Clube

16 janeiro 2021, 15h46

COVID-19 no mundo

[EM ATUALIZAÇÃO]

A pandemia COVID-19 parou e mudou o mundo desportivo, financeiro e político. Acompanhe aqui EM DIRETO as principais notícias oficiais, desportivas e generalistas do que se passa em Portugal e no mundo.

16 de janeiro

Relatório DGS

PORTUGAL: TVI24 [14h12] | "10 947 infetados, o pior dia até hoje." "As autoridades de saúde anunciaram neste sábado mais 166 óbitos e 10 947 infetados decorrentes da pandemia de COVID-19, o pior dia até hoje.

Desde sexta-feira, foram notificados mais 93 internados, dos quais 16 em Unidades de Cuidados Intensivos.

A região de Lisboa e Vale do Tejo foi a que mais infetados registou nas últimas 24 horas (3975), com o Norte a atingir 3795 novos contágios.

As autoridades de saúde têm em vigilância 155 401 contactos, mais 12 661 relativamente ao dia anterior.

O boletim revela ainda que 8477 pessoas foram dadas como recuperadas.

Desde o início da epidemia em Portugal, em março, já recuperaram 402 542 pessoas.

Relativamente às 166 mortes registadas nas últimas 24 horas, 69 ocorreram em Lisboa e Vale do Tejo, 46 na região Norte, 28 na região Centro, 17 no Alentejo, cinco na região do Algarve e uma na Madeira.

Ainda segundo o boletim da DGS, na região de Lisboa e Vale do Tejo, foram notificadas 3975 novas infeções, contabilizando-se até agora 179 873 casos e 3115 mortes.

A região Norte registou 3795 novas infeções por SARS-CoV-2, nas últimas 24 horas. Desde o início da pandemia, a região Norte já registou 252 760 casos de infeção e 3685 mortes.

Na região Centro, registaram-se mais 2136 casos, acumulando-se 71 489 infeções e 1360 mortos.

No Alentejo, foram assinalados mais 510 casos, totalizando 17 812 infeções e 388 mortos desde o início da epidemia em Portugal.

A região do Algarve tem hoje notificados 402 novos casos, somando 12 112 infeções e 116 mortos.

A Madeira registou 79 novos casos. Esta região autónoma contabiliza 2489 infeções e 23 mortes, devido à COVID-19.

Na Região Autónoma dos Açores, foram registados 50 novos casos nas últimas 24 horas, somando 2881 infeções e 22 mortos.

Os casos confirmados distribuem-se por todas as faixas etárias, situando-se entre os 20 e os 59 anos o registo de maior número de infeções."

15 de janeiro

DGS

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h33] | "Novo máximo de 159 mortes e 10 663 casos." "Portugal regista nesta sexta-feira um novo máximo de 159 mortes por COVID-19 e 10 663 casos, avança o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Nos hospitais há mais 192 pessoas internadas, num total de 4560. Em unidades de cuidados intensivos deram entrada 11 pessoas nas últimas 24 horas e há agora 622 pacientes.

O número de casos ativos da doença subiu para quase 126 mil, com mais 4046 infeções no espaço de um dia.

Recuperaram da doença quase 6500 pessoas e há agora mais de 142 mil em contactos de vigilância.

Desde a chegada da pandemia a Portugal, em março do ano passado, estão confirmadas 8543 mortes e mais de 528 mil casos de COVID-19.

Numa análise por regiões, Lisboa e Vale do Tejo (LVT) registou no último dia 65 mortes e 4280 casos.

Na região Norte há mais 35 mortes e 3295 infeções e no Centro 34 óbitos e 2041 novos casos.

O Alentejo tem 15 mortes e 577 casos, o Algarve 10 óbitos e 328 infeções, a Madeira 93 casos e os Açores 49 infeções."

14 de janeiro

DGS 14 de janeiro

PORTUGAL: SIC Notícias [13h55] | Mais 10 698 casos de infeção. "Portugal regista nesta quinta-feira mais 148 mortes relacionadas com a COVID-19 e 10 698 novos casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o boletim Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 8384 mortes e 517 806 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2, estando nesta quinta-feira ativos mais 5487 casos, num total de 121 815.

Quanto aos internamentos hospitalares, o boletim epidemiológico da DGS revela que estão internados 4368 doentes, mais 128 em relação a ontem, das quais 611 em cuidados intensivos, mais 15.

As autoridades de saúde têm sob vigilância 138 992 contactos, mais 8105 relativamente a ontem.

O boletim revela ainda que foram dados como recuperados mais 5063 doentes. Desde o início da pandemia em Portugal, em março, já recuperaram 387 607 pessoas."

13 de janeiro

António Costa

PORTUGAL: SIC Notícias [18h35] | Novas medidas de confinamento em Portugal. "Após a reunião de Conselho de Ministros realizada no Palácio da Ajuda, em Lisboa, o primeiro-ministro, António Costa, anunciou as novas medidas de confinamento que vigorarão em Portugal neste Estado de Emergência desta quinta-feira, às 00h00 até 30 de janeiro.

O líder do Governo começou a sua intervenção a falar de "momento perigoso", mas de "maior esperança". "Este é um momento simultaneamente mais perigoso e de maior esperança. Quando hoje vimos uma senhora de 111 anos num lar em Gouveia a ser vacinada isso acalenta-nos a esperança que será possível vencer esta pandemia, mas, ao mesmo tempo, quando tivemos hoje mais 156 falecimentos, ontem mais 155, um total de 55 que morreram desde domingo, percebemos que estamos num momento mais perigoso", afirmou.

António Costa reiterou que as novas medidas se resumem ao dever de "ficar em casa". "Não há cansaço que nos permita assumir esta dor coletiva de continuarmos a ter mais de 100 mortes por dia, não é aceitável e temos de parar isto. A mensagem fundamental das decisões que tomamos é regressar ao dever de recolhimento domiciliário tal como o tivemos em março e abril quando travamos com sucesso a primeira vaga. Não nos foquemos na exceção, mas sim na regra. A regra é simples: cada um de nós deve ficar em casa", completou, adiantando de seguida que é preciso "travar o crescimento da pandemia, salvar vidas, esmagar a curva, proteger o SNS, apoiar os profissionais de saúde e que os portugueses se ajudem uns aos outros".

"Não podemos voltar a repetir este ano a mesma regra e, por isso, com as cautelas que tornaram a escola segura, vamos manter as escolas em funcionamento", revelou ao garantir que as escolas vão continuar abertas e que o ensino será presencial, até para "não voltar a sacrificar a atual geração de estudantes".

O teletrabalho também foi referido pelo primeiro-ministro, que garantiu que o mesmo "é obrigatório sempre que possível". "O teletrabalho é imposto sem necessidade de acordo entre patrões e trabalhadores e dispensando o acordo de qualquer deles. É mesmo obrigatório sempre que possível. E para assegurar o cumprimento desta obrigação consideramos como muito grave a coima decorrente da violação da obrigatoriedade do teletrabalho", disse."

Medidas confinamento

REGRAS DO NOVO CONFINAMENTO

  • Confinamento obrigatório (pessoas com COVID-19 ou em vigilância ativa)

  • Dever geral de permanecer em casa (com algumas exceções)

  • Teletrabalho obrigatório (incumprimento considerado contraordenação muito grave)

  • Comércio e serviços (encerrado, salvo os estabelecimentos autorizados)

  • Restaurantes e cafés: só take-away ou entregas ao domicílio

  • Serviços públicos: mediante marcação prévia

  • Educação: estabelecimentos de ensino abertos, em regime presencial

  • Estabelecimentos culturais encerrados

  • Exercício individual ao ar livre; ginásios e outros recintos desportivos encerrados

  • Futebol: Seleções Nacionais e 1.ª divisão sénior sem público

  • Eventos proibidos, salvo campanhas eleitorais e celebrações religiosas

DGS

PORTUGAL: SIC Notícias [14h14] | 10 556 casos nas últimas 24 horas. "Portugal regista hoje mais 156 mortes relacionadas com a COVID-19 e 10 556 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo o boletim Direção-Geral da Saúde.

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 8236 mortes e 507 108 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2, estando nesta quarta-feira ativos mais 5940 casos, num total de 116 328.

Quanto aos internamentos hospitalares, o boletim epidemiológico da DGS revela que estão internados 4240 doentes, mais 197 em relação a terça-feira, das quais 596 em cuidados intensivos, menos 3.

As autoridades de saúde têm sob vigilância 130 887 contactos, mais 5591 relativamente a ontem.

O boletim revela ainda que foram dados como recuperados mais 4460 doentes. Desde o início da pandemia em Portugal, em março, já recuperaram 382 544 pessoas."

12 de janeiro

DGS

PORTUGAL: Rádio Renascença [15h26] | "155 pessoas morrem com COVID-19 em 24 horas." "O boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS) indica que nas últimas 24 horas há registo de mais 155 mortos e 7259 novos casos de COVID-19 em Portugal. Com as vítimas mortais contabilizadas nesta terça-feira, Portugal ultrapassa os oito mil mortos (8080) por COVID-19, desde o início da pandemia.

Em Lisboa e Vale do Tejo há 3201 novos casos, no Norte 2180, no Centro 1129, no Alentejo 434, no Algarve 143, nos Açores 101 e na Madeira 71.

Os números de internados atingem valores inéditos desde o início da pandemia: 4043 internados, mais 60 do que ontem, dos quais 599 em cuidados intensivos, mais 32 do que ontem. Há, neste momento, 110 388 casos ativos da doença.

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 496 552 casos positivos da doença, dos quais 378 084 recuperaram."

11 de janeiro

DGS

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h09] | "Novo máximo de mortos com Covid-19 em 24 horas." "O boletim diário da Direção-Geral da Saúde aponta para mais 122 mortos e mais 5604 infetados com COVID-19 nas últimas 24 horas.

Os novos casos registaram-se 2158 em Lisboa e Vale do Tejo, 1498 no Norte, 997 no Centro, 519 no Alentejo, 233 no Algarve, 138 nos Açores e 61 na Madeira.

O número de internados também continua em trajetória ascendente, aproximando-se dos quatro mil. Há, neste momento, 3983 pessoas internadas em unidades de saúde (mais 213 do que ontem), dos quais 567 em cuidados intensivos (mais nove do que ontem).

De acordo com o documento, há agora 109 312 casos ativos da doença, mais 2534 do que ontem.

Desde o início da pandemia, Portugal registou 489 293 casos positivos da doença, dos quais 7925 acabaram por morrer e 372 056 conseguiram recuperar."

10 de janeiro

Boletim DGS

PORTUGAL: LUSA [14h25] | Mais 102 mortes e 7.502 novos casos de contágio. Portugal regista hoje mais 102 mortes e 7 502 novos casos confirmados de infeção pelo novo coronavírus, uma nova redução em relação aos aumentos do último dia, segundo o boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

A DGS regista ainda mais 215 pessoas internadas nas últimas 24 horas, totalizando 3 770, 18 das quais em unidades de cuidados intensivos (558 no total), e estes números são muito superiores ao aumento de sábado, em que houve 104 novos internamentos, quatro dos quais em cuidados intensivos.

Desde que o primeiro caso de contágio foi diagnosticado, em março passado, Portugal teve 483 689 casos confirmados e 7 803 mortes com COVID-19.

A DGS considera ativos 106 778 casos, mais 4 372 do que no sábado, e dá como recuperados 369 108, mais 3 028, mantendo em vigilância 117 210 contactos, mais 3 684.

A maior parte dos novos casos (2 752) foi diagnosticada na região de Lisboa e Vale do Tejo, seguindo-se a região Norte, com 2 600 contágios, o Centro (1 362), Alentejo (373), o Algarve (285), a Madeira (67) e os Açores (63).

Das 102 mortes verificadas nas últimas 24 horas, a maioria (39) aconteceu na região de Lisboa e Vale do Tejo, 27 foram no Norte, 25 no Centro, sete no Alentejo e quatro no Algarve.

Desde o início da epidemia de COVID-19 em Portugal morreram 4 071 homens e 3 732 mulheres com a doença, a maior parte com idades acima dos 80 anos.

A maior incidência de casos verifica-se entre os 20 e os 59 anos. Foram diagnosticados com infeção pelo novo coronavírus 265 986 mulheres e 217 538 homens.

A pandemia de COVID-19 provocou pelo menos 1 926 570 mortos resultantes de mais de 89 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, o estado de emergência decretado em 9 de novembro para combater a doença foi renovado com efeitos desde as 00:00 de 8 de janeiro, até ao dia 15.

A COVID-19 é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

9 de janeiro

DGS 9 de janeiro

PORTUGAL: SIC Notícias [14h14] | Mais 9478 casos nas últimas 24 horas. "Portugal contabiliza neste sábado mais 111 mortes relacionadas com a COVID-19 e 9478 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo o relatório diário da Direção-Geral da Saúde (DGS).

No total, desde março, Portugal já registou 7701 mortes e 476 187 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2, estando neste sábado ativos 102 406 casos, mais 3468 em relação a sexta-feira.

Quanto aos internamentos hospitalares, o boletim epidemiológico da DGS revela que estão internadas 3555, mais 104 pessoas do que ontem, e 540 em cuidados intensivos, mais quatro.

As autoridades de saúde têm sob vigilância 113 526 contactos, mais 4365 relativamente a sexta-feira.

O boletim revela ainda que foram dados como recuperados mais 5899 doentes. Desde o início da epidemia em Portugal, em março, já recuperaram 366 080 pessoas.

Relativamente às 111 mortes registadas nas últimas 24 horas, 44 ocorreram em Lisboa e Vale do Tejo, 29 na região Norte, 25 na região Centro, 11 no Alentejo e duas no Algarve.

O recolher obrigatório a partir das 13h00 aplica-se neste fim de semana em 253 concelhos de Portugal continental, o que representa 91% dos municípios deste território, encerrando à mesma hora a generalidade do comércio.

Independentemente do nível de risco de transmissão da COVID-19, durante este fim de semana está proibida a circulação entre concelhos em todo o território continental português, medida que entrou em vigor a partir das 23h00 de sexta-feira e se prolonga até às 05h00 de segunda-feira, com um conjunto de exceções de deslocações autorizadas, por motivos de saúde e para ir trabalhar, por exemplo.

Segundo o decreto do Governo que regulamenta o novo estado de emergência, o recolher obrigatório prevê um conjunto deslocações autorizadas, em que se incluem desempenho de funções profissionais, obtenção de cuidados de saúde, ir a estabelecimentos de venda de produtos alimentares e de higiene, assistência de pessoas vulneráveis, exercício da liberdade de imprensa e passeios pedonais de curta duração."

8 de janeiro

Relatório DGS

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h12] | "Novos máximos." "A Direção-Geral da Saúde registou novos máximos de mortes e casos diários de COVID-19. Nas últimas 24 horas, houve 118 mortos e 10 176 novas infeções confirmadas com COVID-19.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo há 4291 novos casos (42%), 2969 no Norte (29%), 1936 no Centro (19%), 433 no Alentejo (4%), 400 no Algarve (4%), 65 na Madeira e 55 nos Açores.

Quanto à distribuição etária das vítimas mortais, cinco tinham entre 40 e 49 anos, seis entre os 50 e os 59 anos, 25 entre os 70 e os 79 anos e 78 mortes acima dos 80 anos.

O número de internamentos também volta a subir e a bater recordes. Há, nesta altura, 3451 pessoas internadas, mais 118 do que ontem, das quais 536 em cuidados intensivos (mais 22 do que ontem).

Os dados da Direção-Geral da Saúde apontam para quase 100 mil casos ativos da doença, ou seja, cerca de 1% da população portuguesa está infetada.

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 466 709 casos da doença, dos quais 7590 morreram e 360 181 conseguiram recuperar."

7 de janeiro

Relatório DGS

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h51] | "Quase 10 mil casos e 95 mortes no segundo pior dia." "Portugal regista quase 10 mil casos e 95 mortes por COVID-19 nas últimas 24 horas, avança a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Esta quinta-feira é o segundo dia com mais mortes e casos desde o início da pandemia.

Depois do máximo de 10 027 infeções registadas na quarta-feira, o país soma 9927 casos do novo coronavírus no espaço de um dia.

Há agora mais 6356 casos ativos da doença, num total de 93 360 pessoas que estão atualmente com COVID-19.

O número de internados hospitais portugueses sobe para 3333, são mais 40 pessoas em 24 horas.

Em unidades de cuidados intensivos há mais um internado, num total de 514.

Em contactos de vigilância estão mais de 103 mil doentes ou pessoas em isolamento profilático. Recuperaram da doença 3476 pessoas nas últimas 24 horas.

A região Norte regista 27 mortes e 3554 novos casos, e Lisboa e Vale do Tejo 38 óbitos e 3501 infeções no espaço de um dia.

A região Centro contabiliza 17 mortes e 1855 casos, o Alentejo 10 mortes e 574 casos e o Algarve três óbitos e 348 casos.

Nas regiões autónomas, os Açores soma 68 casos e a Madeira 27."

PORTUGAL: TVI24 [14h26] | "Proibida a circulação entre concelhos já neste fim de semana." "O primeiro-ministro anunciou hoje que a circulação entre concelhos será proibida já neste fim de semana, devido ao grande aumento de casos de COVID-19.

Também haverá recolher obrigatório às 13h00, até às 5h00 da manhã, com exceção dos concelhos de limite de menor risco de contágio, que são só 25.

António Costa admitiu que, na próxima semana, o Governo poderá tomar medidas mais restritivas. Até lá, vai ouvir os partidos e os parceiros sociais.

O primeiro-ministro afastou o encerramento das escolas, mas admite a hipótese de estender à semana estas restrições do fim de semana, numa espécie de novo confinamento geral.

'O que temos feito até agora é fazer incidir as medidas sobre o fim de semana. Um passo em frente significa estender ao resto da semana esse tipo de medidas, portanto, adotar medidas de confinamento mais geral, do tipo que adotámos em março passado.'

Costa ainda tem 'esperança' que os números abrandem até dia 12, para evitar esse novo confinamento.

'Há um grande consenso hoje entre os técnicos e os especialistas de que não se justifica afetar o funcionamento do ano letivo. Não devemos ter medidas que impliquem, como adotámos no ano letivo passado, a interrupção da atividade letiva.'"

"[Rádio Renascença] Os 25 concelhos com medidas mais leves são: Alcoutim, Aljezur, Almeida, Arronches, Barrancos, Carrazeda de Ansiães, Castanheira de Pêra, Castelo de Vide, Coruche, Ferreira do Alentejo, Freixo de Espada à Cinta, Lagoa, Manteigas, Monchique, Odemira, Pampilhosa da Serra, Proença-a-Nova, Resende, Santiago do Cacém, Sardoal, Sernancelhe, Sines, Torre de Moncorvo, Vila de Rei e Vila do Bispo."

6 de janeiro

Relatório DGS

PORTUGAL: TVI24 [13h57] | Recorde de 10 027 novos casos. "É mais um recorde que ninguém quer bater. Portugal superou, nesta quarta-feira, a barreira dos 10 000 casos diários de COVID-19, apenas seis dias depois do anterior registo máximo, totalizando 10 027 casos positivos nas últimas 24 horas.

Portugal voltou a registar também um dos balanços mais altos de mortes, com 91, ainda assim abaixo dos 98 óbitos registados a 13 de dezembro e dos 95 contabilizados um dia antes.

No último dia do ano marcado pela pandemia, 31 de dezembro, tinham sido contabilizados 7627 infetados, o número até então mais elevado.

O terceiro dia com mais casos foi reportado a 4 de novembro, mas incluía 3570 casos decorrentes de atraso no reporte laboratorial.

Desde o início do ano que os números da situação epidemiológica em Portugal não dão tréguas: 66 mortos e 6951 infetados no primeiro dia do ano; seguindo-se mais 73 mortes e 3214 casos a 2 de janeiro; 73 óbitos e 3384 infetados a 3 de janeiro; 78 mortos e 4369 novos casos a 4 de janeiro; e 90 mortes e 4956 infetados na terça-feira.

Igualmente o número de internamentos subiu dos 3260 de terça-feira (512 nos cuidados intensivos) para 3293 (mais 33 nas últimas 24 horas; e mais um em cuidados intensivos para 513). O registo mais alto de internamentos foi atingido a 9 de dezembro, com 3332 doentes hospitalizados."

5 de janeiro

Boletim DGS Covid-19

PORTUGAL: Renascença [15h00] | Números do dia. Portugal regista esta terça-feira mais 90 mortes, 4956 casos e 89 internados com COVID-19, avança a Direção-Geral da Saúde (DGS). Este é o quarto dia com mais mortes desde o início da pandemia em Portugal, em março de 2020. Desde a chegada da pandemia ao país estão confirmados 7286 óbitos e mais de 436 mil infeções pelo novo coronavírus.

4 de janeiro

Boletim DGS Covid-19

PORTUGAL: LUSA [14h20] | Números do dia. "Portugal contabiliza hoje mais 78 mortes relacionadas com a COVID-19 e 4369 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS).

O boletim epidemiológico da DGS indica ainda que estão internadas 3171 pessoas, mais 127 do que no domingo, das quais 510 em cuidados intensivos, ou seja, mais dez. Desde o início da pandemia, Portugal já registou 7186 mortes e 431 623 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2, estando hoje ativos 80 008, mais 2407 do que no domingo.

3 de janeiro

Relatório DGS

PORTUGAL: TVI24 [14h33] | Mais 3384 infetados. "Portugal soma hoje mais 73 mortes por COVID-19 e 3384 novos casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS).

O boletim epidemiológico da DGS indica ainda que estão internadas 3044 pessoas, mais 186 do que no sábado, das quais 500 nos cuidados intensivos (+8).

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 7118 mortes e 427 254 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2, estando hoje ativos 77 601, mais 926 do que no sábado."

2 de janeiro

Boletim DGS

PORTUGAL: Público [14h01] | COVID-19 em Portugal: mais 73 mortes e 3241 novos casos. "Portugal registou, no primeiro dia do ano, 73 mortes por COVID-19 e 3241 novos casos de infeção. No total, desde março, há 422 870 casos confirmados e 7045 óbitos.

Os dados acabam de ser revelados pela Direção-Geral da Saúde, nesta tarde de sábado, mas dizem respeito à totalidade do dia de sexta-feira.

Há mais 1482 casos recuperados de infeção (num total de 340 150) e um número semelhante de novo casos ativos: 1686, num total de 76 675.

O número de hospitalizações subiu, depois de registada uma descida no dia anterior. Há 2858 pessoas internadas (mais 52) e 492 nos cuidados intensivos (mais nove).

Grande parte dos novos casos e dos óbitos foram registados em duas regiões: Norte (1104 novos casos e 22 óbitos) e Lisboa e Vale do Tejo (1418 novos casos e 28 óbitos)."

1 de janeiro

Boletim DGS

PORTUGAL: Expresso [15h48] | Mais 6951 infetados, 66 mortes e 4392 recuperados em Portugal. "Portugal regista esta sexta-feira mais 6951 infeções, 66 mortes e 4392 recuperações. As boas notícias são no número de internamentos, que volta a descer pelo quarto dia consecutivo: menos 34 doentes internados nos hospitais portugueses, que têm agora 2806 camas ocupadas. Há mais uma pessoa internada em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI), no total são 483 os doentes nestas unidades hospitalares.

Há esta sexta-feira 74 989 casos ativos, mais 2493 do que na véspera, indica o boletim da DGS.

A pandemia entra no novo ano com os seguintes números totais: 420 629 casos confirmados, 338 668 recuperados, 74 989 casos ativos, 6972 óbitos e 91 527 contactos em vigilância.

As vítimas mortais foram registadas em todas as regiões do país, exceto no arquipélago dos Açores: 28 mortes no Norte, 23 em Lisboa e Vale do Tejo, 10 no Centro, 3 no Alentejo, uma no Algarve, e uma na Madeira.

Quanto ao número de casos por região, o Norte (2745 casos) voltou a ultrapassar a região de Lisboa e Vale do Tejo (2131), ao contrário do que aconteceu na véspera. No último dia do ano, e pela primeira vez em quase três meses, LVT foi a região com mais infeções em 24 horas, somando 2801 infetados, contra os 2588 no Norte."

31 de dezembro

Relatório DGS

PORTUGAL: SIC Notícias [14h12] | 7627 infetados nas últimas 24 horas. "Número diário de infetados é o mais alto desde o início da pandemia. Portugal contabiliza nesta quinta-feira mais 76 mortes relacionadas com a COVID-19 e 7627 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo o relatório diário da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 6906 mortes e 413 678 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2, estando nesta quinta-feira ativos 72 496 casos, mais 4291 em relação a quarta-feira.

Quanto aos internamentos hospitalares, o boletim epidemiológico da DGS revela que estão internadas em enfermaria 2840 pessoas, menos 56 do que ontem, e 482 em cuidados intensivos, menos 5 doente.

As autoridades de saúde têm sob vigilância 88 534 contactos, menos 2556 relativamente a quarta-feira.

O boletim revela ainda que foram dados como recuperados mais 3260 doentes. Desde o início da epidemia em Portugal, em março, já recuperaram 334 276 pessoas."

30 de dezembro

DGS Relatório 30 Dezembro

PORTUGAL: Expresso [13h46] | "Mais 6049 infetados (o pior número do último mês), 79 mortes e 3222 recuperados." "Desde dia 5 de dezembro que Portugal não registava um número tão elevado de infeções em 24 horas. Nesta quarta-feira, há mais 6049 infetados (foram 6087 no dia 5/12), 79 óbitos e 3222 recuperações.

O país tem hoje um total de 406 051 infetados, 6830 mortes, 331 016 recuperados, 68 205 casos ativos e 91 090 contactos em vigilância.

No entanto, os internamentos mantêm a tendência decrescente da véspera: há nesta quarta-feira menos 34 doentes internados (total: 2896), mas mais um (total: 487) internado em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI).

As vítimas mortais ocorreram em todas as regiões de Portugal continental e distribuem-se da seguinte forma: 31 no Norte, 25 em Lisboa e Vale do Tejo, 12 no Centro, 9 no Alentejo e 2 no Algarve."

29 de dezembro

DGS

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h03] | Menos internados e menos doentes em Unidades de Cuidados Intensivos. "Portugal conta, nesta terça-feira, com mais 3336 casos de COVID-19 e 74 mortes com a doença provocada pelo novo coronavírus. O país passou os 400 mil casos de infeção.

Segundo os dados do boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), diminuiu o número de doentes internados: são menos 37, subindo o total para 2930.

Há, também, menos 17 pessoas em unidades de cuidados intensivos, onde permanecem 486 em todo o país.

O dia de hoje é marcado também por uma redução de 2850 no número de casos ativos (um total de 65 457), e há mais 6112 recuperados, que são agora 327 794 desde março.

A região Norte volta a liderar o número de novas infeções: mais 1494, atingindo um total de 204 986 desde a chegada da pandemia a Portugal. Pertencem a esta região 45% dos novos casos detetados desde sábado.

Quanto ao número de óbitos, são mais 24, num total de 3126.

A Lisboa e Vale do Tejo (LVT) cabem 30% dos novos casos. Foram mais 995 infeções nas últimas 24 horas e mais 33 mortes. Desde março, esta região conta 128 841 casos e 2352 óbitos.

A terceira região com mais casos e vítimas mortais é o Centro, com 968 mortes e 45 243 infeções desde março. Nesta terça-feira, contribui com 19% dos novos casos.

Seguem-se o Alentejo, com um total de 202 mortes e 10 398 casos, e o Algarve com 7259 casos e 69 óbitos em cerca de dez meses.

Nas ilhas, os Açores contam um total de 1749 casos e 27 mortos (sendo que nesta terça-feira houve uma morte associada à pandemia) e a Madeira 1526 casos e 12 óbitos (nesta terça-feira não houve óbitos associados à COVID-19)."

28 de dezembro

Boletim DGS

PORTUGAL: Observador [15h26] | Portugal registou mais 58 mortes e 2093 novos casos em 24 horas. "O boletim da DGS desta segunda-feira aponta para mais 58 mortes nas últimas 24 horas. É o número mais baixo desde 21 de dezembro, dia em que o número de mortes foi de 57. Antes disso, é preciso recuar mesmo a 14 de novembro para ver um dia menos letal — então, com 55 mortes.

Além disso, dá conta de mais 2093 casos em todo o país, o que significa um aumento de 42,5% em relação ao dia de ontem, em que se registaram 1577 casos. É também registada uma ligeira subida dos casos ativos, que são agora 68 307 e mais 99 do que na véspera. Este é o primeiro dia em que os casos ativos sobem desde o Natal. Nos dois dias anteriores, tinha havido descidas consideráveis neste campo: menos 409 a 26 de dezembro; e menos 1561 a 27 de dezembro.

A nível de internamentos, o boletim da DGS dá conta de uma subida de 97, subindo assim o total para 2967. Desde 26 de dezembro que esse parâmetro tem vindo a aumentar (no dia de Natal e nos três anteriores desceu sempre): 36 no dia 26/12, 80 no dia 27/12 e agora 97. A nível dos cuidados intensivos, há hoje menos um internado. Assim, são 503 as pessoas que estão naquele tipo de unidades.

O boletim desta segunda-feira aponta ainda para uma concentração dos novos casos a Norte. Entre os 2097 novos casos, 907 são na região do Norte — ou seja, 43,3% do total. Segue-se Lisboa e Vale do Tejo, onde foram registados 669 novos casos (31,9%). A terceira região mais afetada é o Centro (296 novos casos, 14,1%), seguindo-se o Alentejo (101, 4,8%), o Algarve (57, 2,7%), a Madeira (34, 1,6&) e por fim os Açores (29, 1,4%).

A nível de mortes, entre as 58 é a região de Lisboa e Vale do Tejo que tem mais registos: são 20, o que equivale a 34,5% do total. Logo atrás está o Norte, onde houve 19 mortes, ou seja, 32,6% do total de óbitos em todo o país. Depois, o Centro, com 14 mortes (24,1% do total). Fora destas três regiões, registaram-se ainda cinco mortes: 3 no Algarve e 2 no Alentejo."

27 de dezembro

Boletim DGS

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h05] | Balanço DGS. Mais 63 mortos e 1.577 novos casos. "Número de pessoas internadas aumentou, mas há menos doentes com COVID-19 nos cuidados intensivos.
Portugal conta, neste domingo, com mais 1 577 casos de COVID-19 e 63 mortes com a doença provocada pelo novo coronavírus.

Segundo os dados do boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), aumentou o número de doentes internados: são mais 80, subindo o total para 2 870.

Há, contudo, menos nove pessoas em unidades de cuidados intensivos, onde permanecem 504 em todo o país.

Do total de óbitos, 39 são relativos a pessoas com 80 ou mais anos. Seis ocorreram na faixa etária dos 60 aos 69 anos e 18 no segmento 70-79 anos.

A região Norte volta a liderar o número de novas infeções: mais 717, atingindo um total de 202 585 desde a chegada da pandemia a Portugal. Pertencem a esta região 45% dos novos casos detetados desde sábado.
Quanto ao número de óbitos, são mais 23, num total de 3 083.

A Lisboa e Vale do Tejo (LVT) cabem 29% dos novos casos. Foram mais 464 infeções nas últimas 24 horas e mais 24 mortes. Desde março, esta região conta 127 177 casos e 2 299 óbitos.

A terceira região com mais casos e vítimas mortais é o Centro, com 945 mortes e 44 319 infeções desde março. Neste domingo, contribui com 18% dos novos casos.

Seguem-se o Alentejo, com um total de 194 mortes e 10 245 casos, e o Algarve com 7 112 casos e 65 óbitos em cerca de dez meses. Nas últimas 24 horas, não foi registada qualquer morte com COVID-19 nesta região.

Nas ilhas, os Açores contam um total de 1 693 casos e 21 mortos (sendo que neste domingo não houve óbitos associados à pandemia) e a Madeira 1 442 casos e 12 óbitos (mais um hoje)."

26 de dezembro

DGS Boletim

PORTUGAL: SIC Notícias [14h16] | Mais 78 mortes e 1 214 casos nas últimas 24 horas. "Portugal regista este sábado mais 78 mortes relacionadas com a COVID-19 e 1 214 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo o boletim Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 6 556 mortes e 392 996 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2, estando este sábado ativos menos 409 casos, num total de 69 769.

Quanto aos internamentos hospitalares, o boletim epidemiológico da DGS revela que estão internados 2 790 doentes, mais 36 em relação a sexta-feira, das quais 513 em cuidados intensivos, mais 9 face ao dia anterior.

As autoridades de saúde têm em vigilância 90 318 contactos, mais 225 relativamente a sexta-feira.

O boletim revela ainda que 1 545 casos foram dados como recuperados. Desde o início da epidemia em Portugal, em março, já recuperaram 316 671 pessoas.

Relativamente às 78 mortes registadas nas últimas 24 horas, o boletim revela que 30 ocorreram na região Norte, 32 na região de Lisboa e Vale do Tejo, 8 no Centro, 7 no Alentejo e uma no Algarve.

Segundo o boletim da DGS, a região Norte foi também a que registou o maior número de novas infeções por SARS-CoV-2 nas últimas 24 horas (451).

Desde o início da pandemia a região Norte registou 201 868 casos de infeção e 3 060 mortes.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo foram notificadas 438 novas infeções, contabilizando-se até agora 126 713 casos e 2 275 mortes.

Na região Centro registaram-se mais 148 casos, acumulando um total de 44 040 infeções e 934 mortos.

Já no Alentejo, foram assinalados mais 85 casos, totalizando 10 213 infeções e 190 mortos desde que começou a epidemia em Portugal.

A região do Algarve tem hoje notificados 43 novos casos, somando 7 074 infeções e 65 mortos.

A Madeira registou 28 novos casos. Desde março, esta região autónoma contabiliza 1 405 infeções e 11 mortes.

Na Região Autónoma dos Açores foram registados 21 novos casos nas últimas 24 horas, somando 1 683 infeções e 21 mortos."

25 de dezembro

boletim dgs

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h15] | "Dia de Natal com mais 65 mortes e 4.146 casos. Boletim da Direção-Geral da Saúde refere menos 99 pessoas internadas com a doença nos hospitais portugueses.

Portugal regista esta sexta-feira, dia de Natal, mais 65 morte e 4 146 casos de COVID-19, indica a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Nos hospitais estão internadas menos 99 pessoas, refere o boletim epidemiológico, num total de 2 754 doentes.

Em unidades de cuidados intensivos há 504 internados, menos um doente em relação ao balanço de quinta-feira.

Desde a chegada da pandemia a Portugal, estão confirmados 6 478 mortes e mais de 391 mil casos de COVID-19.

Nas últimas 24 horas foi registado um aumento de 1 488 casos ativos: são agora 70 178 pessoas com o novo coronavírus.

Recuperaram da doença mais de 2 500 pessoas e há agora mais 1 115 contactos de vigilância, num total de 90 mil.

A região Norte ultrapassou nesta sexta-feira, Dia de Natal, os 200 mil casos de COVID-19 desde o início da pandemia, mais concretamente 201 417 infeções.

Nas últimas 24 horas, morreram 29 pessoas no Norte e 1 697 ficaram infetadas na região Norte.

Lisboa e Vale do Tejo regista esta sexta-feira 23 mortos e 1 463 casos, seguido do Centro com 10 mortes e 620 infeções.

O Alentejo tem mais três mortes e 201 casos, o Algarve 125 casos, os Açores 29 e a Madeira 11."

24 de dezembro

Boletim DGS

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h43] | "Balanço DGS. Mais 70 mortos e 4 378 infetados em 24 horas.  Menos um morto do que na quarta-feira, mas mais mil novos casos.

O boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS) mostra que Portugal, nas últimas 24 horas, registou mais 70 mortes e 4 378 novos casos de COVID-19.

Em relação a quarta-feira verifica-se menos um óbito, mas um aumento significativo de mais de mil novos casos, tendo o número de quarta sido de 3 334.

O maior número de novos casos verificou-se no norte, com mais 1 952. Esta região lidera ainda no número de mortos, com mais 28.

Segue-se a região de Lisboa e Vale do Tejo, com mais 1 271 novos casos e 24 óbitos.

A região centro contabiliza mais 810 novos casos e 13 mortos, o Alentejo mais 200 novos casos e 4 mortos e o Algarve regista mais 94 novos casos.

Nas ilhas há a assinalar um morto na Madeira e 34 novos casos enquanto os Açores tiveram 17 novos casos."

23 de dezembro

Relatório DGS

PORTUGAL: TVI24 [14h26] | 4602 novos casos de infeção. "Foram registados nas últimas 24 horas em Portugal mais 89 mortes e 4602 novos casos de infeção por COVID-19, de acordo com o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

O país soma agora um total de 383 258 casos confirmados e 6343 óbitos desde o início da pandemia.

A maioria dos óbitos ocorreu em Lisboa e Vale do Tejo, com 40, seguindo-se o Norte com 32, Centro com 14 e três no Alentejo. Algarve, Madeira e Açores não registaram qualquer vítima mortal nas últimas 24 horas.

Relativamente aos internamentos, foram contabilizados menos 105 doentes em enfermaria e mais três em Unidade de Cuidados Intensivos.

Portugal tem agora 68 469 casos ativos, mais 892 do que no domingo, e foram dados como recuperados, nas últimas 24 horas, mais 3621, num total de 308 446 desde o início da pandemia.

A DGS refere também que as autoridades de saúde têm em vigilância 87 043 contactos, mais 709.

Na Região Autónoma dos Açores foram registados 22 novos casos nas últimas 24 horas, enquanto na Madeira foram registados mais 38."

22 de dezembro

Relatório DGS dia 22

PORTUGAL: SIC Notícias [14h11] | 63 mortes e 2436 novos casos nas últimas 24 horas. "Portugal regista esta terça-feira mais 63 mortes relacionadas com a COVID-19 e 2436 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo o boletim Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 6254 mortes e 378 656 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2, estando esta terça-feira ativos menos 2849 casos, num total de 67 577.

Quanto aos internamentos hospitalares, o boletim epidemiológico da DGS revela que estão internados 3095 doentes, menos 63 em relação a segunda-feira, das quais 508 em cuidados intensivos, mais 6 face ao dia anterior.

As autoridades de saúde têm em vigilância 86 334 contactos, mais 1185 relativamente a segunda-feira.

O boletim revela ainda que 5222 casos foram dados como recuperados. Desde o início da epidemia em Portugal, em março, já recuperaram 304 825 pessoas.

Relativamente às 63 mortes registadas nas últimas 24 horas, o boletim revela que 15 ocorreram na região Norte, 26 na região de Lisboa e Vale do Tejo, 17 no Centro, 4 no Alentejo e uma na Região Autónoma da Madeira."

21 de dezembro

Relatório DGS

PORTUGAL: Rádio Renascença [15h40] | "Número de óbitos e infeções é o mais baixo em muitos dias." "Portugal regista mais 57 mortes, 2099 casos e 131 internados com COVID-19 nas últimas 24 horas, avança nesta segunda-feira a Direção-Geral da Saúde (DGS).

O número de óbitos e infeções é o mais baixo em muitos dias, contrastando com a subida de doentes internados nos hospitais.

Desde o início da pandemia, no início de março, Portugal contabiliza 6191 mortes e mais de 376 mil casos de COVID-19.

Nos hospitais portugueses estão internadas 3158 pessoas, mais 131 em relação a domingo.

Em unidades de cuidados intensivos há agora 502 pacientes em estado mais grave, uma subida de 19 casos em 24 horas.

De acordo com os dados desta segunda-feira, há menos 328 casos ativos da doença, num total de 70 426 pessoas infetadas neste momento."

20 de dezembro

Relatório DGS

PORTUGAL: SIC Notícias [14h13] | 3334 novos casos. "Portugal regista neste domingo mais 71 mortes relacionadas com a COVID-19 e 3334 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo o boletim Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 6134 mortes e 374 121 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2, estando hoje ativos mais 844 casos, num total de 70 754.

Quanto aos internamentos hospitalares, o boletim epidemiológico da DGS revela que estão internados 3027 doentes, mais 54 doentes em relação a ontem, das quais 483 em cuidados intensivos, menos 2 face a sábado.

As autoridades de saúde têm em vigilância 82 591 contactos, mais 3088 relativamente a ontem.

O boletim revela ainda que 2419 casos foram dados como recuperados. Desde o início da epidemia em Portugal, em março, já recuperaram 297 233 pessoas.

Relativamente às 71 mortes registadas nas últimas 24 horas, o boletim revela que 25 ocorreram na região Norte, 22 na região de Lisboa e Vale do Tejo, 21 no Centro, duas no Alentejo, uma no Algarve e as Regiões Autónomas da Madeira e dos Açores não tiveram qualquer óbito."

19 de dezembro

COVID-19

PORTUGAL: SIC Notícias [14h13] | "Ultrapassadas as 6 mil mortes." "Portugal regista neste sábado mais 86 mortes relacionadas com a COVID-19 e 3835 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo o boletim Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 6063 mortes e 370 787 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2, estando hoje ativos 69 910, menos 375 em relação a sexta-feira.

Quanto aos internamentos hospitalares, o boletim epidemiológico da DGS revela que estão internados 2973 doentes, menos 88 em relação a ontem, das quais 485 em cuidados intensivos, mais um face a sexta-feira."

18 de dezembro

boletim DGS

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h01] | COVID-19 mata jovem em Portugal, em dia com menos 81 internamentos. É a segunda pessoa a morrer na faixa etária entre os 10 e 19 anos desde a chegada da pandemia a Portugal. Nas últimas 24 horas, morreram 75 pessoas e há registo de mais 4 336 casos de COVID-19.

A COVID-19 matou um jovem em Portugal, num dia com menos 81 internamentos, avança esta sexta-feira a Direção-Geral da Saúde.

É a segunda pessoa a morrer na faixa etária entre os 10 e 19 anos desde a chegada da pandemia a Portugal.

Nas últimas 24 horas, morreram 75 pessoas e há registo de mais 4 336 casos de COVID-19.

Desde o início da pandemia estão confirmados um total de 5 977 óbitos e quase 367 mil infeções pelo novo coronavírus.

Nos hospitais portugueses estão internadas 3 061 doentes com COVID-19, menos 81 pessoas em relação ao dia anterior.

Em unidades de cuidados intensivos também há menos 10 internados, num total de 484.

Os números desta sexta-feira dão conta de mais 599 casos ativos, num total de 70 285 pessoas atualmente doentes com COVID-19.

Recuperaram da doença 3 662 pessoas e há mais 981 em contacto de vigilância, por terem contraído o vírus ou estarem em isolamento profilático.

A região Norte ultrapassou esta sexta-feira a barreira dos dois mil casos diários de COVID-19 e regista 31 mortes.

Lisboa e Vale do Tejo tem mais 1 360 casos e 27 óbitos, o Centro 674 casos e 12 mortes, o Alentejo 195 infeções e quatro óbitos e o Algarve 67 casos.

Nas regiões autónomas, os Açores regista 21 novos casos e uma vítima mortal, enquanto a Madeira tem mais 18 casos.

O primeiro-ministro anunciou, na quinta-feira, que o Governo voltou atrás em relação ao que tinha dito há duas semanas e decidiu proibir todos os festejos de Ano Novo.

Embora não haja novas restrições para o Natal, haverá recolher obrigatório a partir das 23h00 de dia 31 de dezembro, e a partir das 13h00 nos dias 1, 2 e 3 de janeiro, disse António Costa, numa declaração ao país."

17 de dezembro

DGS relatório 17 dezembro

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h42] | "Menos internados." "Portugal regista nesta quinta-feira uma redução do número de internados, mas há mais 87 mortes e 4320 casos de COVID-19, avança o boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde a chegada da pandemia, no início de março, estão confirmados 5902 óbitos e mais de 362 mil casos do novo coronavírus.

Nos hospitais portugueses há esta quinta-feira 3142 pessoas internadas, uma redução de 39 doentes em relação ao dia anterior.

Mas em unidades de cuidados intensivos há mais oito internados em estado grave, num total de 494 em UCI.

O novo balanço dá conta de uma subida de 924 casos ativos de COVID-19 em Portugal. Atualmente, 69 686 pessoas estão infetadas com a doença.

Nas últimas 24 horas recuperaram da doença 3.309 pessoas e há mais 2161 em contactos de vigilância, por estarem infetadas ou em isolamento.

A região Norte continua a ser o epicentro da doença em Portugal. Esta quinta-feira regista mais 40 mortes e 1992 casos.

Lisboa e Vale do Tejo regista 28 óbitos e 1288 infeções e a região Centro 15 mortes e mais 731 casos.

O Alentejo contabiliza esta quinta-feira mais três mortes e 169 casos, o Algarve 73 casos, Açores 32 casos e Madeira uma morte e 35 casos.

A vacinação contra a COVID-19 em Portugal começa entre 27 e 29 de dezembro, anunciou nesta quinta-feira a ministra da Saúde, Marta Temido, em conferência de imprensa após uma reunião com responsáveis do planeamento da vacinação.

Os profissionais de saúde serão os primeiros a receber a nova vacina para o coronavírus nos dias iniciais do processo. Depois, será a vez dos outros grupos de risco prioritários, como os residentes em lares de idosos."

 

16 de dezembro

Relatório DGS

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h12] | 4720 casos e nova descida de internamentos. "Portugal regista nesta quarta-feira mais 82 mortes e 4720 casos de COVID-19, avança a Direção-Geral da Saúde (DGS). O número de internamentos desce pelo segundo dia consecutivo.

Com a nova atualização dos dados estão confirmados 5815 mortes e mais de 358 mil casos do novo coronavírus desde a chegada da pandemia ao país, no início de março.

O número de novos casos aproxima-se dos 5 mil, depois de dois dias em que andou na casa dos 2 mil.

Nesta quarta-feira, o maior aumento diário de casos foi registado na faixa etária entre os 20 e 29 anos, com 696 infeções.

Nos hospitais portugueses estão internados 3181 doentes com COVID-19, menos 25 em relação ao dia anterior. Em cuidados intensivos há menos 20 internados, num total de 486.

A DGS dá conta de mais 957 casos ativos, num total de 68 762 infetadas neste momento em Portugal.

Mais de 3600 pessoas recuperaram da doença nas últimas 24 horas.

Os serviços de saúde têm em contactos de vigilância mais de 74 mil pessoas, são menos 282 em relação a terça-feira.

A região Norte continua a ter o maior número diário de mortes e casos, foram mais 35 óbitos e 2182 infeções diagnosticadas no último dia.

Lisboa e Vale do Tejo tem mais 30 mortes e 1375 casos, a região Centro 840 casos e 14 mortes, o Alentejo 177 casos e duas mortes e o Algarve 94 infeções e um óbito.

Nas regiões autónomas, os Açores registaram 36 casos em 24 horas e a Madeira mais 16 infeções."

 

15 de dezembro

Boletim DGS

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h09] | "Mais 84 mortes e 2.638 casos. Número de internados desce." "Há agora 3.206 internados com COVID-19, uma descida de 48 no espaço de um dia. Em cuidados intensivos, estão 506 pacientes, menos sete em relação ao balanço de segunda-feira.

Foram registadas mais 84 mortes e 2 638 casos de COVID-19 em Portugal nas últimas 24 horas, indica o boletim epidemiológico divulgado esta terça-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde a chegada da pandemia ao país estão confirmados um total de 5 733 óbitos e 353 576 casos do novo coronavírus.

O maior aumento de novos casos ocorreu na faixa etária entre os 20 e os 29 anos, com 413 infeções no espaço de um dia. Quase 70% das mortes (57) foram de pessoas com mais de 80 anos.

O número de pessoas internadas nos hospitais portugueses desceu, em comparação com o dia anterior.

Há agora 3 206 internados com COVID-19, uma descida de 48. Em cuidados intensivos, estão 506 pacientes, menos sete em relação ao balanço de segunda-feira.

Recuperaram na doença 5 761 pessoas e há um total de 67 805 casos ativos, menos 3 207 em 24 horas.

Quase 75 mil pessoas estão em contactos de vigilância, por terem COVID-19 ou estarem em isolamento profilático.

A região Norte continua a ser aquele com mais mortes e casos diários. Esta terça-feira, contabiliza 1 348 infeções e 36 óbitos.

Segue-se Lisboa e Vale do Tejo, com 682 casos e 26 mortes, e o Centro com 436 casos e 18 óbitos.

O Alentejo soma 59 infeções e três óbitos, o Algarve 42 casos, a Madeira mais uma morte e 27 casos e os Açores 44 infeções por COVID-19."

14 de dezembro

Relatório DGS

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h11] | "2194 casos, o número mais baixo em quase dois meses." "Portugal registou mais 90 mortes e 2194 casos de COVID-19 nas últimas 24 horas, indica o boletim epidemiológico divulgado nesta segunda-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Trata-se do número mais baixo de novos casos de infeção pelo novo coronavírus em quase dois meses, desde 20 de outubro.

O maior aumento de novos casos foi registado na faixa etária entre os 30 e 39 anos, com 323 infeções no espaço de um dia.

Setenta por cento das mortes (63) verificadas nas últimas 24 horas foram pessoas com mais de 80 anos.

Desde a chegada da pandemia, estão confirmadas 5649 mortes e mais de 350 mil casos de COVID-19 em Portugal.

Nos hospitais há mais 97 pessoas internadas em enfermaria com o novo coronavírus, num total de 3254 pacientes. Nos cuidados intensivos o número de internados mantém-se nos 513.

O balanço desta segunda-feira mostra que há 71 mil casos ativos, menos 851 em relação ao dia anterior.

O número de recuperados no último dia é de 2955 e há mais 2711 pessoas em contactos de vigilância.

Por regiões, o Norte tem mais 936 casos e 29 mortes esta segunda-feira, seguido de Lisboa e Vale do Tejo com 777 casos e 32 mortes.

A região Centro regista mais 255 casos e 24 mortes, o Alentejo 101 infeções e três óbitos, o Algarve 39 casos e dois óbitos, os Açores 62 casos e a Madeira 24."

13 de dezembro

DGS relatório 13 de dezembro

PORTUGAL: TVI24 [14h02] | "Novo máximo diário de mortes." "Portugal regista, neste domingo, um novo máximo diário de mortes por COVID-19, depois de contabilizar, nas últimas 24 horas, mais 98 mortos e 4044 infetados, de acordo com o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 5559 mortes e 348 744 casos, estando hoje ativos 71 863, mais 1077 do que no sábado.

Relativamente aos internamentos hospitalares, estão internadas 3157 pessoas, mais 64 do que no dia anterior, das quais 513 em salas de cuidados intensivos (mais 10).

Das 98 mortes registadas nas últimas 24 horas, 43 ocorreram na região Norte, 30 na região de Lisboa e Vale do Tejo, 18 na região Centro, quatro no Alentejo, duas na Madeira e uma no Algarve.

As autoridades de saúde têm em vigilância 74 012 contactos, mais 35 do que no sábado, tendo-se registado mais 2869 doentes recuperados, totalizando, desde o início da epidemia, 271 322."

12 de dezembro 

Boletim DGS

PORTUGAL: Expresso [14h03] | "Mais 4413 infetados, 88 mortes e 4805 recuperados em Portugal." "Portugal registou nas últimas 24 horas 4413 novos casos de COVID-19, 88 óbitos e 4805 recuperados. Assim, os números totais desde o início da pandemia são: 344 700 infetados, 268 453 recuperados e 5461 mortos.

Nas últimas 24 horas foi registada a primeira morte na faixa etária entre os 10 e os 19 anos. Trata-se de uma doente do sexo feminino, segundo o boletim da DGS.

As mortes ocorreram nas seguintes regiões do país: Norte (38), Lisboa e Vale do Tejo (26), Centro (21) e Alentejo (3). O Norte é, de longe, a região mais atingida em número de vítimas mortais: 2616. Segue-se Lisboa e Vale do Tejo (1889), Centro (734), Alentejo (131), Algarve (58), Açores (20) e Madeira (3).

Nos hospitais portugueses estão, neste sábado, menos 137 pessoas internadas (a maior redução no número de internamentos desde o início da pandemia), ainda assim mantendo-se acima dos 3000 (mais concretamente, 3093). Quanto aos internamentos em unidades de cuidados intensivos, também desceram (menos 4), permanecendo 503 doentes em UCI.

A região mais afetada pelo novo coronavírus continua a ser o Norte do país (+2078 casos, total: 180.456), seguido por Lisboa e Vale do Tejo (+1347; total: 111.982), Centro (+738; total: 36.096), Alentejo (+130; total: 7743), Algarve (+62; total: 6077), Açores (+31; total: 1301) e Madeira (+27; total: 1045)."

11 de dezembro 

Boletim COVID-19

PORTUGAL: SIC Notícias [14h05] | "Portugal regista 95 mortes e 5080 casos de Covid-19 nas últimas 24 horas." "Portugal registou nas últimas 24 horas mais 5080 casos de infeção e mais 95 mortes associadas à doença COVID-19, segundo o boletim da Direção-Geral da Saúde desta sexta-feira.

Desde o início da pandemia morreram em Portugal 5373 pessoas, dos 340.287 casos de infeção confirmados. Foram considerados curados mais 4100 doentes nas últimas 24 horas, totalizando 263.648.

menos 2 doentes internados nas Unidades de Cuidados Intensivos, totalizando 507. Em relação aos internamentos em enfermaria, há menos 74 pessoas internadas, totalizando agora 3230.

A DGS refere também que as autoridades de saúde têm em vigilância 74.894 contactos, menos 739 em relação a quinta-feira, e que estão ativos mais 885 casos, totalizando 71.266.

No que diz respeito aos 5080 novos casos, 2395 registam-se na região Norte, 1618 em Lisboa e Vale do Tejo, 787 na região Centro, 193 no Alentejo, 66 no Algarve, 16 nos Açores e 5 na Madeira.

Das 95 mortes a lamentar nas últimas 24 horas, o pior registo desde o início da pandemia, 41 ocorreram na região Norte, 32 em Lisboa e Vale do Tejo, 16 na região Centro, duas no Alentejo, duas no Algarve, uma nos Açores e uma na Madeira."

10 de dezembro

DGS Relatório 10 dezembro

PORTUGAL: TVI24 [14h11] | 3134 novos casos de infeção. "Nas últimas 24 horas, Portugal registou mais 86 mortes e 3134 novos casos de infeção por COVID-19, de acordo com o último boletim epidemiológico revelado pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

O país soma agora um total de 335 207 casos confirmados e 5278 óbitos desde o início da pandemia.

Desta vez, foi na região de Lisboa e Vale do Tejo que ocorrem a maioria dos óbitos, 37. Seguindo-se o Norte com 32, Centro com 14, dois no Alentejo e um no Algarve. Açores e Madeira não registaram qualquer óbito nas últimas 24 horas.

Relativamente aos internamentos, foram contabilizados menos 28 doentes em enfermaria, mas mais cinco em Unidade de Cuidados Intensivos.

Portugal tem agora 70 381 casos ativos, menos 1000 do que na quarta-feira, e foram dados como recuperados, nas últimas 24 horas, mais 4848, num total de 259 548 desde o início da pandemia.

A DGS refere também que as autoridades de saúde têm em vigilância 75 633 contactos, menos 772.

Na Região Autónoma dos Açores foram registados 19 novos casos nas últimas 24 horas, enquanto na Madeira foram registados apenas seis."

9 de dezembro

Boletim DGS

PORTUGAL: SIC Notícias [14h04] | 70 mortes e 4097 casos nas últimas 24 horas. "Portugal registou nas últimas 24 horas mais 4097 casos de infeção e mais 70 mortes associadas à doença COVID-19, segundo o boletim da Direção-Geral da Saúde desta quarta-feira.

Desde o início da pandemia morreram em Portugal 5192 pessoas dos 332 073 casos de infeção confirmados.

Há mais 5 doentes internados nas Unidades de Cuidados Intensivos, totalizando 504. Em relação aos internamentos em enfermaria, há mais 69 pessoas internadas, totalizando agora 3332.

A DGS refere também que as autoridades de saúde têm em vigilância 76 405 contactos, menos 1360 em relação a terça-feira, e que foram dados como recuperados mais 2272, num total acumulado de 254 700 desde o início da pandemia.

Das 70 mortes registadas nas últimas 24 horas, 30 ocorreram na região Norte, 21 na região de Lisboa e Vale do Tejo, 13 na região Centro e seis no Alentejo.

Segundo o boletim da DGS, a região Norte é a que regista o maior número de novas infeções por SARS-CoV-2 nas últimas 24 horas (2 076), totalizando 174 612 casos e 2 505 mortes desde março.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo foram notificados 1157 novos casos, contabilizando-se até agora 108 053 casos de infeção e 1 794 mortes.

Na região Centro registaram-se mais 555 casos de COVID-19, num total de 34 127, e 683 mortos desde março.

Já no Alentejo, foram assinalados mais 163 casos, totalizando 7153 casos e 134 mortos desde que começou a epidemia em Portugal.

A região do Algarve tem hoje notificados 97 novos casos, somando 5 886 casos e 55 mortos.

Na Região Autónoma dos Açores foram registados 28 novos casos nas últimas 24 horas, somando 1235 infeções detetadas e 19 mortos desde o início da pandemia.

A Madeira registou 21 novos casos. Desde março, a região autónoma contabiliza 1007 infeções e dois óbitos.

Os casos confirmados distribuem-se por todas as faixas etárias, situando-se entre os 20 e os 59 anos o registo de maior número de infeções.

O novo coronavírus já infetou em Portugal pelo menos 146 088 homens e 179 781 mulheres, referem os dados da DGS, segundo os quais há 6 204 casos de sexo desconhecido, que se encontram sob investigação, uma vez que estes dados são fornecidos de forma automática.

Do total de vítimas mortais, 2731 eram homens e 2461 mulheres.

O maior número de óbitos continua a concentrar-se nas pessoas com mais de 80 anos."

8 de dezembro

boletim dgs

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h11] | Mais 81 mortos e 2 905 casos. Há menos internados e menos casos ativos. "Região Norte continua a ser a zona do país com maior número de novos casos (1 584), seguido de Lisboa e Vale do Tejo (758). Na região Centro há 418 novos casos, no Algarve 75 e no Alentejo 40.

Portugal regista nas últimas 24 horas mais 2 905 novos casos de Covid-19 e mais 81 vítimas mortais da doença. Segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde, o número de casos ativos voltou a recuar, fixando-se agora em 70 426. É o número de casos ativos mais baixo desde 6 de novembro, quando havia 70 354 ativos.

A região Norte continua a ser a zona do país com maior número de novos casos (1 584), seguido de Lisboa e Vale do Tejo (758). Na região Centro há 418 novos casos, no Algarve 75 e no Alentejo 40.

O número de internados também recuou. Há agora 3 263 pessoas internadas com Covid-19 (menos 104 do que ontem), das quais 499 em cuidados intensivos (menos 14).

Desde o início da pandemia, já foram confirmados 327 976 casos da doença, dos quais 5 122 acabaram por morrer e 252 428 já foram dados como recuperados."

7 de dezembro

Relatório DGS

PORTUGAL: SIC Notícias [14h23] | 2597 novos casos de infeção e 2788 recuperados. "Portugal registou nas últimas 24 horas mais 2597 casos de infeção e mais 78 mortes associadas à doença COVID-19, segundo o boletim da Direção-Geral da Saúde desta segunda-feira.

Desde o início da pandemia morreram em Portugal 5041 pessoas dos 325 071 casos de infeção confirmados.

Há mais 99 doentes internados nas Unidades de Cuidados Intensivos, totalizando 3367. Em relação aos internamentos em enfermaria, há menos 1 pessoa internada, totalizando agora 513.

A DGS refere também que as autoridades de saúde têm em vigilância 77 498 contactos, mais 78 em relação a domingo, e que foram dados como recuperados mais 2788 doentes, num total acumulado de 245 843 desde o início da pandemia."

6 de dezembro

Relatório DGS 6 de dezembro

PORTUGAL: TVI24 [14h11] | 3834 novos casos de infeção. "Foram registadas nas últimas 24 horas mais 87 mortes e 3834 novos casos de infeção por COVID-19 em Portugal, de acordo com o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

O país soma agora um total de 322 474 casos confirmados e 4963 óbitos desde o início da pandemia.

Do total de mortos, 50 ocorreram na região Norte, 21 em Lisboa e Vale do Tejo, 14 no Centro e dois no Alentejo. Algarve, Açores e Madeira não registaram qualquer óbito nas últimas 24 horas.

Relativamente aos internamentos, foram contabilizados mais 39 doentes em enfermaria. Já em Unidade de Cuidados Intensivos foram registados menos três.
Portugal têm agora 74 456 casos ativos, mais 895 do que no sábado, e foram dados como recuperados, nas últimas 24 horas, mais 2852 doentes, num total de 243 055 desde o início da pandemia.

A DGS refere também que as autoridades de saúde têm em vigilância 77 420 contactos, menos 223.

Na Região Autónoma dos Açores foram registados 22 novos casos nas últimas 24 horas, enquanto na Madeira foram registados apenas quatro."

5 de dezembro

Boletím 5 dezembro

PORTUGAL: TVI24 [14h24] | Número de novos casos aumentou para 6087. "Nas últimas 24 horas, Portugal registou mais 73 mortos e 6087 novos casos de infeção por COVID-19, de acordo com o último boletim divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

O país soma agora um total de 318 640 casos confirmados e 4876 óbitos desde o início da pandemia.

Do total de mortos, 43 ocorreram na região Norte, 20 em Lisboa e Vale do Tejo, oito no Centro, um no Alentejo e um no Algarve. Açores e Madeira não registaram qualquer óbito nas últimas 24 horas.

Relativamente aos internamentos, foram registados menos 66 doentes em enfermaria e em Unidade de Cuidados Intensivos menos nove.

Portugal têm agora 73 561 casos ativos, menos 151 do que na sexta-feira, e foram dados como recuperados, nas últimas 24 horas, mais 6165 doentes, num total de 240 203 desde o início da pandemia.

A DGS refere também que as autoridades de saúde têm em vigilância 77 197 contactos, menos 446 em relação a sexta-feira.

Na Região Autónoma dos Açores foram registados 27 novos casos nas últimas 24 horas, enquanto na Madeira foram registados mais 20."

4 de dezembro

Boletim DGS

PORTUGAL: TVI24 [14h02] | Portugal com mais 79 mortos e 4935 novos casos. "Portugal registou mais 79 mortos e 4935 novos casos de infeção por COVID-19 nas últimas 24 horas, indica o boletim diário da Direção-Geral de Saúde (DGS). Relativamente aos internamentos hospitalares, o boletim revela que estão internados 3295 doentes, menos 35 do que no dia anterior, dos quais 526 em cuidados intensivos (mais um).

A região Norte continua a registar o maior número de casos e de aumentos diários. Em 24 horas, foram contabilizadas 2577 novas infeções, para um total de 164.463 casos. Na região Centro há mais 626 infetados, em Lisboa e Vale do Tejo mais 1508, no Alentejo 111 e no Algarve mais 73.

Em relação aos óbitos, 45 registaram-se na região Norte, 14 no Centro, 15 em Lisboa, um no Alentejo e três no Algarve.

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 4803 mortes e 312.553 casos de infeção pelo novo coronavírus, estando hoje ativos 73.712 casos, menos 164 do que na quinta-feira."

3 de dezembro

Relatório DGS

PORTUGAL: Rádio Renascença [15h07] | Novos casos de infeção outra vez abaixo dos 4000. "Foram registadas mais 79 mortes e 3772 casos de COVID-19 nas últimas 24 horas, segundo avançados esta quinta-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde o início da pandemia estão confirmadas 4724 mortes e mais de 307 mil casos em Portugal.

Nos hospitais portugueses estão internados 3330 doentes com COVID-19, menos oito em comparação com o dia anterior.

Em unidades de cuidados intensivos encontram-se 525 pessoas, não havendo qualquer variação em relação a quarta-feira.

Portugal registou nas últimas 24 horas menos 1879 casos ativos de COVID-19 e mais 5572 recuperados.

Em contacto de vigilância há quase 78 mil pessoas, uma descida de 827 em 24 horas.

Numa análise por regiões, o Norte tem mais de metade dos novos casos diários (60%). São 2244 infeções e 37 mortes no espaço de um dia.

Lisboa e Vale do Tejo regista mais 960 casos e 25 óbitos, o Centro 444 infeções e 17 mortes, o Alentejo 54 casos, o Algarve 31, Açores e Madeira 35 e quatro novas infeções, respetivamente."

2 de dezembro

DGS relatório

PORTUGAL: TVI24 [14h01] | 3384 novos casos de infeção. "Portugal registou, nas últimas 24 horas, mais 3384 casos e 68 mortos por COVID-19. São números avançados no último boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 4645 mortes e 303 846 casos de infeção pelo novo coronavírus, estando hoje ativos 75 755 casos, mais 747 do que na terça-feira.

O documento divulgado nesta quarta-feira dá conta de um aumento do número de internamentos: são mais 63 do que ontem, num total de 3338 doentes hospitalizados. Há também mais doentes em cuidados intensivos: mais quatro do que onte, num total de 525.

O maior número de novos casos continua a registar-se na região Norte do país (mais 1857 casos), seguida de Lisboa e Vale do Tejo (mais 939 casos).

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 303 846 casos."

1 de dezembro

Boletim DGS 1 de dezembro

PORTUGAL: Lusa [15h00] | Números do dia. Portugal ultrapassou hoje a barreira dos 300 mil casos de COVID-19 desde o início da pandemia no país, em março, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS). Portugal registou hoje mais 2401 novos casos, tendo passado a contabilizar 300 462 infeções pelo novo coronavírus desde março, refere o boletim epidemiológico da DGS divulgado hoje. Desde o início da pandemia, morreram 4577 pessoas, estando, de momento, 75 008 casos ativos no país. A região com mais casos contabilizados é o Norte (total de 157 785), seguindo-se Lisboa e Vale do Tejo (99 061).

30 de novembro

DGS Relatório 30 de novembro

PORTUGAL: Rádio Renascença [15h50] | Menor número de novos casos verificado desde 6 de outubro. "Mais 78 pessoas morreram e 3262 ficaram doentes com COVID-19 em Portugal nas últimas 24 horas, indica o boletim epidemiológico revelado esta segunda-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS). É o menor número de novos casos verificado desde 6 de outubro.

Nos hospitais portugueses estão internadas 3342 pessoas, mais 97 em relação ao dia anterior.

Nas unidades de cuidados intensivos estão menos 11 internados, num total de 525 pacientes em estado mais grave.

Portugal regista menos 224 casos ativos de COVID-19, num total de 80 614; e mais 1189 pessoas estão em contactos de vigilância.

Nas últimas 24 horas, 3408 pessoas foram dadas como recuperadas da doença pela Direção-Geral da Saúde.

Numa análise por regiões, o Norte continua a ser o epicentro da COVID-19 em Portugal, com mais 1795 casos e 42 mortes."

MUNDO: SIC Notícias [13h01] | "Moderna pede aprovação de emergência da vacina nos EUA e Europa." "A farmacêutica Moderna vai pedir nesta segunda-feira uma autorização de emergência, nos Estados Unidos da América e na Europa, para a sua vacina contra a COVID-19, depois de os últimos resultados mostrarem uma eficácia de 94,1%.

A Moderna Inc. anunciou ainda que a taxa de eficácia da vacina era consistente entre diferentes idades e género. Para além disto, a vacina demonstrou ser 100% eficaz na prevenção de casos severos da COVID-19, a doença que já matou quase 1,5 milhões de pessoas por todo o mundo.

'Acreditamos ter uma vacina que é altamente eficaz. Agora, temos a informação para o provar', disse o chefe do Departamento Médico da Moderna, Tal Zaks, citado pela agência Reuters. 'Esperamos ter um papel importante em reverter esta pandemia', acrescentou.

Dos 196 voluntários que contraíram a COVID-19, num estudo com mais de 30 mil pessoas, 185 receberam um placebo, enquanto 11 foram vacinados. A Moderna reportou 30 casos severos – todos no grupo que recebeu placebo –, o que significa que a vacina foi 100% eficaz em prevenir casos severos.

A eficácia e a segurança demonstrada pela vacina – que suscitou efeitos secundários temporários semelhantes a sintomas de gripe – cumprem os requisitos da agência norte-americana, a FDA, para uma autorização de uso de emergência ainda antes de toda a fase de testes estar concluída.

A Agência Europeia do Medicamento também já manifestou abertura para autorizar o uso do fármaco.

Além disso, vai apresentar à Organização Mundial de Saúde um procedimento acelerado de registo da vacina."

29 de novembro

Relatório DGS 29 de novembro

PORTUGAL: SIC Notícias [14h19] | 4093 nas últimas 24 horas: novos casos de infeção com ligeiro declínio. "Portugal registou nas últimas 24 horas mais 4093 casos de infeção e mais 64 mortes associadas à doença COVID-19, segundo o boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS) deste domingo.

Desde o início da pandemia morreram em Portugal 4427 pessoas, dos 294 799 casos de infeção confirmados.

Há mais sete doentes internados nas Unidades de Cuidados Intensivos, totalizando 536. Em relação aos internamentos em enfermaria, há mais 90 pessoas internadas, totalizando agora 3245.

A DGS revela que estão ativos mais 770 casos de infeção em relação a sábado, num total de 80 838. Foram dados como recuperados mais 3259 doentes, 209 534 desde o início da pandemia.

As autoridades de saúde têm agora sob vigilância 80 288 pessoas, menos 197.

Das 64 mortes registadas nas últimas 24 horas, 31 ocorreram na região Norte, 22 na região de Lisboa e Vale do Tejo, oito na região Centro, duas no Alentejo e uma no Algarve.

O Norte continua a ser a região do país a contabilizar o maior número de casos e de novas infeções diárias, concentrando nas últimas 24 horas cerca de 61% dos novos casos de COVID-19, seguido de Lisboa e Vale do Tejo."

28 de novembro

Boletim DGS

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h11] Menos 2048 casos ativos. "É o número de casos ativos mais baixo desde 18 de novembro. Nas últimas 24 horas, Portugal registou mais 4868 infeções pelo novo coronavírus e 87 óbitos com COVID-19.

Portugal conta mais 4868 novos casos de COVID-19 e 87 mortes com a doença, revela o boletim epidemiológico deste sábado, segundo o qual há menos 2048 casos ativos de infeção pelo novo coronavírus no país, o número mais baixo desde 18 de novembro.

Nas últimas 24 horas, 6829 pessoas foram dadas como recuperadas.

O número de internamentos diminuiu para 3155 (menos 53), mas nos cuidados intensivos há mais três pessoas (num total de 529).

A região Norte continua a liderar as subidas, com mais 2496 casos e 42 óbitos. Segue-se a região de Lisboa e Vale do Tejo (LVT), com 1313 novos casos e 29 mortes.

A maior distância está o Centro do país, com 775 novos casos e 11 mortes com COVID-19, o Alentejo (127 infeções em 24 horas e quatro mortes) e o Algarve (94 casos e um óbito).

Nos Açores e na Madeira, não houve registo de qualquer morte com a doença, mas há novos casos: 39 no arquipélago açoriano e 24 na Região Autónoma da Madeira.

Em termos de idades, verifica-se neste sábado o maior aumento de casos na faixa etária 40-49: 774.

Já os óbitos continuam a ter maior incidência nas pessoas com mais idade. Neste sábado, ocorreram duas mortes na faixa 40-49 anos; três na de 50-59; 10 nos 60-69 anos; 24 nos 70-79 e 48 em pessoas com 80 ou mais anos."

27 de novembro

Relatório

PORTUGAL: Rádio Renascença [15h16] | 5444 novos casos de infeção. "Portugal regista nesta sexta-feira mais 67 mortes e 5444 casos de COVID-19, indica a Direção-Geral da Saúde (DGS). O número de internados volta a aumentar, depois de uma descida no dia anterior.

Desde a chegada da pandemia ao país estão confirmados 4276 óbitos e quase 286 mil casos da doença.

Nos hospitais portugueses estão internadas 3208 pessoas com COVID-19, um aumento de 16 em comparação com o dia anterior.

Em unidades de cuidados intensivos há agora 526 pacientes infetados com o novo coronavírus, uma subida de dez em relação ao balanço de quinta-feira.

A DGS adianta que, nas últimas 24 horas, recuperaram da doença 5502 pessoas.

Há menos 125 casos ativos de COVID-19 em Portugal, num total de 82 116; e menos 654 pessoas em contactos de vigilância, que são agora cerca de 80 mil.

Numa análise por regiões, o Norte continua a ser a mais atingida, com mais 3161 casos (58%) e 39 mortes.

Lisboa e Vale do Tejo regista mais 1380 infeções (25%) por COVID-19 e 15 óbitos.

A região Centro tem mais 631 casos e oito mortes, o Alentejo 136 casos e duas mortes, o Algarve mais 90 infeções e três mortes, os Açores 35 casos e a Madeira mais 11."

26 de novembro

Relatório DGS 26 de novembro

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h34] | 6383 novos casos de infeção. "Nas últimas 24 horas, Portugal registou mais 82 mortos e 6383 novos infetados com COVID-19.

Um total de 4209 óbitos e 280 394 casos da doença foram confirmados desde a chegada da pandemia, no início de março.

De acordo com o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS), mais de metade dos novos casos (3414) registaram-se no Norte. Em Lisboa e Vale do Tejo foram confirmadas 1782 novas infeções."

25 de novembro

DGS Relatório 25 de novembro

PORTUGAL: TVI24 [15h07] | 5290 novos casos de infeção. "Portugal registou, nesta quarta-feira, mais 71 mortos e 5290 novos casos de infeção por COVID-19, de acordo com o último boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

O país soma agora um total de 274 011 casos confirmados desde o início da pandemia, bem como 4127 vítimas mortais.

Do total de mortos, 35 ocorreram na região Norte, 25 em Lisboa e Vale do Tejo, 10 no Centro e um no Alentejo. Algarve, Açores e Madeira não registaram qualquer óbito nas últimas 24 horas.

Relativamente aos internamentos, foram registados menos 24 doentes em enfermaria, enquanto em Unidade de Cuidados Intensivos deram entrada mais 11."

24 de novembro

Relatório DGS 24 de novembro

PORTUGAL: SIC Notícias [14h16] | 3919 novos casos de infeção. "Portugal registou nas últimas 24 horas 3919 novos casos de infeção e mais 85 mortes associadas à doença COVID-19, segundo o boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS) desta terça-feira.

Desde o início da pandemia em Portugal morreram 4056 pessoas dos 268 721 casos de infeção confirmados.

Há mais 8 doentes internados nas Unidades de Cuidados Intensivos, totalizando 506, um novo máximo desde o início da pandemia. Em relação aos internamentos em enfermaria, há mais 34 pessoas internadas, totalizando agora 3275.

A DGS revela que estão ativos menos 3572 casos de infeção em relação a segunda-feira, num total de 80 432. Foram dados como recuperados mais 7406 doentes, 184 233 desde o início da pandemia.

As autoridades de saúde têm agora sob vigilância 82 160 pessoas.

No que diz respeito aos 3919 novos casos, 2284 registam-se na região Norte, 1018 em Lisboa e Vale do Tejo, 446 na região Centro, 83 no Alentejo, 65 no Algarve, 18 nos Açores e 5 na Madeira.

Das 85 mortes a lamentar nas últimas 24 horas, 50 ocorreram na região Norte, 20 em Lisboa e Vale do Tejo, 12 na região Centro e 3 no Alentejo."

23 de novembro

Relatório DGS 23 de novembro

PORTUGAL: Rádio Renascença [15h02] | 4044 novos casos de infeção. "Foram registadas mais 74 mortes e 4044 casos de COVID-19 em Portugal nas últimas 24 horas, indica o boletim epidemiológico desta segunda-feira da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde o início da pandemia estão confirmados 3971 óbitos e quase 265 mil infeções.

Nos hospitais estão internadas mais 90 pessoas com COVID-19, num total de 3241 pacientes. Destes doentes com o novo coronavírus, 498 estão em cuidados intensivos, mais sete em relação ao balanço anterior.

Nesta segunda-feira há mais 3908 pessoas recuperadas da doença e mais 62 casos ativos, num total de 84 mil. Em contacto de vigilância estão 82 mil indivíduos, uma subida de 358 em 24 horas.

A região Norte tem mais 2258 casos de COVID-19 e 35 mortes, seguida de Lisboa e Vale do Tejo com 1052 infeções e 26 óbitos.

Na região Centro foram registados mais 490 casos e 10 mortes, no Alentejo 68 casos e dois óbitos, no Algarve 126 casos e uma morte, nos Açores 31 casos e na Madeira 19."

22 de novembro

Boletim DGS

PORTUGAL: Observador [14h34] | "Mais 4788 casos nas últimas 24 horas." "Foram detetadas mais 4788 infeções pelo novo coronavírus em Portugal, nas 24 horas até à meia-noite deste domingo. É uma redução em relação às 6472 da véspera. O boletim diário da Direção-Geral de Saúde (DGS), que acaba de ser divulgado, aponta, também, para mais 73 óbitos.

Segundo o boletim da DGS, o número de internados disparou em 126 pessoas para um novo recorde: 3151 internados gerais. Desses, 491 estavam, à meia-noite, em cuidados intensivos – mais seis do que na véspera.

Quase dois terços dos novos casos surgiram no norte do país, segundo o boletim da DGS. É aí que foram registados 3091 dos 4788 novos casos reportados nas últimas 24 horas. Foi também no norte que se registaram mais de metade dos óbitos: 39 no norte, contra 73 em todo o país

A estes somam-se 844 casos em Lisboa e Vale do Tejo (20 óbitos), 637 no centro, 112 no Alentejo e 73 no Algarve. Nos Açores foram confirmadas mais 18 infeções e na Madeira mais 13."

21 de novembro

António Costa

PORTUGAL: SIC Notícias [17h55] | "Circulação proibida entre concelhos nas pontes de dezembro. Medidas dependem do nível de risco na região." "A circulação entre concelhos estará proibida entre as 23h de 27 de novembro e 5h do dia 2 de dezembro e entre as 24h do dia 4 de dezembro e as 5h do dia 9 de Dezembro, salvo as excepções já aplicadas durante o fim-de-semana de finados. O anúncio foi feito pelo primeiro-ministro neste sábado."

MEDIDAS GERAIS

De 27 de novembro a 2 de dezembro e de 4 a 9 de dezembro

  • Proibição de circulação entre concelhos entre as 23h00 de sexta e as 5h00 de quarta-feira 

Dias 30 de novembro e 7 de dezembro

  • Suspensão de atividades letivas
  • Tolerância de ponto
  • Apelo a entidades privadas para dispensa de trabalhadores 

CRIAÇÃO DE QUATRO NÍVEIS DE RISCO

Risco moderado – com menos de 240 casos por 100 mil habitantes (65 concelhos)

Risco elevado – com mais de 240 e menos de 480 casos por 100 mil habitantes (86 concelhos)

Regras a aplicar:

  • Manutenção da proibição de circulação na via pública 23h-5h
  • Ação de fiscalização do cumprimento de teletrabalho obrigatório
  • Manutenção dos horários de encerramento:
    • Estabelecimentos comerciais às 22h
    • Restaurantes e equipamentos culturais às 22h30

Risco muito elevado – com mais de 480 e menos de 960 casos por 100 mil habitantes (80 concelhos)

Risco extremamente elevado – com mais de 960 casos por 100 mil habitantes (47 concelhos)

Regras a aplicar em ambos:

  • Sábados, domingos e feriados de 1 e 8 dez
    • Proibição de circulação na via pública e encerramento de estabelecimentos comerciais entre as 13h e as 5h
  • Vésperas de feriado (30 nov e 7 dez)
    • Encerramento dos estabelecimentos comerciais a partir das 15h

17 CONCELHOS SAEM DA LISTA DE RISCO ELEVADO

António Costa anunciou que dos 191 concelhos anteriormente contemplados na lista de risco elevado, há 17 que reduziram o número de contágios por 100 mil habitantes nos últimos 15 dias. No entanto, o primeiro-ministro alertou que o sair da lista não quer dizer que haja um desrespeito pelas regras e lembrou que é essencial seguir as orientações de proteção – como o uso da máscara, a higienização das mãos e o uso da aplicação StayAway Covid.

  • Aljustrel
  • Alvaiázere
  • Beja
  • Borba
  • Caldas da Rainha
  • Carrazeda de Ansiães
  • Ferreira do Alentejo
  • Fornos de Algodres
  • Golegã
  • Santa Comba Dão
  • São Brás de Alportel
  • Sousel
  • Tábua
  • Tavira
  • Vila Real de Santo António
  • Vila Velha de Ródão
  • Vila Flor

Relatório DGS 21 de novembro

PORTUGAL: TVI24 [13h45] | 6472 novos casos de infeção nas últimas 24 horas. "Portugal registou, nas últimas 24 horas, mais 6472 casos de infeção por SARS-CoV-2. E, de acordo com o último boletim epidemiológico emitido pela Direção-Geral da Saúde (DGS), morreram 62 pessoas por COVID-19 nas últimas 24 horas.

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 3824 mortes e 255 970 casos de infeção, estando ativos 82 767, mais 31 do que na sexta-feira.

A DGS indica que, das 62 mortes registadas nas últimas 24 horas, 24 ocorreram na região Norte, 23 na região de Lisboa e Vale do Tejo, nove na região Centro, cinco no Alentejo e uma no Algarve.

Relativamente aos internamentos hospitalares, o boletim indica uma descida nos internamentos em enfermaria, totalizando 3025, menos 54 do que na sexta-feira, e uma subida nos cuidados intensivos, onde estão 485 pessoas (mais quatro)."

PORTUGAL: SIC Notícias [9h06] | Governo anuncia hoje as novas medidas do estado de emergência. "O Governo anuncia hoje as medidas concretas do Estado de Emergência. O anúncio será feito por António Costa durante a tarde (18h00). O primeiro-ministro deverá revelar quais são os concelhos mais afetados e que terão medidas mais específicas.

Em cima da mesa poderá estar também a restrição de circulação entre concelhos nos próximos dois fins de semana, que incluem feriados à terça-feira."

20 de novembro

Boletim DGS

PORTUGAL: LUSA [14h44]. 61 mortos e 6 489 novos casos nas últimas 24 horas. "Portugal contabiliza hoje mais 61 mortos relacionados com a COVID-19 e 6 489 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 3 762 mortes e 249 498 casos de infeção, estando ativos 82 736, mais 1 352 do que na quinta-feira.

A DGS indica que das 61 mortes registadas nas últimas 24 horas, 33 ocorreram na região Norte, 15 na região de Lisboa e Vale do Tejo, 12 na região Centro e uma no Algarve."

19 de novembro

Boletim DGS

PORTUGAL: SIC Notícias [16h34] | Cerca de 7000 novos casos de infeção. "Portugal registou nesta quinta-feira mais 6994 novos casos de infeção por COVID-19 e 69 óbitos, segundo o boletim da Direção-Geral de Saúde. 

O total de vítimas mortais desde o início da pandemia é agora de 3701 e já foram registados 243 009 casos. Estão internados 3017 doentes (menos 34 em 24 horas) e 458 em Unidades de Cuidados Intensivos (mais 26). 

A DGS revela que estão ativos mais 2703 casos de infeção em relação a quarta-feira. Foram dados como recuperados mais 4222 doentes, 157 924 desde o início da pandemia.

As autoridades de saúde têm agora sob vigilância 80 097 pessoas.

No que diz respeito aos 6994 novos casos, 4415 registam-se na região Norte, 1542 em Lisboa e Vale do Tejo, 724 na região Centro, 145 no Alentejo, 102 no Algarve, 40 nos Açores e 26 na Madeira.

Das 69 mortes a lamentar nas últimas 24 horas, 29 ocorreram na região Norte, 24 em Lisboa e Vale do Tejo, 12 na região Centro, uma no Alentejo e 3 no Algarve."

18 de novembro

Boletim DGS

PORTUGAL: TVI24 [13h53] | "Mais 5891 casos de COVID-19 e 79 mortos." "Portugal registou, nas últimas 24 horas, mais 5891 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2 e mais 79 mortos por COVID-19. São dados revelados pelo boletim epidemiológico diário, divulgado esta quarta-feira pela Direção-Geral de Saúde (DGS).

De acordo com o boletim desta quarta-feira, aumentou o número de doentes em internamento. São agora mais 23, perfazendo um total 3051 doentes em internamento. Há também mais um doente em cuidados intensivos, num total de 432

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 3632 mortes e 236 015 casos de infeção pelo novo coronavírus, estando atualmente ativos 78 641 casos, mais 1555 do que na terça-feira.

De acordo com o boletim, 54 por cento dos novos casos situam-se na região Norte, que contabilizou nas últimas 24 horas mais 3191 infeções, seguido de Lisboa e Vale do Tejo, com 1637 novos casos (28 por cento), região Centro, com 791 casos (13 por cento), Alentejo, com 133 casos (2 por cento), Algarve, com 119  casos (2 por cento), Açores, com 19 (0,3 por cento), e Madeira com um (0,02 por cento).

À semelhança do que já tinha acontecido nos últimos dias, é também na região Norte que se registam mais vítimas mortais. Mais 47 de acordo com o boletim epidemiológico da DGS. Segue-se Lisboa e Vale do Tejo, que tem mais 16 óbitos (e um total de 1339), a região Centro, com mais dez óbitos (454), o Alentejo mais cinco (88) e o Algarve mais uma (37)."

17 de novembro

COVID-19 Boletim

PORTUGAL: SIC Notícias [15h20] | Mais 4452 novos casos de infeção. "Portugal regista mais 81 mortes e 4452 novos casos de COVID-19, segundo o boletim diário desta terça-feira da Direção-Geral da Saúde.

Na região Norte a registaram-se mais de metade dos casos (2941). Já na região de Lisboa e Vale do Tejo há registo de 812 novos casos. O Centro regista mais 353 casos, o Alentejo mais 243 e o Algarve mais 65.

Nas últimas 24 horas estão mais cinco doentes internados nas Unidades de Cuidados Intensivos, totalizando 431. Em relação aos internamentos em enfermaria estão 3028 pessoas internadas, menos 12 do que na segunda-feira.

A DGS revela que estão ativos 77 126 casos de infeção, menos 2919 do que na segunda-feira. Foram dados como recuperadas mais 7290 pessoas, totalizando 149 445 desde o início da pandemia.

As autoridades de saúde têm agora sob vigilância 80 817 pessoas, menos 14 537 nas últimas 24 horas."

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 230 124 casos positivos da doença, dos quais 3553 morreram e 149 445 recuperaram.

16 de novembro

Boletim DGS

PORTUGAL: Rádio Renascença [16h00] | Mais 3996 casos de infeção nas últimas 24 horas. "Portugal ultrapassou nesta segunda-feira os três mil internados com COVID-19. São agora 3040 os doentes internados com a doença, 426 dos quais em unidade de cuidados intensivos.

Nas últimas 24 horas, segundo a Direção-Geral da Saúde, há mais 91 mortos (um novo máximo de óbitos devido à doença) e 3996 infetados com a doença.

Numa nota informativa, divulgada no habitual boletim epidemiológico da DGS, a autoridade saúde informa que 'os valores de hoje resultam de uma mudança no sistema de análise de dados'.

'No entanto, os dados cumulativos foram atualizados historicamente, resultando em mais 4375 casos confirmados, mais 13 529 casos recuperados e menos 9154 casos ativos', lê-se no mesmo documento.

Esta atualização do número acumulado de casos confirmados traduz-se em mais 2101 casos na região do Norte, mais 1745 casos na região de LVT, mais 286 casos na região do Alentejo, mais 163 casos na região do Algarve, mais 52 casos na região da Madeira, mais 29 casos na região do Centro e menos 1 caso na região dos Açores.

Desde o início da pandemia, 99 448 homens e 121 802 mulheres testaram positivo à COVID-19. De acordo com o boletim, há mais de quatro mil casos confirmados sem identificação de género."

15 de novembro

Boletim DGS

PORTUGAL: Jornal Económico [14h26]. "Portugal regista mais 6 035 casos e 76 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas. As autoridades sanitárias contabilizaram mais 2 549 altas nas últimas 24 horas, elevando para 125 066 o número total de pessoas livres do vírus.

Portugal conta com um total de 217 301 casos confirmados da Covid-19, mais 6 035 face ao dia anterior, revela o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS) divulgado este domingo, 15 de novembro.

O número de vítimas mortais do novo coronavírus no país aumentou para 3 381 registando-se mais 76 mortes nas últimas 24 horas.

A DGS revela que atualmente existem 109 861 casos registados no Norte (mais 4 022), 20 562 no Centro (mais 713), 77 714 em Lisboa e Vale do Tejo (mais 1 137), 3 954 no Algarve (mais 58), 605 casos na Região Autónoma dos Açores (mais 26), 626 na Região Autónoma da Madeira (mais sete) e 3 979 casos no Alentejo (mais 72).

Atualmente existem 2 929 internados (mais 131), dos quais 415 estão em Unidades de Cuidados Intensivos (mais dois) (UCI) e 125 066 casos recuperados em Portugal, mais 1 523 do que os registados ontem.

Quanto aos óbitos, do total das 3 381 mortes, 1 563 registam-se no Norte (mais 44), 422 no Centro (mais 11), 1 269 em Lisboa e Vale do Tejo (mais 19), 34 no Algarve, 15 nos Açores, 76 no Alentejo e duas na Região Autónoma da Madeira.

Atualmente existem 98 177 homens e 119 124 mulheres infetados pelo novo coronavírus. Em termos de óbitos contam-se 1 725 homens e 1 656 mulheres. Encontram-se em vigilância 94 604 pessoas, mais 2 668 do que no dia de ontem. Registam-se ainda 88 854 casos ativos, mais 3 410 do que o verificado ontem.

O grupo etário com o maior número de casos verifica-se entre os 40 e 49 anos, com 15 871 homens e 20 536 mulheres, num total de 36 407 casos. O maior número de óbitos regista-se acima dos 80 anos, com 1 020 homens e 1 262 mulheres, num total de 2 282 mortes."

14 de novembro

 Boletim DGS

PORTUGAL: Público [14h53]. Covid-19 em Portugal: o dia com mais recuperados, o dia com mais doentes em cuidados intensivos. "Primeiro as boas notícias. Há mais 5135 doentes recuperados da Covid-19 em Portugal, o maior aumento diário de recuperações de sempre. No total, 122 517 portugueses já recuperaram da doença desde o início da pandemia. Os números, divulgados este sábado, dizem respeito à totalidade do dia de sexta-feira. Neste dia, Portugal registou mais 55 mortes e 6602 casos confirmados de Covid-19. O país já registou 211 266 casos confirmados de infeção desde o início da pandemia e 3305 mortes.

Em maio, Portugal registou, de um dia para o outro, mais de 9 mil recuperados, mas, como explicou então a ministra da Saúde, Marta Temido, esse grande aumento deveu-se a uma alteração nos critérios de contabilização, que fez duplicar o número de casos recuperados. Assim sendo, esta sexta-feira representou o dia com mais recuperados de sempre."

13 de novembro

Boletim DGS Covid19

PORTUGAL: Público [15h00]. Mais 69 mortes e 6653 novos casos (novo máximo diário). Portugal ultrapassa as 200 mil infeções. "Portugal voltou a ultrapassar os seis mil casos de infeção em 24 horas, um novo máximo desde o início da pandemia que ultrapassa os 6640 casos registados a 7 de novembro. Até às 00h desta sexta-feira foram detetadas 6653 novas infeções no país e morreram mais 69 pessoas devido à Covid-19. O número de vítimas mortais sobe assim para 3250 e o total de infetados ascende a 204 664 desde o início da pandemia.

Os dados do boletim epidemiológico desta sexta-feira da Direção-Geral da Saúde (DGS), relativos ao dia completo de quinta-feira, indicam que há mais 3693 pessoas recuperadas, subindo assim para 117 382 o número total no país. Subtraído o número de mortes e de pessoas recuperadas, há nesta altura 84 032 casos ativos em Portugal, mais 2891 do que na quinta-feira.

O boletim indica ainda que há 2799 pessoas internadas (mais cinco do que na atualização anterior), das quais 388 estão nos cuidados intensivos (mais cinco).

A região Norte ultrapassou os 100 mil casos identificados desde março (101 684), com mais 4061 identificados na quinta-feira (61% do total nacional). Em Lisboa e Vale do Tejo, foram identificados 1733 casos. Estas duas regiões são responsáveis por 87% dos novos casos e concentram quase 86% dos óbitos (59 das 69).

12 de novembro

António Costa

PORTUGAL: SIC Notícias [19h01] | Comércio fecha às 13h00 no fim de semana. Mais 77 concelhos no mapa de risco. "Após a reunião do Conselho de Ministros nesta quinta-feira, o primeiro-ministro António Costa confirmou que todos os estabelecimentos comerciais e de restauração vão ter de fechar a partir das 13h00 até às 8h00 do dia seguinte, nos próximos dois fins de semana [14, 15 e 21, 22 de novembro]. A restauração só poderá funcionar depois das 13h00 para serviço de takeaway.

As exceções são os estabelecimentos que já abriam antes das 8h00, como padarias, farmácias, funerárias, retalho alimentar, e lojas com porta para a rua e com uma área com menos de 200 metros quadrados.

As exceções de abertura após às 13h00:

  • Farmácias
  • Clínicas e consultórios
  • Estabelecimentos de venda de bens alimentares com porta para a rua até 200m2
  • Bombas de gasolina

António Costa anunciou ainda um apoio especial à restauração para os concelhos onde os restaurantes vão ter de fechar às 13h00 no fim de semana. Os restaurantes vão receber 20% da perda de receita.

O Governo retirou sete concelhos da lista de risco e acrescentou 77. Ao todo, há agora 191 concelhos considerados de risco. Os 7 concelhos que saíram: Moimenta da Beira, Taboaço, São João da Pesqueira, Pinhel, Tondela e Batalha. Os 77 concelhos que entraram na lista: Manteigas, Freixo de Espada à Cinta, Figueira de Castelo Rodrigo, Coruche, Seia, Proença-a-Nova, Monforte, Vieira do Minho, Mealhada, Celorico da Beira, Castro Daire, Arronches, Nelas, Vila Nova de Foz Côa, Mora, Torre de Moncorvo, Mêda, Mangualde, Salvaterra de Magos, Pampilhosa da Serra, Ourém, Vila do Bispo, Penela, Miranda do Douro, Albergaria-a-Velha, Águeda, Oliveira do Bairro, Arganil, Grândola, Resende, Mira, Ílhavo, Abrantes, Boticas, Coimbra, Almeida, Cantanhede, Almeirim, Ferreira do Alentejo, São Pedro do Sul, Estarreja, Faro, Cuba, Mirandela, Campo Maior, Miranda do Corvo, Alcanena, Ponte de Sor, Condeixa-a-Nova, Arcos de Valdevez, Montalegre, Montemor-o-Velho, Crato, Viseu, Reguengos de Monsaraz, Vagos, Penalva do Castelo, Sousel, Évora, Penamacor, Murtosa, Lamego, Vila Real de Santo António, Albufeira, Carrazeda de Ansiães, Elvas, Vila Nova de Paiva, Alvaiázere, Tábua, Portalegre, Portimão, Ansião, Tavira, Lagos, Aljustrel, Anadia e Sátão.

Na conferência de Imprensa, o primeiro-ministro reconheceu que a 'situação é grave' e 'mais crítica do que na primeira fase'. Destacou as medidas 'menos intensas' do que as aplicadas em março.

Sobre as medidas que entraram em vigor com o estado de emergência, António Costa elogiou o comportamento cívico 'exemplar' dos portugueses.

ESTADO DE EMERGÊNCIA

Portugal entrou na segunda-feira em estado de emergência até 23 de novembro, impondo entre outras medidas o recolher obrigatório noturno nos concelhos com mais casos de infeção, 121 até esta quinta-feira.

Esta medida de proibição de circulação na via pública entre as 23h00 e as 5h00 em dias de semana e, nos próximos dois fins de semana, a partir das 13h00.

Entre estes municípios, que abrangem 70% da população residente, incluem-se todos os concelhos das Áreas Metropolitanas de Lisboa e do Porto."

Relatório DGS

PORTUGAL: Rádio Renascença [15h55] | 5839 casos de infeção e 3336 pessoas curadas nas últimas 24 horas. "Portugal regista, nesta quinta-feira, mais 5839 casos de COVID-19 e 78 mortes devido à doença, o que representa um novo máximo relativamente ao aumento diário de novas infeções.

De acordo com o boletim diário da Direção-Geral da Saúde, nas últimas 24 horas, foram dadas como curadas mais 3336 pessoas.

O documento indica, ainda, que há registo de 2794 internados com a doença [2411 enfermaria (+9) e 383 em unidades de cuidados intensivos (-8)].

Dos 78 óbitos devido à doença registados nas últimas 24 horas, 50 dizem respeito a idosos com mais de 80 anos e 19 à faixa etária 70-97. Registaram-se, ainda, cinco mortes de pacientes com idades compreendidas entre os 60-69, três entre os 50-59 e uma entre os 30-39.

A região Norte regista o maior número de novos casos, tendo sido reportados 3567, nas últimas 24 horas. Já na região de Lisboa e Vale do Tejo foram notificados mais 1345 novos casos de infeção. Seguem-se o Centro com 749 novos casos, o Algarve com 77, Alentejo com 56, Açores com 29 e Madeira com 16."

11 de novembro

DGS Relatório 11 novembro

PORTUGAL: SIC Notícias [14h20] | 4935 infetados nas últimas 24 horas. "A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou no boletim diário desta quarta-feira que há mais 82 mortes e 4935 novos casos de COVID-19 em Portugal. No total, o país regista 3103 vítimas mortais e 192 172 infetados pelo novo coronavírus, desde o início da pandemia.

Nas últimas 24 horas estão mais 9 doentes internados nas Unidades de Cuidados Intensivos, totalizando 391. Em relação aos internamentos em enfermaria estão 2785 pessoas internadas, mais 43 do que na terça-feira. Em ambos os casos, tratam-se de novos máximos desde o início da pandemia.

A DGS revela que estão ativos 78 716 casos de infeção, mais 1378 do que na terça-feira. Também nas últimas 24 horas foram dadas como recuperadas 3475 pessoas, num total de 110 353 desde o início da pandemia.

As autoridades de saúde têm agora sob vigilância 89 107 pessoas, menos 956 nas últimas 24 horas.

No que diz respeito aos 4935 novos casos, 2845 registam-se na região Norte, 1185 em Lisboa e Vale do Tejo, 743 na região Centro, 44 no Alentejo, 80 no Algarve, 21 nos Açores e 17 na Madeira.

Das 82 mortes a lamentar nas últimas 24 horas, o pior registo diário desde o início da pandemia, 44 ocorreram na região Norte, 19 em Lisboa e Vale do Tejo, 17 na região Centro e 2 no Alentejo."

10 de novembro

DGS Relatório 10 de novembro

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h17] | 3817 infetados nas últimas 24 horas. "A Direção-Geral da Saúde (DGS) registou, nas últimas 24 horas, mais 62 mortos e 3817 infetados com COVID-19. Com estes números, Portugal ultrapassa as três mil vítimas mortais (3021) da doença, desde o início da pandemia.

Ainda segundo o documento, há mais 91 pessoas internadas com COVID-19, para um total de 2742, das quais 382 em cuidados intensivos (menos nove).

Há neste momento mais de 100 mil recuperados da doença no país. Nas últimas 24 horas registou-se o segundo melhor dia de casos recuperados, 4795, o que se refletiu no número de casos ativos que caiu para 77 338 (menos 1040 do que ontem).

Dos novos casos, 2663 registaram-se na região Norte, enquanto em Lisboa registaram-se 736 novos casos. Por faixa etária, foi entre os 40 e 49 anos que se verificou o maior aumento de casos (635).

Quanto às vítimas mortais, duas mortes registaram-se na faixa etária entre os 40 e os 49 anos, uma entre os 50 e os 59, sete entre os 60 e os 69 anos, 13 entre os 70 e os 79 anos e 39 mortes acima dos 80 anos.

Desde o início da pandemia, Portugal já teve confirmação de 187 237 casos positivos da doença."

9 de novembro

DGS relatório 9 de novembro

PORTUGAL: Rádio Renascença [12h46] | "Há mais 4096 infetados nas últimas 24 horas." "Portugal regista, nesta segunda-feira, um novo recorde de mortes por COVID-19 – 63 vítimas, nas últimas 24 horas. O país ultrapassou, também, a fasquia dos 100 mil recuperados. De acordo com o boletim diário da Direção-Geral da Saúde, nas últimas 24 horas, foram dadas como curadas mais 2302 pessoas.

O documento indica, ainda, que há registo de mais 4096 infetados com a doença. Estão internadas 2651 pessoas (mais 129). Em unidades de cuidados intensivos estão 391 doentes (mais 13).

A região Norte regista o maior número de novos casos, tendo sido reportados 2265 nas últimas 24 horas (55%). Já na região de Lisboa e Vale do Tejo foram notificados mais 1217 novos casos de infeção (30%).

A DGS avança que das 63 mortes registadas, 33 ocorreram na região Norte, 22 na região de Lisboa e Vale do Tejo, cinco na região Centro, uma no Alentejo, uma no Algarve e uma na Madeira. Do mesmo total, 47 vítimas tinham mais de 80 anos, sete tinham entre 70 e 79 anos, cinco entre 60 e 69, três entre 50 e 59 e uma estava na faixa dos 40-49.

O maior aumento de novos casos foi registado no grupo etário compreendido entre os 40 e os 49 – com 683 infeções. Esta faixa etária ultrapassou hoje os 30 mil casos, desde o início do ano."

Vacina

MUNDO: SIC Notícias [12h19] | "Pfizer anuncia que vacina contra a Covid-19 é '90% eficaz'." "A vacina contra a COVID-19 desenvolvida em conjunto pela norte-americana Pfizer e a alemã BioNTech 'tem 90% de eficácia', avançam hoje as duas farmacêuticas após a primeira avaliação da fase 3 dos ensaios clínicos, a última antes do pedido de aprovação pelas autoridades de saúde.

Os resultados preliminares revelam que os voluntários que receberam a segunda das duas doses da vacina experimental desenvolveram anticorpos contra o novo coronavírus SARS-CoV-2 sete dias depois da inoculação.

'Mais de oito meses depois do início da pior pandemia em mais de um século, consideramos que esta etapa representa um avanço significativo para o mundo nesta batalha contra a COVID-19', declara o diretor-geral da Pfizer, Albert Bourla, em comunicado.

'O primeiro conjunto de resultados da fase 3 do nosso ensaio da vacina COVID-19 fornece uma prova inicial da capacidade da nossa vacina para prevenir a COVID-19', garante.

Esta análise de resultados diz respeito a um pequeno número de voluntários (94 casos confirmados de COVID-19) num total de 43 538 participantes em todo o mundo, mas a Pfizer avança que são resultados encorajadores."

8 de novembro

DGS Relatório

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h16] | 5784 novos casos. "Portugal regista 48 óbitos e mais 5784 infeções nas últimas 24 horas, segundo o boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS). Este foi o domingo com mais casos de sempre. O relatório mostra que mais 2034 pacientes recuperaram da doença.

Estão internadas 2522 pessoas (mais 102). Na unidade de cuidados intensivos estão 378 (mais 12).

A região Norte é a que regista a maioria dos novos casos, tendo sido reportados 3923 nas últimas 24 horas (67,8%). Já na região de Lisboa e Vale do Tejo foram notificados mais 1023 novos casos de infeção (18,5%).

A DGS indica que das 48 mortes registadas nas últimas 24 horas, 27 ocorreram na região Norte, 14 na região de Lisboa e Vale do Tejo, quatro na região Centro, duas no Alentejo e uma no Algarve.

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 2896 mortes e 179 324 casos de infeção, estando ativos este domingo 76 647 casos, mais 3702 do que no sábado.

A pandemia já provocou mais de 1,2 milhões de mortos em mais de 49,3 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Os Estados Unidos são o país com mais mortos (237 019) e também com mais casos de infeção confirmados (mais de 9,8 milhões).

Na Europa, o maior número de vítimas mortais regista-se no Reino Unido (48 475 mortos, mais de 1,1 milhões de casos), seguindo-se Itália (41 063 mortos, mais de 902 mil casos), França (39 865 mortos, mais de 1,6 milhões de casos) e Espanha (38 883 mortos, mais de 1,3 milhões de casos)."

António Costa

PORTUGAL: SIC Notícias | "As novas medidas do estado de emergência." "O recolher obrigatório durante a semana à noite e aos fins de semana nos 121 concelhos mais afetados é uma das medidas anunciadas pelo primeiro-ministro, António Costa, para o estado de emergência, que entra em vigor esta segunda-feira, dia 9, para combater a pandemia do novo coronavírus.

AS MEDIDAS DO ESTADO DE EMERGÊNCIA:

1. Controlo de temperatura corporal

No acesso a:

  • Locais de trabalho
  • Estabelecimentos de ensino
  • Meios de transporte
  • Espaços comerciais, culturais e desportivos

O primeiro-ministro assegura que não está a ser considerado nenhum encerramento das escolas, salientando que o Governo pretende preservar o direito a estudar e a trabalhar, pelo que concentra as medidas mais restritivas ao fim de semana.

2. Testes de diagnóstico

  • Estabelecimentos de saúde
  • Lares
  • Estabelecimentos de ensino
  • Entrada e saída de território continental, por via aérea ou marítima
  • Estabelecimentos prisionais
  • Outros locais, por determinação da DGS

António Costa precisou que uma das medidas é a 'possibilidade da realização de testes de diagnóstico no acesso a um conjunto de espaços e ou instituições', nomeadamente testes antigénios, de carácter mais rápido.

3. Utilização de estabelecimentos de saúde dos setores privado e social

4. Mobilização de recursos humanos para reforço da capacidade de rastreio

  • Trabalhadores em isolamento profilático
  • Trabalhadores de grupos de risco
  • Professores sem componente letiva
  • Militares das Forças Armadas

5. Limitação de circulação na via pública nos 121 concelhos, entre as 23h00 e as 5h00

6. Limitação de circulação na via pública nos 121 concelhos ao fim de semana, a partir das 13h00 e até às 5h00 do dia seguinte

Nos próximos dois fins de semana, o comércio terá de encerrar a partir das 13h00 e os restaurantes só poderão funcionar em takeaway e entrega de refeições ao domicílio. No entanto, o serviço de takeaway só poderá estar disponível até às 13h00.

O primeiro-ministro, António Costa, disse que o incumprimento do recolher obrigatório não é 'uma questão penal', mas garantiu que os cidadãos que não o cumprirem serão conduzidos pelas autoridades às suas residências."

Praça do Comércio

CONCELHOS COM RISCO ELEVADO

"Há 121 concelhos de Portugal Continental que estão em confinamento parcial desde a semana passada, seguindo o critério de terem 'mais de 240 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias' ou em função da proximidade com um outro município nessa situação.

A lista de concelhos será atualizada a cada 15 dias. A próxima revisão será realizada na quinta-feira.

Alcácer do Sal, Alcochete, Alenquer, Alfândega da Fé, Alijó, Almada, Amadora, Amarante, Amares, Arouca, Arruda dos Vinhos, Aveiro, Azambuja, Baião, Barcelos, Barreiro, Batalha, Beja, Belmonte, Benavente, Borba, Braga, Bragança, Cabeceiras de Basto, Cadaval, Caminha, Cartaxo, Cascais, Castelo Branco, Castelo de Paiva, Celorico de Basto, Chamusca, Chaves, Cinfães, Constância, Covilhã, Espinho, Esposende, Estremoz, Fafe, Felgueiras, Figueira da Foz, Fornos de Algodres, Fundão, Gondomar, Guarda, Guimarães, Idanha-a-Nova, Lisboa, Loures, Lousada, Macedo de Cavaleiros, Mafra, Maia, Marco de Canaveses, Matosinhos, Mesão Frio, Mogadouro, Moimenta da Beira, Moita, Mondim de Basto, Montijo, Murça, Odivelas, Oeiras, Oliveira de Azeméis, Oliveira de Frades, Ovar, Paços de Ferreira, Palmela, Paredes de Coura, Paredes, Penacova, Penafiel, Peso da Régua, Pinhel, Ponte de Lima, Porto, Póvoa de Varzim, Póvoa do Lanhoso, Redondo, Ribeira da Pena, Rio Maior, Sabrosa, Santa Comba Dão, Santa Maria da Feira, Santa Marta de Penaguião, Santarém, Santo Tirso, São Brás de Alportel, São João da Madeira, São João da Pesqueira, Sardoal, Seixal, Sesimbra, Setúbal, Sever do Vouga, Sines, Sintra, Sobral de Monte Agraço, Tabuaço, Tondela, Trancoso, Trofa, Vale da Cambra, Valença, Valongo, Viana do Alentejo, Viana do Castelo, Vila do Conde, Vila Flor, Vila Franca de Xira, Vila Nova de Cerveira, Vila Nova de Famalicão, Vila Nova de Gaia, Vila Pouca de Aguiar, Vila Real, Vila Velha de Ródão, Vila Verde, Vila Viçosa e Vizela."

7 de novembro

DGS 7 de novembro relatório

PORTUGAL: SIC Notícias [14h23] 6640 novos casos de infeção. "A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou no boletim diário deste sábado que há mais 56 mortes e 6640 novos casos de COVID-19 em Portugal. No total, o país regista 2848 vítimas mortais e 173 540 infetados pelo novo coronavírus.

Nas últimas 24 horas estão mais 26 doentes internados nas Unidades de Cuidados Intensivos, totalizando 366.

Em relação aos internamentos em enfermaria estão 2420 pessoas internadas, menos cinco do que na sexta-feira.

A DGS revela que estão ativos 72 945 casos de infeção, mais 2591 do que na sexta-feira. Também nas últimas 24 horas foram dadas como recuperadas 3993 pessoas, num total de 97 747 desde o início da pandemia."

6 de novembro

Relatório Boletim DGS 6 novembro

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h39] | 5550 infetados nas últimas 24 horas. "A Direção-Geral da Saúde (DGS) registou nas últimas 24 horas mais 52 mortos e 5550 infetados com COVID-19.

Dos novos casos, 54,7% registaram-se no Norte (3006). Em Lisboa e Vale do Tejo, há registo de 1495 novos casos. A faixa etária entre os 20 e os 29 anos é a que regista um maior aumento de casos (893).

Quanto às vítimas mortais, por idades, duas mortes aconteceram em pessoas com idades entre os 50 e os 59 anos, quatro na faixa etária entre os 60 e os 69 anos, 10 entre os 70 e os 79 anos e 36 acima dos 80 anos.

No que diz respeito à distribuição geográfica, 25 mortes registaram no Norte, 13 em Lisboa e Vale do Tejo, oito no Centro e seis no Alentejo.

De acordo com o boletim da DGS, há também um aumento de 63 pessoas internadas, para um total 2425, dos quais 340 em cuidados intensivos (mais 20 do que ontem).

Há neste momento mais de 70 mil casos ativos no país (70 354).

Desde o início da pandemia, Portugal registou 166 900 casos positivos, dos quais 2792 morreram e 93 754 recuperaram.

Nesta sexta-feira não haverá a habitual conferência de imprensa para fazer o acompanhamento da evolução da pandemia em Portugal, devido à deslocação da ministra da Saúde ao Porto."

5 de novembro

DGS Relatório 5 de novembro

PORTUGAL: SOL [15h00] | 4410 contágios. "O número de mortes associadas ao novo coronavírus em Portugal subiu para 2740, depois de terem sido registados mais 46 óbitos. Nas últimas 24 horas, foram também confirmados 4410 novos contágios, elevando para 161 350 o total de infeções. O boletim da DGS, divulgado esta quinta-feira, revela uma ligeira descida nos doentes em cuidados intensivos, mas o número geral de internados voltou a subir.

4 de novembro

DGS 4 de novembro Relatório

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h00] | "O pior dia desde o início da pandemia." "Portugal regista esta quarta-feira mais 7497 casos e 59 mortes por COVID-19 em Portugal. É o pior dia desde o início da pandemia.

A Direção-Geral da Saúde (DGS) adianta que os dados do relatório de hoje 'incluem o somatório de 3570 casos, decorrentes do atraso no reporte laboratorial, principalmente de um laboratório na região Norte, desde o dia 30/10/2020'.

'Importa explicar o aumento significativo dos casos no Norte. Os dados do boletim resultam da notificação no sistema Sinave e dependemos da notificação, quer dos laboratórios, quer dos médicos assistentes, para que a fotografia diária seja a mais aproximada da realidade. Hoje, esse retrato não espelha a realidade só das últimas 24 horas, uma vez que um laboratório do Norte do país não conseguiu fazer a notificação desde o dia 30', explicou em conferência de Imprensa o secretário de Estado adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales.

O governante adianta que o laboratório em causa só conseguiu fazer 'a acumulação das notificações ontem [terça-feira], num somatório de mais de 3500 casos', que foram 'naturalmente seguidos quer ao nível clínico, quer pelas equipas de saúde pública'.

O reporte de casos é crucial e o Ministério da Saúde está a tomar medidas para que estas situações não aconteçam, sublinha Lacerda Sales.

Desde o início da pandemia, o país tem 2694 mortes e 156 940 casos confirmados da doença provocada pelo novo coronavírus. Há mais 5081 casos ativos de Covid-19, num total de 65 300.

Há nesta altura mais de 65 mil em contactos de vigilância, uma descida de 81 em comparação com o dia anterior.

Recuperaram da COVID-19 mais 2357 pessoas, num total de 88 946 desde o início da pandemia.

Esta quarta-feira, há mais cinco doentes internados em unidades de cuidados intensivos (UCI). Contas feitas, há 325 pessoas em UCI, um novo máximo.

O total de internamentos, que incluiu enfermaria e UCI tem menos 12 internados, num total de 2337.

A região Norte atinge um novo máximo diário, com 5183 casos e 34 mortes.

Lisboa e Vale do Tejo (LVT) tem esta quarta-feira mais 1560 casos e 18 óbitos, a região Centro 518 casos e cinco mortes, o Alentejo 120 casos e duas mortes, o Algarve 81 novas infeções, a Madeira 26 casos e os Açores nove."

3 de novembro

DGS Relatório 3 de novembro

PORTUGAL: SIC Notícias [14h15] | Mais 2596 novos casos de infeção. "A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou no boletim diário desta terça-feira que há mais 45 mortes e 2596 novos casos de COVID-19 em Portugal. No total, o país regista 2635 vítimas mortais e 149 443 infetados pelo novo coronavírus.

Nas últimas 24 horas estão mais 26 doentes internados nas Unidades de Cuidados Intensivos, totalizando 320.

Em relação aos internamentos em enfermaria são agora 2349 pessoas, mais 94 do que na segunda-feira.

A DGS revela que estão ativos 60 219 casos de infeção, menos 744 do que na segunda-feira. Também nas últimas 24 horas foram dados como recuperadas 3295 pessoas, num total de 86 589 desde o início da pandemia.

As autoridades de saúde têm agora sob vigilância 65 647 pessoas, menos 781 que nas últimas 24 horas.

GRAÇA FREITAS DEFENDE QUE É PRECISO REDUZIR CONTACTOS SEM DEIXAR DE VIVER

A diretora-geral da Saúde diz que não é possível prever quando será o pico da segunda vaga. Oito meses depois do primeiro caso em Portugal, Graça Freitas voltou a lembrar os apelos à população.

'Todos sabemos que neste momento estamos numa fase ascendente e temos de recordar a todos nós que é nossa responsabilidade achatar essa curva', reforçou.

Graça Freitas disse também que é preciso reduzir contactos, mas sem deixar de viver, trabalhar, ir à escola, ao teatro, ao cinema ou fazer compras.

'Temos de continuar a viver. Só temos de diminuir o número de contactos, sem deixar de ir ao trabalho, à escola, ao teatro, ao cinema, ou de fazer compras', disse Graça Freitas na habitual conferência de Imprensa sobre a situação da pandemia em Portugal, durante a qual agradeceu aos profissionais de saúde que têm acompanhado os doentes há oito meses.

Graça Freitas explicou ainda o que quer dizer quando se refere a uma bolha nas advertências que tem feito para que as pessoas não misturem bolhas de contactos.

'O que é uma bolha? É um sítio isolado onde posso estar com algumas pessoas. É a família que mora na mesma casa. Os nossos amigos e os colegas não são da minha bolha. Não podemos facilitar no emprego e na escola em momento em que estamos mais relaxados', explicou.

Fez ainda um apelo aos responsáveis pelos diferentes setores de atividade para que criem condições para que alunos, trabalhadores, frequentadores dos espaços e espetáculos possam estar seguros."

2 de novembro

DGS Boletim 2 novembro

PORTUGAL: Rádio Renascença [15h02] | 2506 novos casos de infeção. "Portugal regista esta segunda-feira um recorde diário de 46 mortes por COVID-19, indica a Direção-Geral da Saúde (DGS). O número total de vítimas mortais é agora de 2590.

Há mais 2506 casos confirmados da doença, avança o boletim epidemiológico desta segunda-feira, num total de quase 147 mil desde o início de março. Trata-se de uma descida do número de infeções diárias, que pode ser explicado pela subnotificação e redução do número de testes realizados aos domingos.

Nos hospitais portugueses estão internadas 2255 pessoas com o novo coronavírus, mais 133 em relação ao dia anterior.

Em cuidados intensivos há 294 doentes, são mais dez em 24 horas.

Portugal tem hoje mais 937 casos ativos, num total de 60 963; e uma aumento de 1623 em contactos de vigilância, que são agora mais de 66 mil.

De acordo com os dados desta segunda-feira, nas últimas 24 horas recuperaram da doença 1523 pessoas.

A região Norte tem 1202 novos casos de COVID-19 e 20 mortes.

Lisboa e Vale do Tejo regista mais 845 casos e 17 óbitos, o Centro mais 333 casos e seis mortes, o Alentejo 46 casos e um óbito, o Algarve 66 casos e uma morte.

A Madeira tem mais 13 casos e uma vítima mortal e os Açores mais um caso."

1 de novembro

Boletim DGS 1 de novembro 2020

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h02] | 3062 novos casos de infeção. "Portugal conta mais 3062 infeções pelo novo coronavírus e 37 óbitos de pessoas com COVID-19. Os números divulgados neste domingo pela Direção-Geral da Saúde revelam ainda o maior aumento no número de internamentos desde o dia 2 de abril – o terceiro desde o início da pandemia.

O primeiro dia em que se registou um elevado número de internamentos foi 27 de março (163) e o segundo 2 de abril (316).
Os dados deste domingo revelam, contudo, uma diminuição no número de pessoas nos cuidados intensivos (menos duas), pelo que todas as admissões (150) foram para a enfermaria, onde neste momento estão 2122 doentes. Nos cuidados intensivos estão 284.

O boletim epidemiológico indica também que, nas últimas 24 horas, 1491 doentes conseguiram recuperar da doença causada pelo novo coronavírus.

Quanto aos novos casos, Portugal regista neste domingo o maior aumento na faixa etária dos 40-49: 513 novas infeções.

A maioria está no Norte (52,8% dos novos casos, ou seja, 1616 infeções), seguindo-se Lisboa e Vale do Tejo (28,6%, mais 876), Centro (430), Alentejo (74), Algarve (59), Madeira (seis) e Açores (um).

Neste domingo, Portugal conta 60 026 casos ativos, mais 1534 do que no sábado."

31 de outubro

Eduardo Cabrita

PORTUGAL: RTP [21h15] | Novas medidas em 121 concelhos do país. "No final de um longo Conselho de Ministros extraordinário, António Costa anunciou as medidas que serão aplicadas já a partir de 4 de novembro nos 121 concelhos do país que têm mais de 240 casos por 100 mil habitantes. Nesses concelhos habita 70 por cento da população do país.

Em primeiro lugar, haverá o 'dever cívico de recolhimento domiciliário', situação que vivemos nos meses seguintes ao fim do estado de emergência. 'Se nada tivermos de fazer de imperioso, devemos ficar em casa', afirmou o primeiro-ministro, referindo exceções como fazer compras, realizar atividade física ou prestar assistência.

Haverá ainda, obrigatoriamente, desfasamento de horários de trabalho e o teletrabalho torna-se obrigatório, salvo impedimento do trabalhador.

Todos os estabelecimentos comerciais (à exceção de farmácias, consultórios e clínicas, funerárias, postos de abastecimento e rent-a-car) encerrarão até às 22h00 e os restaurantes não poderão ter mesas com mais de seis pessoas, tendo de encerrar às 22h30.

Os eventos e celebrações (salvo se do mesmo agregado familiar) serão restringidas a cinco pessoas e estão proibidas as feiras e os mercados de levante. O conjunto destas regras entra em vigor a 4 de novembro e será alvo de uma reavaliação quinzenal.

Apesar das medidas adotadas nos 121 concelhos do país, o encerramento de escolas 'é uma linha vermelha', declarou António Costa, acrescentando que o ano escolar tem estado a correr bem e que é necessário garantir 'a liberdade das nossas crianças', que não devem ter novamente as aulas interrompidas, como teve de acontecer na primeira vaga da pandemia.

António Costa

O primeiro-ministro esclareceu que as visitas aos utentes de lares vão ser permitidas mesmo nos concelhos de risco, desde que sejam realizadas nas condições limitadas que estão já definidas.

Além de Felgueiras, Lousada e Paços de Ferreira, incluem-se agora nestas medidas: Alcácer do Sal, Alcochete, Alenquer, Alfândega da Fé, Alijó, Almada, Amadora, Amarante, Amares, Arouca, Arruda dos Vinhos, Aveiro, Azambuja, Baião, Barcelos, Barreiro, Batalha, Beja, Belmonte, Benavente, Borba, Braga, Bragança, Cabeceiras de Basto, Cadaval, Caminha, Cartaxo, Cascais, Castelo Branco, Castelo de Paiva, Celorico de Basto, Chamusca, Chaves, Cinfães, Constância, Covilhã, Espinho, Esposende, Estremoz, Fafe, Figueira da Foz, Fornos de Algodres, Fundão, Gondomar, Guarda, Guimarães, Idanha-a-Nova, Lisboa, Loures, Macedo de Cavaleiros, Mafra, Maia, Marco de Canaveses, Matosinhos, Mesão Frio, Mogadouro, Moimenta da Beira, Moita, Mondim de Basto, Montijo, Murça, Odivelas, Oeiras, Oliveira de Azeméis, Oliveira de Frades, Ovar, Palmela, Paredes de Coura, Paredes, Penacova, Penafiel, Peso da Régua, Pinhel, Ponte de Lima, Porto, Póvoa de Varzim, Póvoa do Lanhoso, Redondo, Ribeira da Pena, Rio Maior, Sabrosa, Santa Comba Dão, Santa Maria da Feira, Santa Marta de Penaguião, Santarém, Santo Tirso, São Brás de Alportel, São João da Madeira, São João da Pesqueira, Sardoal, Seixal, Sesimbra, Setúbal, Sever do Vouga, Sines, Sintra, Sobral de Monte Agraço, Tabuaço, Tondela, Trancoso, Trofa, Vale da Cambra, Valença, Valongo, Viana do Alentejo, Viana do Castelo, Vila do Conde, Vila Flor, Vila Franca de Xira, Vila Nova de Cerveira, Vila Nova de Famalicão, Vila Nova de Gaia, Vila Pouca de Aguiar, Vila Real, Vila Velha de Ródão, Vila Verde, Vila Viçosa e Vizela.

António Costa explicou que o Governo adotou o critério do Centro Europeu de Controlo de Doenças segundo o qual, nas situações em que há pelo menos 240 casos por cada 100 mil pessoas nos 14 dias anteriores, passa a existir um risco acrescido – situação em que se encontram 121 concelhos portugueses.

A cada 15 dias será avaliado o ponto de situação desses 121 concelhos para se decidir quais saem e quais entram na lista dos que serão sujeitos a medidas mais apertadas de controlo da pandemia.

Ainda em declarações aos jornalistas, António Costa avançou que poderá ser decretado um confinamento mais geral no início de dezembro 'de forma a que se criem as melhores condições para que o menor número possível de pessoas esteja infetado pela altura do Natal' e poder assegurar às famílias as melhores condições possíveis para celebrarem essa época.

António Costa

As cinco medidas fundamentais a toda a população

António Costa relembrou as cinco medidas fundamentais que todos devemos seguir para ajudar a combater a pandemia: manter a distância física sempre que possível; usar a máscara nos locais fechados e na via pública sempre que há mais gente à nossa volta; cumprir com a etiqueta respiratória; lavar e desinfetar regularmente as mãos; e, finalmente, utilizar a aplicação Stayaway Covid.

Neste momento, 2,4 milhões de pessoas já descarregaram essa aplicação nos seus telemóveis. 'Temos de libertar profissionais de saúde que estão a fazer este trabalho' para o fazermos nós próprios 'com um simples clique', apelou o líder do Executivo.

No início do seu discurso após o Conselho de Ministros extraordinário, o PM recordou o começo da pandemia em Portugal e frisou que 'o desconfinamento permitiu a evolução da economia', depois de vários meses de quebra.

Agora, segundo o primeiro-ministro, o desafio é 'conter a pandemia sem pagar de novo o brutal custo' pessoal, económico, social e familiar que as medidas iniciais trouxeram.

Frisando que, desde agosto, estamos num crescimento progressivo da crise pandémica 'que nos levou, em meados de setembro, a decretar o estado de contingência e, há cerca de 15 dias, o estado de calamidade', Costa alertou que, 'se nada acontecer', esta subida 'conduzir-nos-á a uma situação de pressão insustentável do SNS e a um agravamento muito significativo da situação de saúde'.

António Costa voltou a apelar à população a colaboração neste combate, apesar de compreender o 'cansaço' em relação às medidas que têm vindo a ser tomadas. O PM destacou que também o cansaço dos profissionais de saúde e de quem está na linha da frente tem sido difícil de vencer, sendo por isso necessário fazer mais para combater a Covid-19."

Boletim DGS

PORTUGAL: TVI24 [14h08] | Novos 4007 casos de infeção. "A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou no boletim diário deste sábado que há mais 39 mortes e 4007 novos casos de COVID-19 em Portugal.

O país regista também um novo máximo de pessoas internadas em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI) desde o início da pandemia de COVID-19, com 286 pessoas hospitalizadas, segundo a DGS.

O valor máximo de internamentos em cuidados intensivos foi registado na sexta-feira, 30 de outubro, dia em que 275 pessoas estavam nestas unidades hospitalares com COVID-19.

Das 39 mortes registadas, 23 ocorreram na região Norte, 12 em Lisboa e Vale do Tejo, duas na região Centro, uma no Alentejo e uma no Algarve."

30 de outubro

DGS Boletim 30 de outubro

PORTUGAL: SIC Notícias [14h04] | País com novo máximo: 4656 casos em 24 horas. "A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou no boletim diário desta sexta-feira que há mais 40 mortes e 4656 novos casos de COVID-19 em Portugal.

O número de mortes subiu de 2428 para 2468, mais 40 do que na quinta-feira.

Já o número de infetados subiu de 132 616 para 137 272, mais 4656 casos nas últimas 24 horas.

Portugal regista também um novo máximo de doentes internados em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI) desde o início da pandemia de COVID-19, com 275 pessoas hospitalizadas, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS).

O valor máximo de internamentos em cuidados intensivos foi registado em 7 de abril, dia em que 271 pessoas estavam nestas unidades hospitalares com COVID-19."

29 de outubro

DGS Boletim 29 de outubro

PORTUGAL: Rádio Renascença [13h47] | Barreira dos quatro mil casos/dia ultrapassada. "Portugal ultrapassa pela primeira vez os 4 mil casos diários de COVID-19, indica o boletim epidemiológico avançado esta quinta-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Nas últimas 24 horas foram registados 4224 infeções pelo novo coronavírus e 33 mortes. É o maior número de óbitos desde 24 de abril.

Desde o início da pandemia foram diagnosticados 132 616 casos de COVID-19 e 2428 óbitos.

Nos hospitais portugueses há um total de 1834 pessoas internadas com a COVID-19, são mais 40 em relação ao dia anterior.

Nas unidades de cuidados intensivos (UCI) estão mais sete pacientes, num total de 269, um valor muito perto do máximo de 271 registado na primeira vaga da pandemia.

Portugal tem mais 2490 casos ativos do novo coronavírus, num total de 54 486; e mais 1701 pessoas recuperadas da doença.

Os dados da DGS indicam que, esta quinta-feira, há mais 1969 pessoas em contactos de vigilância. Ao todo são mais de 64 mil.

Numa análise por faixas etárias, o maior aumento de casos aconteceu entre os 20 e 29 anos, com 745 infeções; seguido das pessoas entre os 40-49, com 705 casos. Houve 21 mortes em pessoas com mais de 80 anos, nove entre os 70 e os 79, duas entre os 60 e 69 anos e uma na faixa 50-59."

28 de outubro

DGS Boletim

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h24] | Novo máximo diário de casos de infeção. "Portugal regista esta quarta-feira um novo máximo diário de casos de COVID-19, num total de 3960, e 24 mortes, avança a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde o início da pandemia foram diagnosticados 128 392 casos de COVID-19 e 2395 óbitos.

Nos hospitais portugueses estão internados 1792 infetados com o novo coronavírus, são mais 47 em relação ao dia anterior.

Portugal está agora mais perto do número máximo de internados em unidades de cuidados intensivos registados na primeira vaga, que foram 271. Esta quarta-feira, há registo de 262 doentes em UCI, mais nove em comparação com o balanço avançado pela DGS na terça-feira."

27 de outubro

Relatório DGS 27 de outubro

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h16] | Mais 3299 novos casos de infeção. "Foram registados mais 3299 casos e 28 mortes por COVID-19 em Portugal, indica o boletim epidemiológico divulgado esta terça-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde o início da pandemia, Portugal contabiliza 2371 óbitos e 124 432 infeções pelo novo coronavírus. Numa análise dos óbitos por faixa etária, nas últimas 24 horas morreram 19 pessoas com mais de 80 anos, sete mortes entre 70-79 anos, uma morte entre 60-69 e uma morte na faixa 50-59 anos.

Há mais 75 pessoas internadas com COVID-19 nos hospitais portugueses, num total de 1747.

Nas últimas 24 horas deram entrada mais 13 doentes em unidades de cuidados intensivos (UCI), que têm agora 253 pacientes com o novo coronavírus.

Esta terça-feira, foram registados mais 883 casos ativos, num total de 49 717; o número de pessoas em vigilância sobe para 60 063 (+432); e 2388 portugueses foram dados como recuperados da COVID-19, indica o mais recente balanço da DGS.

A região Norte volta a registar o maior aumento diário de novos casos: esta terça-feira há mais 2076 infeções e 12 óbitos.

Lisboa e Vale do Tejo tem mais 961 casos e sete óbitos, a região Centro 201 casos e quatro mortes, o Alentejo 12 casos e cinco mortes, há mais 30 infeções no Algarve, 16 na Madeira e três nos Açores."

26 de outubro

Boletim DGS 26 de outubro

PORTUGAL: Rádio Renascença [13h08] | Mais 2447 casos de infeção pelo novo coronavírus. "Foram registados mais 2447 casos e 27 mortes por COVID-19 em Portugal nas últimas 24 horas, avança o boletim epidemiológico desta segunda-feira da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde a chegada da pandemia, Portugal tem um total de 2343 óbitos e 121 133 infeções pelo novo coronavírus.

Esta segunda-feira há mais 98 pessoas com COVID-19 internadas nos hospitais portugueses, num total de 1672 pacientes.

Em unidades de cuidados intensivos estão 240 doentes, um aumento de dez em comparação com o dia anterior.

Portugal tem mais 1341 casos ativos de COVID-19, num total de 48 834. Quase 60 mil pessoas estão em vigilância, são mais 882 em relação ao último balanço da DGS.

Um total de 1079 pessoas foram dadas como recuperadas da doença nas últimas 24 horas. Desde o início da pandemia, quase 70 mil portugueses ficaram livres da COVID-19.

Por faixa etária, há uma morte entre os 50-59 anos, duas entre 60-69, nove nos 70-79, e 15 em pessoas com mais de 80 anos.
A região Norte é a que regista a maior subida nos casos diários: são mais 1633 infeções e oito mortes."

25 de outubro

DGS Boletim

PORTUGAL: Rádio Renascença [13h11] | Mais 2577 novos casos de infeção. "Portugal regista este domingo mais 2577 novos casos de infeção por COVID-19 e mais 19 mortes.

Nas mortes ocorridas nas últimas 24 horas, há a registar a de um homem na faixa etária 20-29. Trata-se do terceiro caso mortal neste intervalo, desde o início da pandemia.

Há duas mortes na faixa 70-79, sendo as restantes 16 de pessoas com mais de 80 anos.

Na faixa 20-29 anos, o número de casos ultrapassa, este domingo, a barreira dos 20 mil (20 043), sendo o escalão com maior número de casos.

Dos 2577 novos casos, o Norte tem 1696, o que representa cerca de dois terços do total. A região de Lisboa e Vale do Tejo (LVT) tem cerca de 19% dos novos casos.

Este domingo soma-se ainda o número mais elevado de internamentos desde abril. Há mais 119 pessoas internadas no país, com um total que agora atinge os 1574 internamentos. Destas, há mais nove em unidades de cuidados intensivos, com um total de 230 pessoas em UCI.

Das 19 vítimas mortais, registaram-se 10 no Norte, oito em Lisboa e Vale do Tejo e uma no Alentejo."

Pedro Sánchez

ESPANHA: SIC Notícias [12h08] | Decretado estado de emergência em todo o país. "O Governo espanhol acaba de aprovar em Conselho de Ministros extraordinário um novo estado de emergência.

A decisão vai prolongar-se pelo menos nos próximos seis meses. Passa também a vigorar o recolher obrigatório entre as 23h00 e as 6h00 em todo o país.

Isto acontece depois de várias comunidades autónomas terem pedido ao Governo para avançar com o terceiro estado mais grave, tendo em conta a escalada de novos casos de infeção em Espanha."

24 de outubro

Boletim DGS

PORTUGAL: TVI24 [14h16] | Novo recorde de casos diários. "Portugal regista este sábado mais 3669 infetados e 21 óbitos por COVID-19 nas últimas 24 horas, estabelecendo um novo recorde de casos diários.

De acordo com o relatório de situação divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS), Portugal contabiliza um total de 116 109 casos confirmados de infeção e 2297 óbitos desde o início da pandemia.

Os dados da DGS referem ainda que há 1455 pessoas internadas devido ao novo coronavírus, mais 37 que no dia anterior."

23 de outubro

Boletim

PORTUGAL: RTP NOTÍCIAS [14h56] | "Portugal com mais 2899 casos e 31 mortos. O boletim epidemiológico desta sexta-feira confirma 2 899 novos casos de Covid-19, mais 31 mortos e 1349 recuperados. 

Desde o início da pandemia, Portugal contabiliza 112 440 casos confirmados, 2 276 óbitos e 65 880 recuperados. Há 44 284 casos ativos, mais 1 519 do que no dia anterior.

O Norte continua a ser a região com um maior aumento diário (1516 novos casos), seguindo-se Lisboa e Vale do Tejo (918), a região centro (364), Alentejo (53) e Algarve (38). A Madeira registou mais oito novos casos e os Açores dois.

Do total de óbitos, 14 no norte do país, nove em Lisboa, Cinco na região centro, dois no Alentejo e um no Algarve.

Há mais 53 doentes internados e menos dois nos cuidados intensivos. No total, Portugal tem 1418 doentes com Covid-19 internados, dos quais 198 em unidades de cuidados intensivos. 

As autoridades de saúde têm 57 455 pessoas em vigilância, mais 1 646 do que na quinta-feira.

22 de outubro

Boletim DGS

PORTUGAL: TVI24 [15h37] | Mais 3270 novos casos de infeção. "Portugal regista esta quinta-feira mais 3270 casos e 16 óbitos por COVID-19 nas últimas 24 horas, indica o relatório de situação divulgado pela Direção-Geral da Saúde.

O país ultrapassa, pela primeira vez, mais de 3000 casos em apenas um dia, um novo recorde diário.

No que diz respeito aos casos ativos, há mais 1961 (num total de 42 765), registando-se igualmente mais 1293 doentes recuperados, 64 531 na totalidade.

Quanto aos internamentos, estão hospitalizados 1365 doentes, mais 93 do que ontem, e 200 em cuidados intensivos, mais 13 do que no dia anterior.

Dos 3270 infetados, quase 2000 são na região Norte: regista nesta quinta-feira mais 1954 infetados, num total de 44 875, e 987 óbitos, mais sete do que no dia anterior."

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h28] | "Governo proíbe circulação entre concelhos de 30 de outubro até 3 de novembro." "O Governo proíbe a circulação entre concelhos de 30 de outubro até 3 de novembro, no fim de semana de Finados, foi nesta quinta-feira anunciado. A medida insere-se no combate à pandemia de COVID-19.

'O Conselho de Ministros aprovou a proibição de circulação em diferentes concelhos do território continental no período das 00h00 de 30 de outubro até às 24h00 de 3 de novembro, o fim de semana correspondente ao Dia dos Fiéis Defundos, dia de Finados', afirmou a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, no final da reunião do executivo.

'Cada cidadão não pode circular entre concelhos, como aconteceu no passado', revelou a ministra, explicando que a medida entra em vigor entre as 00h00 de 30 de outubro, vigorando até 3 de novembro.

A decisão de limitar a circulação de passageiros surge pouco mais de uma semana após o Conselho de Ministros ter anunciado o regresso do estado de calamidade.

Também vai ser declarado um Dia de Luto Nacional, a 2 de novembro, em honra das vítimas da COVID-19."

21 de outubro

Boletim DGS 21 de outubro COVID-19

PORTUGAL: Lusa [14h20] | Números oficiais do dia. Portugal contabiliza hoje mais 16 mortos relacionados com a COVID-19 e 2535 casos confirmados de infeção com o novo coronavírus, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o boletim hoje divulgado, desde o início da pandemia de COVID-19, Portugal já contabilizou 106 271 casos confirmados e 2229 óbitos.As autoridades de saúde têm 55 882 pessoas em vigilância, menos 244 do que na terça-feira. A DGS revela ainda que estão ativos 40 804 casos, mais 1179 que na terça-feira.

20 de outubro

DGS Boletim 20 de outubro

PORTUGAL: TVI24 [14h03] | Mais 1876 infetados. "Portugal registou, nesta terça-feira, mais 1876 casos e 15 mortos por COVID-19, de acordo com o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS).

A maioria dos óbitos (seis) ocorreu na região de Lisboa, seguindo-se o Norte, com cinco, e o Centro e o Alentejo, com dois cada.

Desde o início da pandemia já morreram 2213 doentes dos 103 736 infetados até à data.

Nas últimas 24 horas, há mais 63 doentes hospitalizados, para um total de 1237, e mais 11 nos cuidados intensivos (176).

Presentemente, há 39 625 casos ativos de COVID-19, menos 71 que no dia anterior.

Há, ainda, 56 126 pessoas em contactos de vigilância com as autoridades de saúde, mais 701.

O número de recuperações ultrapassa, agora, a barreira dos 60 000, com mais 1932 doentes recuperados da doença, que elevam o total para 61 898."

19 de outubro

Relatório DGS

PORTUGAL: Rádio Renascença [13h15] | Ultrapassada a barreira dos 100 mil casos. "Há mais 1949 infeções pelo novo coronavírus em Portugal e mais 17 mortes com COVID-19. São os números da Direção-Geral da Saúde relativos às últimas 24 horas e divulgados esta segunda-feira. Com estes números, Portugal ultrapassa a barreira dos cem mil infetados, com 101 860 casos registados desde o início da pandemia no país.

Os dados revelam também mais 966 pessoas dadas como recuperadas.

Os óbitos ocorreram nas regiões do Norte (12), Lisboa e Vale do Tejo (3) e centro (2). Foi também o Norte que registou o maior aumento de novos casos: 987. A região LVT conta mais 749 e a região Centro mais 133.

No Alentejo, foram registados mais 35 doentes com COVID-19, no Algarve mais 32, na Madeira mais 6 e nos Açores mais 7.

Nesta altura, há 1174 pessoas internadas (mais 88 do que no domingo) e 165 em unidades de cuidados intensivos (mais dez). É o maior aumento de internados desde 16 de abril."

18 de outubro

DGS 18 de outubro Relatório

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h01] | Mais 1856 novos casos de infeção. "Há mais 1856 infeções pelo novo coronavírus em Portugal e mais 19 mortes com COVID-19. São os números da Direção-Geral da Saúde relativos às últimas 24 horas e divulgados neste domingo.

Os dados revelam também mais 1081 pessoas dadas como recuperadas, o que faz aumentar em 756 o número de casos ativos no país – agora num total de 38 730.

Os óbitos ocorreram nas regiões de Lisboa e Vale do Tejo (10) e no Norte (nove). Foi também o Norte que registou o maior aumento de novos casos: 1166. A região LVT conta mais 385 e a região Centro mais 231.

No Alentejo, foram registados mais 35 doentes com COVID-19, no Algarve mais 28, na Madeira mais oito e nos Açores mais um.

Olhando para as faixas etárias, neste domingo foi a que se situa entre os 40 e os 49 anos a mais afetada, com mais 345 casos do que no sábado. Segue-se a faixa 20-29, com mais 316.

Relativamente aos óbitos, cinco ocorreram na faixa 60-69, seis na faixa 70-79 e oito na faixa dos 80 e mais anos.

Nesta altura, há 1086 pessoas internadas (mais 72 do que no sábado) e 155 em unidades de cuidados intensivos (mais sete)."

17 de outubro

DGS 

PORTUGAL: Rádio Renascença [13h39] | Mais recuperados: quase 2000. "Nas últimas 24 horas, as autoridades de saúde registaram mais 2153 novas infeções de COVID-19 e mais 13 óbitos associados à doença. É o que revela o mais recente boletim epidemiológico da Direção-Geral de Saúde (DGS).

Contudo, este sábado regista também um grande número de pessoas dadas como recuperadas: mais 1853 do que na sexta-feira. É o número diário mais alto desde 24 de maio, dia em que foram registados 9844 casos de recuperação. No total, desde que a pandemia chegou ao país, 57 919 pessoas tiveram alta. 

Neste sábado, há também menos uma pessoa internada, mas mais quatro nos cuidados intensivos.

Neste momento, Portugal conta 37 974 casos ativos, dos quais 287 foram acrescentados nas últimas 24 horas.

Do número de novos casos e de óbitos divulgados neste sábado, o Norte é a região mais afetada: tem mais 1124 infeções pelo novo coronavírus e mais seis mortes.

Segue-se a região de Lisboa e Vale do Tejo (LVT), com mais 781 infeções e cinco óbitos, o Algarve (mais 47 casos e uma morte) e o Alentejo (46 novos casos e uma morte).

A região Centro não registou qualquer aumento nas últimas 24 horas.

Nas regiões autónomas, os Açores registaram sete novos casos e a Madeira três. Nenhum dos arquipélagos têm mais óbitos associados ao novo coronavírus."

16 de outubro

Boletim DGS 16 de outubro

PORTUGAL: Rádio Renascença [13h01] | Novo recorde: mais 2608 novos casos de infeção. "Portugal regista mais 2608 casos e 21 mortes por COVID-19 no espaço de um dia, avança esta sexta-feira a Direção-Geral da Saúde (DGS). Trata-se de um novo máximo, que supera o recorde verificado na quinta-feira.

De acordo com o mais recente boletim epidemiológico, o país contabiliza mais de duas mil infeções pelo terceiro dia consecutivo. Desde a chegada da pandemia no final de fevereiro, Portugal regista 2149 mortes e 95 902 casos da doença.

Há agora um total de 1015 pessoas internadas nos hospitais portugueses, são mais 22 em relação a quinta-feira.

Em unidades de cuidados intensivos estão 144 pessoas com COVID-19, um aumento de cinco em 24 hora, indica a DGS.

Há agora mais 1602 casos ativos da doença, num total de 37 687, indica a Direção-Geral da Saúde.

Em relação aos recuperados, 985 pessoas ficaram livres da COVID-19 no último dia, indica a DGS.

O Norte do país continua a ser a região com mais casos diários (51,7%). Esta quinta-feira tem 1350 novas infeções e dez mortes.

Lisboa e Vale do Tejo regista mais 725 casos de COVID-19 (27,8%) e nove óbitos.

A região Centro regista mais 323 casos, o Alentejo 150, o Algarve 44, Açores quatro e Madeira 12."

15 de outubro

Boletim DGS 15 de outubro

PORTUGAL: TVI24 [14h46] | Mais 2101 novos casos de infeção e 588 recuperados. "Portugal regista mais 2101 casos de COVID-19, um novo máximo diário, e mais 11 mortes pelo novo coronavírus.

A região Norte volta a ser aquela em que um maior número de infetados nas últimas 24 horas foi registado, com mais metade do total do país: 1146 casos para se ser exato.

A seguir, Lisboa e Vale do Tejo com 733, seguindo-se a região Centro com 163 novas infeções. O Alentejo regista 40, o Algarve 13 e as Regiões Autónomas seis: cinco na Madeira, uma nos Açores.

As zonas insulares não registaram qualquer óbito, sendo que, nesse item, Lisboa e Vale do Tejo teve sete das onze verificadas. Norte e Centro tiveram duas cada.

Quanto a recuperados, há mais 588, mas os internamentos continuam a subir: mais 36 pessoas, quatro delas em cuidados intensivos."

14 de outubro

DGS Boletim 14 de outubro

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h42] | País ultrapassa pela primeira vez a barreira dos 2 mil casos. "Portugal registou nas últimas 24 horas um recorde de 2072 casos de COVID-19 e sete mortes, avança a Direção-Geral da Saúde.

Desde a chegada da pandemia ao país, no final de fevereiro, estão confirmados um total acumulado de 91 193 casos e 2117 óbitos.

Estão internados nos hospitais portugueses 957 doentes com COVID-19, mais 41 em relação ao dia anterior. Há mais três pessoas em unidades de cuidados intensivos, num total de 135.

Portugal tem nesta altura 34 583 casos ativos do novo coronavírus, uma subida de 1619 em relação ao balanço anterior.

Os contactos de vigilância são agora 50 544, mais 253 em comparação com os dados de terça-feira.

Em relação aos doentes recuperados, 446 ficaram livres da doença nas últimas 24 horas.

O Norte é a região com maior aumento de casos nesta quarta-feira: são mais 1001 infeções e três mortes. Lisboa e Vale do Tejo (LVT) tem mais 802 casos e quatro óbitos, seguido da região Centro com 172 casos, do Alentejo com 47, do Algarve com 42, Açores com cinco e Madeira com três.

O recorde diário de casos é registado no dia em que o Governo passou todo o país de situação de contingência para o estado de calamidade.

O Governo aprovou esta quarta-feira oito novas medidas e restrições para conter a pandemia de COVID-19, anuncia o primeiro-ministro, António Costa. Entre elas estão a proibição de ajuntamentos de cinco pessoas, obrigatoriedade do uso da máscara e da app StayAway Covid, restrições aos casamentos e agravamento de coimas para pessoas coletivas."

António Costa

PORTUGAL: SOL [13h29] | Estado de calamidade vai ser ativado em todo o país. "O primeiro-ministro anunciou, esta quarta-feira, que Portugal vai elevar o estado de alerta, em todo o território continental, passado do estado de contingência, atualmente em vigor, para o estado de calamidade.

A decisão foi tomada em sede do Conselho de Ministros. 'Infelizmente, Portugal não é exceção e podemos classificar a evolução da pandemia no nosso país como uma evolução grave', afirmou o primeiro-ministro, António Costa, após a reunião do Governo.

O novo nível de alerta entra em vigor partir das 24 horas desta quarta-feira, com novas medidas mais restritas.

Entre as novas medidas estão a diminuição do número de pessoas permitidas em eventos de natureza familiar, como casamentos e batizados, que passam a ter um máximo de 50 participantes, a proibição de festejos académicos e atividades de carácter não letivo ou científico nas universidades e politécnicos, limitação de ajuntamentos na via pública a cinco pessoas.

O Governo quer impor o uso de máscara na rua (será mesmo apresentada à Assembleia da República uma proposta de lei em que se solicita a imposição da obrigatoriedade do uso de máscara na via pública) assim como a utilização da app Stayaway Covid, em contexto laboral, escolar e académico, nas Forças Armadas e Forças de Segurança e no conjunto da Administração Pública.

O Governo garante ainda um reforço das ações de fiscalização pelas forças de segurança e pela ASAE, quer na via pública quer nos estabelecimentos comerciais."

13 de outubro

Boletim DGS

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h03] | Mais 1208 novos casos de infeção. "O boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) revela que, nas últimas 24 horas, registaram-se mais 16 mortos e 1208 infetados com COVID-19 em Portugal. Há neste momento quase 33 mil casos ativos da doença no país (32 964).

Na leitura destes números, esta terça-feira é o dia que regista maior número de vítimas mortais, desde 20 de maio. O dia com mais mortos por COVID-19, 37, aconteceu no dia 3 de abril.

Destes 16 mortos, 10 registaram-se em Lisboa e Vale do Tejo, um na zona Centro e cinco no Norte. No que diz respeito à distribuição etária, 11 mortes foram acima dos 80 anos, quatro na faixa entre os 70 e os 79 anos e uma entre os 60 e os 69.

O documento refere ainda que estão 916 pessoas internadas nos serviços hospitalares (mais 39 do que ontem), das quais 132 em unidades de cuidados intensivos (mais quatro do que ontem).

Desde o início da pandemia, Portugal registou 89 121 casos da doença, dos quais 2110 acabaram por morrer e 54 047 estão recuperados."

12 de outubro

Boletim DGS 12 de outubro

PORTUGAL: Rádio Renascença [13h05] | Mais 1249 novos casos de infeção e 311 recuperados. Portugal regista mais 1249 casos e 14 mortes por COVID-19 nas últimas 24 horas, avança o boletim epidemiológico divulgado esta segunda-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde o início da pandemia, as autoridades de saúde nacionais confirmaram um total de 2094 óbitos e 87 913 infeções pelo novo coronavírus.

Há nesta segunda-feira 877 pessoas internadas nos hospitais portugueses com COVID-19, mais 34 em comparação com o balanço anterior.

Em unidades de cuidados intensivos estão 128 doentes com o novo coronavírus. São mais quatro em 24 horas, numa altura em que os hospitais portugueses começam a sentir a pressão do aumento do número de casos.

Portugal soma mais 924 casos ativos, num total de 32 321, e há 48 844 pessoas em contactos de vigilância, um aumento de 431.

Em relação aos dados dos recuperados da COVID-19, um total de 311 pessoas ficaram livres da doença nas últimas 24 horas."

11 de outubro

Boletim DGS

PORTUGAL: RTP [13h21] "Portugal com 1090 novos casos e 13 mortes nas últimas 24 horas. Portugal registou, nas últimas 24 horas, mais 1090 casos de infeção pelo novo coronavírus, elevando para 86 664 o total acumulado desde o início da pandemia no país. Foram ainda contabilizados 13 novos óbitos no último dia, para um total de 2080.

Dos novos casos detetados, 625 estão na região Norte, 82 no Centro, 329 em Lisboa e Vale do Tejo, sete no Alentejo, 43 no Algarve e cinco na Madeira.

Foram dadas como recuperadas da doença mais 384 pessoas no último dia, passando o total acumulado para 5 3187.

Há hoje mais 12 pessoas internadas em hospitais do país, num total de 843. Mais duas estão em unidades de cuidados intensivos, elevando para 124 o total."

10 de outubro

Boletim DGS

PORTUGAL: TVI24 [14h18] | Mais 1646 novos casos de infeção, o pior dia desde o início da pandemia. "Portugal regista mais 1646 casos e cinco mortes por COVID-19 nas últimas 24 horas, revela o relatório de situação da Direção-Geral da Saúde divulgado este sábado.

Desde o início da pandemia, em março, este é o maior número de casos de infeção. O segundo maior registo aconteceu a 10 de abril, com 1516, e o segundo mais recentemente, nesta sexta-feira, com 1394 novos casos.

Portugal já registou 2067 mortes e 85 574 casos de infeção, estando hoje ativos 30 704 casos, mais 1002 do que na sexta-feira.

Segundo a DGS, há 831 doentes internados, mais 20 do que no dia anterior, e 122 em cuidados intensivos, menos três do que no boletim da passada sexta-feira.

Em relação aos doentes recuperados, há mais 639, 52 803 no total, e 47 602 contactos em vigilância, menos 119 do que no dia anterior."

9 de outubro

PORTUGAL: Correio da Manhã [13h54] | De 2500 para 19 600 testes. "'Passámos de uma média de 2500 testes por dia em março para 19 600 testes por dia no mês de outubro'", avançou a ministra da Saúde, Marta Temido, sobre a evolução da testagem feita em Portugal desde o início da pandemia. 'No dia 7 de outubro foi batido um novo recorde no número de testes diários, tendo sido reportados 28 392 testes. Desses, quase 8% foram positivos (...) Este é um sinal de alerta', confirmou."

Relatório DGS 9 de outubro

PORTUGAL: TVI24 [13h57] | Mais 1394 novos casos de infeção. "Portugal passou de 82 534 para 83 928 casos de COVID-19 e de 2050 para 2062 mortes, de acordo com os dados desta sexta-feira, do boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Nas últimas 24 horas, os dados oficiais apontam para mais 12 mortes e mais 1394 casos.

É o segundo dia com mais casos desde o início da pandemia em Portugal. Até agora só tinha havido um dia com mais casos: 10 de abril, que tem o recorde de 1516 infetados.

Oito das mortes foram registadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, três no Norte e uma no Centro. Por género, faleceram mais dez mulheres e dois homens.

Dos novos casos, o Norte foi a região que mais ocorrências novas registou: mais 689, correspondentes a 49,4 por cento dos novos casos. Em Lisboa e Vale do Tejo há mais 559 casos, no Centro 96, no Algarve 31, no Alentejo mais 11, na Madeira cinco e nos Açores três.

Há mais 647 pessoas dadas como recuperadas (52 164), mas o número de casos ativos volta a atingir um novo máximo: 29 702.

Há mais dez pessoas internadas (811) e mais dez nos cuidados intensivos (125)."

8 de outubro

Boletim DGS 8 de outubro

PORTUGAL: Rádio Renascença [13h17] | "Mais 1278 novos casos de infeção. É o segundo pior dia desde o início da pandemia." "Portugal regista mais dez mortes e 1278 casos de COVID-19 nas últimas 24 horas, indica o boletim epidemiológico divulgado esta quinta-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

É o segundo dia com maior número de novas infeções desde a chegada da pandemia ao país. Já tinham sido registados 1516 casos positivos, a 10 de abril, mas esse número deveu-se à inclusão de notificações de dias anteriores.

Desde a chegada da pandemia, no final do mês de fevereiro, foram diagnosticadas 82 534 infeções pelo novo coronavírus. O número total de vítimas mortais aumenta para 2050 até esta quinta-feira, avança a DGS.

Nos hospitais portugueses estão internadas 801 pessoas com COVID-19, são mais 37 em comparação com o balanço do dia anterior.

O número de internados nos cuidados intensivos é agora de 115, um aumento de 11 em 24 horas.

Portugal tem mais 788 casos ativos de COVID-19, num total de 28 967.

O boletim desta quarta-feira regista uma subida dos contactos em vigilância. São mais 159 pessoas em comparação com o dia anterior, num total de 46 182.

Em relação aos recuperados, mais 480 pessoas estão agora livres da doença.

Numa análise por regiões, o Norte regista 642 novos casos e cinco mortes, seguido de Lisboa e Vale do Tejo (LVT) com mais 482 casos e três mortes.

O Centro tem mais 101 casos e duas mortes, o Algarve mais 30 infeções, o Alentejo nove casos, a Madeira mais 10 e os Açores mais quatro."

7 de outubro

Boletim DGS 7 de outubro SL Benfica

PORTUGAL: TVI 24 [15h00] | Números oficiais do dia. Portugal registou, nesta quarta-feira, mais oito mortos e 944 infetados por COVID-19, de acordo com o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Cinco dos óbitos registaram-se em Lisboa e Vale do Tejo e os restantes nas regiões do Norte, Centro e Algarve. A região de Lisboa continua a ser a mais afetada pela doença, com 52% dos novos casos diários (494), seguida do Norte, com 37,8% (356).

O número de internamentos também continua a subir, com mais 32 doentes hospitalizados, elevando o total para 764. Já os doentes em cuidados intensivos mantêm-se os mesmos 104. Neste momento, Portugal tem 28 179 casos ativos, mais 611 que na véspera. Nas últimas 24 horas há mais 325 doentes recuperados, num total de 51 037. Desde o início da pandemia já se registaram 2040 mortos e 81 256 infetados.

6 de outubro

Boletim DGS 6 de outubro

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h04] | Mais 427 novos casos de infeção e mais 258 recuperados. "Portugal regista mais 14 mortes e 427 casos de COVID-19 nas últimas 24 horas, indica o boletim epidemiológico divulgado esta terça-feira da Direção-Geral da Saúde (DGS).

O país ultrapassa os 80 mil casos confirmados desde a chegada da pandemia. Desde o final do mês de fevereiro, foram diagnosticadas 80 312 infeções pelo novo coronavírus.

O número total de vítimas mortais aumenta para 2032 até esta terça-feira, avança a DGS.

Nos hospitais portugueses estão internadas 732 pessoas com COVID-19, são mais 31 em comparação com o balanço do dia anterior.

Cento e quatro doentes estão em cuidados intensivos, uma redução de duas pessoas nas últimas 24 horas.

Portugal tem mais 155 casos ativos de COVID-19, num total de 27 568, e mais de 46 mil em vigilância, uma subida de 165 desde segunda-feira.

Em relação aos recuperados, mais 258 pessoas estão agora livres da doença.

Numa análise por regiões, o Norte regista um aumento de 231 casos e três mortes, seguida de Lisboa e Vale do Tejo (LVT) com 131 casos e uma dezena de óbitos."

5 de outubro

Boletim DGS 5 de outubro

PORTUGAL: TVI24 [14h16] | Mais 734 novos casos de infeção e 247 recuperados. "Portugal registou nas últimas 24 horas mais 13 mortos e 734 infetados, de acordo com o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS).

A maior parte dos óbitos (7) ocorreu na região de Lisboa, enquanto os restantes foram contabilizados no Norte (3), Centro (2) e Alentejo (1).

Lisboa e Vale do Tejo continua a ser a região mais afetada pela doença, com 48,5% dos novos casos diários (mais 356), logo seguida do Norte, com 40,5% (mais 298).

Desde o início da pandemia, Portugal totaliza 2018 mortes e 79 885 casos positivos, dos quais 27 413 estão ativos, ou seja, mais 474 do que no domingo.

Relativamente ao dia anterior há, ainda, mais 19 doentes internados (701), um dos quais nos cuidados intensivos (106).

O número de doentes recuperados continua a subir, totalizando 50 454 (mais 247)."

4 de outubro

Boletim DGS 4 de outubro

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h14] | Mais 904 novos casos de infeção e 362 recuperados. "Portugal ultrapassou este domingo as duas mil mortes por COVID-19, há agora 2005 óbitos pela doença. Este foi o pior fim de semana desde que a pandemia chegou ao país com quase dois mil novos casos de infeção em dois dias, e 22 mortes.

Nas últimas 24 horas, as autoridades de saúde registaram mais 904 pessoas infetadas com o novo coronavírus e mais dez óbitos associados à doença.

Trata-se do quarto dia com mais casos de infeções desde a chegada da COVID-19 a Portugal.

O maior aumento ocorreu na região Norte: mais 490 infeções identificadas. Segue-se Lisboa e Vale do Tejo (LVT) (mais 316), o Centro (69), o Algarve (15), o Alentejo (11), os Açores (2) e a Madeira (1). O número de casos ativos também aumentou (mais 532).

Registam-se mais 362 casos recuperados da doença, o maior número desde o dia 23 de julho (quando se registaram 370)."

Boletim DGS 4 de outubro

3 de outubro

Boletim DGS

PORTUGAL: TVI24 [14h38] | Mais 963 novos casos de infeção, o número mais alto desde 31 de março. "Portugal contabiliza este sábado mais 12 óbitos relacionados com a COVID-19 e 963 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Este é o número mais alto desde 31 de março, altura em que foram registados 1035 casos e é o terceiro mais elevado desde o início da pandemia.

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 1995 mortes e 78 247 casos de infeção, estando hoje ativos 26 407 casos, mais do 465 que na sexta-feira.

A DGS indica que, das 12 mortes registadas, seis ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo, onde também se verifica o maior número de infeções, três na região Norte, duas na região Centro e uma no Alentejo.

Relativamente aos internamentos hospitalares, o boletim revela que nas últimas 24 horas há menos 14 internados em enfermarias e menos um nos cuidados intensivos relativamente a sexta-feira.

No total, há 668 doentes internados em enfermaria e 106 em Unidades de Cuidados Intensivos, de acordo com o relatório da situação epidemiológica da COVID-19 em Portugal."

2 de outubro

Boletim DGS

PORTUGAL: Rádio Renascença [13h42] | Mais 888 novos casos de infeção e 422 recuperados. "Portugal registou nas últimas 24 horas mais seis mortes e 888 casos de COVID-19, indica o boletim epidemiológico divulgado esta sexta-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde a chegada da pandemia, o país soma um total de 1983 óbitos e 77 284 casos confirmados do novo coronavírus.

O número de doentes internados com COVID-19 nos hospitais portugueses mantém-se em 682. Em cuidados intensivos estão 107 pessoas. É a primeira vez, desde 19 de março, que o número de internados em enfermaria e cuidados intensivos se mantém inalterado de um dia para o outro.

Portugal tem nesta altura 25 942 casos ativos, um aumento de 460 em relação ao último balanço da DGS.

As autoridades de saúde têm um total de 45 613 pessoas em vigilância, são mais 429 no espaço de um dia.

Em relação aos dados dos doentes recuperados, 422 pessoas ficaram livres da COVID-19 nas últimas 24 horas.

Por regiões, Lisboa e Vale do Tejo (LVT) registou mais 381 casos e cinco mortes nas últimas 24 horas, seguida do Norte com 363 infeções e um óbito.

A região Centro tem mais 82 casos, o Alentejo dois, o Algarve 50, enquanto Açores e Madeira têm mais cinco doentes, cada."

1 de outubro

FUTEBOL: Página oficial da FPF [18h00] | "UEFA permite público nos jogos das suas competições." "A UEFA anunciou esta quinta-feira que os jogos das competições de futebol sob a sua alçada vão poder voltar a contar com público nas bancadas. A decisão foi tomada após um teste-piloto bem-sucedido na Supertaça Europeia, disputada em Budapeste, no passado dia 24 de setembro, entre o Bayern de Munique e o Sevilha, que contou com 30% da lotação do estádio preenchida.

Com um limite máximo de 30% da lotação dos estádios, esta permissão está sujeita a aprovação das autoridades de saúde locais/nacionais, sendo que a decisão destas será soberana. Na eventualidade de, no país, estar estabelecido um limite menor da lotação ou a não-aprovação de público nas bancadas, prevalece a decisão das autoridades de saúde nacionais.

Esta lotação será apenas preenchida por adeptos da equipa da casa, de forma a precaver constrangimentos nas viagens e minimizar riscos de propagação da pandemia da COVID-19.

Além destas decisões, o Comité Médico da UEFA elaborou um documento que será entregue às federações e aos clubes e que visa definir os requisitos mínimos a serem implementados para um regresso organizado e seguro dos adeptos aos estádios.

No que diz respeito às competições de futsal, estas ficam, para já, excluídas desta decisão, permanecendo sem público nas bancadas."

Boletim DGS 1 de outubro

PORTUGAL: TVI24 [14h20] | Mais 854 novos casos de infeção. "Portugal registou, esta quinta-feira, mais seis mortes e 854 novos casos de COVID-19. De acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), os dados das últimas 24 horas elevam o total de óbitos no país para 1977 e o número de infetados com o novo coronavírus para 76 396, estando hoje ativos 25 482 casos, mais 441 do que na quarta-feira.

A DGS indica que das seis mortes registadas, cinco ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo, onde também se verifica o maior número de infeções, e uma na região Norte.

Relativamente aos internamentos hospitalares, o boletim revela que estão internadas 682 pessoas (mais 16 em relação a quarta-feira). Em cuidados intensivos estão 107 pessoas (mais duas).

O boletim refere ainda que as autoridades de saúde têm em vigilância 45 184 contactos, mais 426 em relação a quarta-feira, e que foram dados como recuperados nas últimas 24 horas 407 doentes."

30 de setembro

Graça Freitas DGS 30 de setembro

PORTUGAL: Renascença [15h30] | "Público nos jogos da seleção 'são testes para avaliar comportamento'".Graça Freitas esclareceu que os jogos da seleção nacional com público nas bancadas, nos próximos dias 7 e 14 de outubro, contra Espanha e Suécia, respetivamente, são "projetos piloto" para o regresso dos adeptos aos estádios nas restantes competições. Em conferência de imprensa de atualização dos dados da pandemia COVID-19 em Portugal, a Diretora-Geral da Saúde explicou que o regresso dos adeptos aos estádios está dependente do comportamento do público nestes dois jogos.

"Vamos fazer estes dois projetos piloto. Vamos testar e experimentar para ver se resulta. Vamos ver o comportamento à chegada e saída e testar os circuitos. É um teste para perceber comportamento das pessoas. É uma evolução natural. Depois vamos ver, a avaliação será importantíssima. Não há conclusões antes dos projetos", explanou.

Marta Temido, ministra da Saúde, fez questão ainda de esclarecer que a presença de mil adeptos no jogo entre Santa Clara e Gil Vicente, neste fim de semana, foi da responsabilidade da Secretaria Regional de Saúde dos Açores, com autonomia própria. "A questão do Santa Clara não nos é dirigida. O jogo envolve uma equipa dos Açores e realiza-se na Região Autónoma dos Açores e isso insere-se na esfera de decisão regional", termina.

Boletim DGS 30 de setembro

PORTUGAL: TVI 24 [14h45] | Números oficiais do dia. Portugal registou esta quarta-feira mais oito mortes e 825 novos casos de COVID-19. De acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), os dados das últimas 24 horas elevam o total de mortes no país para 1971 e 75 542 infeções pelo novo coronavírus. A DGS indica que das oito mortes registadas, seis ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo, onde também se verifica o maior número de infeções, e duas na região Centro.

29 de setembro

Relatório DGS

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h02] | Mais 688 novos casos de infeção. "Desde o início da pandemia, Portugal regista 74 717 casos confirmados da doença, dos quais 1963 acabaram por morrer. Portugal regista mais seis mortos e 688 infetados com COVID-19.

De acordo com o relatório da Direção-Geral da Saúde, foram também ultrapassados os 48 mil casos de doentes recuperados (48 193).

O documento indica ainda um aumento de mais duas pessoas internadas (661), das quais 99 em cuidados intensivos (mais uma).

As vítimas mortais registam-se cinco em Lisboa e Vale do Tejo e uma na zona Centro. A maioria das vítimas mortais tinha mais de 80 anos, apenas uma tinha entre os 70 e os 79 anos de idade.

Dos 688 novos casos agora diagnosticados, 478 são em Lisboa e Vale do Tejo, 160 no Norte, 22 no Algarve, 16 no Centro e 5 no Alentejo.

No total, o relatório da DGS indica que há agora 24 561 casos ativos da doença. Desde o início da pandemia, Portugal regista 74 717 casos confirmados, dos quais 1963 acabaram por morrer."

28 de setembro

Boletim DGS 28 de setembro

PORTUGAL: TVI24 [13h29] | Mais 425 novos casos de infeção e 237 recuperados. "Portugal contabiliza esta segunda-feira mais quatro mortos relacionados com a COVID-19 e 425 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 1957 mortes e 74 029 casos de infeção, estando hoje ativos 24 188 casos, mais 184 do que no dia anterior.

A DGS indica que das quatro mortes registadas, três ocorreram na região Norte e uma em Lisboa e Vale do Tejo, onde também se verifica o maior número de infeções.

O documento dá ainda conta que há mais 237 pessoas recuperadas.

Já o número total de pessoas internadas subiu para 659, mais 24 do que ontem. Nos cuidados intensivos estão mais nove pessoas num total de 98."

27 de setembro

boletim

PORTUGAL: Lusa [15h00] Números oficiais do dia. "Portugal contabiliza hoje mais nove mortos relacionados com a COVID-19 e 665 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Desde o início da pandemia Portugal já registou 1953 mortes e 73 604 casos de infeção, estando hoje ativos 24 004 casos, mais 389 do que no dia anterior. A DGS indica que das nove mortes registadas, cinco ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo, onde também se verifica o maior número de infeções, duas na região norte e outras duas no centro do país."

26 de setembro

Relatório Covid-19 26 setembro

PORTUGAL: RTPN [14h25] | "Mais oito mortos e 884 casos confirmados em Portugal. Nas últimas 24 horas registaram-se em Portugal mais 8 óbitos e 884 casos confirmados de COVID-19. No total, o país regista 1944 mortos e 72.939 casos confirmados desde o início da pandemia.
 
Quanto ao número de casos recuperados, há agora mais 377, num total de 47.380 casos recuperados no país. O número de casos ativos é agora de 23.615, mais 499 do que ontem [sexta-feira].
 
Há nesta altura 615 pessoas internadas com Covid (menos nove do que ontem), das quais 85 nos cuidados intensivos (menos uma).
 
A região de Lisboa e Vale do Tejo foi a que registou maior número de casos e óbitos nas últimas 24 horas: morreram seis pessoas e mais 472 ficaram infetadas. Na região Norte registou-se um óbito e 292 novos casos. Já na região Centro houve registo de um óbito e 62 novos casos.
 
Segue-se a região do Algarve, com 30 novos casos e o Alentejo, com mais 20 casos. Açores e Madeira registaram, respetivamente, mais cinco e três novos casos do novo coronavírus."

25 de setembro

Boletim DGS

Portugal: JN [14H16]. Mais cinco mortos e 899 novos casos por covid-19 em Portugal. Há mais cinco mortes associadas à covid-19 e 899 novas infeções, esta sexta-feira. Desde 10 de abril, dia em que foram registados 1516 novos casos, que Portugal não registava um aumento tão substancial de novos infetados.

No total, morreram 1 936 pessoas com o novo coronavírus desde o início da pandemia no nosso país. Mais de 72 mil pessoas (72 055) foram diagnosticadas com a covid-19 desde março, altura em que foi registado o primeiro caso em Portugal

Esta sexta-feira, nas últimas 24 horas, 327 pessoas recuperaram da doença, perfazendo um total de 47 003 doentes recuperados. Neste momento, há 23 116 casos ativos em Portugal - mais 567 do que no dia anterior.

O número de doentes internados registou também um aumento face a quinta-feira. Hoje, há mais 36 pessoas internadas com covid-19 (ontem foram mais 17) e mais uma pessoa nos cuidados intensivos (86 no total)

Das cinco vítimas mortais registadas esta sexta-feira, três foram contabilizadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, uma era do Norte e uma residia no Centro. As mortes correspondem a duas mulheres e dois homens com mais de 80 anos e uma mulher com idade entre os 70 e os 79 anos.

O número de novos casos registado foi mais elevado em Lisboa (mais 505), enquanto no Norte foram contabilizados mais 263 infetados. O Centro tem mais 52 doentes, o Alentejo mais 30, o Algarve mais 47 e os Açores têm mais duas pessoas infetadas. Apenas a Madeira não registou nenhum caso esta sexta-feira.

24 de setembro

Boletim DGS 24 de setembro

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h16] | Mais 691 novos casos de infeção e 386 recuperados. "Foram registados mais 691 casos e três mortes por COVID-19 em Portugal nas últimas 24 horas, indica o boletim epidemiológico divulgado esta quinta-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Portugal conta agora com 1931 óbitos provocados pelo novo coronavírus e um total de 77 156 infeções confirmadas desde a chegada da pandemia ao país, no início de março.

Há mais 17 pessoas internadas com COVID-19 nos hospitais portugueses, num total de 588. Um total de 85 doentes estão nos cuidados intensivos, são mais oito em comparação com o dia de ontem.

Existem mais de 22 500 casos ativos da doença em Portugal, um aumento de 302 em relação ao balanço anterior.

A boa notícia é que 386 doentes foram dados como recuperados da doença nas últimas 24 horas.

As autoridades de saúde têm 41 696 pessoas em vigilância, mais 931 em relação ao dia anterior."

Assembleia da República

PORTUGAL: Diário de Notícias [13h17] "Governo prolonga situação de contingência em Portugal Continental até às 23:59 de 14 de outubro." "O Conselho de Ministros decidiu esta quinta-feira prorrogar a vigência da situação de contingência em Portugal Continental até às 23h59 de 14 de outubro face a um quadro de aumento de casos de COVID-19 nas últimas cinco semanas.

A decisão do Governo foi anunciada pela ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, adiantando que a situação de contingência em Portugal continental será reavaliada pelo executivo dentro de duas semanas, então já com uma análise mais aprofundada sobre o impacto das primeiras semanas de aulas nas escolas.

Na sequência da evolução da situação epidemiológica da COVID-19 em Portugal, em Conselho de Ministros realizado no passado dia 10, o Governo decidiu declarar a situação de contingência em todos o território nacional continental.

Essa resolução a declarar a situação de contingência, com a fixação de regras de proteção individual e coletiva dos cidadãos, entrou em vigor às 00h00 do dia 15 de setembro e prolonga-se às 23h50 de 30 deste mês."

23 de setembro

DGS Relatório 23 de setembro

PORTUGAL: Rádio Renascença [13h17] | Mais 802 novos casos de infeção e mais 483 recuperados. "Foram registados mais 802 casos e três mortes por COVID-19 em Portugal nas últimas 24 horas, indica o boletim epidemiológico divulgado esta quarta-feira pela Direção-Geral da Saúde.

Portugal conta agora com 1928 óbitos provocados pelo novo coronavírus e um total de 70 465 infeções confirmadas desde a chegada da pandemia ao país, no início de março.

Há 571 pessoas internadas, mais 25 em relação ao dia anterior. 77 estão em cuidados intensivos, um aumento de sete doentes.

De acordo com os dados desta quarta-feira, o número de casos ativos é de 22 247, um aumento de 483.

As autoridades de saúde têm 40 765 em vigilância, são mais 347 pessoas em relação ao dia anterior.

Um total de 483 pessoas recuperaram da doença em comparação com o último balanço.

Numa análise por regiões, Lisboa e Vale do Tejo regista esta quarta-feira 437 novos casos e três óbitos, todos em pacientes com mais de 80 anos.

A região Norte soma 240 casos, o Centro 73, o Algarve 28, o Alentejo 19, Açores mais três e Madeira mais duas infeções.

De acordo com a ministra da Saúde, Marta Temido, há 295 surtos ativos em Portugal."

22 de setembro

Relatório DGS 22 de setembro

PORTUGAL: TVI 24 [14h11] | Mais 463 novos casos de infeção e mais 238 recuperados. "Portugal registou esta terça-feira mais cinco mortes e 463 infetados com COVID-19, de acordo com o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS).

O número total de óbitos subiu para 1925, enquanto já foram confirmados 69 663 casos de infeção.

Há mais 238 doentes recuperados, elevando o total para 45 974, e o número de internados subiu de forma substancial. São agora 546 os doentes que precisam de cuidados hospitalares (mais 28), dos quais 70 estão em unidades de cuidados intensivos (mais nove)."

21 de setembro

Boletim DGS

PORTUGAL: Rádio Renascença [13h48] | Mais 623 novos casos de infeção. "O boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) aponta para mais oito mortos e 623 infetados com COVID-19.

No total, Portugal tem neste momento 21 544 casos ativos da doença (mais 475 do que nas últimas 24 horas). É o maior número de casos ativos dos últimos quatro meses, altura em que a DGS adotou uma mudança de critério na definição dos recuperados.

Desde dia 24 de maio, é tido como curado qualquer doente infetado com COVID-19 que, estando em isolamento em casa e não apresentando sintomas, realize um teste negativo ao fim de 14 dias da infeção – dispensado da realização de um segundo teste, que era obrigatória até então.

De acordo com o documento, 70% dos novos casos registaram-se em Lisboa e Vale do Tejo.

Já quanto às oito vítimas mortais, três foram em Lisboa e Vale do Tejo, uma no Centro e quatro no Norte. Metade dos casos mortais (quatro) dizem respeito a pessoas com mais de 80 anos, três entre os 70 e os 79 anos e uma vítima mortal entre os 60 e os 69 anos.

Desde o início da pandemia, as autoridades de saúde registaram 69 200 casos da doença, dos quais 1920 morreram e 45 736 recuperaram."

20 de setembro

Boletim dgs

PORTUGAL: RTP 1 [14h08] Portugal com mais 552 casos e 13 óbitos. Nas últimas 24 horas, Portugal contabilizou 552 novos casos de Covid-19, 13 óbitos e 192 recuperados.

De acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde, dez dos óbitos foram registados em Lisboa e Vale do Tejo e três na região Norte.

A maioria dos novos casos foram registados no norte do país (273), seguido de Lisboa e Vale do Tejo, com mais 179 infeções, 35 no Alentejo, 33 no Algarve e 29 no centro.

Portugal conta agora com 511 doentes internados (mais 14 do que no dia anterior), dos quais 63 nos cuidados intensivos (menos um do que no sábado).

Há ainda a registar mais 347 casos ativos, para um total de 21 069.

Desde o início da pandemia, Portugal contabiliza 68 577 casos confirmados, 1 912 óbitos e 45 596 recuperados.

19 de setembro

Boletim DGS 19 de setembro

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h03] | Mais 849 novos casos de infeção. "Há um novo recorde de novos casos de COVID-19 em Portugal. Nas últimas 24 horas, as autoridades de saúde registaram mais 849 pessoas infetadas com o novo coronavírus e mais cinco óbitos associados à doença.

maior aumento ocorreu na região de Lisboa e Vale do Tejo (LVT): mais 439 infeções identificadas. Segue-se a região Norte (mais 288), o Centro (66), o Algarve (35), o Alentejo (16) e a Madeira (cinco).

faixa etária 50-59 é a que regista o maior aumento, com 242 novos casos.

O número de casos ativos também aumentou (mais 493).

As pessoas dadas como recuperadas protagonizam o outro recorde deste sábado: são 351, o maior número desde o dia 23 de julho (quando se registaram 370).

Quanto ao número de mortes, o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde aponta mais cinco: quatro na região Norte e uma na região LVT.

Um dos óbitos corresponde a uma pessoa na faixa etária 70-79, enquanto os restantes quatro são pessoas com mais de 80 anos de idade.

Olhando para os números absolutos, Portugal conta até agora 68 025 casos confirmados de COVID-19, dos quais 1899 não resistiram e 45 404 conseguiram recuperar."

18 de setembro

Relatório DGS 18 de setembro

PORTUGAL: SIC Notícias [14h46] | 780 novos casos de infeção. "A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou no boletim desta sexta-feira a existência de um total de 1894 mortes e 67 176 casos de COVID-19 em Portugal desde o início da pandemia.

O número de mortes subiu de 1888 para 1894, mais 6 do que na quinta-feira. Todos na região de Lisboa e Vale do Tejo.

O número de infetados aumentou de 66 396 para 67 176, mais 780 casos nas últimas 24 horas."

17 de setembro

DGS Relatório 17 de setembro

PORTUGAL: SIC Notícias [15h14] | Mais 770 casos de infeção, o valor mais alto desde 16 de abril. "A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou no boletim desta quinta-feira a existência de um total de 1978 mortes e 66 396 casos de COVID-19 em Portugal desde o início da pandemia.

O número de mortes subiu de 1878 para 1888, mais 10 do que na quarta-feira (5 na Região Norte, 2 no Centro, 2 na região de Lisboa e Vale do Tejo, 1 no Alentejo). É o número mais elevado desde 3 de julho, dia em que foram registadas 11 mortes.

O número de infetados aumentou de 65 626 para 66 396, mais 770 casos nas últimas 24 horas. É o valor mais alto desde 16 de abril, quando foram registados 750.

Em vigilância estão 37 804 contactos, mais 517 do que na quarta-feira.

Os dados indicam ainda que 480 pessoas com COVID-19 estão internadas nos hospitais (menos duas em relação a quarta-feira), das quais 59 (menos duas) em unidades de cuidados intensivos.

Nas últimas 24 horas 266 doentes recuperaram, pelo que 44 794 pessoas já superaram da infeção desde o início da pandemia em Portugal."

16 de setembro

Relatório DGS 16 setembro

PORTUGAL: Rádio Renascença [15h01] | Mais 605 novos casos de infeção. "A Direção-Geral da Saúde (DGS) registou nas últimas 24 horas mais três mortes e 605 novos casos de COVID-19 em Portugal. De acordo com o boletim diário da DGS, Portugal está neste momento com 19 220 casos ativos.

Desde o início da pandemia, as autoridades de saúde registaram 65 626 casos positivos da doença, dos quais 1878 morreram e 44 528 recuperaram. As três vítimas mortais registadas nas últimas 24 horas ocorreram em Lisboa e Vale do Tejo e todas tinham mais de 80 anos.

Os dados das últimas 24 horas representam o maior aumento na faixa etária entre os 30 e os 39 anos, com 107 infetados, e 65% dos novos casos registam-se entre os 20 e os 59 anos.

Ainda de acordo com o boletim da DGS, estão 482 pessoas internadas (mais quatro) com COVID-19 nos hospitais, das quais 61 em cuidados intensivos (mais duas).

As autoridades de saúde mantêm em vigilância 37 287 contactos, mais 332 do que na terça-feira."

15 de setembro

Boletim DGS 15 de setembro

PORTUGAL: SIC Notícias [14h05] | Mais 425 novos casos de infeção. "A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou esta terça-feira a existência de um total de 1875 mortes e 65 021 casos de COVID-19 em Portugal desde o início da pandemia.

O número de mortes subiu de 1871 para 1875 , mais 4 do que na segunda-feira. O número de infetados aumentou de 64 596 para 65 021, mais 425.

Nas últimas 24 horas registou-se mais 1 internamento, aumentando para 478 o número de pessoas com COVID-19 internadas nos hospitais, enquanto os doentes nas unidades de cuidados intensivos são menos 2, num total de 59.

De ontem para hoje recuperaram 177 doentes, pelo que 44 362 pessoas já superaram a infeção desde o início da pandemia em Portugal.

Em vigilância estão 36 955 contactos, mais 197 em relação a segunda-feira."

14 de setembro

Boletim DGS 14 de setembro

PORTUGAL: Rádio Renascença [13h42] | Mais 613 novos casos de infeção. "Nas últimas 24 horas, a Direção-Geral da Saúde registou mais quatro mortos e 613 infetados com COVID-19.

De acordo com o relatório da DGS, há neste momento 18 540 casos ativos da doença em todo o país.

O documento dá conta ainda de um aumento de 25 casos internados em unidades hospitalares. Há agora 477 pessoas internadas, 61 das quais em cuidados intensivos (mais quatro do que no domingo).

Das quatro vítimas mortais, três registaram-se no Norte e uma na região de Lisboa e Vale do Tejo."

13 de setembro

Boletim DGS

PORTUGAL: SIC Notícias [14h06] | Mais 673 novos casos de infeção. "A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou este domingo a existência de um total de 1867 mortes e 63 983 casos de COVID-19 em Portugal desde o início da pandemia.

O número de mortes subiu de 1860 para 1867, mais 7 do que no sábado (seis na região de Lisboa e uma no Norte).

O número de infetados aumentou de 63 310 para 63 983, mais 673.

Em vigilância estão 36 398 contactos, mais 343 em relação a sábado."

12 de setembro

Relatório DGS 12 de setembro

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h01] | Mais 497 novos casos de infeção e mais 250 recuperados. "Portugal regista, este sábado, mais cinco mortes e 497 novos casos de COVID-19. Há agora mais 34 internados, e mais cinco em unidades de cuidados intensivos.

Um dos óbitos devido à doença foi registado no Norte e os outros quatro na região de Lisboa e Vale do Tejo, que apresenta 49% do total de novos casos no país, secundado pelo Norte com 36%. Uma das vítimas mortais tinha entre 60-69 anos, três entre 70-79 e uma tinha mais de 80 anos.

De acordo com o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS), desde o início da pandemia já foram confirmados 63 310 casos do novo coronavírus em território nacional e 1860 morreram devido à doença.

O relatório desta sexta-feira, com dados atualizados até às 00h00 de sexta, mostra uma subida de 250 no número de recuperados, para um total de 43 894 (69% dos casos confirmados)."

11 de setembro

Relatório DGS 11 setembro

PORTUGAL: SIC Notícias [13h53] | 687, o número de novos casos mais alto desde 16 de abril. "A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou esta sexta-feira a existência de 1855 mortes e 62 813 casos de COVID-19 em Portugal desde o início da pandemia.

O número de mortes subiu de 1852 para 1855, mais 3 do que na quinta-feira (duas mortes foram registadas na região de Lisboa e Vale do Tejo e outra teve lugar na região do Algarve).

O número de infetados aumentou de 62 126 para 62 813, mais 687, o número de novos casos mais alto desde 16 de abril.

Em vigilância permanecem 35 712 contactos, mais 531 do que na quinta-feira.

Há mais 203 pessoas recuperadas da doença, totalizando 43 644.

O número de internados desceu para 404 (menos dois) e o de doentes em internamento nas Unidades de Cuidados Intensivos baixou para 54 (menos três)."

10 de setembro

Relatório DGS 10 de setembro

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h42] | Mais 585 novos casos de infeção. "O boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) regista, nas últimas 24 horas, mais três mortos e 585 infetados com COVID-19.

De acordo com o relatório, há agora mais 425 casos ativos em Portugal, sendo agora 16 833 no total.

Desde o início da pandemia, já foram confirmados 62 126 casos de COVID-19, dos quais 43 441 já recuperaram. Há a lamentar a morte de 1852 pessoas."

António Costa

PORTUGAL: TVI24 [13h54] | "COVID-19: as novas medidas de contingência." "O primeiro-ministro, António Costa, apresentou esta tarde o novo pacote de medidas de contingência aprovado pelo Conselho de Ministros [em vigor a partir da meia-noite de segunda-feira], numa altura em que, segundo referiu em conferência de imprensa, 'nas últimas semanas tem havido um crescimento sustentado da pandemia'. A saber:

  • Os ajuntamentos passam a ser limitados a 10 pessoas.

  • Estabelecimentos comerciais não podem abrir antes das 10h00, mas haverá exceções. A hora de encerramento dos estabelecimentos passa a ser entre as 20h00 e as 23h00, por decisão das câmaras municipais.

  • As áreas de restauração nos centros comerciais passam a ter um limite máximo de quatro pessoas por grupo.

  • Fica proibida a venda de bebidas alcoólicas nas estações de serviço e a partir das 20h00 em todos os estabelecimentos, com exceção dos que servem refeições. Está igualmente proibido o consumo de bebidas alcoólicas na via pública.

  • As escolas, que abrem em regime presencial entre 14 e 17 deste mês, devem adotar planos de contingência e ter desinfetantes e equipamentos de proteção individual disponíveis, seguindo, de resto, as normas da Direção-Geral da Saúde. Nos cafés e pastelarias até 300 metros das escolas, passa a haver um limite máximo de quatro pessoas por grupo de forma a evitar ajuntamentos de alunos.

  • Os recintos desportivos, conforme já tinha sido avançado esta semana, vão permanecer sem público.

  • Estarão disponíveis brigadas distritais de intervenção rápida para contenção e estabilização de surtos em lares, conforme também já tinha sido avançado pelo Executivo.

  • Nos locais de trabalho, o Governo pretende que haja equipas em espelho, com escalas de rotatividade entre teletrabalho e trabalho presencial. Pretende-se ainda o desfasamento de horários de entrada e saída, bem como de pausas e refeições."

Portugal

"Os estabelecimentos comerciais só podem abrir após as 10h00 e terão de encerrar entre as 20h00 e 23h00, conforme decisão municipal, quando na terça-feira o país entrar em situação de contingência, anunciou o primeiro-ministro.

De acordo com António Costa, haverá 'exceções' em que será possível o comércio abrir antes das 10h00, tendo avançado como exemplos 'pastelarias, cafés, cabeleireiros e ginásios'.

Quanto ao horário de encerramento dos estabelecimentos, passará a ser obrigatoriamente entre as 20h00 e as 23h00, cabendo a cada município a determinação da hora exata, 'em função da realidade específica do seu concelho'.

COVID-19

As Áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto vão ter medidas específicas, desde rotatividade entre teletrabalho e trabalho presencial ao desfasamento de horários, a partir de terça-feira, no âmbito da situação de contingência devido à COVID-19.

'Relativamente às Áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto, é necessário fazer um esforço acrescido para evitar a concentração de pessoas, quer nos transportes públicos, quer nos locais de trabalho', afirmou António Costa, recordando que o risco de incidência da COVID-19 é mais elevado nestas duas áreas metropolitanas, 'por terem maior densidade populacional'.

Além disso, o Governo aprovou, na generalidade, 'para consulta pelos parceiros sociais, um conjunto de medidas que visam a organização do trabalho em espelho', com escalas de rotatividade entre teletrabalho e trabalho presencial."

9 de setembro

PORTUGAL: TVI24 [15h07] | "Público no futebol não será certamente nos próximos tempos." "A diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, diz que o regresso do público ao futebol 'não será certamente nos próximos tempos'.

Na conferência de Imprensa sobre a COVID-19, Graça Freitas foi questionada pelos jornalistas sobre quando voltará a haver público no futebol e quando poderão reabrir as discotecas. A responsável explicou que essas duas atividades terão de ficar para um momento posterior.

'Público nos estádios e reabertura das discotecas não será certamente nos próximos tempos, temos de ver esta grande experiência que é o retorno às aulas e qual será o seu impacto nos números', disse Graça Freitas, frisando a 'grande mobilidade social' que a reabertura das escolas implica.

Já na semana passada, a diretora-geral da Saúde tinha dito que o regresso do público ao futebol teria de esperar.

Os números da COVID-19 em Portugal esta quarta-feira não são animadores. O relatório regista mais três vítimas mortais e 646 infetados, maior número de novos casos desde abril."

Relatório DGS 9 de setembro

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h05] | "Mais 646 novos casos de infeção, o maior valor desde abril." "Portugal ultrapassa, esta quarta-feira, os 61 mil casos confirmados de COVID-19, com mais 646 casos registados nas últimas 24 horas. Este é o maior aumento de casos desde 20 abril.

Há, agora, 16 408 casos ativos, mais 505 que ontem. Portugal tem mais 138 recuperados da doença, somando 43 284 recuperados. O país voltou a registar três óbitos, um na zona Norte e os restantes na Região Lisboa e Vale do Tejo (LVT).

Um dos óbitos ocorreu entre os 70-79 anos, as outras duas correspondiam a pessoas com mais de 80 anos. A COVID-19 já matou 1849 pessoas no país.

Apesar do aumento de casos, o número de internamentos verificou uma diminuição. Encontram-se, atualmente, 391 pessoas internadas, menos três que ontem. Dos internados 52 (mais dois que ontem) estão nas Unidades de Cuidados Intensivos.

O maior aumento de casos deu-se na região de LVT, registando 290 casos, com 45% dos casos. A região Norte registou 43% dos casos (276 casos), seguida da região Centro (40 casos). O Alentejo registou mais 23 casos e o Algarve mais 15. Tanto os Açores como a Madeira registaram mais um caso.

Portugal, ultrapassou, também a barreira dos 16 mil casos ativos, registando agora 16 408, mais 505 que ontem. A última vez que Portugal teve mais de 16 mil casos ativos foi a 23 de maio."

8 de setembro

Boletim Epidemiológico 8 setembro

PORTUGAL: TVI 24 [15h00] | Números oficiais do dia. Portugal regista esta terça-feira mais 388 casos de COVID-19 e três mortes, indica o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde. Nesta altura, o país tem 60 895 casos no total, mais 255 ativos, e mais 130 doentes recuperados, 43 146 no total. As três mortes foram registadas na região de Lisboa e Vale do Tejo (1) e na região Norte (2).

7 de setembro

Boletim DGS 7 de setembro COVID-19

PORTUGAL: Lusa [15h30] | Números oficiais do dia. Portugal contabiliza hoje mais três mortos e 249 novos casos de infeção relacionados com a pandemia da COVID-19, indicou a Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo o boletim epidemiológico, desde o início da pandemia Portugal registou 1843 mortes e 60 507 casos de infeção. As três mortes foram registadas na região de Lisboa e Vale do Tejo que contabiliza 31 048 casos (mais 85 casos em relação a domingo) e 686 mortos.

6 de setembro

Relatório DGS 6 de setembro

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h13] | "Ultrapassada a barreira dos 60 mil casos de COVID-19." "Portugal ultrapassou, este domingo, a barreira dos 60 mil casos de COVID-19. Ao todo, o registo é de 1840 mortes (mais duas que no sábado) e 60 258 casos confirmados (mais 315, um aumento de 0,5%) de infeção com COVID-19, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Ambas as mortes ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo, mas quase metade, 143 (45,4%), dos novos casos foram registados no Norte.

O relatório deste domingo, com dados atualizados até às 00h00 de sábado, mostra uma subida de 160 no número de recuperados, para um total de 42 953 (71,28% dos casos confirmados). O número de casos ativos sobe para 15 465 (mais 153).

A taxa de letalidade mantém-se nos 3,1%.

O relatório revela, ainda, que mais de 34 mil pessoas estão sob vigilância das autoridades sanitárias."

5 de setembro

Relatório DGS 5 de setembro

PORTUGAL: SIC Notícias [14h30] | 486 novos casos de infeção e mais 217 recuperados. "A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou este sábado a existência de 1838 mortes e 59 943 casos de COVID-19 em Portugal desde o início da pandemia.

O número de mortes subiu de 1833 para 1838, mais 5 do que na sexta-feira. Já o número de infetados aumentou de 59 457 para 59 943, mais 486.

O número de pessoas internadas é de 345, mais 6 do que ontem, e nos cuidados intensivos está mais 1 doente, num total de 41.

O número de doentes dados como recuperados de COVID-19 voltou a aumentar nas últimas 24 horas para 42 793, mais 217 do que ontem."

4 de setembro

Relatório DGS 4 de Setembro

PORTUGAL: SIC Notícias [13h34] | Mais 406 novos casos de infeção e mais 149 recuperados. "A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou esta sexta-feira a existência de 1833 mortes e 59 457 casos de COVID-19 em Portugal desde o início da pandemia.

O número de mortes subiu de 1829 para 1833, mais 4 do que na quinta-feira. Já o número de infetados aumentou de 59 051 para 59 457, mais 406.

O número de pessoas internadas é de 339, mais 5 do que ontem, e nos cuidados intensivos estão menos 4 doentes, num total de 40.

O número de doentes dados como recuperados de COVID-19 voltou a aumentar nas últimas 24 horas para 42 576, mais 149 do que na quinta-feira.

Os dados da DGS indicam que as quatro vítimas mortais foram registadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, que contabiliza 30 609 casos (mais 194) e 677 mortos."

3 de setembro

Relatório de situação DGS 3 de setembro

PORTUGAL: Rádio Renascença [15h41] | Maior aumento de casos confirmados desde 9 de julho. "A Direção-Geral da Saúde (DGS) registou nas últimas 24 horas mais dois mortos e 498 infetados com COVID-19. É o maior aumento de casos confirmados desde o dia 9 de julho.

O relatório da DGS dá conta ainda de mais 19 doentes recuperados.

De acordo com o documento, há agora 14 795 casos ativos, mais 222 do que na quarta-feira.

As duas vítimas mortais verificaram-se na região de Lisboa e Vale do Tejo, uma morte na faixa etária entres os 60 e os 69 anos e outra acima dos 80. O boletim diário da DGS indica ainda que metade dos novos casos que surgiram nas últimas 24 horas registaram-se em Lisboa e Vale do Tejo.

O número de pessoas internadas diminuiu para 334, menos três do que ontem, dos quais quatro em unidades de cuidados intensivos (mais três do que ontem)."

2 de setembro

DGS Relatório de Situação 2 de setembro

PORTUGAL: Rádio Renascença [13h42] | Mais 390 novos casos de infeção. "Nas últimas 24 horas, Portugal regista mais três mortos e 390 infetados com COVID-19.

De acordo com o boletim diário da Direção-Geral da Saúde há agora 14 573 casos ativos (mais 258 do que ontem). O Norte volta a ultrapassar Lisboa no número de novos casos, tendo sido verificado o maior aumento de casos naquela região do país desde 8 de maio.

As três vítimas mortais agora registadas ocorreram na zona de Lisboa e Vale do Tejo e têm entre 70 a 79 anos de idade.

O número de internados nos hospitais desceu para 337, menos 13 do que na terça-feira, dos quais 41 nos cuidados intensivos.

De acordo com o boletim, desde o início da pandemia registam-se 58 633 casos de infeção confirmados e 1827 mortes."

1 de setembro

Boletim DGS

PORTUGAL: SIC Notícias [13h35] | Mais 231 novos casos de infeção e mais 143 recuperados. "A Direção-Geral da Saúde anunciou nesta terça-feira a existência de 1824 mortes e 58 243 casos de COVID-19 em Portugal desde o início da pandemia.

O número de mortes subiu de 1822 para 1824, mais 2 do que na segunda-feira. Já o número de infetados aumentou de 58 012 para 58 243, mais 231.

O número de pessoas internadas é de 350, mais 1 do que ontem, e nos cuidados intensivos estão mais 3 doentes, num total de 44.

O número de doentes dados como recuperados de COVID-19 voltou a aumentar nas últimas 24 horas para 42 104, mais 143 do que na segunda-feira."

Ver todas as notícias de agosto aqui.

Ver todas as notícias de julho aqui.

Ver todas as notícias de junho aqui.

Ver todas as notícias de maio aqui.

Ver todas as notícias de abril aqui.

Ver todas as notícias de março aqui.

Texto: Márcia Dores, Filipa Fernandes Garcia, Diogo Nascimento, Sónia Antunes e Marco Rebelo

Fotos: Tuttosport / Corriere dello Sport / The Guardian / Le Figaro / Mundo Deportivo / L'Équipe / AS / La Repubblica / El País / Portugal.gov.pt / UEFA / Twitter Roland Garros / Il Messaggero / Corriere della Sera / Liga Portugal / ACP / COI / Reuters / New York Times / The Telegraph / FIFA / De Telegraaf / Público / Expresso

Última atualização: 16 de janeiro de 2021

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar