Futebol

23 agosto 2021, 14h26

Jorge Jesus

ANTEVISÃO

O Benfica joga nesta terça-feira uma cartada decisiva nas contas europeias 2021/22. Depois do 2-1 em Lisboa, frente ao PSV, na primeira mão do play-off da Champions, as águias enfrentam nos Países Baixos a derradeira partida. Jorge Jesus anteviu o duelo, ciente da responsabilidade do mesmo, e perspetivou um encontro intenso entre duas grandes equipas.

Primeiro em declarações à BTV, depois em conferência de Imprensa no Benfica Campus, o treinador do Benfica expressou uma mensagem de confiança e de exigência para os cuidados defensivos ao nível da organização, mas também ofensivamente, onde destacou a necessidade de "fazer golos", perante um adversário que "vai criar muitos problemas" e é "muito forte".

A ideia, sublinhou, num jogo de extrema importância "desportiva e financeiramente", "é vencedora", e é muita a ambição que o Benfica leva na bagagem para os Países Baixos.

Jorge Jesus

Como encara a deslocação a Eindhoven, em face da vantagem adquirida em Lisboa?

Prevemos que vamos ter um segundo jogo difícil. O primeiro acabou, vencemos, mas sabemos que vamos encontrar um adversário com muito talento e muitos bons jogadores. São equipas de fase de grupos e não para estarem a disputar o play-off. Temos vantagem, mas durante o jogo vamos ter muitos períodos em que o PSV nos vai fazer correr atrás da bola. Tem uma qualidade posicional muito forte, mas estamos preparados. Deu para corrigir defeitos e falar das virtudes do primeiro jogo. Vamos com uma ideia vencedora, isso dá-nos mais confiança.

Este resultado pode ser suficiente para seguir na prova?

Pode ser, nos dois jogos já temos uma vitória. Partimos melhor do que quando começámos, sabemos que vamos jogar com um adversário que nos vai criar muitos problemas. Temos de saber defender bem, o nosso adversário é uma equipa criativa ofensivamente, com muito talento, coloca muitos jogadores no processo ofensivo. Temos de manter a boa organização defensiva. Queremos marcar golos, é importante fazer golos.

Jorge Jesus

Este jogo é importante a nível desportivo e financeiro para o Clube. Prefere que os jogadores não tenham esta pressão nos ombros ou faz questão de os relembrar da mesma?

Todos temos consciência da importância do jogo, desportiva e financeiramente. Agora e depois! Não é só este jogo com o PSV! Se o Benfica vencer esta eliminatória, na fase de grupos terá a mesma responsabilidade. Agora, que o primeiro passo é este, que é a tentativa de entrarmos na fase de grupos, é verdade. Vamos jogar com um adversário de muita qualidade, muito bem treinado, com momentos de jogo que só as grandes equipas é que sabem fazer e, portanto, nós, conhecendo cada vez melhor o adversário, e o adversário a nós, vamos com uma ideia de fazer golos. Isso é muito importante, não só para a minha forma de olhar para o jogo, mas também para os jogadores: fazer golos!

Vão estar frente a frente duas equipas com muita capacidade ofensiva. Sente que o Benfica está obrigado a marcar para passar a eliminatória?

Uma vez que temos a vantagem do primeiro jogo, sentimos que é importante marcar! É este o meu pensamento e o dos jogadores. Temos de marcar golo porque vamos jogar contra um adversário que a qualquer momento também o pode fazer! Este é o nosso sentimento, à partida, para além da tática para o jogo. 

Jorge Jesus

Concorda com o fim da vantagem dos golos fora em caso de empate na eliminatória? Prevê mudanças de estratégias por isso mesmo?

Concordar não é muito importante, as duas vertentes têm coisas boas e menos boas. Neste momento, penso que todos os treinadores que jogam nestas competições têm de pensar em ganhar, trabalhar para fazer golos. Agora, deixo de ter receio de levar golos e fico mais preocupado em marcar golos e ganhar o jogo.

Como sentiu a equipa no treino desta manhã?

Treinámos em termos teóricos, foi mais treino de sala, como se costuma dizer. Os jogadores ainda não recuperaram, temos a viagem, por isso o meu juízo de valor vai ser pela experiência e feedback dos jogadores, para poder escolher os 11 que vão começar o jogo.

A equipa está fisicamente restabelecida?

Nós tivemos jogo no sábado, passou domingo e esta segunda-feira... são dois dias de recuperações funcionais e fisiológicas, pouco ativas. Não há tempo de recuperação para fazer alguma coisa em termos de estratégia pré-jogo. Passámos uma mensagem teórica, falada, em relação ao primeiro jogo e tentar que os jogadores que vão partir para este jogo possam estar recuperados. Alguns deles jogaram 90 minutos em Barcelos, o problema é saber em que nível estão e se é preciso mudar.

Jorge Jesus e Morato

Vertonghen esteve no treino [nesta manhã de segunda-feira]. Será convocado?

Sim, recuperou, mas ainda não tem muito treino. O departamento médico deu-o como clinicamente apto e, claro, está convocado.

Está convocado, não tem muito ritmo, mas a experiência de Vertonghen pode pesar? Ou será Morato e mais dez?

A experiência do Vertonghen é sabedoria, tem um conhecimento do jogo muito mais profundo do que o Morato; o Morato, sendo um jovem, tem estado muito bem, não está habituado a jogar tantos jogos em tão pouco tempo… Não sei ainda muito bem com está o Vertonghen. Ainda vou falar com ele, e a partir da minha experiência e da minha comunicação com alguns jogadores é que me vou decidir.

Texto: Rui Miguel Gomes e Sónia Antunes
Fotos: Tânia Paulo / SL Benfica
Última atualização: 23 de agosto de 2021

Patrocinadores principais do Futebol


Relacionadas

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar