Futebol

19 outubro 2018, 20h32

Luís Filipe Vieira e Pizzi

Em grande momento de forma, com seis golos e seis assistências em 14 jogos neste começo de temporada, Pizzi teve o contrato revisto, mantendo-se a ligação ao Sport Lisboa e Benfica até 2022. O acordo foi fechado com o Presidente Luís Filipe Vieira.

"É sempre ótimo ver o nosso valor reconhecido. Já vínhamos a falar disto há algum tempo. Era uma coisa que eu desejava e o Benfica também estava de acordo. É o compensar de todo o trabalho no dia a dia e nos jogos durante semanas. Sinto-me bastante feliz e orgulhoso com esta renovação", partilhou Pizzi, em declarações exclusivas, depois de rubricado o novo vínculo contratual.

O internacional português tem quase duas centenas de jogos com o Manto Sagrado e perto de uma dezena de troféus conquistados no Clube, sendo um elemento muito influente no plantel.

"Não me sinto uma referência. Sei que nestes últimos anos tenho vindo a jogar muito e a ser importante no campo e no balneário. Já são muitos anos a lidar com as pessoas do Sport Lisboa e Benfica e a trabalhar todos os dias nesta grande instituição. Não me sinto uma referência, mas sei que sou um jogador e uma pessoa importante para o Benfica e para os meus companheiros", comentou o camisola 21.

Pizzi

Os 6 golos

COMPETIÇÃO JOGO MINUTO
Liga NOS Benfica-V. Guimarães 10'
Liga NOS Benfica-V. Guimarães 30'
Liga NOS Benfica-V. Guimarães 38'
Liga NOS Boavista-Benfica 62'
Liga dos Campeões (play-off) Benfica-PAOK 45'+1'
Liga dos Campeões (play-off) PAOK-Benfica 39'

Em alta rotação, tem o desempenho objetivado também pela força dos números. É este o melhor Pizzi que já se viu no Benfica? "Não. É um Pizzi que está num bom momento de forma. Sinto-me bem, solto, feliz. Tudo isso está a ser demonstrado dentro do campo com a ajuda de todos os meus companheiros e de todas as pessoas que trabalham comigo no dia a dia. Já tive boas épocas no Benfica, em que fui importante. O que espero é continuar a melhorar todos os dias e fazer golos e assistências para que o Benfica possa ganhar jogos e títulos", assumiu o médio-ofensivo.

"Precisava de um descanso e tive-o durante as últimas férias de verão. Foram bastante tranquilas, tive oportunidade de repousar. Vinha a fazer bastantes jogos há alguns anos. Em 2017 tive a Taça das Confederações que não me permitiu ter as férias normais para um jogador de futebol. Não sei se isso poderá ter influência, mas a verdade é que me sinto mais solto, com mais capacidade e, com a ajuda dos meus companheiros, as coisas têm saído bastante bem", completou Pizzi.

Pizzi

As 6 assistências

COMPETIÇÃO JOGO MINUTO MARCADOR
Liga NOS Nacional-Benfica 76' Grimaldo
Liga NOS Nacional-Benfica 90'+3' Rafa
Liga NOS Benfica-Aves 34' João Félix
Liga NOS Benfica-FC Porto 62' Seferovic
Liga dos Campeões (play-off) PAOK-Benfica 20' Jardel
Liga dos Campeões  AEK-Benfica 15' Grimaldo

No currículo do jogador constam três Ligas, uma Taça de Portugal, duas Taças da Liga e três Supertaças pelo Benfica, além de vários prémios individuais. O coletivo, porém, surge na primeira linha da análise.

"Um jogador quando chega a um grande clube como o Benfica o que quer é ganhar títulos, ser importante e sentir-se feliz. Sinto-me muito feliz por ter ganhado títulos coletivos. Ganhar um Campeonato Nacional pelo Sport Lisboa e Benfica é uma coisa indescritível. O sentimento que tive ao longo de três anos seguidos foi incrível. Claro que os prémios individuais também são uma alegria enorme para um jogador, mas o mais importante numa equipa de futebol são as conquistas coletivas. Estou bastante orgulhoso por tudo", admitiu Pizzi.

"O primeiro título que ganhei pelo Benfica foi bastante especial. Nunca tinha sentido uma coisa destas. Foi a primeira vez que senti o que é ser Campeão Nacional e aquela ida ao Marquês é incrível. Só quem está por dentro é que consegue descrever o tamanho da minha felicidade e de todos os Benfiquistas. Esse marcou-me bastante. Claro que o título de Melhor Jogador da Liga em 2015/16 também me soube muito bem, porque tive uma época muito boa, em que ajudei o Benfica a ser campeão", recordou o camisola 21 com evidente satisfação.

Pizzi

O primeiro jogo de Pizzi pelo Benfica coincidiu com o primeiro golo de Jonas, frente ao Arouca, em 2014/15, no Estádio da Luz. "Desde o primeiro momento que sentimos uma ligação enorme dentro do campo. A nossa maneira de jogar – em termos de toque, de ter a bola, de gostar de tabelas – é muito semelhante e desde o primeiro momento que nos entendemos muito bem. É um orgulho para mim e para toda a gente ter um companheiro como o Jonas. Sempre nos demos bem dentro e fora do campo", contou o médio.

A relação com o Presidente Luís Filipe Vieira também é muito especial. "Temos uma ligação forte desde sempre. Todos os jogadores têm uma grande relação com o Presidente, que sempre foi um ótimo Presidente e amigo, sempre disponível para ajudar. Eu e todos os jogadores do plantel só temos de agradecer por tudo o que este senhor tem feito por nós e pelo Benfica", salientou o jogador.

Marcar golos ou assistir, do que gosta mais? Pizzi responde: "O que fica sempre é o golo. No dia a seguir aos jogos as pessoas vão ver quem marca e não quem assiste. Para qualquer jogador é sempre melhor marcar do que assistir, mas eu fico muito feliz se assistir, porque tenho a certeza de que estou a ajudar o Benfica e os meus companheiros. Prefiro marcar golos, mas a assistência, para mim, é como se fosse um golo, porque ajudei mais um companheiro a ser feliz."

Pizzi

Todos os golos, percebe-se, são saborosos, mas há dois que Pizzi coloca no topo dos prediletos. "Um foi o que marquei contra o Braga na Supertaça, porque é um golo de belo efeito, acabou com esse jogo e deu-nos mais um troféu. Outro foi o que fiz contra o V. Guimarães [em 2016/17], por toda a envolvência, por ter contribuído para outro título nacional", revelou.

Depois de ultrapassar o Sertanense na 3.ª eliminatória da Taça de Portugal, o Benfica vira-se agora para a frente de batalha europeia. Às 20h00 de terça-feira, as águias defrontam o Ajax em Amesterdão, na Holanda, na 3.ª jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões. Pizzi fez uma breve análise sobre o estado do coletivo.

"A equipa está num grande momento de forma. Estamos todos muito confiantes. A vitória aqui em casa contra um rival direto deu-nos muita confiança, muita vontade de continuar a trabalhar, sabendo que as coisas estão a ser bem feitas, que o caminho que estamos a percorrer é o certo. Queremos trabalhar todos os dias para que as vitórias continuem a surgir em todos os jogos", acentuou o centrocampista.

Texto: João Sanches

Fotos: Tânia Paulo / SL Benfica

Última atualização: 7 de fevereiro de 2019

Patrocinadores principais do Futebol


Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar