23 de outubro de 2020, 00h01

Operação "triunfo" com festival de Darwin

Futebol

O Benfica entrou na Liga Europa 2020/21 com uma vitória por 2-4 frente ao Lech Poznan, na Polónia. Passados 28 anos, um jogador das águias voltou a anotar um hat-trick fora de casa na Europa.

RESUMO DO JOGO

Com uma exibição firme perante um adversário que se afoitou e tentou discutir o resultado, o Benfica venceu no reduto do Lech Poznan por 2-4, somando os três pontos em questão na 1.ª jornada do Grupo D da Liga Europa 2020/21. Em estreia na prova, Darwin assinou um hat-trick, o primeiro de um jogador das águias fora de casa na Europa nos últimos 28 anos.

Apresentando um onze muito parecido com o que foi utilizado na recente partida ganha em Vila do Conde na Liga NOS, o Benfica teve como novidades o lateral-direito Gilberto (rendeu André Almeida, lesionado) e Taarabt (a fazer dupla com Gabriel no centro do meio-campo), descaindo Pizzi para a direita.

A equipa benfiquista depressa se instalou na metade ofensiva do terreno de jogo, cercando a grande área do Lech Poznan. Ao minuto 7, um lance bem desenhado por Grimaldo (passe de desmarcação) e Waldschmidt (cruzamento na área) terminou com um pontapé de penálti a favor das águias por braço de Dejewski na bola. O castigo máximo ficou por conta do pé direito de Pizzi, que enganou o guarda-redes Bednarek (0-1 aos 9'). Um golo dedicado a André Almeida, cuja camisola foi exibida por Pizzi junto ao banco de suplentes.

Lech Poznan-Benfica Liga Europa

A iniciativa era do Benfica, mas o Lech Poznan não se resumia à missão de tentar fechar espaços e priorizava saídas rápidas, também com passes longos a pingar nas costas da linha defensiva encarnada. Numa dessas transições, a bola entrou na direita do ataque da equipa polaca (pareceu ter ficado um fora de jogo por assinalar nesse momento, mas não há VAR nesta fase...) e o desenvolvimento da jogada redundou no empate (1-1, golo de Ishak aos 15').

Esforçado e usando o físico como principal argumento para se atrever no espaço ofensivo, o Lech Poznan dispôs de um canto à esquerda e, na sequência, Ramírez teve espaço para armar um remate picado na área, levando o esférico a bater na barra (25'). A melhor equipa, e mais incisiva, sobre o relvado era a do Benfica e o 1-2 foi anotado ao minuto 42. Começava o festival de golos de Darwin! Gabriel e Waldschmidt cozinharam a jogada no corredor central, com o alemão a endossar a bola para Gilberto no flanco direito; o lateral cruzou com precisão de ourives e Darwin elevou-se para aplicar um notável (e indefensável) golpe de cabeça.

Lech Poznan-Benfica Liga Europa

O Benfica entrou na segunda parte com Rafa no lugar de Pizzi (Otamendi assumiu a braçadeira de capitão), e foi por muito pouco que não alongou a sua vantagem ao minuto 47, mas Waldschmidt e Darwin não conseguiram concluir como se pedia na grande área. Aproveitou o Lech para, no lance seguinte, igualar o desafio, com Ishak a ser bem-sucedido numa recarga de cabeça, depois de defesa de Odysseas a remate de Kaminski (2-2 aos 48').

Apesar dos golos sofridos, a equipa encarnada nunca se desviou do objetivo e da missão que a fez viajar até território polaco. E o 2-3 nasceu ao minuto 60, com Everton a "inventar" um corredor em zona interior para solicitar Darwin na área. Feita a receção, o camisola nove executou uma finta que derreteu o defesa que lhe saiu ao caminho, atirando depois de pé direito, com categoria e convicção, para o interior da baliza. Que maravilha de lance!

Lech Poznan Benfica Liga Europa

Taarabt e Waldschmidt seriam substituídos por Weigl e Pedrinho pouco depois (62'), e no instante imediato Everton esteve para assinar o 2-4. Nova alteração no Benfica aconteceu aos 67', com Nuno Tavares a ocupar o lugar de Grimaldo.

Nesta fase do desafio, por meio de um remate de Moder e de duas ações do recém-entrado Katcharava, o Lech Poznan gerou sobressaltos na zona defensiva das águias. Mas o Benfica mantinha-se firme no seu propósito e continuou a manobrar por mais um golo, que podia ter sido apontado por Pedrinho aos 81'.

Darwin

O treinador Jorge Jesus esgotou as substituições para promover um ajuste tático aos 87': Jardel rendeu Everton, ficando a equipa a atuar com três centrais. E a olhar em frente, para a baliza do anfitrião, que haveria de visar com êxito novamente e mais uma vez por intermédio de Darwin. Aos 90'+3', o internacional uruguaio carimbou de cabeça o 2-4, valorizando o passe (assistência) de Rafa na área. Volvidos 28 anos, um jogador do Benfica voltou a rubricar um hat-trick fora de casa nas provas da UEFA (Pacheco, em 1992, fora o último a consegui-lo).

De regresso a Portugal, o Benfica volta a competir na segunda-feira (20h15), em jogo da 5.ª jornada da Liga NOS, recebendo o Belenenses SAD no Estádio da Luz.

DIAS DAS COMPRAS NA NET 2020  - BENFICA

Texto: João Sanches

Fotos: João Paulo Trindade / SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar