Futebol

01 março 2021, 22h46

Equipa do Benfica festeja um dos golos

RESUMO DO JOGO

Dois golos na segunda parte da receção ao Rio Ave, no Estádio da Luz, asseguraram ao Benfica o (merecido) regresso às vitórias na 21.ª jornada da Liga NOS!

A reentrada do Benfica no Campeonato foi feita com novidades no onze. As ausências de Otamendi (a cumprir um jogo de castigo) e Vertonghen (no boletim clínico) abriram campo para a estreia da dupla Lucas Veríssimo-Jardel no eixo da defesa. De volta ao figurino tático 4x4x2, a equipa teve Rafa e Everton dispostos nos flancos e Waldschmidt a acompanhar Seferovic na linha de ataque.

As águias tiveram um arranque positivo. Enérgico a esticar as ofensivas pela direita, Diogo Gonçalves (a atuar como lateral) cruzou com minúcia e convidou Seferovic a visar a baliza ao minuto 8. O cabeceamento do internacional suíço foi feito na direção do alvo, mas defendido pelo guarda-redes Kieszek.

Benfica-Rio Ave

Atestando a carburação do coletivo em busca da vantagem neste período, o lance elaborado pelos encarnados aos 9' criou a sensação de golo. Everton, descaído para a esquerda, fez um dos movimentos que o caracterizam, derivou para uma zona mais interior e disparou de pé direito, mas o esférico embateu com estrondo na zona de junção do poste e da barra. Seria um golaço!

Agressivo e a querer jogar de forma permanente no meio campo ofensivo, o Benfica esteve por cima nos primeiros 15/20 minutos, mas depois teve de suportar a resposta do Rio Ave. Valendo-se de rápidas e bem delineadas transições, os vila-condenses mostraram-se ao minuto 20, e Helton teve de se estirar para suster o remate de Mané. No seguimento do canto, novo sobressalto para as águias: Gelson Dala conseguiu tirar Weigl da frente, na área, e depois, com o ângulo a fechar-se, disparou e acertou no poste esquerdo (21').

Benfica-Rio Ave

Enfrentando um oponente que trata bem a bola, o Benfica fez outra aproximação à baliza do Rio Ave aos 33', com Diogo Gonçalves a soltar-se na direita e a efetuar novo cruzamento prometedor, mas Seferovic, ao primeiro poste, estorvado por Costinha, não conseguiu emendar. O avançado ficou a reclamar um puxão de camisola do defensor, ação que seria visível na repetição da jogada, mas a verdade é que nem o árbitro nem o videoárbitro consideraram infração. E o Benfica continua sem um penálti a favor neste Campeonato!

Sobre o fecho da etapa inicial viu-se o Rio Ave a manobrar mais vezes (e mais tempo) dentro do meio campo defensivo do Benfica. Francisco Geraldes, aos 40', deu continuidade a um centro de Sávio na esquerda, rematando para intervenção sólida de Helton. Antes de Nuno Almeida apitar para intervalo, Rafael Camacho também incomodou o guarda-redes benfiquista.

Filme do jogo

Era preciso aumentar a intensidade e a velocidade com bola, elevar a consistência das combinações de ataque, e foi isso que o Benfica procurou fazer no relvado no começo do segundo tempo. Taarabt e Waldschmidt, em zona de finalização, agitaram as águas na grande área vila-condense (53' e 55'), mas a grande ocasião de golo foi provocada por Weigl (recuperação de bola na zona de saída do Rio Ave) e não concretizada por Seferovic. No duelo com Kieszek, o guarda-redes do Rio Ave impediu o golo (55').

Benfica-Rio Ave

O keeper polaco dos vila-condenses estaria novamente em evidência aos 58', detendo o remate de Waldschmidt na área. O Benfica persistiu, o Benfica marcou (1-0)! Everton batalhou para dar sequência ao lance, à entrada da área, e a bola ficou à mercê do pé esquerdo de Seferovic, que, sem perdão, atirou para dentro da baliza (59'). A legalidade do lance seria confirmada pelo VAR.

Jorge Jesus não demorou a mexer no xadrez das águias: Chiquinho e Pizzi renderam Taarabt e Waldschmidt aos 63'. O Benfica refrescava-se, renovava intervenientes e argumentos para as tarefas de circulação de bola e construção de ofensivas. E o segundo golo dos encarnados esteve para acontecer ao minuto 71: depois da tentativa de Seferovic e posterior defesa de Kieszek, Pizzi conseguiu posicionar-se para a recarga em zona privilegiada, mas rematou sobre a barra.

Benfica-Rio Ave

Chegados aos 75', mais uma alteração no Benfica: saiu Rafa, entrou Cervi. Os visitantes, hábeis com bola, tentaram replicar, aqui ou ali, mas Helton e a linha defensiva mostraram-se competentes nas resoluções. O 2-0, que os encarnados perseguiam, materializou-se ao minuto 78, num remate de raiva de Pizzi à entrada da área, a passe de Everton. Um foguete que rebentou nas redes vila-condenses!

A partir deste momento, com um diferencial confortável, o Benfica, sem baixar o ritmo (e com Gilberto e Gabriel em campo aos 84', substituindo Diogo Gonçalves e Everton), controlou o jogo e o resultado com segurança (149 ataques, 17 tentativas de golo, 8 remates à baliza, 59 por cento de posse de bola), e até poderia ter dilatado a vantagem num tiro de Pizzi. Vitória bem agarrada (2-0), três pontos garantidos na 21.ª jornada – e há mais 13 para ganhar neste Campeonato!

Na próxima quinta-feira, dia 4 de março (20h15), o Benfica vai combater noutra frente desportiva, com a receção ao Estoril na 2.ª mão das meias-finais da Taça de Portugal. No primeiro jogo da semifinal as águias venceram na Amoreira por 1-3.

Packs Sagres x SL Benfica

Texto: João Sanches
Fotos: Isabel Cutileiro e Tânia Paulo / SL Benfica
Última atualização: 26 de julho de 2022

Patrocinadores principais do Futebol


Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar