ser generalizado, em vista ao futuro desconfinamento da população francesa, cuja data está longe de ser conhecida." O ministro da Saúde, Olivier Véran, reconheceu numa entrevista que a medida poderia complementar o combate à COVID-19.

5 de abril

PORTUGAL: RTP [22H00] | Marta Temido em entrevista: "A evolução dos números que vemos nos últimos dias é um cenário encorajador." "A ministra da Saúde diz que 'a evolução dos números que vemos nos últimos dias é um cenário encorajador', mas que ainda 'não é possível afastar cenários'. Marta Temido lembra que os dados dos últimos dias devem 'dar-nos ânimo a continuarmos a ser disciplinados e humildes'. A governante reforça que Portugal ainda está 'num contexto muito agressivo', com centenas de mortos e milhares de infetados pelo novo coronavírus. Mas, pode haver colapso do Serviço Nacional de Saúde? A ministra não foi taxativa como o primeiro-ministro António Costa, que garantiu, em entrevista à TVI, que não. Já Marta Temido respondeu: 'O que garanto aos portugueses é que direi a verdade', deixando um grande elogio aos profissionais de saúde. 'O trabalho deles é a nossa melhor segurança'. Sobre a polémica do uso ou não das máscaras, Marta Temido diz que o país está a seguir 'em cada momento a evidência que está disponível' da Organização Mundial de Saúde. A OMS continua a dizer que 'para qualquer tipo de pessoa sem sintomas, utilizar uma máscara de qualquer tipo não é recomendado'. Apesar disso, a ministra reconhece que, se for devidamente utilizada e 'acompanhada de um conjunto de outras medidas', a máscara 'pode ter um efeito protetor'. 'A Direção-Geral de Saúde pediu ainda hoje um parecer ao coordenador do Programa Nacional de Prevenção e Luta contra as Resistências Microbianas e esse parecer vai no sentido de equacionar o uso mais amplo das máscaras', referiu."

PORTUGAL: RTP [18h37] | "Detidas 14 pessoas pelo crime de desobediência." O Ministério da Administração Interna referiu neste domingo em comunicado que, até às 17 horas, tinham sido hoje detidas 14 pessoas por crime de desobediência, "designadamente por violação da obrigação de confinamento obrigatório e por outras situações de desobediência ou resistência", e que foram também encerrados 121 estabelecimentos "por incumprimento das normas estabelecidas".

"Estes números juntam-se aos verificados no primeiro período de Estado de Emergência, que vigorou entre os dias 22 de março e 2 de abril, onde se registaram 108 detenções por crime de desobediência e foram encerrados 1708 estabelecimentos comerciais. O Ministério da Administração Interna, perante a imperiosa necessidade de todos contribuírem para conter o contágio da COVID-19, insiste no cumprimento rigoroso das medidas impostas pelo Estado de Emergência", acrescenta o comunicado.

COVID-19

ITÁLIA: La Repubblica [17h01] | 525 mortes em Itália, mantém-se a tendência de descida. Proteção Civil italiana revelou os dados mais recentes sobre o novo coronavírus, os quais indicam que 525 pessoas morreram nas últimas 24 horas, aumentando para 15 887 o número de vítimas mortais desde o início da pandemia. Pelo segundo dia consecutivo, desceu também o número de pessoas nos cuidados intensivos. No total, há 128 948 casos confirmados.

REINO UNIDO: Sky News [16h50] | A revelação e os alertas do ministro da Saúde britânico. Matt Hancock revelou que perdeu duas pessoas de quem "gostava muito" devido ao novo coronavírus. O ministro da Saúde britânico – que recuperou após contrair a doença – alertou ainda para a importância de seguir os conselhos dos profissionais de saúde. "Apanhar banhos de sol é contra as regras! Estão a colocar em risco a própria vida e a vida de outras pessoas", alertou.

UEFA

SUÍÇA: Lusa [16h49] | "UEFA esclarece que não deu datas limite para campeonatos terminarem." "A UEFA esclareceu hoje que o presidente Aleksander Ceferin não deu datas-limite para a conclusão das competições da época 2019/20 e que houve uma interpretação errada de declarações suas à televisão alemã ZDF.

'O presidente foi muito claro em que não podia dar datas específicas para o final da época', indicou o organismo responsável pelo futebol europeu, depois de surgir na Imprensa a data limite de 3 de agosto."

SUÉCIA: Euronews [15h11] | "Aumento de mortes agrava polémica sobre estratégia da Suécia." Em tempos de confinamento, alguns especialistas alertam para a velocidade das estatísticas: o número de mortes subiu para 373, o que representa um aumento de 12% no espaço de um dia. O país tem agora cerca de 6500 casos de infeção pelo novo coronavírus. A estratégia anunciada pelo governo do primeiro-ministro Stefan Löfven é a seguinte: confiar no bom senso e sentido de responsabilidade dos cidadãos em preservar o distanciamento social.

REINO UNIDO: Sky News [14h50] | Mais de 600 vítimas mortais nas últimas 24 horas. Segundo os últimos dados divulgados, só no último dia, morreram 621 pessoas vítimas do novo coronavírus no Reino Unido, elevando para um total de 4934 as vítimas mortais desde o início da pandemia. No total, no Reino Unido, há 47 806 pessoas infetadas.

COVID-19

PORTUGAL: RTP3 [12h38] | "Capacidade ventilatória mais do que duplicou", diz Marta Temido. Na habitual conferência de Imprensa diária, realizada na sede da Direção-Geral da Saúde, em Lisboa, Marta Temido revelou que, neste momento, o SNS dispõe de 1538 ventiladores, 85% dos quais com capacidade invasiva, para responder à pandemia de COVID-19.

Segundo a ministra da Saúde, a Administração Central do Sistema de Saúde, reportou "ter comprado 1151 ventiladores, ter recebido em doação 247 ventiladores e ter recebido por empréstimo da Air Liquid 140 ventiladores", conseguindo, assim, "bem mais do que duplicar aquilo que era a capacidade ventilatória existente no início de março".

Estes equipamentos — aos quais se juntam mais 280 monitores para utilização nas unidades de cuidados intensivos — "vão ser distribuídos de acordo com aquilo que foi a decisão técnica que teve em conta as necessidades manifestadas por diversos hospitais, a respetiva capacidade de aumento de camas e de acordo com aquilo que foram as indicações dos mecenas", explicou Marta Temido. O reforço dos equipamentos, refere a ministra, é uma consequência do "reforço da capacidade da medicina intensiva".

"É particularmente importante que todos percebamos que a pressão sobre o internamento hospitalar está a crescer e que daí retiremos consequências", alertou Marta Temido.

COVID-19

Por sua vez, a diretora-geral da Saúde detalhou que os casos de internamento em cuidados intensivos são sobretudo pessoas idosas. Questionada sobre os mais jovens, Graça Freitas adiantou que nas idades pediátricas as "notícias são de facto muito boas" uma vez que se tem verificado "uma capacidade enorme de recuperação" nesses pacientes.

A diretora-geral da Saúde voltou a explicar que o uso indevido do material de proteção pode ser mais "contraproducente" e dar "uma falsa sensação de segurança". Graça Freitas esclareceu que "quer se tenha luvas quer não se tenha luvas, se se tocar numa superfície contaminada, obviamente que os vírus e as gotículas ficam na superfície das luvas e, portanto, se forem levadas à cara, à boca, ao nariz ou aos olhos, os vírus são transmitidos".

"Quando muito, seriam apenas utilizadas numa única vez, num único ato, descartadas, tiradas, deitadas fora. Senão, usemos as nossas mãos, evitemos levar as mãos à cara e lavemos as mãos com frequência. A principal medida de proteção das mãos é a lavagem frequente e no intervalo da lavagem não tocar ou tentar não tocar na cara", reforçou Graça Freitas. 

COVID-19

ITÁLIA: Vatican News [12h23] | "No drama da pandemia, pedir a graça de viver para servir", diz o Papa Francisco. O Papa Francisco iniciou este domingo os ritos da Semana Santa com a celebração litúrgica de um Domingo de Ramos especial, a decorrer dentro da Basílica de São Pedro e não na praça do Vaticano, como é usual.

"O drama que estamos a passar obriga-nos a levar a sério o que conta, a não nos perdermos em coisas insignificantes, a redescobrir que a vida não serve, se não serve. Porque a vida é medida a partir do amor. Em casa, nesses dias sagrados, vamos apresentar-nos diante de Jesus crucificado, que é a medida do amor que Deus tem por nós", disse durante a homilia.

PORTUGAL: TVI24 [12h04] | 295 mortos e mais de 11 mil infetados. Portugal regista, neste domingo, 11 278 infetados com COVID-19, que já causou 295 mortes (mais 29 nas últimas 24 horas) em território nacional, segundo o relatório da Direção-Geral da Saúde. O número de infetados confirmados (total) é agora de 11 278, o que corresponde a um aumento de cerca de 7% em relação à véspera. Mantém-se o número de 75 pessoas consideradas recuperadas, estando nesta altura a aguardar resultados de testes laboratoriais 4962 pessoas (menos 10% do que no boletim anterior). Há cerca de 23 200 pessoas sob vigilância.

COVID-19

ESPANHA: El Confidencial [11h33] | "674 mortes em 24 horas, o número mais baixo nos últimos oito dias." Espanha registou, nas últimas 24 horas, 674 mortes por infeção do novo coronavírus, o terceiro dia consecutivo de redução, perfazendo um total de 12 418 vítimas mortais, de acordo com a última atualização das autoridades sanitárias. Segundo o Ministério da Saúde espanhol foram confirmados 6023 novos infetados, o que mostra que sem mantém uma desaceleração do ritmo de progresso da pandemia. 

EUA: Euronews [10h03] | "Mais de 1200 mortos nos EUA em 24 horas." Mais de 1200 pessoas morreram, só durante o dia de sábado, nos Estados Unidos, vítimas da Covid-19. O país é, cada vez mais, o maior foco de infeção e mais de 8400 pessoas já morreram. Foram anunciados 34 mil novos casos de infeção, o que eleva o total para mais de 311 mil casos positivos. O Estado de Nova Iorque continua a ser o mais afetado, com mais de 3500 mortes 630 só durante o dia de sábado.

ÁFRICA: AFP | Continente africano regista 8500 casos de COVID-19. O número de mortes provocadas pela COVID-19 em África subiu para 360 neste domingo, anunciou o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (CDC África). Cinquenta países registam, juntos, 8500 casos da doença. O CDC África registou também 710 doentes recuperados após a infeção.

4 de abril

COVID-19

PORTUGAL: Correio da Manhã [19h19] | "Detidas 8 pessoas e encerrados 63 estabelecimentos por incumprimento do Estado de Emergência". "Foram detidas 8 pessoas e encerrados 63 estabelecimentos por incumprimento do Estado de Emergência. Este novo balanço surge depois de ter sido renovado este estado por mais 15 dias.

O novo balanço foi feito este sábado pelo Ministério da Administração Interna. De acordo com um comunicado oficial, 'dando cumprimento às determinações do Decreto que renovou o Estado de Emergência, em vigor desde as 00h00 do dia 3 de abril, a Guarda Nacional Republicana e a Polícia de Segurança Pública têm vindo a desenvolver uma intensa atividade de sensibilização, vigilância e fiscalização junto da população'.

Desta forma, até às 17h00 deste sábado, 'foram detidas 8 pessoas por crime de desobediência, designadamente por violação da obrigação de confinamento obrigatório e por outras situações de desobediência ou resistência. No mesmo período, foram encerrados 63 estabelecimentos por incumprimento das normas estabelecidas', pode ler-se."

TURQUIA: Aksam [18h28] | Números oficiais na Turquia. 76 mortes nas últimas 24 horas e 3013 novos casos de Coronavírus no país. 302 pessoas recuperaram no dia 4 de abril, de acordo com o boletim disponibilizado pelo Ministério da Saúde.

SUÍÇA: Tribune de Genève [18h11] | "COVID-19 rouba mais de 500 vidas na Suíça." A Suíça ultrapassou os 500 mortos e mais de 20 000 infetados pelo novo coronavírus, anunciou o ministério da Saúde deste país. Neste sábado, 20 201 pessoas estavam infetadas pelo novo coronavírus, o que representou o aumento de 1000 infetados num só dia. Foram ainda registadas 76 mortes nas últimas 24 horas, o que elevou para 540 o número de óbitos desde o início da pandemia.

COVID-19

PORTUGAL: Lusa [17h55] | "Bruxelas aprova programas de apoio de Portugal às empresas de 13 mil milhões de euros." A Comissão Europeia aprovou hoje dois regimes de apoios estatais do Governo português à economia para fazer face às consequências da pandemia provocada pelo novo coronavírus, no valor de 13 mil milhões de euros, anunciou a instituição em comunicado.

"'Os 13 mil milhões de euros dos regimes portugueses permitirão a Portugal conceder subvenções diretas e garantias públicas sobre empréstimos para ajudar as PME e as grandes empresas a cobrir as necessidades de investimento e fundo de maneio e a prosseguir as suas atividades neste momento difícil', afirmou a vice-presidente da Comissão e titular da pasta da Concorrência, Margaret Vestager, citada no texto.'"

ITÁLIA: AGI [17h43] | "Menos doentes em terapia intensiva, quase 125 mil casos positivos no total." Em Itália, morreram 681 pessoas de COVID-19 em Itália nas últimas 24 horas, de acordo com o boletim divulgado pelas autoridades de saúde italianas. O número de novos infetados nas últimas 24 horas foi de 4805, num país contabiliza 124 632 casos de coronavírus. O número de novas mortes continua a registar uma tendência de descida (ontem, o número de mortos tinha sido de 766), tal como o de pacientes nos cuidados intensivos (hoje são 3994, ontem eram 4068). 

COVID-19

GRÉCIA: Ta Nea [16h19] | Governo proíbe tráfego até 27 de abril. A Grécia estendeu o período de isolamento obrigatório no país até 27 de abril. O governo grego anunciou 60 novos casos de COVID-19, elevando o número total para 1673. Nas últimas 24 horas, morreram 9 pessoas. Ao todo, a doença já fez 68 vítimas mortais entre os gregos.

HOLANDA: De Telegraaf [15h53] | Boletim da Holanda: 164 mortes nas últimas 24 horas. 164 pessoas morreram na Holanda por COVID-19 nas últimas 24 horas, de acordo com as autoridades de saúde do país, com o número total de óbitos a subir para 1651.

REINO UNIDO: Sky News [14h24] | 708 mortos nas últimas 24 horas. O número de mortes de pessoas infetadas com Covid-19 aumentou em 708 nas últimas 24 horas no Reino Unido, fazendo o total subir para 4313, informou o ministério da Saúde britânico. O número de casos de pessoas diagnosticadas com a doença também aumentou em 3735 desde sexta-feira, para 41 903, acrescentou a mesma fonte, na atualização feita este sábado. 

COVID-19

PORTUGAL: Diário de Notícias [13h35] | Marcelo chama os banqueiros a Belém: quer que apoiem a economia. Presidente da República afirmou neste sábado que vai reunir-se com representantes da banca e que espera ver o setor a "entrar na corrida em contrarrelógio" contra a COVID-19 e a "retribuir aos portugueses" os apoios que teve.

Durante uma visita a uma sementeira de tomate na Lezíria Grande de Vila Franca de Xira, Marcelo Rebelo de Sousa adiantou que irá falar por videoconferência "com os presidentes dos principais bancos, todos", na segunda-feira, para os ouvir sobre a atual situação, sobre a aplicação das medidas adotadas pelo Governo e sobre "a agilização para que o dinheiro chegue ao terreno".

"A banca deve ao país, por causa das circunstâncias que todos conhecemos, de uma crise que vivemos há anos, um contributo muito importante durante anos. Cada português contribuiu para viabilizar bancos e que felizmente, mérito desses bancos, se viabilizaram, deram a volta por cima", defendeu.

O Chefe de Estado, que prestava declarações aos jornalistas num pavilhão agrícola, abrigado da chuva que começou a cair a meio desta visita, acrescentou: "De algum modo esta é uma ocasião de retribuir aos portugueses aquilo que nós fizemos. E é um bocadinho isso que eu vou ouvir, como é que vai fazer chegar aos portugueses aquilo que não pode demorar muito, porque isto está tudo ligado."

Segundo o Presidente da República, "isto é uma corrida contra-relógio e a banca tem de entrar na corrida contra-relógio" o mais rapidamente possível, "porque a economia precisa do dinheiro mais cedo, porque as famílias precisam do dinheiro mais cedo, porque os trabalhadores precisam de trabalho mais cedo, precisam de salários mais cedo".

ESPANHA: El Diário [13h05] | "Estado de emergência em Espanha prolongado até 26 de abril." O estado de emergência em Espanha foi prolongado até 26 de abril. Esta foi, segundo a imprensa espanhola, uma decisão tomada pelo chefe do governo, Pedro Sánchez, depois de uma consulta com uma comissão científica que analisou os últimos dados sobre a evolução da pandemia no país.

COVID-19

PORTUGAL: RTP3 [12h47] | "É o momento de equilibrar o medo e coragem", diz Marta Temido. Na habitual conferência de Imprensa diária com o balanço da situação epidemiológica em Portugal, a ministra da Saúde revela que a taxa de letalidade é de 2,5% e acima dos 70 anos é de 10,3%. Marta Temido reafirmou ainda que a utilização de máscara cirúrgica é recomendada a todas as pessoas que apresentem sintomas, bem como a todos os profissionais que prestam cuidados a eventuais infetados e doentes imunossuprimidos.

A ministra da Saúde lembra que a "pandemia COVID-19 pelas características da doença, quer pelas medidas extraordinárias" tem "alterado profundamente as nossas rotinas, alterando as nossas relações laborais e afetivas". "Todos temos medo. Mas este é o momento de equilibrar o medo e a coragem. A coragem de ficar em casa, de continuar a ajudar os outros desde que devidamente protegidos, e a pedir ajuda quando precisamos dela", acrescentou.

Questionada sobre a possibilidade de regresso às aulas até ao próximo dia 4 de maio, a diretora-geral da saúde, Graça Freitas, explicou que ainda não existe data apontada para o regresso à "vida mais ou menos normal" e garantiu que, pelo menos para já, essa questão não se coloca. "Terá de ser analisado dia a dia", esclareceu.

"Temos muito trabalho a fazer para perceber a partir de que altura é que poderá ser benéfico voltarmos a introduzir alguma normalidade na nossa vida. É uma coisa muito complexa, não há uma reposta exata nem simples, tudo tem de ser analisado", acrescentou a diretora-geral da saúde.

"É um equilíbrio difícil, que requer reflexão e muita, muita ponderação", reforçou Graça Freitas, que avançou ainda que Portugal, através do Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge e em colaboração com outros países, vai fazer estudos para perceber que proporção da população adquiriu imunidade ao novo coronavírus, só não disse ainda quando é que isso irá acontecer.

"Parece que foi há muito tempo, mas a doença em Portugal começou há cerca de um mês, portanto a maior parte dos nossos doentes ainda está em fase de recuperação. Vamos ter de perceber qual é a altura ideal para fazer o teste, numa amostra da população", explicou. 

PORTUGAL: SIC Notícias [12h03] | Boletim epidemiológico: número de casos supera os 10 mil e já há 266 mortos. Já foram registados 266 mortos em Portugal com COVID-19, segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral de Saúde (DGS). Foram mais 20 mortes registadas nas últimas 24 horas até à meia-noite. O boletim deste sábado indica também que já há 10 524 infetados confirmados e 75 casos recuperados. 

COVID-19

PORTUGAL: Lusa [11h56] | "Lisboa cancela arraiais de Santo António e marchas populares." A edição deste ano das marchas populares de Lisboa e os arraiais de Santo António foram cancelados devido à pandemia COVID-19, anunciou hoje a Câmara Municipal de Lisboa. Também os casamentos de Santo António estão cancelados. As candidaturas para 2020 serão automaticamente consideradas para a edição de 2021.

ESPANHA: El Confidencial [11h31] | "Taxa de novos casos marca outro mínimo, mas Espanha já tem 11 744 mortes." Espanha segue o caminho adotado na semana passada para bloquear a ascensão da nova curva de contágio por COVID-19. Neste sábado, os números oficiais do Ministério da Saúde espanhol revelam que nas últimas 24 horas registaram-se mais 809 mortos, a menor subida registada esta semana. 11 744 é o número de pessoas que sucumbiram à COVID-19 desde o início da pandemia. Há 124 736 infetados e há registo de 34 219 pessoas recuperadas. 57 612 foram hospitalizadas.

CHINA: Xinhua [07h47] | Chineses homenageiam vítimas da COVID-19. Os chineses juntaram-se em grande número nas praças das principais cidades, incluindo a capital Pequim, para cumprir três minutos de "silêncio e reflexão" pela memória dos mais de 3200 mortos devido à infeção por COVID-19 no país. Decretado dia de luto pelo governo chinês, as bandeiras nos edifícios públicos foram colocadas a meia haste e o som de sirenes de fábricas, alarmes antiaéreos e buzinas de carros, comboios e navios soaram como sinal de luto.

COVID-19

3 de abril

FRANÇA: Le Figaro [19h02] | "França lamenta mais de 6500 vítimas mortais." 588 pacientes morreram com o novo coronavírus em hospitais franceses nas últimas 24 horas, o que eleva para 6507 o total de mortos desde o início da pandemia, anunciou nesta sexta-feira o diretor-geral da Saúde, Jérôme Salomon. O número de casos confirmados está neste momento nos 64 338, mais 5233 do que na quinta-feira. Em França há 27 432 pessoas hospitalizadas. Entre os internamentos, 6662 pessoas estão em cuidados intensivos. Por outro lado, há agora 14 008 recuperados, 1580 dos quais já testaram negativo desde ontem.

COVID-19

PORTUGAL: Observador [18h47] | "PSP com 52 profissionais infetados." "Subiu para 52 o número de profissionais da PSP infetados com o novo coronavírus. Do total, 46 são polícias e seis são técnicos sem funções policiais. Num comunicado enviado esta sexta-feira, a PSP informa ainda que os 207 polícias que se encontravam em isolamento já regressaram ao serviço. Houve ainda 43 polícia que foram testados por apresentarem sintomas suspeitos e cujos resultados deram negativo."

PORTUGAL: TVI24 [18h28] | "Campanha Unidos por Portugal angaria quase 600 mil euros." A iniciativa Unidos por Portugal, promovida pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF) em conjunto com mais 14 parceiros, angariou até esta sexta-feira 594 567,58 euros. Os quase 600 mil euros recebidos vão servir para a compra de equipamento hospitalar e de proteção individual para hospitais e Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) que necessitam dessa ajuda, como esclarece a FPF no seu site.

PORTUGAL: Lusa [17h18] | "Mais de 100 detenções nos primeiros 15 dias do estado de emergência." 108 detenções foram feitas nos primeiros 15 dias do estado de emergência devido à COVID-19 e mais de mil entradas foram recusadas no País através das fronteiras com Espanha, revelou hoje o ministro da Administração Interna. Em conferência de Imprensa, Eduardo Cabrita destacou 29 detenções por violação do dever de confinamento obrigatório, 10 por violação da cerca sanitária de Ovar e 16 por várias tentativas em manter abertos estabelecimentos comerciais que deviam estar encerrados.

INGLATERRA: Daily Mail [16h47] | Premier League adia recomeço "até que seja seguro fazê-lo." A Premier League adiou nesta sexta-feira o recomeço da prova para uma altura em que seja "seguro e apropriado fazê-lo", devido à pandemia de COVID-19, descartando a possibilidade de o regresso da competição acontecer no início de maio. "Ficou definido que a Premier League não recomeçará no início de maio e que a época de 2019/20 só regressará quando for seguro e apropriado", refere o organismo, em comunicado.

ESTADOS UNIDOS: CNN [16h10] | "Existem pelo menos 102 863 casos de COVID-19 em Nova Iorque." O governador Andrew Cuomo confirmou que o estado de Nova Iorque chegou aos 102 863 casos de COVID-19, mais 9810 do que os números anunciados na quinta-feira. Houve ainda 397 mortes, elevando o número de vítimas mortais só em Nova Iorque para 2935.

ITÁLIA: La Stampa [16h04] | Boletim epidemiológico: 766 mortes e 4585 novos casos nas últimas 24 horas. Registaram-se 766 mortes por COVID-19 nas últimas 24 horas em Itália, de acordo com os dados divulgados pelas autoridades de saúde italianas. O número de novos casos registados no último dia foi de 4585.

COVID-19

PORTUGAL: Lusa [15h01] | "Mais de 300 enfermeiros infetados e 1750 em vigilância." "Mais de 300 enfermeiros estão infetados com COVID-19 e 1750 encontram-se em casa em vigilância ativa, depois de terem estado em contacto com doentes, anunciou hoje Ordem dos Enfermeiros (OE). Em apenas 48 horas, 18 306 enfermeiros responderam ao formulário, o que corresponde a cerca de 40% do número de enfermeiros que trabalham no Serviço Nacional de Saúde (SNS), segundo a mesma fonte."

REINO UNIDO: Sky News [14h21] | Em 24 horas, o Reino Unido regista mais 684 mortos. Nas últimas 24 horas morreram mais 684 pessoas no Reino Unido devido ao novo coronavírus. Agora, o total de mortos é 3605, um número superior aos confirmados na China. Ao todo, o país regista agora 38 168 casos confirmados de COVID-19, com 135 pessoas recuperadas. No total, 173 784 pessoas já foram testadas, dizem as autoridades de saúde britânicas.

PORTUGAL: TVI24 [13h02] | "Nenhuma medida isolada é milagrosa", diz Graça Freitas. Questionada sobre o uso de máscaras por quem não está infetado, a diretora-geral da Saúde diz que Portugal está alinhado com a Organização Mundial da Saúde, o Centro Europeu de Controlo de Doenças e a literatura médica e científica. "O que sabemos é que não há uma única medida que seja completamente eficaz. É apenas no conjunto de medidas. Usar uma máscara — se vier a ser recomendado, obviamente seguiremos — não evita o distanciamento social. Nenhuma medida isolada é milagrosa", advertiu na habitual conferência de Imprensa diária.

"Tivemos sempre uma política em relação aos lares. Há uma intervenção junto dos lares em vigor há bastante tempo. Logo no início dissemos que para entrar num lar, o novo utente tem de fazer um teste. O que não podemos é impedir que os profissionais circulem do exterior para o interior da entidade", explicou Graça Freitas.

COVID-19

O secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, reforçou as palavras do primeiro-ministro quanto a abril. "Estamos no mês mais crítico desta pandemia", avisou. "A renovação do estado de emergência obriga-nos a um esforço adicional. Não podemos vacilar. Não podemos baixar a única defesa que temos no combate à epidemia, que é a contenção social. Sabemos que a aquisição permanente de equipamento é crucial. Por isso, está prevista a chegada faseada de 24 milhões de máscaras cirúrgicas até ao final de abril", revelou.

PORTUGAL: SIC Notícias [12h59] | Boletim DGS: 9886 casos confirmados, 246 vítimas mortais. Portugal tem agora um total de 9886 casos confirmados de COVID-19, segundo o Relatório da Direção-Geral da Saúde sobre a situação epidemiológica desta sexta-feira, dia 3 de abril. É um aumento de 852 casos, que representa um salto de 9,4%, inferior aos 9,5% de ontem. Já o número de mortes subiu de 209 para 246, com 37 vítimas mortais registadas nas últimas 24 horas: é o maior aumento de óbitos diário em Portugal.

IRÃO: Tehran Times [12h43] | "Casos de coronavírus no Irão aumenta para 53 183. Número de mortos atinge 3294." As autoridades iranianas anunciaram hoje mais 134 mortes devido ao novo coronavírus, o que faz subir para 3294 o número total de vítimas mortais no Irão, um dos países mais afetados pela pandemia da COVID-19. O Irão registou 2715 casos de contágio nas últimas 24 horas, fazendo aumentar para 53 183 o número total de infetados.

COVID-19

ÁFRICA: Lusa [12h03] | Mais de 7000 casos em 50 países de África. A pandemia de COVID-19 afeta já 50 dos 55 países e territórios africanos com mais de 7000 infeções e 280 mortes. Segundo o boletim de hoje do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), desde o início da pandemia foram notificadas 284 mortes e 7028 casos no continente africano.

PORTUGAL: Observador [11h17] | "Rock in Rio Lisboa adiado para 2021." A 9.ª edição do Rock in Rio Lisboa foi adiada para o próximo ano na sequência da pandemia do novo coronavírus, anunciou esta sexta-feira em comunicado a vice-presidente executiva, Roberta Medina. O festival, que deveria decorrer entre nos dias 20, 21, 27 e 28 de junho deste ano, no Parque da Bela Vista, em Lisboa, vai passar assim para os dias 19, 20, 26 e 27 de junho de 2021. 

ESPANHA: El Confidencial [10h19] | Número de mortos em Espanha desce, com 932 nas últimas 24 horas. Em Espanha, morreram 932 pessoas nas últimas 24 horas, registando-se desta forma a primeira queda no número de óbitos nesta semana. Este número sugere algum otimismo em relação ao dia anterior, em que se atingiu o número máximo em Espanha, de 950 mortos num dia. O número total de mortos em Espanha é agora de 10 935. Espanha soma 117 710 casos de coronavírus.

CHINA: Xinhua | China homenageia vítimas da COVID-19 a 4 de abril. A China realizará, neste sábado, um dia de luto nacional pelos mais de 3200 mortos devido a infeção pelo novo coronavírus no país, informou hoje o Conselho de Estado chinês.

COVID-19

2 de abril

PORTUGAL: SIC [19h59] | Estado de emergência: a intervenção de Marcelo Rebelo de Sousa ao País. O estado de emergência, com o aumento das medidas restritivas, foi renovado por mais 15 dias e o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, falou aos portugueses. Leia a intervenção do Chefe de Estado...

"Ouvidos os especialistas, com o parecer favorável do Governo e com a autorização amplamente consensual da Assembleia da República, acabo de renovar até ao dia 17 [de abril] o estado de emergência. Porque esta é uma causa nacional, estivemos todos, Órgãos de Soberania, uma vez mais, unidos e solidários. Como unidos e solidários têm estado, exemplarmente, os portugueses nas suas casas, no trabalho e na coragem serena a enfrentar a pandemia. Este vai ser o nosso maior desafio dos últimos 45 anos. Porque nos ultrapassa na sua origem e no seu fim, é universal. O adversário é insidioso e imprevisível, porque atinge vida e saúde sem paralelo na nossa vida democrática. Porque os seus efeitos económicos e sociais serão mais profundos e duradouros do que as crises mais longas que já vivemos. Porque agrava a pobreza dos mais pobres, a desigualdades dos mais desiguais, as exclusões dos mais excluídos. Porque vai exigir reforçada atenção e punição daqueles que queiram aproveitar-se da crise para atividades criminosas contra os valores da Constituição que votámos, faz hoje, 45 anos", alertou.

"Os portugueses perceberam e decidiram abraçar a luta comum. Profissionais da saúde continuam a fazer milagres; forças armadas, de segurança, bombeiros e proteção civil não descansam; IPSS, misericórdias e voluntários desmultiplicam-se; empresas alteram planos para produzir o que mais nos falta; cientistas trabalham em novos testes, fármacos e vacinas em grupos internacionais; professores mudam métodos de ensino; agricultores iniciam sementeiras e plantações de alimentos essenciais para o nosso dia a dia; operários produzem para a exportação possível; camionistas mantêm fornecimentos quase inviáveis; hoteleiros alojam desalojados de lares ou médicos e enfermeiros longe das famílias; comerciantes de estabelecimentos encerrados apoiam obras sociais; trabalhadores autárquicos palmilham freguesias e municípios", elogiou Marcelo Rebelo de Sousa.

Marcelo Rebelo de Sousa

"Todos entendem que o caminho é longo e exigente. Começa no combate da vida e da saúde, sem o qual o combate da economia e da sociedade não pode ser travado com sucesso. Mas a vida e a saúde exigem que a economia e a sociedade não parem. Dentro do combate da saúde há quatro fases. A primeira foi a das últimas semanas, evitando que o crescimento do número de contaminados atingisse números excecionalmente elevados e que o recurso generalizado ao internamento de milhares de doentes entre o final de março e o início de abril provocasse a rotura do sistema, sem tempo para ajustar estruturas, reforçar meios e enfrentar uma subida descontrolada da pandemia; a segunda fase é a das próximas semanas, neste mês crucial de abril, tentando manter a desaceleração do surto, consolidando a contenção, tratando a maioria dos infetados em casa e gerindo a subida de doentes carecidos de internamento e cuidados intensivos; a terceira será vivida nas semanas seguintes, mais cedo ou mais tarde, conforme o sucesso da segunda, invertendo definitivamente a tendência do crescimento de casos, mas ainda enfrentando números exigentes em internamento grave e crítico, e abrindo para a descompressão possível na sociedade portuguesa; a quarta, controlando de forma consistente o surto, mesmo que ainda assistindo a parte final dos custos humanos da pandemia. Para já, ganhámos a primeira batalha, a da primeira fase. Adiámos o pico, moderámos a progressão do vírus. Onde o número de infetados assumiu mais de 30 e 40 por cento por dia, conseguimos baixar para valores de 15 a 20 por cento e depois para inferiores a 15 por cento, como ontem e hoje. Ganhámos tempo com as medidas restritivas e com a notável adesão voluntária dos portugueses; ganhámos tempo para o traçado das primeiras e mais urgentes medidas económicas e sociais. Agora, temos de ganhar a segunda fase. Não podemos desbaratar a contenção da primeira fase. Temos de consolidar a moderação do surto com números que vão subir e muito em termos absolutos, mas que vão descer, esperamos, em termos percentuais. Ao mesmo tempo, colocar em pé, no terreno, os apoios sociais económicos mais urgentes de entre os urgentes", enumerou.

Marcelo Rebelo de Sousa

"Temos, nesta segunda fase, de nos focar em cinco objetivos fundamentais. Primeiro: proteger, reforçadamente, os grupos de maior risco onde quer que se encontrem. Desta frente pode depender o sucesso da segunda fase e o passarmos mais depressa à terceira. Dos estudantes aos trabalhadores em layoff, forças armadas, bombeiros e as forças seguranças. Tudo o que é possível tem sido mobilizado para esta frente; segundo: utilizar, com bom senso e rigoroso critério, a abertura da renovação do estado de emergência para prevenir situações críticas de saúde pública em estabelecimentos prisionais, em particular na população de maior risco ou vulnerabilidade. O Governo, a Assembleia da República e poder judicial terão uma palavra a dizer, à qual o Presidente da República juntará a sua, exercendo o poder constitucional de indulto em casos de concreto; terceiro: assegurar que, por muitas razões que haja – e há –, para cansaço, ansiedade e lassidão, nesta Páscoa não troquemos uns anos na vida e saúde de todos por uns dias de férias ou reencontro familiar alargado de alguns. Daí, as medidas alargadas do Governo, limitando as circulações de pessoas de fora, para fora e cá dentro na época pascal; quarto: pedir aos nossos compatriotas, que, de fora quiserem vir, que entendam as restrições severas que cá dentro adotaremos para a Páscoa e repensem, adiando os seus planos, tal como nós estamos a adiar os nossos a pensar na Pátria comum; quinto: definir os cenários para o ano letivo atendendo à evolução da pandemia em abril. Mais uma das opções do Governo na sua exigente missão nacional que o primeiro-ministro comunicará ao País no próximo dia 9. Este é o nosso principal caderno de encargos para os próximos 15 dias. A renovação do estado de emergência amanhã iniciado tem como fim ajudar-nos a cumprir este caderno de encargos e a ganhar a segunda fase no combate pela vida e pela saúde, assim abreviando o começo da reconstrução económica de Portugal. Mas só ganharemos abril se não facilitarmos, não condescendermos ou baixarmos a guarda. Outras experiências mostraram que situações de grupo de risco e visitas à terra e à família causaram explosões entre os 30 e os 50 dias da epidemia. Vai custar a ver os números de infetados atingir as duas ou três dezenas de milhar até ao dia 17? Vai! Mas isso quer dizer que os testes estão a aumentar e bem, e que isso significa detetar mais infetados e que a maioria não é grave. O que vai fazer a diferença é a percentagem de crescimento diário. Uma percentagem a descer é o surto a quebrar e a aproximar-se a viragem irreversível. Tem sido e continuará a ser uma mudança radical nas nossas vidas? Tem sido e continuará a ser nas próximas semanas, mas o que importa é que essa mudança pode valer muitas dezenas de milhares de vidas salvas. Que seja para os que sofreram e ainda sofrem com a pandemia e para os que nela morreram, sozinhos e sem despedidas, e para as suas famílias, a nossa última evocação solidária. Nós não vos esquecemos. É por eles, e pelos milhões e milhões que somos, que nos comprometemos a vencer esta segunda fase, assim permitindo vencer o maior desafio da vida de todos nós", finalizou o Presidente da República.

PORTUGAL: Lusa [19h26] | Quase 100 detidos por desobediência neste estado de emergência. "A PSP e a GNR detiveram 96 pessoas pelo crime de desobediência no âmbito do estado de emergência iniciado no dia 22 de março devido à pandemia de COVID-19, anunciou hoje o Ministério da Administração Interna. Segundo o MAI, estas duas forças de segurança encerraram também 1701 estabelecimentos por incumprimento das normas estabelecidas."

FRANÇA: Le Figaro [18h42] | Quase 500 mortes em 24 horas. "Jérôme Salomon apresentou o boletim diário do coronavírus em França. Começou por relatar que há 26 646 pessoas infetadas no país e que há 6399 doentes com tratamento intensivo. Já ocorreram 4503 mortes por coronavírus, 471 delas nas últimas 24 horas."

António Costa

PORTUGAL: RTP3 [18h14] | António Costa apresentou as novas medidas do estado de emergência. Após o Conselho de Ministros no Palácio da Ajuda, o primeiro-ministro, António Costa, deu a conhecer as principais medidas da renovação do decreto de estado de emergência por mais 15 dias. "Gostaria, desde já, apresentar ao País as principais medidas do decreto de execução que o Presidente da República renovou por mais 15 dias de estado de emergência. Convém clarificar que não pode haver ajuntamentos superiores a cinco pessoas, com exceção de famílias numerosas; este diploma reforça a posição financeira das autarquias locais para poderem atuar, agilizando a contração de empréstimos a curto prazo e concretização de medidas de apoio a instituições; prorrogação do prazo para os proprietários procederem à limpeza de matas; isenção de taxas moderadoras a todos os doentes COVID-19", começou por reforçar António Costa.

Uma das medidas mais restritivas deste estado de emergência prende-se com o período pascal, e o primeiro-ministro desmontou o que é e não é possível fazer nesse período em termos de deslocações. "Neste período de vigência deste renovado estado de emergência há um momento crítico que é o período da Pascoa, e onde teremos de restringir a circulação em território nacional. O decreto prevê que entre as 00h00 de quinta-feira, dia 9, e as 24h00 de segunda-feira, dia 13, serão proibidas deslocações para fora do concelho de residência habitual, com exceção de pessoas que desenvolvem atividades permitidas. Iremos, neste mesmo período, ter encerrados para o tráfego de passageiros todos os aeroportos nacionais, evitando circulações do exterior para Portugal e vice-versa", revelou.

"A ministra da Saúde e o ministro da Administração Interna definirão os países ou territórios cuja origem determina consulta médica de que provém desse território, tendo em vista prevenir a difusão de contaminações de quem vem de regiões onde há uma especial incidência da epidemia. Aplicar ao transporte aéreo a limitação da sua lotação a um terço para assegurar o maior afastamento possível dentro dos transportes públicos", acrescentou o primeiro-ministro.

Para mitigar os abusos por parte de empresas em relação a eventuais despedimentos ilegais, uma das medidas deste novo estado de emergência reforça as competências da Autoridade para as Condições de Trabalho. "Outra medida que consta neste decreto é o reforço das competências da Autoridade para as Condições de Trabalho [ACT]. Temos tido notícias que, infelizmente, neste período, tem havido abusos nas relações laborais. Nessa medida podem ser requisitados inspetores para reforçar a ACT e os inspetores da ACT têm poder para suspender despedimento com indícios de ilegalidade e assim evitar abusos de entidades patronais", enfatizou.

Também em relação a pessoas que estejam cumprir penas ou a pessoas que trabalhem em estabelecimentos prisionais há uma proposta de Lei que prevê manter estagnado o crescimento do vírus nestes espaços. "Há uma medida que consta de uma proposta de Lei, que será submetida à Assembleia da República e que visa prevenir esta pandemia em meios prisionais. São recomendações que visam proteger quem está privado da liberdade, mas também os funcionários que trabalham em estabelecimentos prisionais. A proposta de Lei prevê quatro medidas: o Presidente da República pode conceder, por razões humanitárias, indulto da pena que estão a cumprir a pessoas idosas ou vulneráveis; prevê-se perdão parcial de penas de prisão até dois anos ou dos últimos dois anos de penas de prisão, sendo que esta medida não se aplica a quem cometeu homicídios, violações, abusos de menores, crimes de violência doméstica, crimes cometidos por titulares de cargos políticos, membros das forças armadas ou magistrados; prevê-se que o regime das licenças precárias possam ser concedidas por um período de 45 dias. Esgotado esse tempo, as autoridades judiciárias poderão antecipar a liberdade condicional, caso o comportamento nestes 45 dias o permitirem; o perdão de pena tem uma condição resolutiva de respeito pelo confinamento domiciliário e pela ausência de qualquer tipo de ato criminal. Violar uma destas obrigações implicará a caducidade do perdão de pena e reingresso no estabelecimento prisional", sublinhou António Costa.

ITÁLIA: Il Messaggero [17h16] | Os números do dia em Itália. O boletim do dia 2 de abril em Itália confirma que o país já teve, desde o início da epidemia, "115 242 infetados, dos quais mais de 83 mil ainda estão ativos e quase 14 mil mortos (13 915). O número total de pessoas recuperadas está a crescer. Neste momento são 18 278, segundo os dados apresentados pelo chefe da Proteção Civil, Ângelo Borrelli. Em relação às novas infeções, o valor baixou em 24 horas, das 2937 de ontem para as 2477 de hoje."

HONG KONG: South China Morning Post | Bares e pubs fechados. "Hong Kong anunciou o encerramento de duas semanas dos bares e pubs da região. A secretária de Alimentação e Saúde, Sophia Chan Siu-chee, anunciou a medida após revelar que 69 dos 132 casos transmitidos localmente desde 19 de março envolveram uma visita a um bar ou pub."

TAILÂNDIA: BBC [16h23] | Tailândia com recolher obrigatório. "A Tailândia foi o último país a anunciar um toque de recolher obrigatório. Será executado das 22h00 às 04h00 em todas as noites a partir de sexta-feira, 3 de abril. Nenhuma data para o final desta medida foi especificada."

ESTADOS UNIDOS: New York Times [16h20] | Mais de 6 milhões de pedidos para subsídio de desemprego. "Mais de 6,6 milhões de pessoas entraram com pedidos para o subsídio de desemprego na semana passada, informou o Departamento do Trabalho nesta quinta-feira. Pela segunda semana consecutiva, este sombrio recorde foi batido."

Médicos

MUNDO: France Presse [15h22] | Coronavírus contaminou quase um milhão de pessoas. "O novo coronavírus continua a crescer a uma velocidade ‘quase exponencial’, já tendo infetado, oficialmente, quase um milhão de pessoas e reivindicado 48 000 vidas, incluindo a de um bebé de seis semanas nos Estados Unidos. Mais de 500 000 casos foram identificados na Europa, o continente mais afetado, mas são os Estados Unidos da América que estão a emergir como o novo epicentro da pandemia. Apesar das medidas de contenção que afetam quase um habitante do planeta em cada dois, os balanços estão a ficar mais pesados: mais de 13 000 mortos em Itália, 10 000 em Espanha, mais de 5000 nos Estados Unidos, 4000 em França."

ARGENTINA: La Prensa | Os números do dia na Argentina. "O Ministério da Saúde informou esta manhã que a Argentina tem 1133 casos confirmados de coronavírus e 34 mortes, enquanto 72 pacientes permanecem em tratamento em unidades de terapia intensiva."

REINO UNIDO: The Telegraph [14h57] | Reino Unido está perto das 3000 mortes por coronavírus. "O número de mortes relacionadas ao coronavírus no Reino Unido aumentou em 569 casos nas últimas 24 horas, elevando o número total de óbitos para 2921. Este é o maior aumento diário. A contagem de casos no Reino Unido agora é de 33 718, o que reflete um aumento de 3846 nas últimas 24 horas."

HOLANDA: De Telegraaf [14h55] | Os números do dia na Holanda. "Desde o início, o coronavírus já causou 1339 mortes na Holanda. O Instituto Nacional de Saúde Pública e Meio Ambiente, nas últimas 24 horas, registou 166 novas mortes. O número de infeções aumentou em 1083 novos casos no último dia para as 14 697."

PORTUGAL: Açoriano Oriental [14h09] | "Concelhos de São Miguel com cercas sanitárias." "O Governo [Regional] dos Açores anunciou esta quinta-feira que todos os concelhos da ilha de São Miguel estarão em cerca sanitárias a partir das 00h00 do dia 3 de abril."

PORTUGAL: CMTV [12h55] | António Sales garante o reforço de material na luta contra o coronavírus. Em conferência de Imprensa, o secretário de Estado da Saúde, António Sales, assegurou a chegada de mais material de proteção individual e de luta contra a COVID-19. "Hoje, serão redistribuídas 6000 zaragatoas. Estão ainda encomendadas 400 mil zaragatoas, das quais 80 mil chegam amanhã e que farão face a uma procura elevada. Na próxima semana chegam a Portugal mais 200 000 testes. Estamos a reforçar a nossa capacidade de ventilação, porque os casos mais graves de COVID-19 precisam de ventiladores na luta pela vida. Entre ofertas, compras e empréstimos teremos capacidade de dobrar a nossa oferta de ventilação", revelou.

António Sales alertou ainda para a renovação do estado de emergência e para a responsabilidade dos portugueses nesta fase da epidemia. "Numa altura em que se renova o estado de emergência, convém manter a malha apertada ao novo coronavírus, quer através da contenção social, quer reabastecendo os mecanismos do Sistema de Saúde, capacitando para as novas fases da epidemia", sublinhou.

Boletim DGS

PORTUGAL: TVI24 [12h54] | Mais de 9000 casos registados no País. A Direção-Geral da Saúde revelou o boletim do dia 2 de abril. Portugal ultrapassou hoje os 9000 casos positivos por coronavírus (9034), com as mortes a passarem para 209. Os recuperados também aumentaram para os 68.

SUÍÇA: Reuters [12h25] | "Casos de coronavírus superam os 18 000, o número de mortos sobe para 432." "A agência de saúde pública informou que o número de mortos na Suíça pela epidemia de coronavírus aumentou para 432. A mesma fonte disse que o número de testes positivos aumentou para 18 267."

PORTUGAL: TVI [11h50] | Assembleia da República aprova decreto. O decreto que prevê a extensão do estado de emergência em Portugal por mais 15 dias foi aprovado no Parlamento, com os votos a favor de PS, PSD, CDS/PP, BE e PAN.

BÉLGICA: La Libre [10h55] | COVID-19: mais de 1000 óbitos na Bélgica. "O centro nacional de crise e o Serviço Nacional de Saúde belga fizeram, em conferência de Imprensa, um balanço da evolução da epidemia de coronavírus na Bélgica. Faleceram 183 pessoas nas últimas 24 horas. Assim, o saldo total desde o início da epidemia sobe para as 1011. Houve 584 novos internamentos, elevando o número de hospitalizados para 5376, dos quais 1144 estão em terapia intensiva. Registaram-se 1384 novos casos, aumentando o número total de infetados no país para 15 348."

ESPANHA: El País [10h03] | Espanha ultrapassa a barreira das 10 000 mortes. "Bater o recorde do número de mortes por coronavírus em Espanha não é novidade: acontece quase diariamente desde que a crise eclodiu. Mas nesta quinta-feira o salto foi ainda maior: 950 mortes num único dia, ultrapassando 10 000 no total (10 003). Ainda nesta quinta-feira, o país atingiu os 110 238 casos positivos registados."

1 de abril

PORTUGAL: Expresso [19h44] | 90 detidos em Portugal por desobediência. Está perto de 100 "o número de pessoas detidas pelo 'crime de desobediência, designadamente por violação da obrigação de confinamento obrigatório e por outras situações de desobediência ou resistência', revelou o Ministério da Administração Interna em comunicado. A mesma nota refere ainda que no total já foram encerrados 1633 'estabelecimentos por incumprimento das normas estabelecidas'."

Marcelo Rebelo de Sousa

PORTUGAL: Presidência da República [19h21] | Marcelo Rebelo de Sousa "propõe ao Parlamento renovação do estado de emergência". "Depois de ouvido o Governo, que se pronunciou em sentido favorável, o Presidente da República enviou à Assembleia da República, para autorização desta, o projeto de diploma decretando a renovação do estado de emergência por 15 dias."

ESTADOS UNIDOS: Universidade Johns Hopkins [19h13] | EUA com cerca de 200 mil casos de coronavírus. Os casos de COVID-19 continuam a subir nos Estados Unidos da América. Segundo os dados divulgados pela Universidade Johns Hopkins, o país tem agora 199 092 casos positivos, 4361 mortes confirmadas e 8362 recuperados.

FRANÇA: Le Monde [19h01] | Números do dia em França. "Morreram 509 pessoas nas últimas 24 horas, passando o máximo de óbitos para os 4032. 1882 pessoas testaram positivo hoje para o coronavírus, sendo que, atualmente, 24 639 encontram-se hospitalizados. Nas últimas 24 horas mais de 1000 pessoas recuperaram da COVID-19", divulgou o diretor-geral da Saúde, em França, Jérôme Salomon.

ARGENTINA: La Prensa | Governo argentino proíbe despedimentos por um período de 60 dias. "O presidente [argentino] Alberto Fernández ordenou, através de um decreto, a proibição, por um período de 60 dias, de ‘demissões sem justa causa, por faltas ou diminuição de trabalho e força maior’, bem como ‘suspensões por motivos de força maior ou falta e redução do trabalho’. Estas medidas adotadas pelo Governo visa aliviar o impacto económico por causa da pandemia do coronavírus."

ALBÂNIA: Reuters [17h53] | "Albânia estende medidas restritivas até ao final do surto de coronavírus." "Escolas, cafés, restaurantes e outros locais públicos albaneses permanecerão fechados, e as restrições à atividade social e económica permanecerão em vigor até o final do surto de coronavírus, disse a ministra da Saúde, Ogerta Manastirliu."

LUXEMBURGO: Le Quotidien [17h46] | Números do dia no Luxemburgo. "Os últimos números divulgados pelas autoridades luxemburguesas, relacionados com a progressão da pandemia de coronavírus, mostram 2319 casos confirmados e 29 mortes no total, sendo que entre terça-feira e quarta-feira morreram seis pessoas."

ESTADOS UNIDOS: The Guardian [17h28] | "Mais de 83 000 casos em Nova Iorque." "O Estado de Nova Iorque confirmou 83 712 casos de coronavírus, o que representa um aumento de 7917 desde ontem. O vírus já matou 1941 pessoas no estado."

ITÁLIA: La Repubblica | Números do dia em Itália. "Segundo os dados da Proteção Civil, Itália registou, nas últimas 24 horas, 727 mortes, menos 110 que ontem. O total de óbitos desde o início da pandemia é de 13 155. Atualmente, existe um total de 80 572 casos positivos de COVID-19."

António Costa

PORTUGAL: TVI24 [17h07] | Governo dá parecer favorável à renovação do estado de emergência. Em Conselho de Ministros realizado, nesta quarta-feira, no Palácio da Ajuda, ficou decidido que o Governo dará parecer favorável ao decreto que permite a extensão do estado de emergência em Portugal. O primeiro-ministro António Costa revelou aos jornalistas o que ficou decidido e quais são os trâmites para a aplicabilidade do decreto. "Há uma proposta de elaboração de decreto de prorrogação do estado de emergência. Obviamente, competirá ao Presidente da República anunciar publicamente, quando o entender, o teor desse decreto. O Governo apreciou a proposta e deliberou dar parecer favorável à renovação do estado de emergência, que será apreciado pela Assembleia da República a quem cabe autorizar o Presidente da República para que o decreto seja aprovado. O que o Governo tem previsto, no pressuposto de a Assembleia da República venha a dar autorizar e que o Presidente da República o decrete, é reunir amanhã à tarde para aprovar a legislação que regulamenta e torna aplicável o estado de emergência por mais 15 dias", vincou.

"Gostaria de sublinhar que o comportamento dos portugueses tem sido exemplar, salvo raríssimas exceções, na autocontenção, na autodisciplina, e esse esforço é importante fazer e terá de ser reforçado neste mês. Como os números da pandemia têm demonstrado, este é um esforço que vale a pena e que tem mostrado resultados. A melhor forma de o estado de emergência durar o menor tempo possível é termos a máxima intensidade nas medidas de contenção, para termos o controlo desta pandemia o mais rápido possível", acrescentou o primeiro-ministro.

MUNDO: France Presse [16h25] | "Coronavírus: o mundo enfrenta a pior crise desde 1945: 30 000 mortos na Europa." "O novo coronavírus matou mais de 43 000 pessoas em todo o mundo, três quartos delas na Europa, e a pandemia é descrita pela Organização das Nações Unidas como a pior crise que a humanidade enfrentou desde 1945. Desde que a pandemia começou em dezembro na China, mais de 865 000 casos foram declarados oficialmente em todo o mundo, mais de metade deles na Europa, 189 000 nos Estados Unidos da América e mais de 110 000 na Ásia."

INGLATERRA: BBC News [16h20] | Ténis: Torneio de Wimbledon cancelado devido ao coronavírus. "Wimbledon foi cancelado pela primeira vez desde a Segunda Guerra Mundial por causa da pandemia de coronavírus. O torneio deveria ser disputado entre 29 de junho e 12 de julho. Toda a temporada de relva foi abandonada e não haverá ténis profissional até, pelo menos, 13 de julho."

ALEMANHA: Der Spiegel [16h10] | Medidas de distanciamento social mantêm-se até 19 de abril. "Os governos federal e estadual estenderam as rígidas restrições de distanciamento social existentes devido à crise do coronavírus pelo menos até ao final das férias da Páscoa. Os cidadãos ‘continuam obrigados a reduzir o contacto com outras pessoas fora de casa ao mínimo, de acordo com as regras aplicáveis, mesmo durante as férias da Páscoa’, disse a chanceler Angela Merkel."

"Aos cidadãos foi pedido que ‘evitem viagens e visitas a parentes’. As medidas devem ser aplicadas até 19 de abril."

Logo da UEFA

EUROPA: UEFA.com [15h42] | Comunicado da UEFA após videoconferência com 55 federações. "Após a reunião de videoconferência de hoje com os presidentes das 55 federações-membro da UEFA e as recomendações feitas pelos grupos de trabalho criados em 17 de março, o Comité Executivo da UEFA tomou uma série de decisões.

Todos os jogos das seleções nacionais masculinas e femininas, agendados para junho de 2020, são adiados até nova data. Isso inclui os playoffs para o Campeonato da Europa 2020 e os jogos de qualificação para o Campeonato da Europa feminino 2021.

Todos os outros jogos das competições da UEFA, incluindo amigáveis internacionais, permanecem adiados até nova indicação.

Competições de seleções jovens:

  • O torneio final do Campeonato da Europa de Sub-17, previsto para maio de 2020, fica cancelado;

  • O torneio final do Campeonato da Europa de Sub-19 Feminino da UEFA, marcado para julho de 2020, fica cancelado;

  • O torneio final do Campeonato da Europa de Sub-17 Feminino da UEFA, agendado para maio de 2020, é adiado até novo aviso (uma vez que é uma competição de qualificação para a Taça do Mundo Feminina de Sub-17 da FIFA);

  • O torneio final do Campeonato da Europa de Sub-19, marcado para julho de 2020, é adiado até nova indicação (uma vez que é uma competição de qualificação para a Taça do Mundo de Sub-20 da FIFA).

As finais da UEFA Champions League de Futsal, agendadas para abril de 2020, ficam adiadas até nova data.

Os prazos relacionados a todas as competições de clubes da UEFA 2020/21 são adiados, em especial no que se refere ao processo de admissão e registo de jogadores. A UEFA estabelecerá novos prazos no devido tempo.

Em matéria de licenciamento de clubes e fair-play financeiro:

  • O Comité Executivo reiterou o seu total compromisso com o licenciamento de clubes e o fair-play financeiro, e concordou que as atuais circunstâncias excecionais requerem algumas intervenções específicas para facilitar o trabalho das associações e clubes.

  • Apoia a proposta de dar às federações-membro mais tempo para concluir o processo de licenciamento de clubes, até que o processo de admissão nas competições de clubes da próxima temporada da UEFA seja redefinido.

  • Como resultado da crescente incerteza gerada pelos eventos extraordinários em andamento, o Comité Executivo também decidiu suspender as disposições de licenciamento de clubes relacionadas à preparação e avaliação das futuras informações financeiras dos clubes. Esta decisão aplica-se exclusivamente à participação nas competições da UEFA de clubes em 2020/21."

REINO UNIDO: The Guardian [14h10] | Mais de 2000 mortes no Reino Unido. "O número de mortos no Reino Unido aumentou para os 2352 depois das 563 registadas nas últimas 24 horas. Após um total de 152 979 testes, 29 474 deram positivos."

FRANÇA: L’Équipe [14h00] | "Luis Fernández diz estar curado do coronavírus." "O ex-jogador e ex-treinador do Paris Saint-Germain, de 60 anos, garantiu que recuperou da COVID-19." O antigo internacional francês esteve entre os adeptos do PSG na marcha de 11 de março que antecedeu a segunda mão dos oitavos de final da Champions, com o Borússia Dortmund. "Luis Fernández diz que recuperou após ter ‘sintomas como perda de paladar e de olfato’. ‘Estou cada vez melhor. Até já penso em ir pescar’."

PORTUGAL: RTP3 [12h45] | António Sales apresenta números do dia e fala em "tempo de adaptação". Em conferência de Imprensa, o secretário de Estado da Saúde, António Sales, apresentou os números do dia em Portugal em relação ao coronavírus e deixou elogios. "Registam-se 8251 casos confirmados de COVID-19, o que representa mais 808 casos (11%). Por outro lado, verificam-se 726 casos em internamentos, dos quais 230 em Cuidados Intensivos. Registam-se 187 óbitos que lamentamos, que representa uma taxa de letalidade de 2,3%, e acima dos 70 anos de 9,1%", partilhou.

O secretário de Estado deixou ainda elogios aos portugueses e aos profissionais de saúde: "Este é o tempo da adaptação. Os cidadãos adaptam-se às novas rotinas em casa, os profissionais de saúde adaptam-se às práticas da COVID-19 e o Governo adapta-se a situações dinâmicas e nem sempre previsíveis. A capacidade de adaptação tem sido fantástica."

"Muito nos deve orgulhar o nosso Serviço Nacional de Saúde. É uma das grandes conquistas dos portugueses em que todos têm lugar e ninguém fica de fora. O nosso agradecimento aos profissionais de saúde e às ordens, sem exceção, nas pessoas dos seus bastonários", completou António Sales.

Boletim DGS

PORTUGAL: TVI24 [12h27] | Números atualizados do coronavírus em Portugal. A Direção-Geral da Saúde revelou o boletim do dia de 1 de abril. Os óbitos subiram para os 187 (mais 27 do que ontem) e os casos positivos são agora 8251 (mais 808 do que ontem).

ESPANHA: El Mundo [11h47] | "Mais de 100 000 mortos e 9000 mortos." "Os novos dados divulgados pelo Ministério da Saúde refletem 102 136 infeções, em comparação com 94 417 registados ontem. O número de mortos subiu para 9053, em comparação com os 8189 que totalizaram ontem. A pressão das Unidades de Cuidados Intensivos é a maior preocupação. Existem 5872 internados nos Cuidados Intensivos. Os recuperados em Espanha também subiram para os 22 647."

IRÃO: Expresso [11h22] | "Irão ultrapassa as 3000 mortes por coronavírus." "O número de mortos no Irão ultrapassou os 3000, situando-se atualmente nos 3036, depois serem contabilizados 138 óbitos nas últimas 24 horas. No mesmo período, foram registados 2988 novos casos de infeção, o que eleva o indicador para 47 593. No total, recuperaram 15 473 pacientes."

BÉLGICA: La Libre [10h54] | Números do dia na Bélgica. "Através de uma conferência de Imprensa, o centro nacional de crise e o Serviço Público de Saúde belga fizeram um balanço da evolução da epidemia de coronavírus na Bélgica. Nas últimas 24 horas perderam a vida devido à COVID-19 123 pessoas, passando o saldo para 828 óbitos. O total de internados desde o início da epidemia são 4995, sendo que 1088 fazem terapia intensiva."

ITÁLIA: La Repubblica [10h07] | Itália estende medidas restritivas até 13 de abril. "O ministro da Saúde, Roberto Speranza, durante a apresentação dos resultados do estado de emergência do coronavírus no Senado, confirmou a extensão das medidas restritivas adotadas pelo Governo para conter a propagação da epidemia. ‘Os dados melhoram, mas seria um erro cair em otimismos fáceis. O alarme não parou e, por esse motivo, é importante manter todas as medidas de limitações económicas, sociais e viagens individuais até 13 de abril’."

Texto: Márcia Dores, Filipa Fernandes Garcia, Diogo Nascimento, Sónia Antunes e Marco Rebelo

Fotos: Tuttosport / Corriere dello Sport / The Guardian / Le Figaro / Mundo Deportivo / L'Équipe / AS / La Repubblica / El País / Portugal.gov.pt / UEFA / Twitter Roland Garros / Il Messaggero / Corriere della Sera / Liga Portugal / ACP / COI / Reuters / New York Times / The Telegraph / FIFA / De Telegraaf / Público / Expresso

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar