Judo

09 junho 2021, 18h20

Anri Egutidze

O judoca do Sport Lisboa e Benfica Anri Egutidze conquistou a primeira medalha de Portugal no Campeonato do Mundo de judo que decorre em Budapeste. O atleta ficou em 3.º lugar na categoria de -81 kg.

Inserido na poule D, o judoca, 21.º do ranking, começou por ultrapassar o macedónio Nebojsa Gardasevic, no golden score, por wazari; seguiu-se o moldavo Nicon Zaborosciuc, que perdeu para o benfiquista por ippon, após também marcar wazari; o alemão Dominic Russel (10.º do ranking) foi vencido através de ippon; e o espanhol Alfonso Urquiza perdeu com Egutidze, no golden score, por ippon. O desempenho na poule D terminou com o desaire diante do holandês Frank de Wit, número 5 do mundo, por ippon.

A participação do judoca encarnado na repescagem começou com um triunfo sem luta no tatami. O belga Sami Chouchi, lesionado, não competiu. No combate que ditava o acesso à medalha de bronze, Anri Egutidze derrotou o 7.º do ranking, Sharofiddin Boltaboev, por wazari, logrando, assim, a melhor classificação de sempre em Europeus e Mundiais.

Em declarações à BTV, Anri Egutidze partilhou o seu contentamento pelo desempenho de que foi protagonista neste Campeonato do Mundo, defendendo as cores de Portugal e do Benfica.

"Estou muito feliz. Consegui o resultado planeado, ganhar uma medalha era um objetivo, estou muito contente. Dei o máximo para alcançar uma medalha no Mundial, era um dos meus objetivos antes dos Jogos Olímpicos. Senti-me confiante desde o início da competição. A confiança é muito importante desde o primeiro combate, é um fator-chave para se ter bons resultados numa prova como esta. Uma confiança controlada, claro, pois estive sempre muito concentrado e focado", analisou.

"O resultado que tive no Europeu deu-me ainda mais motivação para esta prova. Conseguir uma medalha no Campeonato do Mundo é inacreditável. Estou ainda mais motivado para trabalhar na preparação para os Jogos Olímpicos", afiançou o judoca.

Telma Monteiro

Para além de Anri Egutidze, o Benfica tem mais judocas na Hungria. Telma Monteiro (-57 kg), Rodrigo Lopes (-60 kg), Bárbara Timo (-70 kg) e Rochele Nunes (+78 kg) por Portugal, e Djamila Silva (-52 kg) a representar Cabo Verde.

Telma Monteiro terminou a prova em 7.º lugar, na categoria de -57 kg. A benfiquista começou bem ao eliminar a búlgara Ivelina Ilieva (22.ª) e a húngara Andrea Karman (118.ª), ambas por ippon. Porém, nos quartos de final encontrou a japonesa Momo Tamaoki (5.ª do ranking), com a qual perdeu no golden score, após quase 10 minutos de combate, por ter recebido do árbitro o terceiro castigo, situação que se repetiu nas repescagens diante da sérvia Marica Perisic (24.ª).

O judoca do Benfica Rodrigo Lopes combateu na categoria de -60 kg. Na posição 42 do ranking, o português começou o Mundial a ultrapassar o chinês Hon Man Leong (259.º) por ippon, mas foi eliminado na 2.ª ronda pelo alemão Moritz Plafky, 30.º do ranking, com uma chave de braço.

Também pertencente aos quadros das águias, mas pela seleção de Cabo Verde, a atleta Djamila Silva, 55.ª do ranking, competiu na categoria de -52 kg e perdeu no primeiro combate diante da canadiana Ecaterina Guica (28.ª do ranking) por ippon, após ter sofrido também um wazari no tatami.

Nesta quinta-feira e no sábado há mais benfiquistas em combate: Bárbara Timo e Rochele Nunes, respetivamente.

Texto: Marco Rebelo
Fotos: Arquivo
Última atualização: 9 de junho de 2021

Patrocinador Benfica Olímpico


Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar